Livro

Levítico

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!

Levítico é o terceiro livro do Pentateuco; assim chamado na Vulgata, depois da LXX, porque trata principalmente do serviço levítico.

Na primeira seção do livro (Lv 1-17), que exibe o culto em si, há:

(1) Uma série de leis (Lv 1-7) sobre sacrifícios, holocaustos, ofertas de carne e ofertas de agradecimento (Lv 1-3), ofertas pelo pecado e ofertas pela culpa (Lv 4-5), seguidas pela lei dos deveres sacerdotais em conexão com a oferta de sacrifícios (Lv 6-7).

(2) Uma seção histórica (Lv 8-10), relatando a consagração de Arão e seus filhos (Lv 8); a primeira oferta de Arão para si e para o povo (Lv 9); a presunção de Nadabe e Abiú em oferecer “fogo estranho perante Jeová” e sua punição (Lv 10).

(3) Leis relativas à pureza, e os sacrifícios e ordenanças para eliminar a impureza (Lv 11-16). Um fato interessante pode ser observado aqui. Canon Tristram, falando das notáveis ​​descobertas sobre a flora e a fauna da Terra Santa pelos oficiais de Exploração da Palestina, faz a seguinte declaração: “Leve estes dois catálogos de animais puros e impuros nos livros de Levítico (Lv 11) e Deuteronômio (Dt 14). Há onze em Deuteronômio que não aparecem em Levítico, e estes são quase todos os animais e aves que não são encontrados no Egito ou na Terra Santa, mas que são numerosos no deserto árabe. Eles não são nomeados em Levítico poucas semanas depois da partida do Egito; mas depois que o povo esteve trinta e nove anos no deserto, eles são nomeados, uma prova forte de que a lista em Deuteronômio foi escrita no final da jornada, e a lista em Levítico no início. Ela fixa a escrita desse catálogo em uma única vez e período, isto é, quando os filhos de Israel estavam familiarizados com a fauna e a flora do deserto” (Palest. Expl. Quart., Jan. 1887).

(4) Leis que marcam a separação entre Israel e os pagãos (Lv 17-20).

(5) Leis sobre a pureza pessoal dos sacerdotes e o comer das coisas sagradas (Lv 20-21); sobre as ofertas de Israel, para que fossem sem defeito (Lv 22:17-33); e sobre a devida celebração das grandes festas (Lv 23; 25).

(6) Então segue as promessas e advertências ao povo a respeito da obediência a esses mandamentos, fechando com uma seção sobre os votos.

As várias ordenanças contidas neste livro foram todas entregues no espaço de um mês (compare com Ex 40:17; Nm 1:1), o primeiro mês do segundo ano após o Êxodo. É o terceiro livro de Moisés.

Nenhum livro contém mais das próprias palavras de Deus. Ele é quase todo o livro o orador direto. Este livro é uma profecia das coisas que virão, uma sombra da qual a substância é Cristo e seu reino. Os princípios sobre os quais ela deve ser interpretada estão estabelecidos na Epístola aos Hebreus. Ele contém em seu complicado cerimonial o evangelho da graça de Deus.

Adaptado de: Illustrated Bible Dictionary (Leviticus).

Conteúdos recomendados