Bíblia, Revisar

Êxodo 28

Nomeação para o sacerdócio

1 E tu aproxima a ti a Arão teu irmão, e a seus filhos consigo, dentre os filhos de Israel, para que sejam meus sacerdotes; a Arão, Nadabe e Abiú, Eleazar e Itamar, filhos de Arão.

E tu aproxima a ti a Arão teu irmão, e a seus filhos consigo – Até então, Moisés cumprira as funções sacerdotais (Sl 99:6), e ele evidenciava a piedade e a humildade de seu caráter, ao cumprir prontamente a ordem de investir irmão com o ofício sagrado, embora envolvesse a exclusão perpétua de sua própria família. A nomeação foi um ato especial da soberania de Deus, de modo que não poderia haver base para o ressentimento popular pela seleção da família de Arão, com quem o ofício foi estabelecido de maneira inalienável e continuou em sucessão ininterrupta até a introdução da era cristã. .

2 E farás vestimentas sagradas a Arão teu irmão, para honra e formosura.

vestimentas sagradas – Nenhuma santidade inerente pertencia ao material ou à obra. Mas eles são chamados de “santos” simplesmente porque não foram usados ​​em ocasiões comuns, mas assumidos no cumprimento das funções sagradas (Ez 44:19).

para honra e formosura – Era um traje grandioso e suntuoso. Em material, bordado elaborado e cor, tinha um esplendor imponente. Sendo o tabernáculo adaptado à ajuda infantil da igreja, era certo e necessário que as vestes dos sacerdotes tivessem uma aparência tão magnífica e deslumbrante, que as pessoas pudessem ser inspiradas com o devido respeito pelos ministros, bem como os ritos dos sacerdotes. religião. Mas eles também tinham outro significado; porque, sendo todos feitos de linho, simbolizavam a verdade, a pureza e outras qualidades em Cristo, que o tornavam um sumo sacerdote, como nos tornava nós.

3 E tu falarás a todos os sábios de coração, aos quais eu enchi de espírito de sabedoria; a fim de que façam as roupas de Arão, para consagrar-lhe a que me sirva de sacerdote.

As vestes sacerdotais

4 As vestimentas que farão são estes: o peitoral, e o éfode, e o manto, e a túnica bordada, a mitra, e o cinturão. Façam, pois, as sagradas vestimentas a Arão teu irmão, e a seus filhos, para que sejam meus sacerdotes.
5 Tomarão ouro, e azul, e púrpura, e carmesim, e linho torcido.
6 E farão o éfode de ouro e azul, e púrpura, e carmesim, e linho torcido de obra de bordador.

éfode – Era um manto muito lindo feito de búzios, curiosamente bordado, e tingido com cores variadas, e ainda enriquecido com tecido dourado, sendo os fios de ouro originalmente entrelaçados ou depois inseridos pela bordadeira. Era curto – alcançando desde o seio até um pouco abaixo dos lombos – e embora destituído de mangas, retinha sua posição pelo apoio de alças jogadas sobre cada ombro. Essas alças ou cintas, ligando a uma com as costas, a outra com a parte da frente da qual a túnica era composta, estavam unidas no ombro por duas pedras de ônix, servindo de botões, e sobre as quais os nomes das doze tribos estavam gravados. e em recintos dourados. O projeto simbólico disso era que o sumo sacerdote, que levava os nomes junto com ele em todas as suas ministrações diante do Senhor, pudesse ser mantido em memória de seu dever de defender sua causa e suplicar a realização das promessas divinas em sua Favor. O éfode era preso por uma cinta dos mesmos materiais caros, isto é, tingidos, bordados e forjados com fios de ouro. Era cerca de uma palmo de largura e ferida duas vezes ao redor da parte superior da cintura; fixou-se na frente, as extremidades pendendo longamente (Ap 1:13).

7 Terá duas ombreiras que se juntem a seus dois lados, e se juntará.
8 E o artifício de seu cinto que está sobre ele, será de sua mesma obra, do mesmo; de ouro, azul, e púrpura, e carmesim, e linho torcido.
9 E tomarás duas pedras de ônix, e gravarás nelas os nomes dos filhos de Israel:
10 Os seis de seus nomes em uma pedra, e os outros seis nomes na outra pedra, conforme o nascimento deles.
11 De obra de escultor em pedra a modo de gravuras de selo, farás gravar aquelas duas pedras com os nomes dos filhos de Israel; farás para eles ao redor engastes de ouro.
12 E porás aquelas duas pedras sobre os ombros do éfode, para pedras de memória aos filhos de Israel; e Arão levará os nomes deles diante do SENHOR em seus dois ombros por memória.
13 Farás, pois, engastes de ouro,
14 E duas correntinhas de ouro fino; as quais farás de feitura de trança; e fixarás as correntes de feitura de trança nos engastes.
15 Farás também o peitoral do juízo de primorosa obra, lhe farás conforme a obra do éfode, de ouro, e azul, e púrpura, e carmesim, e linho torcido.

Farás também o peitoral do juízo de primorosa obra – uma peça de brocado muito esplêndida e ricamente bordada, um palmo quadrado, e dobrada, para que seja possível suportar o peso das pedras preciosas nela contidas. Havia doze pedras diferentes, contendo cada uma o nome de uma tribo, e dispostas em quatro filas, três em cada. Os israelitas tinham adquirido um conhecimento da arte do lapidário no Egito, e a quantidade de sua habilidade em cortar, polir e definir pedras preciosas, pode ser julgada pelo diamante formando um dos ornamentos gravados neste peitoral. Um anel foi anexado a cada canto, através do qual as correntes de ouro foram passadas para prender esta peça brilhante de jóias na parte superior e inferior firmemente no peito do éfode.

16 Será quadrado e duplo, de um palmo de comprimento e um palmo de largura:
17 E o encherás de pedrarias com quatro ordens de pedras: uma ordem de uma pedra sárdio, um topázio, e um carbúnculo; será a primeira ordem;
18 A segunda ordem, uma esmeralda, uma safira, e um diamante;
19 A terceira ordem, um rubi, uma ágata, e uma ametista;
20 E a quarta ordem, um berilo, um ônix, e um jaspe: estarão engastadas em ouro em seus encaixes.
21 E serão aquelas pedra segundo os nomes dos filhos de Israel, doze segundo seus nomes; como gravuras de selo cada uma com seu nome, virão a ser segundo as doze tribos.
22 Farás também no peitoral correntes de feitura de tranças de ouro fino.
23 E farás no peitoral dois anéis de ouro, os quais dois anéis porás às duas pontas do peitoral.
24 E porás as duas tranças de ouro nos dois anéis às duas pontas do peitoral:
25 E as duas extremidades das duas tranças sobre os dois engastes, e as porás aos lados do éfode na parte dianteira.
26 Farás também dois anéis de ouro, os quais porás às duas pontas do peitoral, em sua orla que está ao lado do éfode da parte de dentro.
27 Farás também dois anéis de ouro, os quais porás aos dois lados do éfode abaixo na parte dianteira, diante de sua juntura sobre o cinto do éfode.
28 E juntarão o peitoral com seus anéis aos anéis do éfode com um cordão de azul, para que esteja sobre o cinto do éfode, e não se separe o peitoral do éfode.
29 E levará Arão os nomes dos filhos de Israel no peitoral do juízo sobre seu coração, quando entrar no santuário, para memória diante do SENHOR continuamente.
30 E porás no peitoral do juízo Urim e Tumim, para que estejam sobre o coração de Arão quando entrar diante do SENHOR: e levará sempre Arão o juízo dos filhos de Israel sobre seu coração diante do SENHOR.

E porás no peitoral do juízo Urim e Tumim – As palavras significam “luzes” e “perfeições”; e nada mais é significado do que as pedras preciosas do peitoral já descritas (compare Êx 39:8-21; Lv 8:8). Eles receberam o nome porque o porte deles qualificou o sumo sacerdote para consultar o oráculo divino em todas as emergências públicas ou nacionais, indo para o lugar santo – de pé diante do véu e colocando a mão sobre o Urim e Tumim, ele transmitiu um petição do povo e pedido conselho de Deus, que, como o Soberano de Israel, deu resposta do meio da Sua glória. Pouco, no entanto, é conhecido sobre eles. Mas pode-se notar que os juízes egípcios usavam no peito de suas túnicas oficiais uma representação da Justiça, e o sumo sacerdote em Israel também oficiava como juiz; de modo que alguns pensam que o Urim e Tumim tinham uma referência às suas funções judiciais.

Outras vestes sacerdotais

31 Farás o manto do éfode todo de material azul:

Era a vestimenta do meio, sob o éfode e acima do casaco. Ele tinha um buraco através do qual a cabeça era impulsionada e era formado cuidadosamente de uma peça, como era o manto de Cristo (Jo 19:23). O sumo sacerdote era de cor azul-celeste. A ligação no pescoço era fortemente tecida, e terminava abaixo em uma franja, feita de borlas azuis, roxas e escarlates, na forma de uma romã, intercaladas com pequenos sinos de ouro, que tilintavam quando o usuário estava em movimento.

32 E em meio dele por acima haverá uma abertura, a qual terá uma borda ao redor de obra de tecelão, como a abertura de um colarinho, para que não se rompa.
33 E abaixo em suas orlas farás romãs de material azul, e púrpura, e carmesim, por suas bordas ao redor; e entre elas sinos de ouro ao redor.
34 Um sino de ouro e uma granada, sino de ouro e granada, pelas orlas do manto ao redor.

sino de ouro e granada – Os sinos eram pendurados entre as romãs, que dizem ter chegado a setenta e dois, e o uso deles parece ter sido para anunciar ao povo quando o sumo sacerdote entrou no lugar santíssimo, para que eles pudessem acompanhá-lo com suas orações, e também para se lembrar de estar vestido em sua vestimenta oficial, para ministrar sem que fosse a morte.

35 E estará sobre Arão quando ministrar; e se ouvirá seu som quando ele entrar no santuário diante do SENHOR e quando sair, porque não morra.
36 Farás também uma prancha de ouro fino, e gravarás nela gravura de selo, SANTIDADE AO SENHOR.

prancha – literalmente, uma pétala de flor, que parece ter sido a figura deste prato de ouro, que foi amarrado com uma fita de azul na frente da mitra, de modo que cada um de frente para ele pudesse ler a inscrição.

37 E a porás com um cordão de azul, e estará sobre a mitra; pela frente anterior da mitra estará.

mitra – gorro tipo coroa para a cabeça, não cobrindo toda a cabeça, mas aderindo bem perto dela, composto de linho fino. A Escritura não descreveu sua forma, mas de Josefo podemos ver que ela era de forma cônica, já que ele distingue as mitras dos sacerdotes comuns dizendo que elas não eram cônicas – que ela era circundada por faixas de azul bordadas e que estava coberto por um pedaço de linho fino para esconder as costuras.

38 E estará sobre a testa de Arão: e levará Arão o pecado das coisas santas, que os filhos de Israel houverem consagrado em todas as suas santas ofertas; e sobre sua testa estará continuamente para que tenham favor diante do SENHOR.
39 E bordarás uma túnica de linho, e farás uma mitra de linho; farás também um cinto de obra de bordador.

túnica de linho – uma roupa presa no pescoço, e chegando até o fundo da pessoa, com as mangas terminando no cotovelo.

cinto de obra de bordador – um pedaço de linho retorcido, ricamente bordado e tingido de várias formas. Diz-se que foi muito longo, e sendo muitas vezes enrolado em volta do corpo, estava preso na frente e as pontas pendiam, o que, sendo um impedimento para um padre na ativa, geralmente era jogado através dos ombros. Esta foi a vestimenta exterior dos sacerdotes comuns.

40 E para os filhos de Arão farás túnicas; também lhes farás cintos, e lhes formarás tiaras para honra e adorno.
41 E com eles vestirás a Arão teu irmão, e a seus filhos com ele: e os ungirás, e os consagrarás, e santificarás, para que sejam meus sacerdotes.
42 E lhes farás calções de linho para cobrir a carne vergonhosa; serão desde os lombos até as coxas:

calções de linho – gavetas, que englobavam os lombos e chegavam até a metade das coxas. Eles são vistos com muita frequência representados em figuras egípcias.

43 E estarão sobre Arão e sobre seus filhos quando entrarem no tabernáculo de testemunho, ou quando se achegarem ao altar para servir no santuário, para que não levem pecado, e morram. Estatuto perpétuo para ele, e para sua semente depois dele.
<Êxodo 27 Êxodo 29>

Leia também uma introdução ao livro do Êxodo.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.