Bíblia, Revisar

Lucas 21

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!
1 E ele, olhando, viu os ricos lançarem suas ofertas na arca do tesouro do templo.

Lc 21: 1-4. As duas ácaras da viúva.

olhando – Ele tinha “se sentado contra o tesouro” (Mc 12:41), provavelmente para descansar, pois Ele tinha continuado por muito tempo enquanto ensinava na corte do templo (Mc 11:27), e “olhando para cima Ele viu ”- como no caso de Zaqueu, não muito casualmente.

os ricos… – “o povo”, diz Mc 12:41 “lançou dinheiro no tesouro, e muitos ricos do oriente em muito”; isto é, em baús depositados em uma das cortes do templo para receber as ofertas do povo para sua manutenção (2Rs 12:9; Jo 8:20).

2 E viu também uma pobre viúva lançar ali duas pequenas moedas.

duas pequenas moedas – “que fazem um centavo” (Mc 12:42), a menor moeda judaica. “Ela poderia ter mantido um” (Bengel).

3 E disse: Em verdade vos digo que esta pobre viúva lançou mais do que todos,

E disse – “a seus discípulos”, a quem Ele “chamou a ele” (Mc 12:43), para ensinar a partir dele uma grande lição futura.

mais do que tudo – em proporção aos seus meios, que é o padrão de Deus (2Co 8:12).

4 Porque todos aqueles lançaram para as ofertas de Deus daquilo que lhes sobrava; mas esta viúva, de sua pobreza, lançou todo o sustento que tinha.

daquilo que lhes sobrava – sua superfluidade; o que eles tinham de sobra “, ou além do que eles precisavam.

de sua pobreza – ou “querer” (Mc 12:44) – sua deficiência, do que era menor do que seus próprios desejos exigidos, “todos os vivos que ela tinha.” Mark (Mc 12:44) ainda mais enfaticamente, “tudo o que ela tinha – toda a sua subsistência. ”Nota: (1) Como as ofertas do templo ainda são necessárias para o serviço de Cristo em casa e no exterior, então“ olhando para baixo ”agora, como“ para cima ”, Eu“ vê ”quem ,” e quanto. (2) O padrão de oferta louvável de Cristo não é nosso superfluidade, mas nossa deficiência – não o que nunca será perdido, mas o que nos custa algum sacrifício real, e apenas proporcionalmente à quantidade relativa desse sacrifício. (Veja 2Co 8:1-3.)

5 E alguns estavam falando do templo, que era adornado com formosas pedras e ofertas. Então Jesus disse:

Lc 21: 5-38. A profecia de Cristo sobre a destruição de Jerusalém e as advertências para preparar sua segunda vinda, sugerida por ela – Seus dias e noites durante sua última semana.

(Veja em Mc 13:1-37)

6 Destas coisas que vedes, dias virão, em que não se deixará pedra sobre pedra, que não seja derrubada.
7 E perguntaram-lhe, dizendo: Mestre, quando, pois, serão essas coisas? E que sinal haverá, quando essas coisas vierem a acontecer?
8 Então ele disse: Olhai para que não vos enganem, porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo . E o tempo já está perto; portanto não os sigais.

o tempo – do Reino, em toda a sua glória.

vá … não … depois deles – “Eu venho não muito em breve” (2Ts 2:1-2) (Stier).

9 E quando ouvirdes de guerras, e de rebeliões, não vos espanteis. Porque é necessário que estas coisas aconteçam primeiro; mas ainda não é o fim.

não aterrorizado – (Veja Lc 21:19; Is 8:11-14).

termine não por e por – ou imediatamente, ainda não (Mt 24:6; Mc 13:7): isto é, “O pior deve vir antes que tudo termine”.

10 Então lhe disse: Então se levantará nação contra nação, e reino contra reino.

nação… – Mateus e Marcos (Mt 24:8; Mc 13:8) acrescentam: “Todos estes são o princípio das dores”, ou dores de parto às quais são comparadas as calamidades pesadas (Jr 4:31, etc.) .

11 E haverá em vários lugares grandes terremotos e fomes, e pragas; haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu.
12 Mas antes de tudo isto, eles vos impedirão e vos perseguirão, vos entregando em sinagogas e prisões, e vos trazendo diante de reis, e governadores, por causa do meu nome.

trouxe antes, etc. – O livro de Atos verifica tudo isso.

13 E isto vos acontecerá para haver testemunho.

para um testemunho – uma oportunidade de prestar testemunho.

14 Portanto, que vós decidais nos vossos corações não planejar como direis em vossa defesa,
15 porque eu vos darei boca e sabedoria, para que todos os que forem contra vós não posam vos contradizer ou resistir.
16 E vós sereis entregues até pelos pais, e irmãos, e parentes, e amigos; e alguns de vós serão mortos.
17 E vós sereis odiados por todos por causa do meu nome.
18 Mas nem um cabelo de vossa cabeça parecerá.

perecerá – Ele tinha acabado de dizer (Lc 21:16) que eles deveriam ser mortos; mostrando que esta preciosa promessa está muito acima da imunidade de mero dano corporal e fornecendo uma chave para a interpretação correta do salmo noventa e um, e coisas semelhantes. Mateus acrescenta o seguinte (Mt 24:12): “E por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos”, os muitos ou, a maioria – a generalidade dos discípulos professos – “esfriarão”. Mas aquele que persevera até o fim será salvo. Ilustrações tristes do efeito da iniquidade abundante em esfriar o amor dos discípulos fiéis que temos na epístola de Tiago, escrita sobre esse período mencionado e com muita frequência desde então (Hb 10:38-39; Ap 2:10). “E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo para testemunho, e então virá o fim” (Mt 24:14). Deus nunca envia julgamento sem prévio aviso; e não pode haver dúvida de que os judeus, já dispersos na maioria dos países conhecidos, quase todos ouviram o Evangelho “como testemunha” antes do fim do estado judeu. O mesmo princípio foi repetido e se repetirá até o fim.

19 Por vossa paciência ganhareis vossas almas.
20 Porém quando virdes a Jerusalém cercada de exércitos, sabei então, que próxima está sua desolação.

de exércitos – exércitos acampados, isto é, sitiados: “a abominação da desolação” (significando as bandeiras romanas, como os símbolos de um poder idólatra, pagão e impuro) “mencionado por Daniel o profeta” (Dn 9:27) “ em pé onde não deveria ”(Mc 13:14). “Quem lê essa profecia, entenda” (Mt 24:15).

Então… fuja, etc. – Eusébio diz que os cristãos fugiram para Pella, na extremidade norte da Peréia, sendo “profeticamente dirigidos”; talvez por alguma intimação profética ainda mais explícita do que isso, que ainda seria o seu mapa.

21 Então, os que estiverem na Judeia, fujam para os montes; e os que estiverem no meio dela, saiam, e os que estiverem nos campos, não entrem nela.
22 Porque estes são dias de vingança, para que todas as coisas que estão escritas se cumpram.
23 Mas ai das grávidas, e das que amamentarem naqueles dias; porque grande calamidade haverá na terra, e ira contra este povo.

ai … “ai para.”

com criança, etc. – do maior sofrimento que envolveria; como também “fugir no inverno e no sábado”, para o qual eles deveriam “orar” (Mt 24:20), aquele que mais tentava o corpo, o outro, a alma. “Pois então haverá tribulação tal como nunca houve desde o princípio do mundo, nem jamais haverá” – linguagem não incomum no Antigo Testamento para tremendas calamidades, embora isso possa talvez ser literalmente dito: “E, exceto aqueles dias, seja abreviado, não deve ser salva a carne, mas, por causa dos escolhidos, esses dias serão abreviados ”(Mt 24:21-22). Mas, por causa desse “encurtamento” misericordioso, provocado por uma notável coincidência de causas, toda a nação teria perecido, na qual ainda restava um remanescente para depois ser reunido. Aqui em Mateus e Marcos (Mt 24:24; Mc 13:22) há alguns detalhes sobre “falsos Cristos”, que deveriam, “se possível” – uma sentença preciosa – “enganar os próprios eleitos”. (Comparar 2Ts 2:9-11; Ap 13:13.)

24 E cairão pela lâmina de espada, e serão levados cativos para todas as nações; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se cumpram.

trilhado para baixo … até, etc. – implicando (1) que um dia Jerusalém deixará de ser “pisada pelos gentios” (Ap 11:2), como então pagão agora pelos incrédulos maometanos; (2) que isto será na “conclusão” dos “tempos dos gentios”, que de Rm 11:25 (tirado disto) nós concluímos a dizer até que os gentios tenham tido seu tempo integral daquele lugar na Igreja. que os judeus em seu tempo tinham antes deles – após o qual, os judeus sendo novamente “enxertados em sua própria oliveira”, uma igreja de judeus e gentios juntos encherão a terra (Rm 11:1-36). Que vista isso abre!

25 E haverá sinais no Sol, na Lua, e nas estrelas; e na terra sofrimento entre as nações, como o rugir e agitar do mar.

sinais… – Embora a grandeza desta linguagem carregue a mente sobre a cabeça de todos os períodos, exceto da segunda vinda de Cristo, quase toda expressão será encontrada usada da vinda do Senhor em terríveis juízos nacionais, como na Babilônia. , etc .; e de Lc 21:28,32, parece inegável que sua referência imediata era à destruição de Jerusalém, embora sua referência última, sem dúvida, seja a vinda final de Cristo.

26 As pessoas desmaiarão de medo e da expectativa das coisas que vão acontecer ao mundo, porque os poderes dos céus serão abalados.
27 E então verão o Filho do homem vir em uma nuvem com grande poder e glória.
28 Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima, e levantai vossas cabeças, porque vosso resgate está perto.

resgate – da opressão do despotismo eclesiástico e da servidão legal pela subversão total do estado judeu e o firme estabelecimento do reino evangélico (Lc 21:31). Mas as palavras são de uma importação muito mais ampla e preciosa. Mateus (Mt 24:30) diz: “E então aparecerá o sinal do Filho do homem no céu”, evidentemente algo distinto de si mesmo, mencionado imediatamente depois. O que isso significou, intérpretes não estão de acordo. Mas, como antes de Cristo vir a destruir Jerusalém, alguns terríveis presságios foram vistos no ar, portanto, antes de seu aparecimento pessoal, é provável que algo análogo seja testemunhado, embora de que natureza é inútil conjeturar.

29 E disse-lhes uma parábola: Olhai a figueira, e todas as árvores;
30 Quando vós vedes elas já brotando, sabeis por vós mesmos que o verão já está perto.
31 Assim também vós, quando virdes acontecer estas coisas, sabei que o Reino de Deus já está perto.
32 Em verdade vos digo, que esta geração não passará, até que tudo aconteça.

Se tomarmos isso como significando que o todo se cumpriria dentro dos limites da geração então atual, ou, de acordo com uma maneira usual de falar, que a geração então existente não passaria sem ver um cumprimento iniciado desta predição, os fatos correspondem inteiramente. Pois ou o todo se cumpriu na destruição realizada por Tito, como muitos pensam; ou se o estendemos, segundo outros, até a completa dispersão dos judeus um pouco mais tarde, sob Adriano, todas as demandas das palavras de nosso Senhor parecem ser cumpridas. [JFU]

33 O céu e a terra passarão, mas minhas palavras de maneira nenhuma passarão.

A expressão mais forte possível da autoridade divina pela qual Ele falou; não como Moisés ou Paulo poderiam ter dito de sua própria inspiração, pois tal linguagem seria inadequada em qualquer boca meramente humana. [JFB]

34 E olhai por vós, para que vossos corações não venham a se encher de ressaca e embriaguez, e das preocupações d esta vida; e vos venha aquele dia de surpresa.

fartura e embriaguez – Todos os excessos de animais, extinguindo a espiritualidade.

cuidados desta vida – (Veja em Mc 4:7; veja em Mc 4:19).

35 Porque virá como uma armadilha sobre todos os que habitam sobre a face de toda a terra.
36 Então vigiai sempre, orando para que sejais considerados dignos de escaparem de todas as coisas que irão acontecer, e de ficarem de pé diante do Filho do homem.

Observe … ore, etc. – os dois grandes deveres que, em perspectiva de julgamento, são constantemente ordenados. Estas advertências, sugeridas pela necessidade de se preparar para as tremendas calamidades que se aproximam, e o total desastre do estado de coisas existente, são a melhoria geral de todo o discurso, levando a mente para o Julgamento e Vingança de outro tipo e para um grandioso. e uma escala mais terrível – não eclesiástica ou política, mas pessoal, não temporal, mas eterna – quando se descobrir que toda a segurança e bem-aventurança se encontram em poder “ESTAR ANTES DO FILHO DO HOMEM” na glória do seu aparecimento pessoal.

37 E ensinava durante os dias no Templo, porém, às noites saía e as passava no monte, chamado as Oliveiras.

durante o dia – desta Sua última semana.

morada no monte – isto é, em Betânia (Mt 21:17).

38 E todo o povo vinha até ele de manhã cedo ao templo, para o ouvir.
<Lucas 20 Lucas 22>

Leia também uma introdução ao Evangelho de Lucas.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados