Deuteronômio 29

Uma exortação à obediência

1 Estas são as palavras do pacto que o SENHOR mandou que Moisés fizesse com os filhos de Israel na terra de Moabe, além do pacto que estabeleceu com eles em Horebe.

Comentário de R. Jamieson

Estas são as palavras do pacto – O discurso de Moisés é continuado, e o assunto desse discurso era o pacto de Israel com Deus, os privilégios que conferia e as obrigações impostas por ele.

além do pacto que estabeleceu com eles em Horebe – era substancialmente o mesmo; mas foi renovado agora, em diferentes circunstâncias. Eles violaram suas condições. Moisés ensaia estes, para que eles possam ter um melhor conhecimento de suas condições e estar mais dispostos a cumpri-los. [JFB, aguardando revisão]

2 Chamou Moisés a todo o Israel, e disse-lhes: Vós tendes visto tudo o que o SENHOR fez diante de vós na terra do Egito a Faraó e a todos os seus servos e a toda a sua terra;.

Comentário de R. Jamieson

Vós vistes tudo o que o SENHOR fez - Esse apelo à experiência do povo, embora generalizado, só se aplicava àqueles que haviam sido muito jovens no período do Êxodo e que se lembravam dos maravilhosos transações que precederam e seguiram essa época. Ainda assim, ai! esses eventos maravilhosos não lhes causaram boa impressão (Dt 29:4). Eles eram estranhos àquela graça de sabedoria que é liberalmente dada a todos que a pedem; e sua insensibilidade era ainda mais indesculpável que tantos milagres haviam sido realizados que poderiam levar a uma certa convicção da presença e do poder de Deus com eles. A preservação de suas roupas e sapatos, o suprimento de comida diária e água fresca - estes continuaram sem interrupção ou diminuição durante tantos anos "permanecendo no deserto. Eles eram milagres que inequivocamente proclamavam a mão imediata de Deus e eram realizados com o propósito expresso de treiná-los para um conhecimento prático e uma confiança habitual nele. Sua experiência dessa bondade e cuidado extraordinários, juntamente com a lembrança dos brilhantes sucessos pelos quais, com pouco esforço ou perda de sua parte, Deus lhes permitiu adquirir o valioso território em que se encontravam, é mencionada novamente para garantir uma adesão fiel. ao pacto, como o meio direto e seguro de obter as bênçãos prometidas. [JFB, aguardando revisão]

3 as provas grandes que viram teus olhos, o sinais, e as grandes maravilhas.
4 E o SENHOR não vos deu coração para entender, nem olhos para ver, nem ouvidos para ouvir, até o dia de hoje.
5 E eu vos trouxe quarenta anos pelo deserto: vossas roupas não se hão envelhecido sobre vós, nem teu sapato se envelheceu sobre teu pé.
6 Não comestes pão, nem bebestes vinho nem bebida forte: para que soubestes que eu sou o SENHOR vosso Deus.
7 E chegastes a este lugar, e saiu Seom rei de Hesbom, e Ogue rei de Basã, diante de nós para lutar, e os ferimos;
8 E tomamos sua terra, e a demos por herança a Rúben e a Gade, e à meia tribo de Manassés.
9 Guardareis, pois, as palavras deste pacto, e as poreis por obra, para que prospereis em tudo o que fizerdes.
10 Vós todos estais hoje diante do SENHOR vosso Deus; vossos príncipes de vossas tribos, vossos anciãos, e vossos oficiais, todos os homens de Israel,

Comentário de R. Jamieson

Vós todos estais hoje diante do SENHOR vosso Deus – Toda a congregação de Israel, de todas as idades e condições, todos – tanto jovens como idosos; servos e mestres; israelitas nativos, bem como estranhos naturalizados – todos foram reunidos diante do tabernáculo para renovar o pacto Sinaítico. Nenhum deles foi autorizado a considerar-se como isentos dos termos desse pacto nacional, para que qualquer queda na idolatria pudesse provar ser uma raiz de amargura, espalhando sua semente nociva e influência corrupta por toda parte (compare Hb 12:15). Era da maior consequência alcançar assim o coração e a consciência de todos, pois alguns poderiam se iludir com a vã ideia de que, fazendo o juramento (Dt 29:12) pelo qual eles se engajavam em aliança com Deus, eles certamente garantiriam suas bênçãos. Então, mesmo que eles não aderissem rigidamente à Sua adoração e comandos, mas seguiriam os artifícios e inclinações de seus próprios corações, ainda assim eles pensariam que Ele piscaria em tais liberdades e não os castigaria. Era da maior consequência para impressionar todos com a convicção forte e permanente, que enquanto a aliança de graça teve bênçãos especiais pertencendo a isto, ao mesmo tempo teve maldições em reserva para transgressores, a inflicção de qual seria tão certa, tão duradouro e severo. Esta foi a vantagem contemplada na lei sendo ensaiada uma segunda vez. A imagem de uma região outrora rica e próspera, destruída e condenada em consequência dos pecados de seus habitantes, é muito impressionante e calculada para despertar temor em toda mente que reflete. Tal é e há muito tem sido o estado desolado da Palestina; e, ao olhar para suas cidades arruinadas, seu maldito litoral, suas montanhas nuas, seu solo estéril e ressequido – todas as evidências tristes e inconfundíveis de uma terra sob maldição – número de viajantes da Europa, América e Índias (“ estranhos de um país distante ”, Dt 29:22) nos dias atuais, vêem que o Senhor executou Sua ameaça. Quem pode resistir à conclusão de que foi infligido “porque os habitantes haviam abandonado o pacto do Senhor Deus de seus pais. e a ira do Senhor se acendeu contra esta terra, para trazer sobre ela todas as maldições que estão escritas neste livro ”? [JFB, aguardando revisão]

11 Vossas crianças, vossas mulheres, e teus estrangeiros que habitam em meio de teu campo, desde o que corta tua lenha até o que tira tuas águas:
12 Para que entres no pacto do SENHOR teu Deus, e em seu juramento, que o SENHOR teu Deus estabelece hoje contigo:
13 Para te confirmar hoje por seu povo, e que ele seja a ti por Deus, da maneira que ele te disse, e como ele jurou a teus pais Abraão, Isaque, e Jacó.
14 E não somente convosco estabeleço eu este pacto e este juramento,
15 Mas, sim, com os que estão aqui presentes hoje conosco diante do SENHOR nosso Deus, e com os que não estão aqui hoje conosco.
16 Porque vós sabeis como habitamos na terra do Egito, e como passamos por meio das nações que passastes;
17 E vistes suas abominações e seus ídolos, madeira e pedra, prata e ouro, que têm consigo.
18 Para que não haja entre vós homem, ou mulher, ou família, ou tribo, cujo coração se volte hoje de com o SENHOR nosso Deus, por andar a servir aos deuses daquelas nações; que não haja em vós raiz que lance veneno e amargura;
19 E seja que, quando o tal ouvir as palavras desta maldição, ele se abençoe em seu coração, dizendo: Terei paz, ainda que ande segundo o pensamento de meu coração, para acrescentar a embriaguez à sede:
20 O SENHOR se recusará a lhe perdoar; antes fumegará logo o furor do SENHOR e seu zelo sobre o tal homem, e se assentará sobre ele toda maldição escrita neste livro, e o SENHOR apagará seu nome de debaixo do céu:
21 E o SENHOR o separará de todas as tribos de Israel para o mal, conforme todas as maldições do pacto escrito neste livro da lei.
22 E dirá a geração vindoura, vossos filhos que virão depois de vós, e o estrangeiro que virá de distantes terras, quando virem as pragas desta terra, e suas enfermidades de que o SENHOR a fez enfermar,
23 (Enxofre e sal, abrasada toda sua terra: não será semeada, nem produzirá, nem crescerá nela erva nenhuma, como na destruição de Sodoma e de Gomorra, de Admá e de Zeboim, que o SENHOR destruiu em seu furor e em sua ira:)
24 Dirão, pois, todas as nações: Por que fez o SENHOR isto a esta terra? Que ira é esta de tão grande furor?
25 E responderão. Porquanto deixaram o pacto do SENHOR o Deus de seus pais, que ele estabeleceu com eles quando os tirou da terra do Egito,
26 E foram e serviram a deuses alheios, e inclinaram-se a eles, deuses que não conheciam, e que nenhuma coisa lhes haviam dado:
27 Acendeu-se portanto, o furor do SENHOR contra esta terra, para trazer sobre ela todas as maldições escritas nesta livro;
28 E o SENHOR os desarraigou de sua terra com ira, e com indignação, e com furor grande, e os expulsou a outra terra, como hoje.
29 As coisas secretas pertencem ao SENHOR nosso Deus: mas as reveladas são para nós e para nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei.

Comentário de R. Jamieson

As coisas secretas pertencem ao SENHOR – Este verso não tem ligação aparente com o fio do discurso. Acredita-se que tenha sido dito em resposta aos olhares de espanto ou às palavras de indagação se eles seriam sempre tão maus a ponto de merecerem tais punições. A história registrada dos procedimentos providenciais de Deus para com Israel apresenta uma maravilhosa combinação de “bondade e severidade”. Há muito disso envolvido em mistério profundo demais para nossas capacidades limitadas de entender; mas, da sabedoria abrangente exibida naquelas partes que nos foram conhecidas, estamos preparados para entrar no espírito pleno da exclamação do apóstolo: “Quão inescrutáveis ​​são os seus juízos” (Rm 11:33). [JFB, aguardando revisão]

<Deuteronômio 28 Deuteronômio 30>

Visão geral de Deuteronômio

Em Deuteronômio, "Moisés entrega as suas últimas palavras de sabedoria e precaução antes dos Israelitas entrarem na terra prometida, desafiando-os a serem fiéis a Deus". Tenha uma visão geral deste livro através do vídeo a seguir produzido pelo BibleProject. (9 minutos)

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Leia também uma introdução ao livro de Deuteronômio.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles - fevereiro de 2018.