Bíblia, Revisar

Deuteronômio 8

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!

A disciplina do SENHOR no caminho para a boa terra

1 Cuidareis de pôr por obra todo mandamento que eu vos ordeno hoje, para que vivais, e sejais multiplicados, e entreis, e possuais a terra, da qual jurou o SENHOR a vossos pais.

Cuidareis de pôr por obra todo mandamento que eu vos ordeno hoje, para que vivais – Em todos os arranjos sábios de nosso dever Criador foi feito inseparavelmente ligado à felicidade; e a aplicação séria da lei divina que Moisés estava fazendo aos israelitas era para assegurar que eles fossem um povo feliz (porque moral e religioso): um curso de prosperidade é frequentemente chamado de “vida” (Gn 17:18; Pv 3:2).

vivais, e sejais multiplicados – Esta referência ao aumento futuro da população deles / delas prova que eles eram muito poucos para ocupar a terra completamente a princípio.

2 E te lembrarás de todo o caminho por onde te trouxe o SENHOR teu Deus estes quarenta anos no deserto, para afligir-te, para provar-te, para saber o que estava em teu coração, se havias de guardar ou não seus mandamentos.

E te lembrarás de todo o caminho por onde te trouxe o SENHOR teu Deus estes quarenta anos no deserto – A recapitulação de toda a sua experiência durante esse longo período foi projetada para despertar impressões vivas da bondade de Deus. Primeiro, Moisés mostrou-lhes o objeto de suas longas viagens e variadas dificuldades. Estas foram provas de sua obediência, bem como castigos pelo pecado. De fato, a descoberta de sua infidelidade, inconstância, e suas rebeliões e perversidades, que essa variada disciplina trouxe à luz, era de uso eminentemente prático para os próprios israelitas, como tem sido para a igreja em todas as eras subsequentes. Em seguida, ele ampliou a bondade de Deus para eles, enquanto reduzido às últimas extremidades de desespero, na provisão milagrosa que, sem ansiedade ou trabalho, foi feita para o seu apoio diário (ver em Êx 16:4). Não possuindo propriedades nutritivas inerentes a isto, isto contribuiu para o seu sustento, como de fato todo alimento faz (Mt 4:4) somente através da ordenança e bênção de Deus. Essa observação é aplicável aos meios da vida espiritual e natural.

3 E te afligiu, e te fez ter fome, e te sustentou com maná, comida que não conhecias tu, nem teus pais a conheciam; para fazer-te saber que o homem não viverá de só pão, mas de tudo o que sai da boca do SENHOR viverá o homem.
4 Tua roupa nunca se envelheceu sobre ti, nem o pé se te inchou por estes quarenta anos.

Que milagre impressionante foi este! Sem dúvida, os israelitas poderiam ter trazido do Egito mais roupas do que vestiam no início; eles também poderiam ter obtido suprimentos de vários artigos de comida e vestimenta com as tribos vizinhas para as peles e peles de suas ovelhas e cabras; e ao oferecê-los com tais oportunidades, surgiu o cuidado da Providência. Mas os termos fortes e precisos que Moisés usa aqui (ver também Dt 29:5) indicam uma interposição especial ou milagrosa de seu guardião amoroso em preservá-los em meio ao desgaste de sua vida nômade no deserto. Em terceiro lugar, Moisés discorreu sobre a bondade da terra prometida.

5 Reconhece assim em teu coração, que como castiga o homem a seu filho, assim o SENHOR teu Deus te castiga.
6 Guardarás, pois, os mandamentos do SENHOR teu Deus, andando em seus caminhos, e temendo-o.
7 Porque o SENHOR teu Deus te introduz na boa terra, terra de ribeiros, de águas, de fontes, de mananciais que brotam por planícies e montes;

Porque o SENHOR teu Deus te introduz na boa terra – Todos os relatos, antigos e modernos, concordam em prestar testemunho da beleza natural e fertilidade da Palestina, e suas grandes capacidades, se devidamente cultivadas.

terra de ribeiros, de águas, de fontes, de mananciais que brotam por planícies e montes – Essas características são mencionadas em primeiro lugar, pois seriam mais impressionantes; e todos os viajantes descrevem quão delicioso e alegre é, depois de passar pelo deserto estéril e sedento, estar entre corredores e colinas e vales verdejantes. É observável que a água é mencionada como a principal fonte de sua antiga fertilidade.

8 Terra de trigo e cevada, e de videiras, e figueiras, e romeiras; terra de olivas, de azeite, e de mel;

Terra de trigo e cevada – Estes frutos de cereais foram especialmente prometidos aos israelitas no caso de sua lealdade fiel ao pacto de Deus (Sl 81:16; 147:14). O trigo e a cevada eram tão abundantes que davam sessenta e muitas vezes cem vezes (Gn 26:12; Mt 13:8).

de videiras, e figueiras, e romeiras – As rochas calcárias e os vales abruptos foram inteiramente cobertos, como ainda há vestígios deles, com plantações de figos, videiras e oliveiras. Embora em uma latitude sulista, suas formações montanhosas temperavam o calor excessivo, e assim, figos, romãs, etc., eram produzidos na Palestina igualmente com trigo e cevada, os produtos das regiões do norte.

mel – A palavra “mel” é usada frequentemente em um sentido indeterminado, muito frequentemente para significar um xarope de datas ou de uvas, que sob o nome de dibs é muito usado por todas as classes, onde quer que vinhedos são encontrados, como um condimento a sua comida. Assemelha-se ao melaço fino, mas é mais agradável ao sabor [Robinson]. Isso é considerado uma grande delicadeza no Oriente e foi produzido em abundância na Palestina.

9 Terra na qual não comerás o pão com escassez, não te faltará nada nela; terra que suas pedras são ferro, e de seus montes cortarás bronze.

terra que suas pedras são ferro – A abundância deste metal na Palestina, especialmente entre as montanhas do Líbano, as de Kesraoun, e em outros lugares, é atestada não apenas por Josefo, mas por Volney, Buckingham e outros viajantes.

bronze – não o latão de liga, mas o minério de cobre. Embora as minas possam agora estar exauridas ou negligenciadas, elas renderam muitos desses metais antigamente (1Cr 22:3; 29:2-7; Is 60:17).

Advertência contra a ingratidão

10 E comerás e te fartarás, e bendirás ao SENHOR teu Deus pela boa terra que te haverá dado.
11 Guarda-te, que não te esqueças do SENHOR teu Deus, para não observar seus mandamentos, e seus regulamentos, e seus estatutos, que eu te ordeno hoje:

Guarda-te, que não te esqueças do SENHOR – Depois de mencionar os exemplos da bondade divina, Moisés fundou sobre eles um argumento para sua futura obediência.

12 Para que não aconteça talvez que comas e te fartes, e edifiques boas casas em que mores,
13 E tuas vacas e tuas ovelhas se aumentem, e a prata e o ouro se te multiplique, e tudo o que tiveres se te aumente,
14 E se eleve logo teu coração, e te esqueças do SENHOR teu Deus, que te tirou da terra do Egito, de casa de servos;
15 Que te fez caminhar por um deserto grande e espantoso, de serpentes ardentes, e de escorpiões, e de sede, onde nenhuma água havia, e ele te tirou água da rocha de pederneiras;

Que te fez caminhar por um deserto grande e espantoso, de serpentes ardentes, e de escorpiões – Répteis grandes e venenosos são encontrados em grande número ainda, particularmente no outono. Os viajantes devem tomar muito cuidado ao organizar suas tendas e camas à noite; mesmo durante o dia, as pernas não só dos homens, mas dos animais que eles montam, são passíveis de serem mordidas.quem tirou água da rocha de pedra – (veja Dt 9:21).

16 Que te sustentou com maná no deserto, comida que teus pais não conheciam, afligindo-te e provando-te, para ao fim fazer-te bem;
17 E digas em teu coração: Meu poder e a força de minha mão me trouxeram esta riqueza.
18 Antes lembra-te do SENHOR teu Deus: porque ele te dá o poder para fazer as riquezas, a fim de confirmar seu pacto que jurou a teus pais, como neste dia.
19 Mas será, se chegares a esquecer-te do SENHOR teu Deus, e andares atrás de deuses alheios, e lhes servires, e a eles te encurvares, atesto-o hoje contra vós, que certamente perecereis.
20 Como as nações que o SENHOR destruirá diante de vós, assim perecereis; porquanto não havereis atendido à voz do SENHOR vosso Deus.
<Deuteronômio 7 Deuteronômio 9>

Leia também uma introdução ao livro de Deuteronômio.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados