Bíblia, Revisar

Êxodo 29

Consagrando os sacerdotes e o altar

1 E Isto é o que lhes farás para consagrá-los, para que sejam meus sacerdotes: Toma um bezerro das vacas, e dois carneiros sem mácula;

O objetivo do estudo foi realizado com o objetivo de ilustrar a importância de se obter resultados positivos, bem como para o impacto do povo. de sua magnitude e importância. Em resumo, eles foram ensinados um saber que era a época para os quais eram para o povo; A cada vez que se engajava em uma nova execução de seus deveres, eles eram lembrados de seu interesse pessoal como sendo um ser, sendo obrigada a oferecer os mesmos, antes de estarem disponíveis para os representantes do povo.

é o que lhes farás – são os passos no primeiro momento de uma sociedade, que não se faziam quando a máquina se encontrava em plena ação; and Moisés, na abertura do tabernáculo, foi empossado para ajudar as funções, em outras épocas, foi salvo como sacrifício e puniu com morte instantânea. Mas ele agiu sob a forma de especiais de Deus.

2 E pães sem levedura, e tortas sem levedura amassadas com azeite, e massas sem levedura untadas com azeite; tu os farás de boa farinha de trigo:
3 E os porás em um cesto, e no cesto os oferecerás, com o bezerro e os dois carneiros.
4 E farás chegar Arão e seus filhos à porta do tabernáculo do testemunho, e os lavarás com água.

A maneira pela qual essas partes do cerimonial foram realizadas é minuciosamente descrita, e ao descobrir sua importância simbólica, que de fato é suficientemente clara e óbvia, inspiramos autoridade para nos guiar. Significava a necessidade e importância da pureza moral ou santidade (Is 52:11; Jo 13:10; 2Co 7:1; 1Pe 3:21). De igual modo, a investidura com as vestes sagradas significava estar revestido de justiça (Ap 19:8) e equipado como homens ativos e bem preparados para o serviço de Deus; a unção do sumo sacerdote com óleo denotava que ele seria cheio das influências do Espírito, para edificação e deleite da igreja (Lv 10:7; Sl 45:7; Is 61:1; 1Jo 2:27), e como ele era oficialmente um tipo de Cristo (Hb 7:26; Jo 3:34; também Mt 3:1611:29).

Arão e seus filhos à porta do tabernáculo do testemunho – como ocupando o espaço intermediário entre a corte onde o povo estava e a morada do rei de Israel, e portanto o lugar mais apto para os sacerdotes serem devidamente preparados para entrada, e as pessoas que assistem a cerimônia de inauguração.

5 E tomarás as vestiduras, e vestirás a Arão a túnica e o manto do éfode, e o éfode, e o peitoral, e lhe cingirás com o cinto do éfode;
6 E porás a mitra sobre sua cabeça, e sobre a mitra porás a coroa santa.
7 E tomarás o azeite da unção, e derramarás sobre sua cabeça, e lhe ungirás.
8 E farás chegar seus filhos, e lhes vestirás as túnicas.
9 E lhes cingirás o cinto, a Arão e a seus filhos, e lhes atarás as tiaras, e terão o sacerdócio por estatuto perpétuo: e encherás as mãos de Arão e de seus filhos.
10 E farás chegar o bezerro diante do tabernáculo do testemunho, e Arão e seus filhos porão suas mãos sobre a cabeça do bezerro.

E farás chegar o bezerro diante do tabernáculo do testemunho – Esta parte do cerimonial consistia em três sacrifícios: (1) O sacrifício de um boi como oferta pelo pecado; e, ao representá-lo, o padre foi orientado a colocar a mão sobre a cabeça de seu sacrifício, expressando por esse ato uma consciência de culpa pessoal e um desejo de que pudesse ser aceita como satisfação vicária. (2) O sacrifício de um carneiro como holocausto (Êx 29:15-18). O carneiro deveria ser totalmente queimado, em sinal da dedicação do sacerdote de si mesmo a Deus e ao Seu serviço. A oferta pelo pecado foi a primeira a ser apresentada e depois a oferta queimada; para até que a culpa seja removida, nenhum serviço aceitável pode ser executado. (3) Deveria haver uma oferta de paz, chamada “o carneiro da consagração” (Êx 29:19-22). E havia uma peculiaridade marcante na maneira como esse outro carneiro deveria ser descartado. O primeiro era para a glória de Deus – isto era para o conforto do próprio sacerdote; e como sinal de um pacto mútuo sendo ratificado, o sangue do sacrifício foi dividido – parte espargida no altar ao redor e parte nas pessoas e vestes dos sacerdotes. Mais ainda, o sangue foi, por um ato singular, dirigido para ser colocado nas extremidades do corpo, significando assim que os benefícios da expiação seriam aplicados a toda a natureza do homem. Além disso, a carne desse sacrifício devia ser dividida, por assim dizer, entre Deus e o sacerdote – parte dela para ser colocada em sua mão para ser inclinada para cima e para baixo, em sinal de ser oferecida a Deus, e então deveria ser queimado sobre o altar; a outra parte devia ser comida pelos sacerdotes à porta do tabernáculo – aquela festa sendo um símbolo de comunhão ou comunhão com Deus. Essas cerimônias, realizadas na ordem descrita, mostravam as qualificações necessárias para os sacerdotes. (Veja Hb 7:26-27; Hb 10:14).

11 E matarás o bezerro diante do SENHOR à porta do tabernáculo do testemunho.
12 E tomarás do sangue do bezerro, e porás sobre as pontas do altar com teu dedo, e derramarás todo o demais sangue ao pé do altar.
13 Tomarás também toda a gordura que cobre os intestinos, e o redenho de sobre o fígado, e os dois rins, e a gordura que está sobre eles, e os queimarás sobre o altar.
14 Porém consumirás a fogo fora do acampamento a carne do bezerro, e seu couro, e seu excremento: é expiação.
15 Também tomarás um carneiro, e Arão e seus filhos porão suas mãos sobre a cabeça do carneiro.
16 E matarás o carneiro, e tomarás seu sangue, e salpicarás sobre o altar ao redor.
17 E cortarás o carneiro em pedaços, e lavarás seus intestinos e suas pernas, e as porás sobre seus pedaços e sobre sua cabeça.
18 E queimarás todo o carneiro sobre o altar: é holocausto ao SENHOR, cheiro suave, é oferta queimada ao SENHOR.
19 Tomarás logo o outro carneiro, e Arão e seus filhos porão suas mãos sobre a cabeça do carneiro:
20 E matarás o carneiro, e tomarás de seu sangue, e porás sobre a ponta da orelha direita de Arão, e sobre a ponta das orelhas de seus filhos, e sobre o dedo polegar das mãos direitas deles, e sobre o dedo polegar dos pés direitos deles, e espargirás o sangue sobre o altar ao redor.
21 E tomarás do sangue que há sobre o altar, e do azeite da unção, e espargirás sobre Arão, e sobre suas vestiduras, e sobre seus filhos, e sobre as vestimentas destes; e ele será santificado, e suas vestiduras, e seus filhos, e as vestimentas de seus filhos com ele.
22 Logo tomarás do carneiro a gordura, e a cauda, e a gordura que cobre os intestinos, e o redenho do fígado, e os dois rins, e a gordura que está sobre eles, e a coxa direita; porque é carneiro de consagrações:
23 Também uma torta de pão, e uma massa amassada com azeite, e um bolo do cesto dos pães ázimos apresentado ao SENHOR;
24 E o porás tudo nas mãos de Arão, e nas mãos de seus filhos; e o mexerás agitando-o diante do SENHOR.
25 Depois o tomarás de suas mãos, e o farás arder sobre o altar em holocausto, por cheiro agradável diante do SENHOR. É oferta acesa ao SENHOR.
26 E tomarás o peito do carneiro das consagrações, que foi imolado para a de Arão, e o mexerás por oferta agitada diante do SENHOR; e será porção tua.
27 E separarás o peito da oferta mexida, e a coxa da santificação, o que foi mexido e o que foi santificado do carneiro das consagrações de Arão e de seus filhos:
28 E será para Arão e para seus filhos por estatuto perpétuo dos filhos de Israel, porque é porção elevada; e será tomada dos filhos de Israel de seus sacrifícios pacíficos, porção deles elevada em oferta ao SENHOR.
29 E as vestimentas santas, que são de Arão, serão de seus filhos depois dele, para ser ungidos com elas, e para ser com elas consagrados.
30 Por sete dias as vestirá o sacerdote de seus filhos, que em seu lugar vier ao tabernáculo do testemunho a servir no santuário.
31 E tomarás o carneiro das consagrações, e cozerás sua carne no lugar do santuário.
32 E Arão e seus filhos comerão a carne do carneiro, e o pão que está no cesto, à porta do tabernáculo do testemunho.
33 E comerão aquelas coisas com as quais se fez expiação, para encher suas mãos para ser santificados: mas o estrangeiro não comerá, porque é coisa santa.
34 E se sobrar algo da carne das consagrações e do pão até a manhã, queimarás ao fogo o que houver sobrado: não se comerá, porque é coisa santa.
35 Assim, pois, farás a Arão e a seus filhos, conforme todas as coisas que eu te mandei: por sete dias os consagrarás.

por sete dias os consagrarás – A renovação dessas cerimônias no retorno de todos os dias nos sete, com a intervenção de um sábado, foi um sábio arranjo preparatório, a fim de proporcionar um intervalo suficiente para a reflexão calma e devota (Hb 9:1; Hb 10:1).

Consagração do altar

36 E sacrificarás o bezerro da expiação em cada dia para as expiações; e purificarás o altar em havendo feito expiação por ele, e o ungirás para santificá-lo.

e purificarás o altar – A frase “quando tiveres feito expiação” deve ser sobre ele; e o propósito da direção é que, durante todo o tempo em que estivessem engajados como acima, dia após dia, ao oferecer os sacrifícios designados, o maior cuidado seria tomado para manter o altar devidamente limpo – para remover as cinzas e polvilhá-lo. com a unção prescrita de que, na conclusão de todo o cerimonial, o próprio altar deveria ser consagrado tanto quanto os ministros que deveriam oficiá-lo (Mt 23:19). Foi daí em diante associado aos serviços da religião.

37 Por sete dias expiarás o altar, e o santificarás, e será um altar santíssimo: qualquer um coisa que tocar ao altar, será santificada.

Instituição de serviço diário

38 E isto é o que oferecerás sobre o altar: dois cordeiros de ano cada dia, sem interrupção.

dois cordeiros de ano cada dia, sem interrupção – Concluídas as preliminares sagradas, Moisés foi instruído no final ou no design ao qual esses preparativos eram subservientes, a saber, a adoração a Deus; e, portanto, a instituição do sacrifício da manhã e da noite. A instituição era tão imperativa que em nenhuma circunstância essa oferta diária era dispensada; e a devida observância disso asseguraria a graça e bênção do seu Rei celestial.

39 Oferecerás um cordeiro à manhã, e o outro cordeiro oferecerás à queda da tarde:
40 Também uma décima parte de um efa de boa farinha amassada com a quarta parte de um him de azeite prensado; e a libação será a quarta parte de um him de vinho com cada cordeiro.
41 E oferecerás o outro cordeiro à queda da tarde, fazendo conforme a oferta da manhã, e conforme sua libação, em cheiro de suavidade; será oferta acesa ao SENHOR.
42 Isto será holocausto contínuo por vossas gerações à porta do tabernáculo do testemunho diante do SENHOR, no qual me encontrarei convosco, para falar-vos ali.
43 E ali testificarei de mim aos filhos de Israel, e o lugar será santifiquei com minha glória.
44 E santificarei o tabernáculo do testemunho e o altar: santificarei também a Arão e a seus filhos, para que sejam meus sacerdotes.
45 E habitarei entre os filhos de Israel, e serei seu Deus.
46 E conhecerão que eu sou o SENHOR seu Deus, que os tirei da terra do Egito, para habitar em meio deles: Eu sou o SENHOR seu Deus.
<Êxodo 28 Êxodo 30>

Leia também uma introdução ao livro do Êxodo.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.