Bíblia

Jeremias 39

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!

Jerusalém é tomada

1 No nono ano de Zedequias rei de Judá, no décimo mês, veio Nabucodonosor rei da Babilônia com todo seu exército contra Jerusalém, e a cercaram.

nono anodécimo mês: e no décimo dia dele (Jr 52:4; 2Rs 25:1-4). De Jr 39:2, “décimo primeiro ano … quarto mês … nono dia”, sabemos que o cerco durou um ano e meio, com exceção da suspensão causada pelo faraó. Nabucodonosor estava presente no início do cerco, mas estava em Ribla no final (Jr 39:3,6; compare Jr 38:17).

2 E no décimo primeiro ano de Zedequias, no quarto mês, aos nove do mês, foi rompida a cidade;
3 E entraram nela todos os príncipes do rei de Babilônia, e se sentaram à porta do meio: Nergal-Sarezer, Sangar-Nebo, Sarsequim, Rabsáris, Nergal-sarezer, Rabmague, e todos os demais príncipes do rei da Babilônia.

sentaram: expressando ocupação militar ou acampamento.

porta do meio: o portão da cidade alta (compreendendo o Monte Sião) para a cidade baixa (norte do primeiro e muito mais baixo); foi para o último (o lado norte) que os caldeus forçaram uma entrada e assumiram sua posição em frente ao portão do muro intermediário, entre a cidade baixa e a cidade alta. Zedequias fugiu no sentido oposto, isto é, na direção sul (Jr 39:4).

Nergal-Sarezer, Sangar-Nebo: nomes próprios formados dos ídolos, Nergal e Nebo (2Rs 17:30; Is 46:1).

Rabsáris: que significa “chefe dos eunucos”.

Rabmague: chefe dos magos; trazido com a expedição. Mague é uma palavra persa que significa “grande”, “poderoso”. Os magos eram uma casta sacerdotal entre os medos, e apoiavam a religião zoroastriana.

4 E sucedeu que, Zedequias, rei de Judá, e todos os homens de guerra, quando os viram, fugiram, e saíram de noite da cidade pelo caminho do jardim do rei, pela porta entre os dois muros; e saíram pelo caminho de Arabá.

jardim do rei: A “porta” para ele da parte superior, a cidade acima era apropriada apenas aos reis; escadas ”desciam do monte Sião e do palácio até o jardim do rei (Ne 3:15).

dois muros: Zedequias poderia ter mantido a cidade alta por mais tempo, mas a falta de provisões levou-o a fugir pela muralha dupla ao sul de Sião, em direção às planícies de Jericó (Jr 39:5), a fim de escapar pelo Jordão para a Arábia-Deserta. Ele quebrou uma abertura na parede para sair (Ez 12:12).

5 Porém o exército dos caldeus os perseguiu, e alcançaram a Zedequias nas plancíes de Jericó; e o prenderam, e o fizeram subir a Nabucodonosor rei da Babilônia, a Ribla, na terra de Hamate; e ele sentenciou.

Ribla: norte da Palestina (ver Jr 1:14; Nm 34:11). Hamate é identificado por comentaristas com Antioquia, na Síria, no Orontes, chamado Epifania, de Antioco Epifânio.

sentenciou: literalmente, “falou com ele”, isto é, levou-o a julgamento como um criminoso comum, não como um rei. Ele havia quebrado seu juramento (Ez 17:13-19; 2Cr 36:13).

5 Porém o exército dos caldeus os perseguiu, e alcançaram a Zedequias nas plancíes de Jericó; e o prenderam, e o fizeram subir a Nabucodonosor rei da Babilônia, a Ribla, na terra de Hamate; e ele sentenciou.

filhos … diante de seus olhos: antes de seus olhos serem cegados (Jr 39:7); literalmente, “escavados”. As esculturas assírias retratam o prazer com que os reis golpearam, frequentemente com suas próprias mãos, os olhos dos príncipes cativos. Esta passagem reconcilia Jr 32:4: “os olhos dele verão os seus olhos”; com Ez 12:13, “ele não verá Babilônia, embora ele morra lá”.

7 E cegou os olhos de Zedequias, e o aprisionou com cadeias de bronze, para o levar à Babilônia.
8 E os caldeus queimaram a casa do rei e as casas do povo a fogo, e derrubaram os muros de Jerusalém.

as casas: (Jr 52:12-13). Não imediatamente após a tomada da cidade, mas no mês seguinte, ou seja, no quinto mês (compare Jr 39:2).

9 E o restante do povo que tinha restado na cidade, e os que haviam a ele se rendido, com todo o resto do povo que tinha restado, Nabuzaradã, capitão da guarda, transportou-os à Babilônia

restante do povo: exceto os mais pobres (Jr 39:10), que não causaram apreensões a Nabucodonosor.

todo o resto do povo que tinha restado: distinto do “remanescente” anterior; ali ele significa o remanescente daqueles sitiados na cidade, a quem Nabucodonosor poupou; aqui, aqueles espalhados por vários distritos do país que não haviam sido sitiados (Calvino).

10 Porém Nabuzaradã, capitão da guarda, fez restar na terra de Judá os mais pobres do povo, que não tinham nada, e lhes deu vinhas e campos naquele tempo.

os mais pobres do povo: Os pobres têm menos a perder; uma das compensações providenciais de seu grupo. Aqueles que antes haviam sido despidos de seus bens pelos judeus mais ricos obtêm, não apenas os seus próprios, mas também os dos outros.

11 Mas Nabucodonosor, rei da Babilônia, havia dado ordem a Nabuzaradã, capitão da guarda, quanto a Jeremias, dizendo:

As profecias de Jeremias eram conhecidas por Nabucodonosor através dos desertores (Jr 39:9; 38:19), também através dos judeus levados para Babilônia com Jeconias (compare Jr 40:2). Daí a bondade do rei para com ele.

12 Toma-o, olha por ele, e não lhe faças mal algum; mas faças com ele como ele te disser.

olha por ele: – hebraico, “põe os teus olhos sobre ele”; para lhe prover seu bem-estar.

13 Então enviou Nabuzaradã capitão da guarda, e Nabusasbã, Rabsaris, e Nergal-Sarezer, e Rabmague, e todos os príncipes do rei da Babilônia;

enviou: Ele estava então em Ramá (Jr 40:1).

14 Enviaram, pois, e tomaram a Jeremias do pátio da guarda, e o entregaram a Gedalias filho de Aicã, filho de Safã, para que o levasse para casa; e ele ficou entre o povo.

Gedalias: filho de Aicã, o antigo aliado de Jeremias (Jr 26:24). Gedalias era o chefe dos desertores para os caldeus e estava estabelecido sobre o remanescente na Judéia como alguém que provavelmente permaneceria fiel a Nabucodonosor. Sua residência foi em Mispá (Jr 40:5).

casa: a casa de Gedalias, onde Jeremias poderia permanecer em um asilo seguro. Como em Jr 40:1 Jeremias é representado como “acorrentado” quando ele veio a Ramá entre os cativos para ser levado para Babilônia, essa libertação de Jeremias é considerada por Maurer como distinta daquela em Jr 40:5-6 Mas ele parece primeiro ter sido libertado da corte da prisão e ter sido levado a Ramá, ainda acorrentado, e depois recebido em liberdade a Gedalias.

ele ficou entre o povo: isto é, foi libertado.

15 E tinha vindo a palavra do SENHOR a Jeremias, enquanto ele estava preso no pátio da guarda, dizendo:
16 Vai, e fala a Ebede-Meleque o cuxita, dizendo: Assim diz o SENHOR dos exércitos, Deus de Israel: Eis que trarei minhas palavras sobre esta cidade para o mal, e não para o bem; e serão naquele dia perante tua presença.

Vai: não literalmente, pois ele estava em confinamento, mas figurativamente.

perante tua presença: à tua vista.

17 Porém naquele dia eu te livrarei, diz o SENHOR, e não serás entregue nas mãos dos homens a quem tu temes.
18 Pois certamente te livrarei, e não cairás à espada, mas sim que terás tua alma como despojo, porque confiaste em mim, diz o SENHOR.

como despojo: (Veja Jr 21:9; veja em Jr 38:2; veja em Jr 45:5).

confiaste em mim: (Jr 38:7-9). A confiança em Deus era a raiz do seu destemor da ira dos homens, em sua humanidade ao profeta (1Cr 5:20; Sl 37:40). A “vida” que ele arriscara assim era para ser sua recompensa, sendo poupada além de toda esperança, quando a vida de seus inimigos deveria ser perdida (“por uma presa”).

<Jeremias 38 Jeremias 40>

Introdução à Jeremias 39

Este capítulo consiste em duas partes: a primeira descreve a captura de Jerusalém, a remoção do povo para a Babilônia e o destino de Zedequias e de Jeremias. A segunda fala da garantia de segurança para a Ebede-Meleque.

Leia também uma introdução ao Livro de Jeremias.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados