Colossenses 2:19

e não se ligando à cabeça, da qual todo o corpo, suprido e organizado pelas juntas e ligamentos, vai crescendo com o crescimento da parte de Deus.

Comentário A. R. Fausset

Traduza: “Não segura a cabeça”. Aquele que não possui Cristo unicamente e supremamente acima de todos os outros, não o segura de todo (Bengel). A falta de firme apego de Cristo o colocou à solta (persegue, e assim) “pisa soberbamente sobre as coisas que ele tem visto”. Cada um deve segurar a Cabeça por si mesmo, não apenas estar apegado ao outros membros, no entanto alto no corpo (Alford).

de qual – em vez disso, “de quem”.

o corpo – isto é, todos os membros do corpo (Efésios 4:16).

jutas – os pontos de união onde o suprimento de alimento passa para os diferentes membros, fornecendo ao corpo os materiais de crescimento.

medulas – os tendões e nervos que unem membros e membros. Fé, amor e paz são os elos espirituais. Compare “unidos em amor” (Colossenses 2:2; Colossenses 3:14; Efésios 4:3).

ter alimento ministrado – ou seja, suprido a ele continuamente. “Recebendo ministração.”

tricotar juntos – O grego é traduzido, “compactado”, Efésios 4:16: implicando consolidação firme.

com o crescimento da parte de Deus – (Efésios 4:16); isto é, forjado por Deus, o Autor e Sustentador da vida espiritual do crente, em união com Cristo, a Cabeça (1Coríntios 3:6); e tendendo à honra de Deus, sendo digno dEle, seu Autor. [JFB, aguardando revisão]

Comentário de L. B. Radford

se ligando à cabeça, ou seja, não meramente (1) aderindo firmemente à verdade sobre a Liderança de Cristo, compare com Marcos 7:3, 4, 8, 2 Ts. 2:15, Apocalipse 2:14, 15, de apegar-se a tradições ou doutrinas, mas (2) apegar-se ao próprio Cristo, compare com Apocalipse 2:13, da Igreja de Pérgamo, ‘retendes o meu nome’, onde como tantas vezes em Antigo Testamento e Novo Testamento ‘nome’ significa personagem ou pessoa, e a confissão da noiva em Cant. 3:4, ‘Eu o segurei firme e não o soltei’. Para a ideia de crescimento espiritual dependendo de manter contato com Cristo, epístola o ensinamento joanino da videira e seus ramos, João xv. 4, 5. Os mestres colossenses enfatizavam aparentemente o avanço em conhecimento e poder espiritual, mas sua ênfase na mediação ou autoridade angélica era inconsistente com a crença prática na supremacia e suficiência de Cristo. Paulo insiste nisso como o erro radical de sua teologia. Eles haviam perdido a posse de Cristo, a única fonte de crescimento espiritual.

da qual. A R. V. [King James, Versão Revisada] é apoiado pela passagem paralela Efésios 4:15, ‘crescer naquele que é a Cabeça, sim, Cristo, de quem todo o corpo’, etc. Mesmo aqui alguns manuscritos acrescentam ‘Cristo’ depois de ‘a Cabeça’. todo o corpo. A heresia colossense era individualista e exclusiva. Paulo implica nesta figura do Corpo que o crescimento espiritual para o indivíduo depende da comunhão e é aberto a todos. O único e único Cristo tem como corolário uma Igreja universal e abrangente; e todos os seus membros, tanto os poucos escolhidos como os muitos vulgares, dependem do contato direto com Cristo.

suprido e organizado pelas juntas e ligamentos. A palavra grega traduzida como articulações foi derivada e interpretada de várias maneiras (1) sentidos ou sensações, (2) articulações ou junções, (3) contatos. A primeira é improvável; o ponto da metáfora não está no sentimento da vida, mas no fato do crescimento. A segunda no todo é preferível, ou seja, não as partes unidas, mas as junções. A palavra grega traduzida como faixas é usada metaforicamente em 3:14, ‘o vínculo da perfeição’; Efésios 4:3, ‘o vínculo da paz’; Atos 8:23, ‘o vínculo da iniqüidade’. Em seu sentido literal, é usado por escritores médicos gregos de músculos, tendões ou ligamentos. Aqui, aparentemente, denota os anexos, enquanto as articulações denotam a articulação do corpo. Seus membros são distintos, mas unidos; há diversidade em sua unidade, mas a diversidade não é divisão.

Para a ideia de ‘suprimento’ espiritual ver Efésios 4:16, Gálatas 3:5, 2 Pedro 1:5, 11); para a palavra traduzida como ‘tricotar’ veja nota em 2:2. O uso de uma metáfora fisiológica é interessante tendo em vista que entre os companheiros de Paulo nessa época estava Lucas, o médico amado (4:14). Os dois particípios parecem pertencer especialmente, mas não exclusivamente, aos dois substantivos, respectivamente. Podemos descartar como uma antítese forçada a ideia de que a alimentação do corpo por meio de suas articulações refere-se à união de cada membro com Cristo, e seu entrelaçamento por ligamentos refere-se às relações mútuas de todos os membros. Tampouco devemos estabelecer o paralelo entre as maneiras pelas quais o corpo físico é alimentado e o crescimento do corpo espiritual. Basta ver na metáfora dois princípios da vida do Corpo, sua diversidade e sua unidade. Cada membro tem seu próprio lugar e função distintos, op. ‘o funcionamento de cada parte’ em Efésios 4:16; todos estão ligados em um todo orgânico. Destes dois princípios depende a vida do Corpo em relação à Cabeça; que a vida é extraída da Cabeça, e seu crescimento se manifesta de duas maneiras – ela deriva sustento e desenvolve unidade.

o crescimento da parte de Deus, ou seja, um aumento que (a) vem de Deus como seu doador, compare com 1Coríntios 3:6, 7, ‘Deus deu o aumento’, e (b) pertence a Deus, ou seja, é da natureza de Deus . A vida da Igreja é divina em sua origem e também em seu caráter. Na passagem paralela, Efésios 4:16, o aumento é descrito como ‘aumento do corpo’, e aparentemente é atribuído às ações e reações internas dos membros. A diferença de ênfase se deve ao ponto de vista diferente dos dois contextos. Aqui a relação do corpo e dos membros com Cristo, o Cabeça, é a idéia primária; aí está a interação das partes dentro do todo e sobre todo o Corpo. [Radford, aguardando revisão]

< Colossenses 2:18 Colossenses 2:20 >

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles, com adaptação de Luan Lessa – janeiro de 2021.