Livro

Epístola aos Hebreus

Canonicidade

Todos os resultados da pesquisa crítica e histórica à qual esta epístola tem sido especialmente submetida justificam abundantemente seu direito a um lugar no cânon do Novo Testamento entre os outros livros inspirados.

Autoria

Uma variedade considerável de opiniões sobre este assunto tem sido desenvolvida em diferentes momentos. Alguns têm sustentado que seu autor foi Silas, o companheiro de Paulo. Outros o atribuíram a Clemente de Roma, ou Lucas, ou Barnabé, ou algum cristão alexandrino desconhecido, ou Apolo; mas a conclusão que achamos que é melhor apoiada, tanto pela evidência interna como externa, é que Paulo foi seu autor. Há, sem dúvida, muitas dificuldades na maneira de aceitá-la como a de Paulo; mas podemos ao menos discutir com Calvino que não pode haver dificuldade na maneira de “abraçá-la sem controvérsia como uma das epístolas apostólicas”.

Data e local de escrita

A epístola aos Hebreus foi provavelmente escrito em Roma, perto do fim da prisão de dois anos de Paulo (Hb 13:19,24). Certamente foi escrita antes da destruição de Jerusalém (Hb 13:10).

Destinatários

Hebreus foi claramente foi destinada para judeus convertidos à fé do evangelho, provavelmente para a igreja em Jerusalém.

Propósito

Seu objetivo era mostrar o verdadeiro fim e significado do sistema mosaico e seu caráter simbólico e transitório. Ela prova que o sacerdócio levítico era uma “sombra” daquela de Cristo, e que os sacrifícios legais prefiguraram o grande e perfeito sacrifício que ele ofereceu por nós. Explica que o evangelho foi concebido não para modificar a lei de Moisés, mas para substituí-la e aboli-la. Seu ensino foi pensado para reverter essa tendência de apostatar do cristianismo e voltar ao judaísmo, que agora se manifestava entre alguns cristãos judeus. A autoridade suprema e a glória transcendente do evangelho estão claramente estabelecidas, e de tal forma que fortalecem e confirmam a sua fidelidade a Cristo.

Estrutura

A epístola aos Hebreus consiste em duas partes: (a) doutrinária (Hb 1-10:18), (b) e prática (Hb 10:19 à 13). Nela se encontram muitas referências a partes do Antigo Testamento. Pode ser considerada como um tratado suplementar às Epístolas aos Romanos e Gálatas, e como um comentário inspirado no livro de Levítico.

Adaptado de: Illustrated Bible Dictionary (Hebrews, Epistle to).