Josué 23

A despedida de Josué

1 E aconteceu, passados muitos dias depois que o SENHOR deu repouso a Israel de todos os seus inimigos ao redor, que Josué, sendo velho, e cheio de dias,

Comentário de Robert Jamieson

passados muitos dias depois que o SENHOR deu repouso a Israel de todos os seus inimigos ao redor – cerca de quatorze anos após a conquista de Canaã e sete depois da distribuição daquele país entre as tribos. [JFB, aguardando revisão]

2 Chamou a todo Israel, a seus anciãos, a seus príncipes, a seus juízes e a seus oficiais, e disse-lhes: Eu sou já velho e cheio de dias:

Comentário de Robert Jamieson

Chamou a todo Israel – A sentença que se segue parece restringir esta expressão geral como aplicável apenas aos oficiais e representantes do povo. O local de reunião era provavelmente Siló. A ocasião de convocá-lo foi a idade extrema e se aproximando da morte do venerável líder; e o propósito deste solene discurso era animar o povo escolhido e sua posteridade para uma continuação fiel e inabalável na fé e adoração do Deus de Israel. [JFB, aguardando revisão]

3 E vós vistes tudo o que o SENHOR vosso Deus fez com todas estas nações em vossa presença; porque o SENHOR vosso Deus lutou por vós.

Comentário de Robert Jamieson

vós vistes tudo o que o SENHOR vosso Deus fez com todas estas nações em vossa presença – A modéstia e humildade de Josué são notavelmente exibidas no começo deste discurso. Dispensando todos os pensamentos de seus serviços pessoais, ele atribuiu a subjugação e ocupação de Canaã inteiramente à favorecer a presença e a ajuda de Deus; e ao fazê-lo, ele não falou mais piedosamente do que verdadeiramente. Isso foi prometido (Deuteronômio 1:30; 3:22); e a realidade da ajuda divina foi vista na rápida derrubada dos cananeus, que já haviam levado à divisão de toda a terra entre as tribos [Josué 23:4]. [JFB, aguardando revisão]

4 Eis que vos reparti por sorteio, em herança para vossas tribos, estas nações, tanto as destruídas como as que ficam, desde o Jordão até o grande mar até onde o sol se põe.

Comentário de Keil e Delitzsch

Ele (Josué) tinha agora dividido por sorteio entre as tribos de Israel como herança estas nações ainda remanescentes (cananéias), como o Senhor ordenara (Josué 13:6-7), “da Jordânia e ainda mais todas as nações, que eu exterminei (isto é, que Josué tinha destruído quando Canaã foi tomada), e o grande mar (para ‘o grande mar’) no oeste”. A amplitude da terra de Canaã é aqui dada de maneira peculiar, sendo o termo um quo mencionado na primeira cláusula, e o termo ad quem (embora sem a preposição עד) na segunda; e através do paralelismo que existe entre as cláusulas, cada cláusula é deixada para ser completada a partir da outra. Para que a frase inteira seja lida assim: “Todas essas nações que permanecem… da Jordânia para o grande mar, também todas as nações que cortei da Jordânia, e para o grande mar para o oeste”. [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

5 E o SENHOR vosso Deus as expulsará de diante de vós, e as lançará de vossa presença: e vós possuireis suas terras, como o SENHOR vosso Deus vos disse.

Comentário de Robert Jamieson

As posses reais que Deus tinha dado eram uma garantia do cumprimento completo da Sua promessa em dar-lhes as partes do país ainda invicto. Mas a realização da promessa divina dependia de sua inviolável fidelidade à lei de Deus – mantendo-se resoluta e afastada de todo relacionamento familiar e conexões íntimas com os cananeus, ou de qualquer forma participando de seus pecados idólatras. No caso de continuarem em firme adesão à causa de Deus, como felizmente distinguiram a nação naquele tempo, Sua bênção lhes asseguraria um curso de vitórias brilhantes e fáceis (Levítico 26:7; 28:7; 32:30). [JFB, aguardando revisão]

6 Esforçai-vos, pois, muito a guardar e fazer tudo o que está escrito no livro da lei de Moisés, sem apartar-vos dele nem à direita nem à esquerda;

Comentário de Keil e Delitzsch

(6-8) Apenas que sejam fortes, isto é, sejam corajosos, para cumprir a lei de Moisés sem falta (compare com Josué 1:7), para não entrar em comunhão com essas nações restantes (בּוא, para entrar em intimidade próxima com uma pessoa; veja Josué 23:12), e não para prestar reverência a seus deuses de nenhuma forma, mas para aderir firmemente ao Senhor seu Deus, como até agora tinham feito. Fazer menção aos nomes dos ídolos (Êxodo 23:13), jurar por eles, servi-los (por sacrifícios) e curvar-se diante deles (invocá-los em oração), são as quatro formas externas de adoração divina (ver Deuteronômio 6:13; Deuteronômio 10:20). As palavras finais, “como fizestes até hoje”, que expressam um motivo para perseverar no apego que até agora tinham demonstrado a Jeová, “não afirmam que os israelitas até agora tinham feito todas estas coisas plena e perfeitamente; pois quem não sabe quão poucos mortais há que se dedicam a Deus com toda a piedade e amor que Ele justamente exige? Mas como a nação como um todo tinha mantido as leis que Moisés lhes entregou, durante o tempo em que o governo esteve nas mãos de Josué, os pecados de homens individuais foram deixados fora da vista nesta ocasião” (Masius). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

7 Que quando entrardes a estas nações que restaram convosco, não façais menção nem jureis pelo nome de seus deuses, nem os sirvais, nem vos inclineis a eles:

Comentário de Keil e Delitzsch

(6-8) Apenas que sejam fortes, isto é, sejam corajosos, para cumprir a lei de Moisés sem falta (compare com Josué 1:7), para não entrar em comunhão com essas nações restantes (בּוא, para entrar em intimidade próxima com uma pessoa; veja Josué 23:12), e não para prestar reverência a seus deuses de nenhuma forma, mas para aderir firmemente ao Senhor seu Deus, como até agora tinham feito. Fazer menção aos nomes dos ídolos (Êxodo 23:13), jurar por eles, servi-los (por sacrifícios) e curvar-se diante deles (invocá-los em oração), são as quatro formas externas de adoração divina (ver Deuteronômio 6:13; Deuteronômio 10:20). As palavras finais, “como fizestes até hoje”, que expressam um motivo para perseverar no apego que até agora tinham demonstrado a Jeová, “não afirmam que os israelitas até agora tinham feito todas estas coisas plena e perfeitamente; pois quem não sabe quão poucos mortais há que se dedicam a Deus com toda a piedade e amor que Ele justamente exige? Mas como a nação como um todo tinha mantido as leis que Moisés lhes entregou, durante o tempo em que o governo esteve nas mãos de Josué, os pecados de homens individuais foram deixados fora da vista nesta ocasião” (Masius). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

8 Mas ao SENHOR vosso Deus vos achegareis, como fizestes até hoje;

Comentário de Keil e Delitzsch

(6-8) Apenas que sejam fortes, isto é, sejam corajosos, para cumprir a lei de Moisés sem falta (compare com Josué 1:7), para não entrar em comunhão com essas nações restantes (בּוא, para entrar em intimidade próxima com uma pessoa; veja Josué 23:12), e não para prestar reverência a seus deuses de nenhuma forma, mas para aderir firmemente ao Senhor seu Deus, como até agora tinham feito. Fazer menção aos nomes dos ídolos (Êxodo 23:13), jurar por eles, servi-los (por sacrifícios) e curvar-se diante deles (invocá-los em oração), são as quatro formas externas de adoração divina (ver Deuteronômio 6:13; Deuteronômio 10:20). As palavras finais, “como fizestes até hoje”, que expressam um motivo para perseverar no apego que até agora tinham demonstrado a Jeová, “não afirmam que os israelitas até agora tinham feito todas estas coisas plena e perfeitamente; pois quem não sabe quão poucos mortais há que se dedicam a Deus com toda a piedade e amor que Ele justamente exige? Mas como a nação como um todo tinha mantido as leis que Moisés lhes entregou, durante o tempo em que o governo esteve nas mãos de Josué, os pecados de homens individuais foram deixados fora da vista nesta ocasião” (Masius). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

9 Pois o SENHOR expulsou diante de vós grandes e fortes nações, e até hoje ninguém há podido resistir diante de vosso rosto.

Comentário de Keil e Delitzsch

(9-13) Por esta razão, o Senhor havia expulsado nações grandes e fortes diante dos israelitas, de modo que ninguém podia estar diante deles. O primeiro hemistich aponta para o cumprimento de Deuteronômio 4:38; Deuteronômio 7:1; Deuteronômio 9:1; Deuteronômio 11:23; o segundo para Deuteronômio 7:24; Deuteronômio 11:25. ואתּם é colocado no início absolutamente. – Em Josué 23:10, a bênção da fidelidade à lei que Israel experimentou até então, é descrita, como em Deuteronômio 32:30, com base na promessa de e Deuteronômio 28:7, e em Josué 23:10 o pensamento de Josué 23:3 é repetido. A isso está anexada, em Josue 23:11-13, a admoestação para que se atenda ao bem de suas almas (compare com Deuteronômio 4:15), para amar ao Senhor seu Deus (sobre o amor de Deus como a soma do cumprimento da lei, veja Deuteronômio 6:5; Deuteronômio 10:12; Deuteronômio 11:13). Pois se eles se voltassem, ou seja, desistissem da fidelidade que até então tinham demonstrado para com Jeová, e se apegassem ao remanescente dessas nações, se casassem com elas e entrassem em comunhão com elas, o que o Senhor havia expressamente proibido (Êxodo 34:12-15; Deuteronômio 7:3), deixá-los saber que o Senhor seu Deus não cortaria mais essas nações diante deles, mas que elas seriam um laço e uma destruição para eles. Esta ameaça é fundada em passagens da lei como Êxodo 23:33; Deuteronômio 7:16, e mais especialmente Números 33:55. A figura de uma armadilha, que é empregada aqui (ver Êxodo 10:7), é ainda mais reforçada por פּח, um laço (compare com Isaías 8:14-15). Shotet, um chicote ou flagelo, uma forma enfática da palavra derivada do poel de שׁוּט, só ocorre aqui. “flagelos em seus lados, e espinhos em seus olhos” (ver Números 33:55). Josué reúne suas figuras para representar a miséria e a opressão que certamente resultariam da comunhão com os cananeus, porque, a partir de seu conhecimento da volubilidade do povo e da maldade do coração humano em seu estado natural, ele podia prever que a apostasia da nação do Senhor, que Moisés havia predito, aconteceria, mas muito rapidamente; como na verdade aconteceu, segundo os Juízes 2:3, na geração seguinte. As palavras “até que pereçais”, etc., retomam a ameaça que Moisés representava em Deuteronômio 11:17 (compare com Josh Deuteronômio 28:21.). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

10 Um homem de vós perseguirá a mil: porque o SENHOR vosso Deus luta por vós, como ele vos disse.

Comentário Whedon

Josué, já no fim da sua vida, lembra os israelitas da promessa de que Deus estaria extraordinariamente com eles enquanto fossem temente a Ele.

perseguirá a mil. Uma ampliação da promessa em Levítico 26:8, e quase idêntico a Deuteronômio 32:30, significando que poucos vencerão uma grande multidão. Veja o ataque noturno de Gideão (Juízes 7:22). Também os atos dos valentes de Davi, um dos quais levantou sua lança contra oitocentos e matou trezentos (2Samuel 23:8,18; 1Crônicas 11:11). [Whedon, 1874]

11 Portanto, cuidai muito por vossas almas, que ameis ao SENHOR vosso Deus.

Comentário de Robert Jamieson

A soma de sua exortação é compreendida no amor de Deus, que é o fim ou cumprimento da lei (Deuteronômio 6:5; 11:13; Mateus 22:37). [JFB, aguardando revisão]

12 Porque se vos apartardes, e vos achegardes ao que resta daquelas nações que restaram convosco, e se estabelecerdes com elas matrimônios, e entrardes a elas, e elas a vós;

Comentário de Robert Jamieson

Porque se vos apartardes, e vos achegardes ao que resta daquelas nações que restaram convosco – Como as relações matrimoniais com os cananeus idólatras apresentariam muitas e fortes tentações para transgredi-las, estas eram estritamente proibidas (Êxodo 34:12-16; Deuteronômio 7:3). Com seus olhos, por assim dizer, sobre essas proibições, Josué os ameaça com a retirada certa da ajuda divina na posterior expulsão dos cananeus (uma ameaça fundada em Êxodo 23:33; Números 33:55; Deuteronômio 7:16). [JFB, aguardando revisão]

13 Sabei que o SENHOR vosso Deus não expulsará mais estas nações diante de vós; antes vos serão por laço, e por tropeço, e por açoite para vossos lados, e por espinhos para vossos olhos, até que pereçais desta boa terra que o SENHOR vosso Deus vos deu.

Comentário de Keil e Delitzsch

(9-13) Por esta razão, o Senhor havia expulsado nações grandes e fortes diante dos israelitas, de modo que ninguém podia estar diante deles. O primeiro hemistich aponta para o cumprimento de Deuteronômio 4:38; Deuteronômio 7:1; Deuteronômio 9:1; Deuteronômio 11:23; o segundo para Deuteronômio 7:24; Deuteronômio 11:25. ואתּם é colocado no início absolutamente. – Em Josué 23:10, a bênção da fidelidade à lei que Israel experimentou até então, é descrita, como em Deuteronômio 32:30, com base na promessa de e Deuteronômio 28:7, e em Josué 23:10 o pensamento de Josué 23:3 é repetido. A isso está anexada, em Josue 23:11-13, a admoestação para que se atenda ao bem de suas almas (compare com Deuteronômio 4:15), para amar ao Senhor seu Deus (sobre o amor de Deus como a soma do cumprimento da lei, veja Deuteronômio 6:5; Deuteronômio 10:12; Deuteronômio 11:13). Pois se eles se voltassem, ou seja, desistissem da fidelidade que até então tinham demonstrado para com Jeová, e se apegassem ao remanescente dessas nações, se casassem com elas e entrassem em comunhão com elas, o que o Senhor havia expressamente proibido (Êxodo 34:12-15; Deuteronômio 7:3), deixá-los saber que o Senhor seu Deus não cortaria mais essas nações diante deles, mas que elas seriam um laço e uma destruição para eles. Esta ameaça é fundada em passagens da lei como Êxodo 23:33; Deuteronômio 7:16, e mais especialmente Números 33:55. A figura de uma armadilha, que é empregada aqui (ver Êxodo 10:7), é ainda mais reforçada por פּח, um laço (compare com Isaías 8:14-15). Shotet, um chicote ou flagelo, uma forma enfática da palavra derivada do poel de שׁוּט, só ocorre aqui. “flagelos em seus lados, e espinhos em seus olhos” (ver Números 33:55). Josué reúne suas figuras para representar a miséria e a opressão que certamente resultariam da comunhão com os cananeus, porque, a partir de seu conhecimento da volubilidade do povo e da maldade do coração humano em seu estado natural, ele podia prever que a apostasia da nação do Senhor, que Moisés havia predito, aconteceria, mas muito rapidamente; como na verdade aconteceu, segundo os Juízes 2:3, na geração seguinte. As palavras “até que pereçais”, etc., retomam a ameaça que Moisés representava em Deuteronômio 11:17 (compare com Josh Deuteronômio 28:21.). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

14 E eis que eu estou para entrar hoje pelo caminho de toda a terra: reconhecei, pois, com todo o vosso coração e com toda vossa alma, que não se perdeu uma palavra de todas a boas palavras que o SENHOR vosso Deus disse de vós; todas vieram até vós, nenhuma delas se perdeu.

Comentário de Keil e Delitzsch

(14-16) Agora que Josué estava indo pelo caminho de toda a terra (todos os habitantes da terra), ou seja, indo morrer (1 Reis 2:2), os israelitas sabiam com todo o coração e toda a alma, ou seja, estavam plenamente convencidos de que de todas as boas palavras (promessas graciosas) de Deus não uma tinha falhado, mas todas tinham acontecido (vid., Josué 21:45). Mas era igualmente certo que o Senhor traria sobre eles toda palavra maligna que Ele falou através de Moisés (Levítico 26:14-33; Deuteronomio 28:15-68, e Deuteronômio 29:14-28), se eles transgredissem Seu pacto. “A palavra maligna” é a maldição da rejeição (Deuteronômio 30:1, Deuteronômio 30:15). “Até que Ele tenha destruído:” ver Deuteronômio 7:24, e Deuteronômio 28:48. As outras palavras como em Josué 23:13. Se eles fossem atrás de outros deuses e os servissem, a ira do Senhor arderia contra eles, e eles seriam rapidamente destruídos da boa terra que Ele lhes havia dado (vid., Deuteronômio 11:17). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

15 Mas será, que quando veio sobre vós toda palavra boa que o SENHOR vosso Deus vos havia dito, assim também o SENHOR trará sobre vós toda palavra má, até destruir-vos de sobre a boa terra que o SENHOR vosso Deus vos deu;

Comentário de Keil e Delitzsch

(14-16) Agora que Josué estava indo pelo caminho de toda a terra (todos os habitantes da terra), ou seja, indo morrer (1 Reis 2:2), os israelitas sabiam com todo o coração e toda a alma, ou seja, estavam plenamente convencidos de que de todas as boas palavras (promessas graciosas) de Deus não uma tinha falhado, mas todas tinham acontecido (vid., Josué 21:45). Mas era igualmente certo que o Senhor traria sobre eles toda palavra maligna que Ele falou através de Moisés (Levítico 26:14-33; Deuteronomio 28:15-68, e Deuteronômio 29:14-28), se eles transgredissem Seu pacto. “A palavra maligna” é a maldição da rejeição (Deuteronômio 30:1, Deuteronômio 30:15). “Até que Ele tenha destruído:” ver Deuteronômio 7:24, e Deuteronômio 28:48. As outras palavras como em Josué 23:13. Se eles fossem atrás de outros deuses e os servissem, a ira do Senhor arderia contra eles, e eles seriam rapidamente destruídos da boa terra que Ele lhes havia dado (vid., Deuteronômio 11:17). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

16 Quando transgredirdes o pacto do SENHOR vosso Deus que ele vos mandou, indo e honrando deuses alheios, e inclinando-vos a eles. E o furor do SENHOR se inflamará contra vós, e logo perecereis desta boa terra que ele vos deu.

Comentário de Keil e Delitzsch

(14-16) Agora que Josué estava indo pelo caminho de toda a terra (todos os habitantes da terra), ou seja, indo morrer (1 Reis 2:2), os israelitas sabiam com todo o coração e toda a alma, ou seja, estavam plenamente convencidos de que de todas as boas palavras (promessas graciosas) de Deus não uma tinha falhado, mas todas tinham acontecido (vid., Josué 21:45). Mas era igualmente certo que o Senhor traria sobre eles toda palavra maligna que Ele falou através de Moisés (Levítico 26:14-33; Deuteronomio 28:15-68, e Deuteronômio 29:14-28), se eles transgredissem Seu pacto. “A palavra maligna” é a maldição da rejeição (Deuteronômio 30:1, Deuteronômio 30:15). “Até que Ele tenha destruído:” ver Deuteronômio 7:24, e Deuteronômio 28:48. As outras palavras como em Josué 23:13. Se eles fossem atrás de outros deuses e os servissem, a ira do Senhor arderia contra eles, e eles seriam rapidamente destruídos da boa terra que Ele lhes havia dado (vid., Deuteronômio 11:17). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

<Josué 22 Josué 24>

Introdução à Josué 23 e 24

Após a divisão da terra entre as tribos, Josué havia se retirado para Timnath-serah, nas montanhas de Efraim (Josué 19:50), para passar os últimos dias de sua vida lá no desfrute tranqüilo de sua própria herança. Mas quando a hora de sua partida da terra se aproximava, lembrando o chamado que ele recebera do Senhor (Josué 1: 6-8), sentiu-se constrangido a reunir novamente o povo nas pessoas de seus representantes, para adverti-los com toda a seriedade dos perigos da apostasia do Senhor e apontar os males que se seguiriam (Josué 23); e depois disso, em uma assembléia solene da nação em Siquém, para rever as abundantes misericórdias que o Senhor havia conferido a Israel desde o chamado de Abraão até aquele dia, para que ele pudesse chamá-los a permanecer firmes e fiéis na adoração de seu Deus, e depois renovar solenemente o pacto com o Senhor.

(Nota: “A piedosa solicitude de Josué fornece um exemplo digno de imitação por todos os que têm o encargo de outros. Pois assim como um pai não seria considerado suficientemente cuidadoso, ele meramente pensava nos interesses de seus filhos até o momento de sua própria morte, e não estendia ainda mais sua consideração em favor deles, e até onde estava em seu poder se esforçava para prover o bem-estar deles quando ele mesmo deveria estar morto; tão bons governantes devem olhar para frente que eles podem não apenas deixar para trás um estado bem organizado, mas também fortalecer e assegurar sua existência por um longo tempo”. – Calvino (com especial referência a 2 Pedro 1:13-15). [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

Visão geral de Josué

O livro de Josué relata como “depois da morte de Moisés, Josué lidera Israel e eles se estabelecem na terra prometida que está sendo ocupada pelos cananeus”. Tenha uma visão geral deste livro através do vídeo a seguir produzido pelo BibleProject. (8 minutos)

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Leia também uma introdução ao livro de Josué.

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.