Bíblia, Revisar

Josué 22

Josué dispensa as duas tribos e meia, com uma bênção

1 Então Josué chamou aos rubenitas e aos gaditas, e à meia tribo de Manassés,

Terminando a guerra geral de invasão e sendo o inimigo tão desanimado e isolado uma condição que cada tribo, por seus próprios recursos ou com a ajuda de seus vizinhos tribo, foi capaz de reprimir as hostilidades renovadas, os israelitas auxiliares do lado leste do Jordão foram agora dispensados ​​de serviço. Josué dispensou-os com elogios elevados por sua fidelidade e sinceras advertências para cultivar a devoção perpétua na vida. A redundância da linguagem é notável [Js 22:2-5]. Isso mostra quão importante, no julgamento do venerável líder, uma observância firme da lei divina era a felicidade pessoal, bem como a prosperidade nacional.

2 E disse-lhes: Vós guardastes tudo o que Moisés servo do SENHOR vos mandou, e obedecestes à minha voz ao todo o que vos mandei.
3 Não deixastes a vossos irmãos nestes muitos dias até hoje, antes guardastes a observância dos mandamentos do SENHOR vosso Deus.

Não deixastes a vossos irmãos nestes muitos dias até hoje – pelo espaço de sete anos.

4 Agora, pois, que o SENHOR vosso Deus deu repouso a vossos irmãos, como se o havia prometido, voltai, e voltai a vossas tendas, à terra de vossas possessões, que Moisés servo do SENHOR vos deu da outra parte do Jordão.

voltai a vossas tendas – isto é, casa; pois suas famílias foram deixadas em cidades fortificadas (Nm 32:17).

5 Somente que com diligência cuideis de pôr por obra o mandamento e a lei, que Moisés servo do SENHOR vos intimou: que ameis ao SENHOR vosso Deus, e andeis em todos os seus caminhos; que guardeis seus mandamentos, e vos achegueis a ele, e lhe sirvais de todo o vosso coração e de toda a vossa alma.
6 E abençoando-os Josué, os enviou: e foram-se a suas tendas.
7 Também à meia tribo de Manassés havia dado Moisés possessão em Basã; mas à outra meia deu Josué herança entre seus irmãos da outra parte do Jordão ao ocidente: e também a estes enviou Josué a suas tendas, depois de havê-los abençoado.
8 E falou-lhes, dizendo: Voltai-vos a vossas tendas com grandes riquezas, e com grande quantidade de gado, com prata, e com ouro, e bronze, e muitas vestes: reparti com vossos irmãos o despojo de vossos inimigos.

falou-lhes, dizendo: Voltai-vos a vossas tendas com grandes riquezas – em gado, roupas e metais preciosos.

reparti com vossos irmãos o despojo de vossos inimigos – (Veja Nm 31:25-39).

9 E os filhos de Rúben e os filhos de Gade, e a meia tribo de Manassés, se voltaram, e partiram-se dos filhos de Israel, de Siló, que está na terra de Canaã, para ir à terra de Gileade, à terra de suas possessões, da qual eram possuidores, segundo a palavra do SENHOR por meio de Moisés.

Eles constroem o Altar do Testemunho em sua jornada

10 E chegando aos termos do Jordão, que está na terra de Canaã, os filhos de Rúben e os filhos de Gade, e a meia tribo de Manassés, edificaram ali um altar junto ao Jordão, um altar de grande aparência.

Este altar era provavelmente uma imensa pilha de pedras e terra. A generalidade de nossos tradutores supõe que ela foi criada nas margens do Jordão, dentro dos limites de Canaã propriamente dita. Mas um exame mais detalhado parece tornar irresistível a conclusão de que sua posição estava no lado leste do rio, por essas duas razões; primeiro, porque é dito (Js 22:11) ter sido construído “em frente”, ou à vista da terra de Canaã – não dentro dela; e em segundo lugar, porque o motivo declarado pelos israelitas transjordanianos para erguê-lo era impedir que seus irmãos em Canaã dissessem, “no tempo futuro, o que vocês têm a fazer com o Senhor Deus de Israel? Porque o Senhor fez o Jordão uma fronteira entre nós e vós ”, etc. [Js 22:24-25]. Tal provocação seria obviamente evitada ou confundida pelas duas tribos e meia tendo no lado oriental do Jordão, dentro de sua própria terra, um fac-símile do altar em Silo, como uma testemunha que eles reconheceram o mesmo Deus e praticaram o mesmo ritos de culto como os irmãos em Canaã.

11 E os filhos de Israel ouviram dizer como os filhos de Rúben e os filhos de Gade, e a meia tribo de Manassés, haviam edificado um altar diante da terra de Canaã, nos termos do Jordão, à passagem dos filhos de Israel:

os filhos de Israel ouviram dizer – A fama rapidamente difundiu a inteligência do que as tribos trans-jordânicas haviam feito. Sendo o ato suspeito de algum desígnio idólatra, as tribos se levantaram em massa e, dirigindo-se ao tabernáculo de Silo, resolveram declarar guerra contra as duas tribos e meia como apóstatas de Deus. Em consideração mais calma e mais madura, no entanto, eles determinaram, em primeira instância, para enviar uma delegação composta pelo filho do sumo sacerdote, e dez pessoas eminentes de cada tribo, para investigar esta rumores de rebelião contra Deus (Dt 13:13-15). A qualidade dos deputados evidenciou a profunda solicitude sentida na ocasião de manter a pureza do culto divino em todo o Israel. Na crença presuntiva de que as duas tribos e meia haviam realmente construído um altar, os deputados expressaram espanto ao ver-se tão rapidamente em um crime tão hediondo quanto o de violar a unidade do culto divino (Êx 20:24; Lv 17:8-9; Dt 12:5-13). Eles lembraram seus irmãos orientais das consequências desastrosas que estavam relacionadas à nação em geral pela apostasia em Peor e pelo pecado de Acã, e finalmente os exortaram, se sentissem a falta do tabernáculo e do altar e se arrependessem de sua escolha precipitada. em preferir vantagens mundanas aos privilégios religiosos, para remover para o lado ocidental do Jordão, onde todas as tribos formariam uma comunidade unida e obediente de adoradores.

12 O qual quando os filhos de Israel ouviram, juntou-se toda a congregação dos filhos de Israel em Siló, para subir a lutar contra eles.
13 E enviaram os filhos de Israel aos filhos de Rúben e aos filhos de Gade e à meia tribo de Manassés na terra de Gileade, a Fineias filho de Eleazar sacerdote,
14 E a dez príncipes com ele; um príncipe de cada casa paterna de todas as tribos de Israel, cada um dos quais era chefe de família de seus pais na multidão de Israel.
15 Os quais vieram aos filhos de Rúben e aos filhos de Gade, e à meia tribo de Manassés, na terra de Gileade; e falaram-lhes, dizendo:
16 Toda a congregação do SENHOR diz assim: Que transgressão é esta com que cometestes contra o Deus de Israel, deixando hoje de perseguir ao SENHOR, edificando para vós altar para ser hoje rebeldes contra o SENHOR?
17 Foi-nos pouca a maldade de Peor, da qual não estamos ainda limpos até hoje, pela qual foi a mortandade na congregação do SENHOR?
18 E vós vos desviais hoje de perseguir ao SENHOR; mas será que vós vos rebelareis hoje contra o SENHOR, e amanhã se irará ele contra toda a congregação de Israel.
19 Que se vos parece que a terra de vossa possessão é imunda, passai-vos à terra da possessão do SENHOR, na qual está o tabernáculo do SENHOR, e tomai possessão entre nós; mas não vos rebeleis contra o SENHOR, nem vos rebeleis contra nós, edificando para vós um altar diferente do altar do SENHOR nosso Deus.
20 Não cometeu Acã, filho de zerá, transgressão no anátema, e veio ira sobre toda a congregação de Israel? E aquele homem não pereceu sozinho em sua iniquidade.
21 Então os filhos de Rúben e os filhos de Gade, e a meia tribo de Manassés, responderam e disseram aos principais da multidão de Israel:

responderam – repudiando, nos termos mais fortes, o alegado crime, e adiando que, até agora, de entretenimento a intenção imputada a eles, seu único objetivo era perpetuar a memória de sua aliança com Israel [Js 22:24-25] e sua adesão à adoração do Deus de Israel [Js 22:26-27].

22 O Deus dos deuses, o SENHOR, o Deus dos deuses, o SENHOR, ele sabe, e Israel saberá; se é por rebelião ou por transgressão contra o SENHOR, não nos salves hoje,
23 se edificamos para nós um altar para deixarmos de seguir o SENHOR, ou para sacrificar holocausto ou oferta de alimentos, ou para oferecer sobre ele sacrifícios pacíficos, que o próprio SENHOR nos castigue por isso.
24 Porém o fizemos por temor disto, dizendo: Amanhã os vossos filhos dirão aos nossos filhos: Que tendes vós com o SENHOR, o Deus de Israel?
25 O SENHOR pôs por termo o Jordão entre nós e vós, ó filhos de Rúben e filhos de Gade; vós não tendes parte no SENHOR; e assim os vossos filhos farão que nossos filhos não temam ao SENHOR.
26 Por isso dissemos: Façamos agora para edificar-nos um altar, não para holocausto nem para sacrifício,
27 Mas, sim, para que seja um testemunho entre nós e vós, e entre os que virão depois de nós, de que podemos exercer o serviço do SENHOR diante dele com nossos holocaustos, com nossos sacrifícios, e com as nossas ofertas pacíficas; e não digam amanhã vossos filhos aos nossos: Vós não tendes parte com o SENHOR.
28 Nós, pois, dissemos: Se acontecer que tal digam a nós, ou a nossas gerações no porvir, então responderemos: Olhai a réplica do altar do SENHOR, o qual os nossos pais fizeram, não para holocaustos ou sacrifícios, mas, sim, para que fosse testemunho entre nós e vós.
29 Nunca tal aconteça que nos rebelemos contra o SENHOR, ou que nos deixemos hoje de seguir ao SENHOR, edificando um altar para holocaustos, para ofertas de alimentos, ou para sacrifício, além do altar do SENHOR, nosso Deus, que está diante do seu tabernáculo.
30 E ouvindo Fineias, o sacerdote, e os príncipes da congregação, e os chefes da multidão de Israel que com ele estavam, as palavras que falaram os filhos de Rúben e os filhos de Gade e os filhos de Manassés, satisfizeram-se com isso.
31 E disse Fineias, filho do sacerdote Eleazar, aos filhos de Rúben, aos filhos de Gade, e aos filhos de Manassés: Hoje temos entendido que o SENHOR está entre nós, pois não intentastes esta traição contra o SENHOR. Agora livrastes os filhos de Israel da mão do SENHOR.
32 E Fineias, filho do sacerdote Eleazar, e os príncipes, voltaram da presença dos filhos de Rúben, e da presença dos filhos de Gade, da terra de Gileade à terra de Canaã, aos filhos de Israel; e trouxeram-lhes a resposta.
33 E o negócio pareceu bem aos filhos de Israel, e os filhos de Israel bendisseram a Deus; e não falaram mais de subir contra eles em guerra, para destruir a terra em que habitavam os filhos de Rúben e os filhos de Gade.

o negócio pareceu bem aos filhos de Israel – A explicação não só deu satisfação perfeita aos deputados, mas provocou deles expressões de alegria e gratidão sem limites. “Neste dia, percebemos que o Senhor está entre nós” [Js 22:31], isto é, pela Sua presença graciosa e impedindo o bem, que impediu que você caísse no pecado suspeito e resgatou a nação da calamidade de um fratricida. guerra ou julgamentos providenciais. Este episódio reflete a honra de todas as partes e mostra que a piedade e o zelo pela honra e adoração de Deus animaram o povo que entrou em Canaã em uma extensão muito além do que foi exemplificado em muitos outros períodos da história de Israel.

34 E os filhos de Rúben e os filhos de Gade puseram por nome ao altar Ede; porque é testemunho entre nós que o SENHOR é Deus.
<Josué 21 Josué 23>

Leia também uma introdução ao livro de Josué.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.