João 6:50

Este é o pão que desceu do céu, para que o ser humano coma dele e não morra.

Comentário Schaff

O ‘pão que desceu do céu’ (repetido de João 6:33) é de tal natureza e tem tal objetivo, que se pode comer dele e não morrer. Não devemos pressionar demais o uso de “um” ou “qualquer um” ​​por nosso Senhor neste versículo; mas podemos pelo menos dizer que Sua evitação estudiosa de cada palavra de limitação aponta mais uma vez para a oferta ilimitada de vida, a oferta para “o mundo” (João 6:33). Quando João 6:49-50 é comparado, uma dificuldade se apresenta. Pode-se dizer que a antítese não é completa, pois a morte não é usada em dois sentidos diferentes? Os pais morreram no deserto: quem come do pão verdadeiro não morrerá. Há exatamente o mesmo duplo uso da palavra no cap. João 11:26 (veja a nota nesse versículo). É suficiente aqui dizer que em nenhum dos versículos o significado é tão simples quanto a objeção supõe. Em João 6:49, certamente devemos reconhecer uma referência parcial à morte como punição do pecado e, por consequência, à morte moral que, mesmo neste mundo, deve sempre acompanhar o pecado. Em João 6:50 novamente a morte física pode parecer excluída, mas veremos que João em outro lugar considera o crente como livre (em certo sentido) mesmo disso, tão completamente a morte para ele mudou seu caráter – tão completa é a libertação concedida por seu Senhor. [Schaff, aguardando revisão]

< João 6:49 João 6:51 >

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles, com adaptação de Luan Lessa – janeiro de 2021.