Bíblia, Revisar

Josué 24

A renovação da aliança em Siquém

1 E juntando Josué todas as tribos de Israel em Siquém, chamou aos anciãos de Israel, e a seus príncipes, a seus juízes, e a seus oficiais; e apresentaram-se diante de Deus.

E juntando Josué todas as tribos de Israel em Siquém – Outra oportunidade e última a dissuadir as pessoas contra uma idolatria é aqui inscrita como uma tomada pelo líder idoso, uma solicitude por uma causa disso era do seu conhecimento da extrema prontidão do povo para se conformar com uma idolatria . propósito das nações vizinhas. Este discurso foi feito aos representantes do povo convocado em Siquém, e que já havia sido a cena de uma solene renovação do pacto (Js 8:30,35). A transação agora a ser introduzida por ser em princípio e objetar o mesmo, era desejável dar-lhe toda a solene impressão que poderia ser derivada da memória do cerimonial anterior, bem como de outras associações sagradas do lugar (Gn 12:6-7; 33:18-20; 35:2-4).

apresentaram-se diante de Deus – É geralmente assumido que a arca da aliança havia sido transferida nesta ocasião para Siquém; como em emergências extraordinárias, foi por um tempo removido (Jz 20:1-18; 1Sm 4:3; 2Sm 15:24). Mas a declaração, não necessariamente implicando isso, pode ser vista como expressando apenas o caráter religioso da cerimônia [Hengstenberg].

2 E disse Josué a todo o povo: Assim diz o SENHOR, Deus de Israel: Vossos pais habitaram antigamente da outra parte do rio, a saber, Terá, pai de Abraão e de Naor; e serviam a deuses estranhos.

disse Josué a todo o povo – Seu discurso recapitulou brevemente as principais provas da bondade divina para Israel, desde o chamado de Abraão até seu estabelecimento feliz na terra da promessa; mostrava-lhes que estavam em dívida por sua existência nacional, bem como por seus privilégios peculiares, não por méritos próprios, mas pela livre graça de Deus.

Vossos pais habitaram antigamente da outra parte do rio – o Eufrates, a saber, em Ur.

Terá, pai de Abraão e de Naor – (ver Gn 11:27). Embora Terah tivesse três filhos, Nahor só é mencionado com Abraão, pois os israelitas eram descendentes dele no lado da mãe através de Rebeca e suas sobrinhas, Lia e Raquel.

serviam a deuses estranhos – reunindo, como Labão, o conhecimento tradicional do verdadeiro Deus com o uso doméstico de imagens materiais (Gn 31:19,34).

3 E eu tomei a vosso pai Abraão da outra parte do rio, e trouxe-o por toda a terra de Canaã, e aumentei sua geração, e dei-lhe a Isaque.

E eu tomei a vosso pai Abraão da outra parte do rio, e trouxe-o por toda a terra de Canaã – Foi um impulso irresistível da graça divina que levou o patriarca a deixar seu país e parentes, a migrar para Canaã, e viver uma “Estranho e peregrino” naquela terra.

4 E a Isaque dei a Jacó e a Esaú: e a Esaú dei o monte de Seir, que o possuísse: mas Jacó e seus filhos desceram ao Egito.

a Esaú dei o monte de Seir – (Veja Gn 36:8). Para que ele não seja um obstáculo para que Jacó e sua posteridade sejam herdeiros exclusivos de Canaã.

5 E eu enviei a Moisés e a Arão, e feri ao Egito, ao modo que o fiz em meio dele, e depois vos tirei.
6 E tirei a vossos pais do Egito: e quando chegaram ao mar, os egípcios seguiram a vossos pais até o mar Vermelho com carros e cavalaria.
7 E quando eles clamaram ao SENHOR, ele pôs escuridão entre vós e os egípcios, e fez vir sobre eles o mar, a qual os cobriu: e vossos olhos viram o que fiz em Egito. Depois estivestes muitos dias no deserto.
8 E vos introduzi na terra dos amorreus, que habitavam da outra parte do Jordão, os quais lutaram contra vós; mas eu os entreguei em vossas mãos, e possuístes sua terra, e os destruí de diante de vós.
9 E levantou-se depois Balaque filho de Zipor, rei dos moabitas, e lutou contra Israel; e mandou chamar a Balaão filho de Beor, para que vos amaldiçoasse.
10 Mas eu não quis escutar a Balaão, antes vos abençoou repetidamente, e vos livre de suas mãos.
11 E passado o Jordão, viestes a Jericó; e os moradores de Jericó lutaram contra vós: os amorreus, perizeus, cananeus, heteus, girgaseus, heveus, e jebuseus: e eu os entreguei em vossas mãos.
12 E enviei vespas diante de vós, os quais os expulsaram de diante de vós, a saber, aos dois reis dos amorreus; não com tua espada, nem com teu arco.

E enviei vespas diante de vós – uma espécie particular de vespa que enxameia em países quentes e às vezes assume o caráter flagelo de uma peste; ou, como muitos pensam, é uma expressão figurativa para o terror incontrolável (ver Êx 23:28).

13 E vos dei a terra pela qual nada trabalhastes, e as cidades que não edificastes, nas quais morais; e das vinhas e olivais que não plantastes, comeis.
14 Agora, pois, temei ao SENHOR, e servi-o com integridade e em verdade; e tirai do meio os deuses aos quais serviram vossos pais da outra parte do rio, e em Egito; e servi ao SENHOR.

Agora, pois, temei ao SENHOR, e servi-o com integridade e em verdade – Depois de enumerar tantos motivos para gratidão nacional, Josué os chama a declarar, de maneira pública e solene, se serão fiéis e obedientes ao Deus de Deus. Israel. Ele declarou que esta era sua própria resolução inalterável, e instou-os, se fossem sinceros em fazer uma declaração semelhante, “para afastar os deuses estranhos que estavam entre eles” – uma exigência que parece implicar que alguns eram suspeitos de um forte ansiando pela prática oculta da idolatria, seja na forma de Zabaismo, a adoração ao fogo de seus antepassados ​​caldeus ou as mais grosseiras superstições dos cananeus.

15 E se mal vos parece servir ao SENHOR, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a os quais serviram vossos pais, quando estiveram da outra parte do rio, ou aos deuses dos amorreus em cuja terra habitais: que eu e minha casa serviremos ao SENHOR.
16 Então o povo respondeu, e disse: Nunca tal aconteça que deixemos ao SENHOR para servir a outros deuses:
17 Porque o SENHOR nosso Deus é o que tirou a nós e a nossos pais da terra do Egito, da casa de escravidão; o qual diante de nossos olhos fez estas grandes sinais, e nos guardou por todo o caminho por onde andamos, e em todos os povos por entre os quais passamos.
18 E o SENHOR expulsou de diante de nós a todos os povos, e aos amorreus que habitavam na terra: nós, pois, também serviremos ao SENHOR, porque ele é nosso Deus.
19 Então Josué disse ao povo: Não podereis servir ao SENHOR, porque ele é Deus santo, e Deus zeloso; não tolerará vossas rebeliões e vossos pecados.
20 Se deixardes ao SENHOR e servirdes a deuses alheios, se voltará, e vos maltratará, e vos consumirá, depois que vos fez bem.
21 O povo então disse a Josué: Não, antes ao SENHOR serviremos.
22 E Josué respondeu ao povo: Vós sois testemunhas contra vós mesmos, de que escolhestes para vós ao SENHOR para servir-lhe. E eles responderam: Testemunhas somos.
23 Tirai, pois, agora os deuses alheios que estão entre vós, e inclinai vosso coração ao SENHOR Deus de Israel.
24 E o povo respondeu a Josué: Ao SENHOR nosso Deus serviremos, e à sua voz obedeceremos.
25 Então Josué fez aliança com o povo o mesmo dia, e pôs-lhe ordenanças e leis em Siquém.
26 E escreveu Josué estas palavras no livro da lei de Deus; e tomando uma grande pedra, levantou-a ali debaixo de um carvalho que estava junto ao santuário do SENHOR.

E escreveu Josué estas palavras no livro da lei de Deus – registrou os compromissos daquele pacto solene no livro da história sagrada.

e tomando uma grande pedra – de acordo com o uso de tempos antigos para erguer pilares de pedra como monumentos de transações públicas.

levantou-a ali debaixo de um carvalho – ou terebinto, com toda a probabilidade, o mesmo que na raiz do qual Jacob enterrou os ídolos e encantos encontrados em sua família.

junto ao santuário do SENHOR – ou o local onde a arca tinha estado, ou então o lugar ao redor, assim chamado daquela reunião religiosa, como Jacó chamou Beth-el a casa de Deus.

27 E disse Josué a todo o povo: Eis que esta pedra será entre nós por testemunha, a qual ouviu todas as palavras do SENHOR que ele falou conosco: será, pois, testemunha contra vós, para que não mintais contra vosso Deus.
28 E enviou Josué ao povo, cada um à sua herança.

A morte de Josué

29 E depois destas coisas morreu Josué, filho de Num, servo do SENHOR sendo de cento e dez anos.

Lightfoot calcula que ele viveu dezessete, outros vinte e sete anos, depois da entrada em Canaã. Ele foi enterrado, de acordo com a prática judaica, dentro dos limites de sua própria herança. Os eminentes serviços públicos que ele prestou por muito tempo a Israel e a grande quantidade de conforto doméstico e prosperidade nacional que ele tinha ajudado a difundir entre as várias tribos, eram profundamente sentidos, eram universalmente reconhecidos; e um testemunho na forma de uma estátua ou obelisco teria sido imediatamente elevado à sua honra, em todas as partes da terra, se tal fosse a moda dos tempos. O breve mas nobre epitáfio do historiador é, Josué, “o servo do Senhor”.

30 E enterraram-no no termo de sua possessão em Timnate-Sera, que está no monte de Efraim, ao norte do monte de Gaás.
31 E serviu Israel ao SENHOR todo o tempo de Josué, e todo o tempo dos anciãos que viveram depois de Josué, e que sabiam todas as obras do SENHOR, que havia feito por Israel.

E serviu Israel ao SENHOR todo o tempo de Josué – O caráter elevado e dominante deste eminente líder dera um tom decidido aos sentimentos e costumes de seus contemporâneos e a memória de sua fervorosa piedade e muitas virtudes continuaram tão vivamente impressionadas nas memórias do povo, que o historiador sagrado registrou a sua honra imortal. “Israel serviu ao Senhor todos os dias de Josué e todos os dias dos anciãos que sobreviveram a Josué”.

32 E enterraram em Siquém os ossos de José que os filhos de Israel haviam trazido do Egito, na parte do campo que Jacó comprou dos filhos de Hamor, pai de Siquém, por cem peças de prata; e foi em possessão aos filhos de José.

os ossos de José – Eles transportaram estas veneráveis ​​relíquias com eles em todas as suas migrações pelo deserto, e adiaram o enterro, de acordo com a moribunda carga do próprio Joseph, até que eles chegaram na terra prometida. O sarcófago, no qual seu corpo foi colocado, foi trazido para lá pelos israelitas, e provavelmente enterrado quando a tribo de Efraim obteve seu assentamento, ou na solene convocação descrita neste capítulo.

na parte do campo que Jacó comproupor cem peças de prata – {Kestitah} traduzida, “pedaço de prata”, deveria significar “um cordeiro”, os pesos sendo na forma de cordeiros ou crianças, que eram, com toda a probabilidade, o mais antigo padrão de valor entre as pessoas pastorais. A tumba que agora cobre o local é uma Welness Maometana, mas não há razão para duvidar que o precioso depósito dos restos de Joseph possa estar escondido lá no momento atual.

33 Também morreu Eleazar, filho de Arão; ao qual enterraram no morro de Fineias seu filho, que lhe foi dado no monte de Efraim.

O sepulcro está na moderna aldeia de Awerta, que, segundo os viajantes judeus, contém também as sepulturas de Itamar, irmão de Finéias, filho de Eleazar [Van De Velde].

<Josué 23 Juízes 1>

Leia também uma introdução ao livro de Josué.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.