Bíblia, Revisar

Levítico 27

O resgate do que pertence ao SENHOR

1 E falou o SENHOR a Moisés, dizendo:
2 Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando alguém fizer especial voto ao SENHOR, segundo a avaliação das pessoas que se hajam de resgatar, assim será tua avaliação:

Quando um homem faz um voto singular, etc. – As pessoas têm, em todos os momentos e em todos os lugares, se acostumado a apresentar oferendas votivas, seja por gratidão pelos benefícios recebidos, ou no caso de libertação do mal apreendido. E Moisés foi autorizado, por autoridade divina, a prescrever as condições deste dever voluntário.

as pessoas serão para o Senhor, etc. – melhor traduzidas assim: – “Segundo a tua avaliação, as pessoas serão para o Senhor.” As pessoas podem consagrar a si mesmas ou seus filhos ao serviço divino, em algum tipo inferior ou servil de trabalhe sobre o santuário (1Sm 3:1). No caso de qualquer mudança, as pessoas tão dedicadas tiveram o privilégio em seu poder de se redimir; e este capítulo especifica a quantia do dinheiro da redenção, que o padre tinha o poder discricionário de reduzir, como as circunstâncias podem parecer exigir. Aqueles de idade madura, entre vinte e sessenta anos, sendo capazes do maior serviço, foram classificados como os mais altos; jovens, de cinco até vinte, menos, porque não tão úteis; os bebês, embora devotáveis ​​por seus pais antes do nascimento (1Sm 1:11), não podiam ser oferecidos nem redimidos até um mês após o nascimento; os idosos eram valorizados abaixo dos jovens, mas acima dos filhos; e os pobres – em nenhum caso liberados do pagamento, a fim de evitar a formação de votos precipitados – foram classificados de acordo com suas posses.

3 Em quanto ao homem de vinte anos até sessenta, tua avaliação será cinquenta siclos de prata, segundo o siclo do santuário.
4 E se for fêmea, a avaliação será trinta siclos.
5 E se for de cinco anos até vinte, tua avaliação será respeito ao homem vinte siclos, e à fêmea dez siclos.
6 E se for de um mês até cinco anos, tua avaliação será em ordem ao homem, cinco siclos de prata; e pela fêmea será tua avaliação três siclos de prata.
7 Mas se for de sessenta anos acima, pelo homem tua avaliação será quinze siclos, e pela fêmea dez siclos.
8 Porém se for mais pobre que tua avaliação, então comparecerá ante o sacerdote, e o sacerdote lhe porá valor: conforme a capacidade do votante lhe imporá valor o sacerdote.
9 E se for animal de que se oferece oferta ao SENHOR, tudo o que se der dele ao SENHOR será santo.

Depois de ter sido jurado, não poderia ser empregado em propósitos comuns nem trocado por um equivalente – deve ser sacrificado – ou se, por algum defeito descoberto, fosse inadequado para o altar, pudesse ser vendido, e o dinheiro pedido fosse o serviço sagrado. Se uma besta impura – como um asno ou um camelo, por exemplo, tivesse sido jurada, deveria ser apropriada ao uso do sacerdote no valor estimado, ou poderia ser resgatada pela pessoa que prometesse o pagamento desse valor, e a multa adicional de um quinto a mais.

10 Não será mudado nem trocado, bom por mau, nem mau por bom; e se se permutar um animal por outro, ele e o dado por ele em troca serão sagrados.
11 E se for algum animal impuro, de que não se oferece oferta ao SENHOR, então o animal será posto diante do sacerdote:
12 E o sacerdote o avaliará preço, seja bom ou seja mau; conforme a avaliação do sacerdote, assim será.
13 E se o houverem de resgatar, acrescentarão seu quinto sobre tua avaliação.
14 E quando alguém santificar sua casa consagrando-a ao SENHOR, a avaliará preço o sacerdote, seja boa ou seja má: segundo a avaliar o sacerdote, assim ficará.

Neste caso, tendo a casa sido avaliada pelo sacerdote e vendida, o produto da venda devia ser dedicado ao santuário. Mas se o dono desejasse, no segundo pensamento, resgatá-lo, ele poderia tê-lo adicionando uma quinta parte ao preço.

15 Mas se o que a santificar resgatar sua casa, acrescentará à tua avaliação o quinto do dinheiro dela, e será sua.
16 E se alguém santificar da terra de sua possessão ao SENHOR, tua avaliação será conforme sua semeadura: um ômer de semeadura de cevada se avaliará preço em cinquenta siclos de prata.

E se alguém santificar da terra de sua possessão ao SENHOR – No caso de propriedade adquirida em terra, se não resgatada, ela retornará ao doador no Jubileu; enquanto a parte de uma propriedade hereditária, que havia sido prometida, não reverteu para o proprietário, mas permaneceu ligada em perpetuidade ao santuário. A razão para essa notável diferença era colocar cada homem sob a obrigação de resgatar a propriedade, ou estimular seu parente mais próximo a fazê-lo, a fim de impedir que uma herança patrimonial saia de qualquer família em Israel.

17 E se santificar sua terra desde o ano do jubileu, conforme tua avaliação ficará.
18 Mas se depois do jubileu santificar sua terra, então o sacerdote fará a conta do dinheiro conforme os anos que restarem até o ano do jubileu, e se diminuirá de tua avaliação.
19 E se o que santificou a terra quiser resgatá-la, acrescentará à tua avaliação o quinto do dinheiro dela, e ficará para ele.
20 Mas se ele não resgatar a terra, e a terra se vender a outro, não a resgatará mais;
21 Em vez disso quando sair no jubileu, a terra será santa ao SENHOR, como terra consagrada: a possessão dela será do sacerdote.
22 E se santificar alguém ao SENHOR a terra que ele comprou, que não era da terra de sua herança,
23 Então o sacerdote calculará com ele a soma de tua avaliação até o ano do jubileu, e aquele dia dará teu assinalado preço, coisa consagrada ao SENHOR.
24 No ano do jubileu, voltará a terra a aquele de quem ele a comprou, cuja é a herança da terra.
25 E tudo o que avaliares o preço será conforme o siclo do santuário: o siclo tem vinte óbolos.
26 Porém o primogênito dos animais, que pela primogenitura é do SENHOR, ninguém o santificará; seja boi ou ovelha, do SENHOR é.

Porém o primogênito dos animais – Estes, no caso de bestas limpas, sendo consagrados a Deus por uma lei universal e permanente (Êx 13:12; 34:19), não poderiam ser devotados; e na de animais imundos, estavam sujeitos à regra mencionada (Lv 27:11-12).

27 Mas se for dos animais impuros, o resgatarão conforme tua avaliação, e acrescentarão sobre ela seu quinto: e se não o resgatarem, se venderá conforme tua avaliação.
28 Porém nenhuma coisa consagrada, que alguém houver santificado ao SENHOR de tudo o que tiver, de homens e animais, e das terras de sua possessão, não se venderá, nem se resgatará: todo o consagrado será coisa santíssima ao SENHOR.

Isto relaciona-se a votos do tipo mais solene – o devoto que acompanha o voto dele com uma imprecação solene em si mesmo para não falhar em cumprindo seu propósito declarado.

29 Qualquer um que for consagrado dentre o homens que for separado para a condenação não será resgatado; inevitavelmente será morto.

inevitavelmente será morto – Este anúncio não importava que a pessoa fosse sacrificada ou condenada a uma morte violenta; mas apenas que ele deveria permanecer até a morte inalteravelmente na condição devotada. Os regulamentos anteriores foram evidentemente planejados para evitar imprudência na promessa (Ec 5:4) e encorajar a reflexão séria e ponderada em todos os assuntos entre Deus e a alma (Lc 21:4).

30 E todos os dízimos da terra, tanto das sementes da terra como dos frutos das árvores, pertencem ao SENHOR; são coisas consagradas ao SENHOR.

todos os dízimos da terra, tanto das sementes da terra – Esta lei deu a sanção da autoridade divina para um uso antigo (Gn 14:20; 28:22). Todo o produto da terra estava sujeito ao tributo dos dízimos – era uma renda anual que os israelitas, como arrendatários, pagavam a Deus, o dono da terra, e uma oferta de gratidão que lhes prestavam pelas bênçãos da Sua providência. (Veja Pv 3:9; 1Co 9:11; Gl 6:6).

31 E se alguém quiser resgatar algo de seus dízimos, acrescentará seu quinto a ele.
32 E todo dízimo de vacas ou de ovelhas, de tudo o que passa sob a vara, a décima parte será consagrada ao SENHOR.

tudo o que passa sob a vara – Isto alude à maneira de tomar o dízimo de gado, que foi feito para passar sozinho através de uma passagem estreita, onde uma pessoa com uma vara, mergulhada em ocre, se levantava e contava, marcada as costas de cada décima besta, seja macho ou fêmea, soam ou não.

33 Não olhará se é bom ou mau, nem o trocará; e se o trocar, ele e o seu trocado serão consagrados; não se resgatará.
34 Esses são os mandamentos que o SENHOR ordenou a Moisés para os filhos de Israel, no monte Sinai.

As leis contidas neste livro, em sua maior parte cerimonial, tiveram uma importante importância espiritual, cujo estudo é altamente instrutivo (Rm 10:4; Hb 4:2; Hb 12:18) . Eles impuseram um jugo pesado (At 15:10), mas ainda assim, na era infantil da Igreja, formaram a disciplina necessária de “um professor para Cristo” [Gl 3:24].

<Levítico 26 Números 1>

Leia também uma introdução ao livro do Levítico.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.