Bíblia

Isaías 43

1 Porém agora assim diz o SENHOR, o teu Criador, ó Jacó, e o teu Formador, ó Israel: Não temas, porque eu te resgatei; chamei a ti por teu nome; tu és meu.

Porém agora – apesar dos julgamentos passados de Deus pelos pecados de Israel.

Criador – não apenas no sentido geral, mas especialmente criado como um povo para seu seu (Is 43:7, 15, 21, Is 44:2, 21, 24). Assim, os crentes, “criados em Cristo Jesus” (Ef 2:10), são “o povo adquirido” (1Pe 2:9).

resgatarei – (compare Is 43:3). Um segundo argumento para porquê eles deveriam confiar nele além da criação. Babilônia seria o resgate neste caso, isto é, deveria ser destruída, a fim de que eles pudessem ser libertados; assim Cristo se tornou uma maldição, condenado à morte, para que pudéssemos ser resgatados.

chamei a ti por teu nome – não apenas um “chamado” geral, como em Is 42:6; Is 48:12; Is 51:2, mas designado como Seu povo particular (compare com Is 45:3-4; Êx 32:1; Êx 33:12; Jo 10:3). [JFB]

2 Quando passares pelas águas, estarei contigo; e ao passares pelos rios, eles não te submergirão; quando passares pelo fogo, não te queimarás, nem a chamas arderão em ti.

águasfogo – uma frase proverbial para os perigos mais extremos (Sl 66:12; também Sl 138:7). Literalmente cumprida no Mar Vermelho (Êx 14:21-22), e no caso dos três jovens lançados na fornalha de fogo (Dn 3:25, 27).

3 Porque eu sou o SENHOR teu Deus, o Santo de Israel, teu Salvador; dei ao Egito, a Cuxe, e a Seba como teu resgate, em teu lugar.

Egitocomo teu resgate – Ou o Egito ou Israel deve perecer; Deus escolheu que o Egito, embora muito mais poderoso, fosse destruído, a fim de que Seu povo pudesse ser libertado; assim, o Egito ficou, em vez de Israel, como uma espécie de “resgate”. O hebraico kopher significa “aquilo com o qual tudo é coberto”, como o piche com o qual Noé revestiu a arca; Nabucodonosor havia subjugado o Egito, a Etiópia (hebreus, cuchitas) e Sabá (descendentes de Cuxe, Gn 10:7, provavelmente Meroé da Etiópia, uma grande ilha formada pelas Astaboras e pelo Nilo, conquistada por Cambises, sucessor de Ciro). Ciro os recebeu de Deus com o restante dos domínios da Babilônia, por estar prestes a libertar Israel. Contudo, a referência pode ser a guerra de três anos em que Sargão venceu esses países, e assim teve sua atenção desviado de Israel (ver em Is 20:1) (Vitringa). Mas a referência é provavelmente mais geral, ou seja, todos os casos em que Jeová sacrificou nações pagãs, quando a segurança de Israel exigia isso. [JFB]

4 Visto que foste precioso em meus olhos, assim foste glorificado, e eu te amei; por isso dei homens em troca de ti, e povos em troca de tua alma.

Visto que – refere ao tempo quando Deus chamou Seu povo para fora do Egito, manifestando então o amor que Ele tinha desde a eternidade em relação a eles (Jr 31:3; Os 11:1).

em troca de tua alma – tua pessoa.

5 Não temas, pois estou contigo; eu trarei tua semente desde o oriente, e te ajuntarei desde o ocidente.

(Dt 30:3).

semente – descendentes espalhados em todas as terras. Vitringa entende a “semente” espiritual da Igreja produzida pela regeneração sobrenatural: pois a expressão é “trarei”, não “trarei de volta”. Esse sentido talvez esteja incluso, mas não com a exclusão da restauração literal de Israel. (Jr 30:10-11; Am 9:9; Zc 2:6-13).

6 Direi ao norte: Dá!, E ao sul: Não retenhas! Trazei meus filhos de longe, e minhas filhas desde os confins da terra;

– ou seja, meu povo.

filhosfilhas – Antigamente, o feminino unido ao masculino expressa a totalidade de qualquer coisa (Zc 9:17).

7 Todos os chamados do meu nome, e os que criei para minha gloria; eu os formei; sim, eu os fiz.

chamados do meu nome – pertence a Israel, cujo povo, como filhos de Deus, leva o nome de seu pai (Is 44:5; Is 48:1).

para minha glória – (Is 43:21; Is 29:23).

8 Trazei ao povo cego, que tem olhos; e aos surdos, que tem ouvidos.

Grave desafio feito por Deus às nações para discutir com Ele a questão de Sua superioridade para com seus ídolos e Seu poder para libertar Israel (Is 41:1).

povo cego – os gentios, que também, como Israel (Is 42:19), são cegos (espiritualmente), embora tenham olhos; isto é, faculdades naturais, pelas quais eles podem conhecer a Deus (Rm 1:20-21) (Lowth). Ou então refere-se aos judeus (Vitringa).

9 Todas as nações se reúnam, e os povos se ajuntem. Quem deles isto anuncia, e nos faz ouvir as coisas do passado? Mostrem suas testemunhas, para que se justifiquem, e se ouça, e se diga: É verdade.

quemisto anuncia – quem entre os advidinhos idólatras predisse isto; isto é, quanto a Ciro sendo o libertador de Israel?

Mostrem suas testemunhas – como eu tenho as minhas (Is 43:10).

10 Vós sois minhas testemunhas (diz o SENHOR); e meu servo, a quem escolhi; para que saibais, e creiais em mim, e entendais que eu sou o próprio, e que antes de mim nenhum Deus se formou, e depois de minha nenhum haverá.

Vós – os judeus, a quem eu dei previsões, confirmadas pelo acontecimento; e ao libertar a quem tantas vezes manifestei o MEU poder (ver Is 43:3-4; Is 44:8).

e meu servo – isto é, todo o povo judeu (Is 41:8).

formou – antes que eu existisse nenhum dos falsos deuses foram formados. “Formou” aplica-se aos ídolos, não a Deus. Ap 1:11 usa a mesma linguagem para provar a Divindade de Jesus, como Isaías aqui para provar a divindade de Jeová. [JFB]

11 Eu, eu sou o SENHOR; e fora de mim não há salvador.

salvador – temporariamente, da Babilônia: eternamente, do pecado e do inferno (Os 13:4; At 4:12). Os mesmos títulos aplicados a Deus são aplicados a Jesus.

12 Eu anunciei, eu salvei, e eu fiz ouvir, e deus estrangeiro não houve entre vós, e vós sois minhas testemunhas, (diz o SENHOR), que eu sou Deus.

anunciei – previ o futuro (Is 41:22-23).

salvei – a nação, em tempos passados ​​do perigo.

mostrou – ou seja, que eu era Deus.

deus estrangeiro não houve entre vós – a quem as previsões proferidas por Mim poderiam ser atribuídas. [JFB]

13 E desde antes de haver dia, eu o sou; e ninguém há que possa livrar das minhas mãos. Eu estou agindo, quem pode impedir?

desde antes de haver dia – literalmente, desde o tempo da primeira existência do dia.

14 Assim diz o SENHOR o teu Redentor, o Santo de Israel: Por causa de vós eu enviei inimigos a Babilônia, e a todos eu os fiz descerem como fugitivos, inclusive os Caldeus, nos navios em que se orgulhavam.

enviei inimigos – ou seja, os medos e persas (Is 10:5-6; Is 13:3).

descerem como fugitivos – (Is 42:10), a fim de escaparem da iminente destruição da Babilônia.

nos navios em que se orgulhavam – A alegria deles em seus navios até então contrasta tristemente com seu presente pânico em ter que neles fugirem (Is 22:2; Sf 2:15). Babilônia ficava no Eufrates, que se unia ao Tigre por um canal e fluía para o Golfo Pérsico. Assim, era famosa por navios e comércio até que os monarcas persas, para impedir a revolta ou a invasão, obstruíram a navegação com barragens em todo o Tigre e o Eufrates. [JFB]

15 Eu sou o SENHOR, vosso Santo; o Criador de Israel, o vosso Rei.

Criador de Israel – (Is 43:1).

vosso – provei ser especialmente de vós libertando-os.

16 Assim diz o SENHOR, aquele que preparou no mar um caminho, e nas águas impetuosas uma vereda;

Alusão à libertação de Israel e a derrota de Faraó no Mar Vermelho, a ilustração permanente do caráter imutável de Deus para com o Seu povo (Êx 14:21-22, Êx 14:27-28).

17 Aquele que trouxe carruagens e cavalos, exército e forças; todos juntamente caíram, e não mais se levantaram; estão extintos, foram apagados como um pavio:

todos juntamente caíram – como o exército do Faraó afundava “juntamente” em um sepultamento subaquático.

18 Não vos lembreis das coisas passadas, nem considereis as antigas;

Tão maravilhosas serão as futuras intervenções de Deus em seu favor, que todas as do passado serão esquecidas. Claramente, a futura restauração de Israel é o evento significado. Assim, “as antigas” são acontecimentos como a destruição de Senaqueribe e o retorno da Babilônia. “Coisas passadas” são acontecimentos ainda mais antigos, como a libertação do Egito e do Mar Vermelho e a entrada em Canaã (Vitringa). [JFB]

19 Eis que farei uma coisa nova, agora surgirá; por acaso não a reconhecereis? Pois porei um caminho no deserto, e rios na terra vazia.

nova – sem precedentes em seu caráter maravilhoso (Is 42:9).

surgirá – como uma semente germinando: uma bela imagem do crescimento silencioso, mas certo, dos acontecimentos na providência de Deus (Mc 4:26-26).

caminho no deserto – assim como Israel no deserto, entre o Mar Vermelho e Canaã, foi guiado e suprido com água por Jeová; mas a “nova” libertação deve ser acompanhada de manifestações do poder e amor de Deus, eclipsando as antigas (compare Is 41:17-19). “Abrirei um caminho, não apenas no Mar Vermelho, mas no deserto de todo o mundo; e não apenas um rio jorrará da rocha, mas muitos, que refrescarão, não os corpos como antigamente, mas as almas dos sedentos, para que a profecia se cumpra: ‘Com alegria tirareis água da poços de salvação’”(Jerônimo). “Um caminho” frequentemente representa a verdadeira religião (At 9:2; At 18:26). “Rios” expressam as influências do Espírito Santo (Jo 7:37-39). A restauração literal de Israel a seguir é incluída, como aparece comparadamente em Is 11:15-16. [JFB]

20 Os animais do campo me honrarão; os chacais e os filhotes de avestruz; porque porei águas no deserto, rios na terra vazia, para dar de beber a meu povo, meu escolhido.

animais – tais abundantes inundações de água serão dadas por Deus no deserto, para que os próprios animais louvem o Senhor (Sl 148:10) (Jerônimo).

21 Este povo formei para mim, eles declararão louvor a mim.

Este povo – a saber, o mesmo que “Meu povo, Meu escolhido” (ver Is 43:1, 7; Sl 102:18).

louvor a mim – por causa dos muitos e grandes benefícios que lhes são conferidos, especialmente sua restauração.

22 Porém tu não me invocaste, ó Jacó; pois te cansaste de mim, ó Israel.

Israel, no entanto, não deve pensar que esses favores divinos são devidos à sua própria piedade para com Deus. Assim como o crente (Tt 3:5).

cansaste de mim – (Am 8:5-6; Ml 1:13), embora “eu não te cansei” (Is 43:23), mas “tu estás cansado de mim.”

23 Não me trouxeste o gado miúdo de teus holocaustos, nem me honraste com teus sacrifícios; eu não vos oprimi com ofertas, nem te cansei com incenso.

gado miúdo – em vez disso, o “cordeiro”, exigido pela lei para ser oferecido diariamente a Deus (Êx 29:38; Nm 28:3).

sacrifícios – oferecidos de qualquer maneira; enquanto o hebraico para “holocausto” ou “oferta queimada” denota aquilo que sobe como uma oferta consumida pelo fogo.

eu não vos oprimi – isto é, para prestar o serviço de um escravo (Mt 11:30; Rm 8:15; 1Jo 4:18; 1Jo 5:3).

ofertas – sem derramamento de sangue (Lv 2:1-2).

cansei – antítese para Is 43:22, “te cansaste de mim”. Embora Deus na lei exigisse tais ofertas, mas não para “cansar” o adorador, ou para exigi-los nos casos em que, como no cativeiro babilônico, eles eram fisicamente incapazes de render-lhes; Deus não os exigiu, exceto em subordinação aos deveres morais mais elevados (Sl 50:8-14; Sl 51:16-17; Mq 6:3, 6-8). [JFB]

24 Não me compraste com dinheiro cana aromática, nem me saciaste com a gordura de teus sacrifícios; mas me oprimiste com teus pecados, e me cansaste com tuas maldades.

comprastecana aromática – não era nativa da Palestina, mas tinha que ser comprada de países estrangeiros (Jr 6:20). Foi usada entre os hebreus para fazer o unguento sagrado (Êx 30:23). Muitas vezes é oferecida como uma marca de hospitalidade.

saciaste – (Jr 31:14). Deus concede em usar a linguagem humana para se adaptar aos modos humanos de pensamento.

mas me oprimiste– embora “um não vos oprimi” (Is 43:23). Nosso pecado fez o Filho de Deus se tornar “um servo”. Ele serviu para nos salvar da escravidão servil (Fp 2:7; Hb 2:14-15).

me cansaste – embora eu não te tenha “cansado” (Is 43:23; ver Is 1:14). [JFB]

25 Eu, eu sou o que anulo tuas transgressões por causa de mim; e te teus pecados eu não me lembro.

Eu, eu sou – o Deus contra quem o seu pecado é cometido, e quem sozinho pode e vai perdoar (Is 44:22).

por causa de mim – (Is 48:9, 11). Quão abominável é o pecado, pois é contra esse Deus de graça!

teus pecados eu não me lembro – (Jr 31:34). Quando Deus perdoa, Ele esquece; isto é, trata o pecador como se Ele tivesse esquecido seus pecados. [JFB]

26 Faze-me lembrar, entremos em juízo juntos; mostra teus argumentos, para que possas te justificar.

Faze-me lembrar – Lembra-me de todo pedido que tens de pedir diante de mim em tua defesa. (Is 1:18; Is 41:1). Nosso mais forte apelo é lembrar a Deus suas próprias promessas. Assim Jacó fez em Maanaim e Peniel (Gn 32:9, 12). Deus, então, em vez de “brigar contra nós com Seu grande poder”, “daria atenção” em nós (Jó 23:6); assim nos tornamos os “que fazem menção do SENHOR” (Is 62:6). “Declare a justiça de Deus” vindicada em Jesus Cristo “para que sejas justificado” (Rm 3:26; compare com Is 20:1-6 e Sl 143:2). [JFB]

27 Teu primeiro pai pecou; e teus intérpretes transgrediram contra mim.

primeiro pai – coletivamente para “os ancestrais mais antigos”, como o paralelismo (“interpretes”) prova (Maurer). Ou teus principais ministros religiosos ou sacerdotes (Gesenius). Adão, o pai comum de todas as nações, dificilmente pode ser entendido aqui, pois teria sido irrelevante mencionar seu pecado em um discurso especialmente aos judeus. Abraão é igualmente deslocado aqui, já que ele é em toda parte citado como um exemplo de fidelidade, não de “pecado”. No entanto, tomando a passagem em sua aplicação final à Igreja como um todo, Adão pode ser exprimido.

intérpretes – entre Deus e o homem, os sacerdotes (Jó 33:23; Ml 2:7). [JFB]

28 Por isso profanei os líderes do santuário, e entreguei Jacó à desgraça, e Israel à humilhação.

profanei os líderes – (Sl 89:39; Lm 2:2, 6-7). Eu os considerei ou os tratei como pessoas não sagradas. Eu os deixei para sofrer o mesmo tratamento que as pessoas comuns, despojados de seu ministério sagrado e em cativeiro.

líderes do santuário – dirigindo seus serviços sagrados; sacerdotes.

desgraça – hebraico, cherim, uma “maldição pública” ou “excomunhão”.

humilhação – (Sl 123:3-4). [JFB]

<Isaías 42 Isaías 44>

Introdução à Isaías 43

Uma sucessão de argumentos em que Israel pode estar certo de que, apesar de sua perversidade para com Deus (Is 42:25), Ele os libertará e restaurará.

Leia também uma introdução ao Livro de Isaías.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – 11 de fevereiro de 2019.