Bíblia, Revisar

Números 18

Os deveres dos sacerdotes e dos levitas

1 E o SENHOR disse a Arão: Tu e teus filhos, e a casa de teu pai contigo, levareis o pecado do santuário: e tu e teus filhos contigo levareis o pecado de vosso sacerdócio.

A segurança é aqui dada ao povo dos temores expressos (Nm 17:12), pela responsabilidade de cuidar todas as coisas sagradas são devolvidas ao sacerdócio, juntamente com as penalidades incorridas por negligência; e assim as solenes responsabilidades anexadas à sua alta dignidade, de ter que responder não somente por seus próprios pecados, mas também pelos pecados do povo, foram calculadas em grande medida para remover todo sentimento de inveja na elevação de Arão. família, quando a honra foi pesada na balança com seus fardos e perigos.

2 E a teus irmãos também, a tribo de Levi, a tribo de teu pai, faze-os chegar a ti, e juntem-se contigo, e te servirão; e tu e teus filhos contigo servireis diante do tabernáculo do testemunho.

a teus irmãos também, a tribo de Levi – Os departamentos do ofício sagrado, a serem preenchidos respectivamente pelos sacerdotes e levitas, são designados para cada um deles. Aos sacerdotes foi confiado o encargo do santuário e do altar, enquanto os levitas deviam cuidar de todo o resto do tabernáculo. Os levitas deviam frequentar os sacerdotes como servos – concedidos a eles como “presentes” para ajudar no serviço do tabernáculo – enquanto o alto e digno ofício do sacerdócio era um “serviço de presentes”. “Um estranho”, isto é, nem um sacerdote nem um levita, que se intrometesse em algum departamento do ofício sagrado, deveriam incorrer na penalidade da morte.

3 E guardarão o que tu ordenares, e o cargo de todo o tabernáculo: mas não chegarão aos utensílios santos nem ao altar, para que não morram eles e vós.
4 Eles se juntarão, pois, contigo, e terão o cargo do tabernáculo do testemunho em todo o serviço do tabernáculo; nenhum estranho se há de chegar a vós.
5 E tereis a guarda do santuário, e a guarda do altar, para que não seja mais a ira sobre os filhos de Israel.
6 Porque eis que eu tomei os vossos irmãos, os levitas, dentre os filhos de Israel, são dados a vós como presente da parte do SENHOR, para que sirvam no ministério do tabernáculo do testemunho.
7 Porém tu e teus filhos contigo guardareis vosso sacerdócio em todo negócio do altar, e do véu dentro, e ministrareis. Eu vos dei como presente o serviço de vosso sacerdócio; e o estranho que se aproximar morrerá.

As ofertas destinadas aos sacerdotes e aos levitas

8 Disse mais o SENHOR a Arão: Eis que eu te dei também a guarda de minhas ofertas: todas as coisas consagradas dos filhos de Israel te dei por razão da unção, e a teus filhos, por estatuto perpétuo.

Disse mais o SENHOR a Arão: Eis que eu te dei também a guarda de minhas ofertas – Uma recapitulação é feita nesta passagem de certos privilégios especialmente apropriados para a manutenção dos sacerdotes. Eram partes das ofertas votivas e voluntárias, incluindo carne e pão, vinho e azeite, e as primícias, que formavam um item grande e valioso.

9 Isto será teu da oferta das coisas santas separadas do fogo: toda oferta deles, toda oferta de alimentos deles, e toda expiação pelo pecado deles, que me restituirão, será coisa santíssima para ti e para os teus filhos.
10 No santuário a comerás; todo homem comerá dela: coisa santa será para ti.
11 Isto também será teu: a oferta elevada de suas doações, e todas as ofertas movidas dos filhos de Israel, dei a ti, e aos teus filhos, e às tuas filhas contigo, por estatuto perpétuo; todo o limpo na tua casa comerá delas.
12 De azeite, e de mosto, e de trigo, tudo o mais escolhido, as primícias disso, que apresentarão ao SENHOR, a ti as dei.
13 As primícias de todas as coisas da terra deles, as quais trarão ao SENHOR, serão tuas: todo limpo em tua casa comerá delas.
14 Todo o consagrado por voto em Israel será teu.

Desde que tenha sido adaptada para comida ou consumível pelo uso; pois os vasos de ouro e prata que foram dedicados como espólios de vitória não foram dados aos sacerdotes, mas para uso e adorno do edifício sagrado.

15 Todo o que abrir madre em toda carne que oferecerão ao SENHOR, tanto de homens como de animais, será teu: mas farás resgatar o primogênito do homem: também farás resgatar o primogênito de animal impuro.
16 E de um mês farás efetuar o resgate deles, conforme tua avaliação, por preço de cinco siclos, ao siclo do santuário, que é de vinte óbolos.
17 Mas o primogênito de vaca, e o primogênito de ovelha, e o primogênito de cabra, não resgatarás; são santificados; o sangue deles espargirás sobre o altar, e queimarás a gordura deles, como oferta queimada em cheiro suave ao SENHOR.
18 E a carne deles será tua: como o peito da oferta movida e como a coxa direita, será tua.
19 Todas as ofertas elevadas das coisas santas, que os filhos de Israel oferecerem ao SENHOR, dei-as a ti, e a teus filhos e a tuas filhas contigo, por estatuto perpétuo: pacto de sal perpétuo é diante do SENHOR para ti e para tua descendência contigo.

pacto de sal perpétuo – isto é, uma ordenança perpétua. Essa forma figurada de expressão foi evidentemente fundada na propriedade conservadora do sal, que impede a corrupção da carne; e, portanto, tornou-se um emblema de inviolabilidade e permanência. É uma frase comum entre os povos orientais, que consideram a ingestão de sal uma garantia de fidelidade, vinculando-os a um pacto de amizade. Daí a participação das carnes do altar, que eram apropriadas aos sacerdotes sob a condição de seus serviços e das quais o sal formou um acompanhamento necessário, era naturalmente chamado de “aliança de sal” (Lv 2:13).

20 E o SENHOR disse a Arão: Da terra deles não terás herança, nem entre eles terás parte: Eu sou tua parte e tua herança em meio dos filhos de Israel.

21 E eis que eu dei aos filhos de Levi todos os dízimos em Israel por herança, por seu ministério, porquanto eles servem no ministério do tabernáculo do testemunho.

Nem os sacerdotes nem os levitas deviam possuir qualquer porção de terra senão depender inteiramente dAquele que liberalmente provia para eles de Sua terra. porção própria; e esta lei era subserviente a muitos propósitos importantes – tais como, sendo isentos dos cuidados e labores dos negócios mundanos, eles poderiam ser exclusivamente devotados ao Seu serviço; que um vínculo de amor mútuo e apego poderia ser formado entre o povo e os levitas, que, como realizando serviços religiosos para o povo, derivavam sua subsistência deles; e além disso, sendo mais facilmente dispersas entre as diferentes tribos, elas podem ser mais úteis para instruir e dirigir o povo.

22 E não chegarão mais os filhos de Israel ao tabernáculo do testemunho, para que não levem pecado, pelo qual morram.
23 Mas os levitas farão o serviço do tabernáculo do testemunho, e eles levarão sua iniquidade: estatuto perpétuo por vossas gerações; e não possuirão herança entre os filhos de Israel.

Mas os levitas farão o serviço do tabernáculo do testemunho, e eles levarão sua iniquidade – Eles devem ser responsáveis ​​pelo cumprimento correto dos deveres que lhes foram designados e, consequentemente, arcar com a penalidade que foi devida a negligência ou descuido na tutela das coisas sagradas.

24 Porque aos levitas dei por herança os dízimos dos filhos de Israel, que oferecerão ao SENHOR em oferta; pelo qual lhes disse: Entre os filhos de Israel não possuirão herança.
25 E falou o SENHOR a Moisés, dizendo:
26 Assim falarás aos levitas, e lhes dirás: Quando receberdes dos filhos de Israel os dízimos que da parte deles vos dei por vossa herança, deles oferecereis em oferta movida ao SENHOR, o dízimo dos dízimos.

Fora dos seus próprios, eles deveriam pagar dízimos aos sacerdotes igualmente como o povo lhes dava. O melhor de seus dízimos deveria ser atribuído aos sacerdotes, e depois gozavam da mesma liberdade para fazer uso do restante que os outros israelitas tinham do produto de suas eiras e prensas de vinho.

27 E a vossa oferta vos será contada como o grão da eira, e como a plenitude da prensa de uvas.
28 Assim também vós oferecereis uma oferta ao SENHOR de todos os vossos dízimos que receberdes dos filhos de Israel; e deles dareis a oferta do SENHOR ao sacerdote Arão.
29 De todas as vossas doações oferecereis toda oferta ao SENHOR; de todo o melhor delas oferecereis a porção que será consagrada.
30 E lhes dirás: Quando oferecerdes o melhor delas, será contado aos levitas por fruto da eira, e como produto da prensa de uvas.
31 E o comereis em qualquer lugar, vós e vossa família; pois é vossa remuneração por vosso ministério no tabernáculo do testemunho.
32 E quando vós houverdes oferecido disso o melhor seu, não levareis por ele pecado: e não haveis de contaminar as coisas santas dos filhos de Israel, e não morrereis.

não levareis por ele pecado – Negligencia em ter o melhor pecado acarretado no uso de tal alimento profano. E as coisas sagradas seriam poluídas pela reserva para si mesmas do que deveria ser oferecido a Deus e aos sacerdotes.

<Números 17 Números 19>

Leia também uma introdução ao livro dos Números.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.