Bíblia, Revisar

Provérbios 3

1 Filho meu, não te esqueças de minha lei; e que teu coração guarde meus mandamentos.

leimandamentos – todas as instruções divinas (ver no Salmo 119: 1 e ver no Salmo 119: 4).

teu coração guarde – ou observe sinceramente (Pv 4:13; Pv 5: 2).

2 Porque te acrescentarão extensão de dias, e anos de vida e paz.

vida – muitas vezes prometida como bênçãos (Sl 21: 4; Sl 91:16).

paz – inclui prosperidade (Salmo 125: 5).

acrescentarão – abundam para ti.

3 Que a bondade e a fidelidade não te desamparem; amarra-as junto ao teu pescoço; escreve-as na tábua de teu coração.

bondade e a fidelidade – a fidelidade de Deus às Suas promessas é frequentemente expressa por esses termos (Salmo 25:10; Sl 57: 3). Como atributos dos homens, eles expressam integridade em um sentido amplo (Pv 16: 6; Pv 20:28).

amarra-asescreve-ascoração – exteriormente adorne e interiormente dirija os motivos.

4 Então tu acharás graça e bom entendimento, aos olhos de Deus e dos homens.

graça – amabilidade (Pv 22:11; Sl 45: 2); unido a isso,

bom entendimento – (Compare Margin), uma discriminação, que assegura o sucesso.

aos olhoshomens – como Deus e o homem aprovam.

5 Confia no SENHOR com todo o teu coração; e não te apoies em teu próprio entendimento.

coração – Este é o centro e medula da verdadeira sabedoria (Pv 22:19; Pv 28:25). O dever positivo tem sua correspondente negação na admoestação contra a autoconfiança.

6 Dá reconhecimento a ele em todas os teus caminhos; e ele endireitará tuas veredas.

caminhos – (Salmo 1: 1).

Dá reconhecimento – buscando Sua sábia ajuda (Pv 16: 3; Salmo 37: 5; Jr 9:23, Jr 9:24).

endireitará – literalmente, “tornar claro” (compare Hb 12:13).

7 Não sejas sábio aos teus próprios olhos; teme ao SENHOR, e afasta-te do mal.

(Veja Pv 27: 2; Rm 12:16).

tememal – reverentemente em relação à Sua lei.

8 Isto será remédio para teu corpo, e alívio para teus ossos.

Isto – essa conduta.

ossos – estrutura do corpo. A verdadeira piedade promove a saúde corporal.

9 Honra ao SENHOR com teus bens, e com a primeira parte de toda a tua renda.

(Veja Pv 11:25; Êx 23:19; Dt 18: 4; Is 32: 8; 2Co 9:13).

10 E teus celeiros se encherão de fartura, e tuas prensas de uvas transbordarão de vinho novo.

prensas – ou gorduras de vinho (Jl 2:24; Jl 3:13).

11 Filho meu, não rejeites a correção do SENHOR, nem te desagrades de sua repreensão;

A verdadeira intenção das aflições consideradas; eles não contradizem a afirmação do estado abençoado do piedoso (Jó 5:17; Hb 12: 5; Hb 12: 6).

12 Porque o SENHOR repreende a quem ele ama, assim como o pai ao filho, a quem ele quer bem.

ele quer bem – ou recebe como denotando reconciliação em relação à ofensa que produziu castigo.

13 Bem-aventurado o homem que encontra sabedoria, e o homem que ganha conhecimento.

encontra – literalmente, “alcança” ou “obtém buscando”.

ganha – literalmente, “extrai”, como metais, cavando.

14 Porque seu produto é melhor que o produto da prata; e seu valor, mais do que o do ouro fino.

A figura de Pv 3:13 foi realizada.

isto é, sabedoria.

produto de prata – aquisição por negociação.

ouro fino – cavava ouro, sólido como uma pepita.

15 Ela é mais preciosa do que rubis; e tudo o que podes desejar não se pode comparar a ela.

rubis – pedras preciosas ou pérolas.

16 Extensão de dias há em sua mão direita; em sua esquerda riquezas e honra.

Sabedoria personificada como trazer as melhores bênçãos (compare com Mt 6:33; 1Tm 4: 8).

17 Seus caminhos são caminhos agradáveis; e todas as suas veredas são paz.

Seus caminhos – como ela nos orienta a tomar.

18 Ela é uma árvore de vida para os que dela pegam; e bem-aventurados são todos os que a retêm.

Sabedoria alegorizada como

uma árvore da vida – (Gn 2: 9; Gn 3:22) cujo fruto preserva a vida, dá tudo o que torna a vida uma bênção.

19 O SENHOR com sabedoria fundou a terra; ele preparou os céus com a inteligência.

O lugar da sabedoria na economia da criação e da providência recomenda-a aos homens, que, em proporção aos seus poderes finitos, podem possuir esse atributo inestimável, e assim são encorajados pelo exemplo divino de seu uso a buscar sua possessão.

20 Com seu conhecimento se fenderam os abismos, e as nuvens gotejam orvalho.
21 Filho meu, que estes não se afastem de teus olhos; guarda a sabedoria e o bom-senso.

sabedoria sadia – (compare Pv 2: 7).

deixe… olhos – isto é, estas palavras de instrução.

22 Porque serão vida para tua alma, e graça para teu pescoço.

atribuir razões em seu valor para a felicidade e ornamento, orientação e apoio em perigos, tanto quando acordar e dormir.

23 Então andarás por teu caminho em segurança; e com teus pés não tropeçarás.
24 Quando te deitares, não terás medo; tu deitarás, e teu sono será suave.
25 Não temas o pavor repentino; nem da assolação dos perversos, quando vier.

pavor repentino – o que provoca isso (Pv 1:27), qualquer mal não visto para o mal (Salmo 46: 3; Salmo 91:12; 1Pe 3:14).

assolações – (Pv 1:27).

26 Porque o SENHOR será tua esperança; e ele guardará teus pés para que não sejam presos.

O motivo; tais como são objetos do favor de Deus.

será tua esperança – literalmente, “em tua confiança”, na fonte de tua força (compare Na 3: 9, para a mesma construção, hebraico).

27 Não detenhas o bem daqueles que possuem o direito, se tiveres em tuas mãos poder para o fazeres.

Cumpra prontamente todas as obrigações de justiça e caridade (compare com Tg 2:15, Tg 2:16).

28 Não digas a teu próximo: Vai, e volta depois , que amanhã te darei; se tu tiveres contigo o que ele te pede.
29 Não planejes o mal contra teu próximo, pois ele mora tendo confiança em ti.

Não abuse da confiança e evite litígios.

30 Não brigues contra alguém sem motivo, se ele não fez mal contra ti.
31 Não tenhas inveja do homem violento, nem escolhas seguir algum dos caminhos dele.

homem violento – ou homem de malícia. O destino dos malfeitores bem-sucedidos adverte contra o desejo deles (Salmo 37: 1, Salmo 37: 2, Salmo 37:35, Salmo 37:36).

32 Porque o SENHOR abomina os perversos; mas ele guarda o seu segredo com os justos.

Razões para o aviso.

perversos – (Pv 2:15).

segredo com os justos – em sua comunhão (Am 3: 7).

33 A maldição do SENHOR está na casa do perverso; porém ele abençoa a morada dos justos.

maldiçãoperverso – Ela permanece com eles e será manifestada.

34 Certamente ele zombará dos zombadores; mas dará graça aos humildes.

A retribuição dos pecadores, como no Salmo 18:26.

35 Os sábios herdarão honra; porém os loucos terão sobre si confusão.

herdarão – como uma porção.

confusão – ou desgraça, ao contrário da honra.

promoção – (Compare Margin); como honra pelo bem fazer torna os homens visíveis, os tolos são sinalizados pela desgraça.

<Provérbios 2 Provérbios 4>

Introdução à Provérbios 3

O estudo da verdade foi elogiado. Deus deve ser temido, honrado e confiável, e submissão filial, sob castigo, exposta. A excelência da sabedoria incitada e ilustrada por seu lugar nos conselhos divinos. Piedade reforçada pelo contraste do destino dos justos e dos ímpios.

Leia também uma introdução ao livro dos Provérbios.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.