Bíblia, Revisar

Atos 26

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!
1 E Agripa disse a Paulo: É permitido a ti falar por ti mesmo.Então Paulo, estendendo a mão, respondeu em sua defesa:

At 26: 1-32. Paul’s defesa de si mesmo diante do rei Agripa, que se pronuncia inocente, mas conclui que o apelo a César deve ser realizado.

Este discurso, embora em substância o mesmo que o das escadas da fortaleza de Jerusalém (At 22:1-29), difere dele em ser menos direcionado para enfrentar a acusação de apostasia da fé judaica, e dando mais amplas visões de sua mudança notável e comissão apostólica, e o apoio divino sob o qual ele foi capaz de enfrentar a hostilidade de seus compatriotas.

Agripa disse: – Sendo um rei, ele parece ter presidido.

Paulo estendeu a mão – acorrentado a um soldado (At 26:29 e veja em At 12:6).

2 Eu me considero feliz, rei Agripa, de que diante de ti eu esteja hoje fazendo minha defesa de todas as coisas de que sou acusado pelos judeus;
3 Principalmente por eu saber que tu sabes de todos os costumes e questões que há entre os judeus; por isso eu te rogo que tu me ouças com paciência.

Eu te conheço como perito, etc. – Seu pai era zeloso da lei, e ele mesmo tinha o ofício de presidente do templo e seus tesouros, e a nomeação do sumo sacerdote [Josefo, Antiguidades, 20.1.3].

me ouça com paciência – A ideia de “indulgentemente” também é transmitida.

4 Ora, a minha vida é conhecida por todos os judeus, desde a minha juventude, que desde o princípio tem sido entre os de minha nação em Jerusalém;

Mostrando claramente que ele recebeu sua educação, mesmo desde a juventude, em Jerusalém. Veja em At 22:3.

5 Eles me conhecem desde o começo, se quiserem testemunhar, de que conforme a mais rigorosa divisão de nossa religião, eu vivi como fariseu.

se eles – “estivessem dispostos a”

testemunho – mas isso, é claro, eles não eram, sendo um ponto forte a seu favor.

depois do mais difícil – “o mais rigoroso”.

divisão – como os fariseus confessadamente eram. Dizia-se que isso correspondia à acusação de que, como judeu helenista, contraiu entre as ideias pagãs de peculiaridades judaicas.

6 E agora, pela esperança da promessa que por Deus foi dada aos nossos pais, eu estou aqui sendo julgado.

Sou julgado pela esperança da promessa feita … a nossos pais – “por acreditar que a promessa do Messias, a Esperança da Igreja (At 13:3228:20) foi cumprida em Jesus de Nazaré ressuscitado dos mortos .

7 À qual nossas doze tribos, servindo continuamente a Deus de dia e de noite, esperam chegar; pela qual esperança, rei Agripa, eu sou acusado pelos judeus.

Até que promessa – o cumprimento dela.

nossas doze tribos – (Tg 1:1; e veja em Lc 2:36).

instantaneamente – “intencionalmente”; veja em At 12:5.

servindo a Deus – no sentido do culto religioso; em “ministrado”, veja em At 13:2.

dia e de noite, esperam chegar – O apóstolo se eleva à linguagem tão católica quanto o pensamento – representando sua desprezada nação, todo pensamento disperso que agora era, como doze grandes ramos de um tronco antigo, em todos os lugares de sua dispersão oferecendo ao Deus de seus pais uma ininterrupta adoração, repousando sobre uma grande “promessa” feita de antigamente a seus pais, e sustentada por uma “esperança” de “vir” ao seu cumprimento; o único ponto de diferença entre ele e seus compatriotas, e a única causa de toda a sua virulência contra ele, sendo que sua esperança encontrou descanso em Um já chegou, enquanto os deles ainda apontavam para o futuro.

pela qual esperança, rei Agripa, eu sou acusado pelos judeus – “Sou acusado de judeus, ó rei” (assim parece ser a verdadeira leitura); de todos os trimestres, o mais surpreendente é que essa taxa venha de A acusação de sedição não é tão aludida ao longo deste discurso. Foi de fato um mero pretexto.

8 Por que se julga como incrível entre vós que Deus ressuscite aos mortos?

Por que deveria ser uma coisa incrível … que Deus ressuscitasse os mortos? Em vez disso, “Por que é julgado incrível se Deus ressuscita os mortos?”, Sendo o caso visto como um fato consumado. Ninguém se atreveu a questionar a esmagadora evidência da ressurreição de Jesus, que o proclamou o Cristo, o Filho de Deus; a única maneira de se livrar disso, portanto, era declará-lo incrível. Mas por que, pergunta o apóstolo, é tão julgado? Deixando esta pergunta grávida para encontrar sua resposta nos seios de sua audiência, ele agora passa para sua história pessoal.

9 Eu realmente tinha pensado comigo mesmo, que contra o nome de Jesus eu tinha que fazer muitas oposições.

(Veja em At 9:1, etc, e compare At 22:4, etc.)

10 O que eu também fiz em Jerusalém; e tendo recebido autoridade dos chefes dos sacerdotes, eu pus em prisões a muitos dos santos; e quando eles eram mortos, eu também dava meu voto contra eles.
11 E tendo lhes dado punição muitas vezes por todas as sinagogas, eu os forcei a blasfemarem. E estando extremamente enfurecido contra eles, até nas cidades estrangeiras eu os persegui;
12 Nas quais, indo eu até Damasco, com autoridade e comissão dos chefes dos sacerdotes;
13 Ao meio dia, vi no caminho, rei, uma luz do céu, que brilhava muito mais que o sol, e que encheu de claridade ao redor de mim e dos que iam comigo.
14 E todos nós, tendo caído ao chão, eu ouvi uma voz que falava a mim, e dizia em língua hebraica: Saulo, Saulo, por que me persegues? Duro é para ti dar coices contra os aguilhões.
15 E eu disse: Quem és, Senhor? E ele disse: Eu sou Jesus, a quem tu persegues.
16 Mas levanta-te, e fica de pé, porque para isto eu apareci a ti, para te predeterminar como trabalhador e testemunha, tanto das coisas que já tens visto, como das coisas que eu ainda aparecerei a ti;

Mas ascensão, etc. – Aqui o apóstolo parece condensar em uma declaração várias declarações de seu Senhor para ele em visões em diferentes momentos, a fim de apresentar em uma visão a grandeza da comissão com a qual seu Mestre o vestiu (Alford) .

um ministro … ambas as coisas que você viu – colocando-o em pé com as “testemunhas oculares e ministros da palavra” mencionado em Lc 1:2.

como das coisas que eu ainda aparecerei a ti – referindo-se a visões com as quais ele foi posteriormente favorecido; tais como At 18:9-1022:17-2123:11; 2Co 12:1-10, etc. (Gl 1:12).

17 Livrando-te d este povo, e dos gentios, aos quais agora eu te envio.

Te livrando do povo – os judeus.

e dos gentios – Ele foi ao longo de todo o objeto de malignidade judaica, e estava naquele momento nas mãos dos gentios; no entanto, ele calmamente repete as garantias de libertação do Mestre, ao mesmo tempo em que toma todas as precauções de segurança e reivindica todos os seus direitos legais.

aos quais agora eu te envio – O enfático “eu” aqui denota a autoridade do Remetente (Bengel).

18 Para abrir os olhos deles, e das trevas converterem à luz, e do poder de Satanás converterem a Deus; para que recebam perdão dos pecados, e herança entre os santificados pela fé em mim.

Para abrir os olhos deles, e das trevas converterem à luz – em vez disso, “para que eles possam girar” (como em At 26:20), isto é, como o efeito de seus olhos sendo abertos. Toda a passagem se apóia em Is 61: 1 (Lc 4:18).

e do poder de Satanás – Note a conexão aqui entre ser “desviado das trevas” e “do poder de Satanás”, cujo poder sobre os homens reside em mantê-los no escuro: por isso ele é chamado de “o soberano das trevas”. deste mundo. ”Veja em 2Co 4:4.

para que eles possam receber perdão … e herança entre os santificados pela fé que há em mim – Nota: A fé é aqui feita o instrumento de salvação de uma só vez em seu primeiro estágio, perdão e sua última admissão no lar do santificado; e a fé que introduz a alma a tudo isso é enfaticamente declarada pelo Redentor glorificado para repousar sobre Si – “FÉ, mesmo a que está em mim”. E quem crê nisso pode abster-se de lançar sua coroa perante Ele ou resistir a oferecê-Lo. adoração suprema?

19 Portanto, rei Agripa, eu não fui desobediente à visão celestial.

Esta tensão musical e elevada, que leva o leitor junto com ela, e sem dúvida fez os ouvintes, indica a elevada região de pensamento e sentimento à qual o apóstolo se levantara enquanto ensaiando as comunicações de seu Mestre para ele do céu.

20 Mas sim, primeiramente aos que estavam em Damasco e Jerusalém, e por toda a terra da Judeia, e aos gentios anunciei que se arrependessem, e se convertessem a Deus, fazendo obras dignas de arrependimento.

aos que estavam em Damasco e Jerusalém – omitindo a Arábia; porque, começando com os judeus, seu objetivo era mencionar primeiramente os lugares onde seu ódio anterior ao nome de Cristo era mais conhecido: a menção dos gentios, tão intragável para sua audiência, é reservada para o último.

se arrependessem, e se convertessem a Deus, fazendo obras dignas de arrependimento – uma breve descrição da conversão e seus frutos apropriados, sugeridos, provavelmente, pelos ensinamentos do Batista (Lc 3:7-8).

21 Por causa disto os judeus me pegaram no Templo, e procuravam me matar.
22 Porém tendo eu obtido socorro de Deus, permaneço até o dia de hoje, dando testemunho tanto a pequenos como a grandes; não dizendo nada além dos que as coisas que os profetas e Moisés tinham dito que estavam para acontecer;

tendo obtido ajuda – “socorrer”.

de Deus – “aquele que vem de Deus”.

Eu continuo – “fique”, “segure meu chão”.

até o dia de hoje, dando testemunho… – isto é, esta minha vida, tão maravilhosamente preservada, apesar de todas as conspirações contra ela, é mantida por causa do Evangelho; portanto eu “testemunhei”, etc.

23 Isto é , que o Cristo sofreria, e sendo o primeiro da ressurreição dos mortos, ia anunciar a luz a este povo e aos gentios.

que o Cristo sofreria… – A construção desta sentença implica que em relação à questão “se o Messias é um sofrimento, e se, ressuscitando primeiro dentre os mortos, ele deveria mostrar luz para o povo (judeu) e os gentios ”, ele havia dito apenas o que os profetas e Moisés disseram que deveria vir.

24 E tendo Paulo dito isto em sua defesa, Festo disse em alta voz: Tu estás louco, Paulo; as muitas escrituras te fizeram enlouquecer!

Festus disse com uma voz alta – surpreso e desnorteado.

Tu estás louco, Paulo; as muitas escrituras te fizeram enlouquecer! – “está virando a tua cabeça”. A união do grego fluente, profundo conhecimento dos escritos sagrados da sua nação, referência a uma ressurreição e outras doutrinas a um romano totalmente ininteligível, e, acima de tudo, elevada seriedade religiosa, tão estranha aos céticos cultos e frios daquele dia – pode explicar essa súbita exclamação.

25 Mas ele respondeu: Eu não estou louco, excelentíssimo Festo; mas eu declaro palavras de verdade e de um são juízo;

Eu não estou louco, excelentíssimo Festo; mas… – Pode alguma coisa superar essa resposta, por disponibilidade, autocontrole, calma dignidade? Cada palavra dele refutava a acusação grosseira, embora Festus, provavelmente, não pretendesse ferir os sentimentos do prisioneiro.

26 Porque o rei, a quem eu estou falando livremente, ele sabe muito bem destas coisas; porque eu não creio que nenhuma disto lhe seja oculto; por que isto não foi feito num canto.

o rei sabe, etc. – (Veja em At 26:1-3).

27 Rei Agripa, tu crês nos profetas? Eu sei que tu crês.

A coragem e a confiança mostradas aqui provinham de uma perspicaz persuasão do conhecimento de Agripa dos fatos e da fé nas previsões que eles verificaram; e a resposta do rei é o mais alto testemunho da exatidão dessas presunções e do imenso poder de tais apelos corajosos e corteses à consciência.

28 E Agripa disse a Paulo: Por pouco tu me convences a me tornar cristão.

Quase – ou “em pouco tempo”

tu me convences a me tornar cristão – A maioria dos intérpretes é uma mistura ordinária inadmissível, e o significado é: se. Mas, uma resposta do tipo dificilmente pode ser utilizada para a avaliação do sentido dado em nossa versão autorizada, que é adotada por Crisóstomo e alguns dos melhores estudiosos desde então. A objeção sobre a qual tanto estresse é colocado, que a palavra “cristão” era naquele tempo apenas um termo de desprezo, não tem força a não ser do outro lado; por considerá-lo nessa visão, o sentido é: “Em breve você me terá uma dessa seita desprezada”.

29 E Paulo disse: Meu desejo a Deus é que, por pouco ou por muito, não somente tu, mas todos os que estão me ouvindo hoje, tais vos tornásseis assim como eu sou, a não ser por estas correntes.

Meu desejo a Deus é que…etc. – Que magnanimidade inigualável este discurso respira! Apenas seu mestre já se elevou acima disso.

não só… quase… mas completamente – ou “em breve ou atrasado” ou “com pouca ou muita dificuldade”.

a não ser por estas correntes – sem dúvida segurando suas duas mãos acorrentadas (veja em At 12:6): que, ao encerrar tal nobre declaração, deve ter tido um efeito elétrico.

30 E tendo ele dito isto, o rei se levantou, e também o governador, Berenice, e os que estavam sentados com eles.

quando ele falou assim, o rei se levantou – não é fácil demais, podemos ter certeza.

31 E reunindo-se à parte, falavam uns aos outros, dizendo: Este homem nada faz que seja digno de morte ou de prisões.
32 E Agripa disse a Festo: Este homem podia ser solto, se ele não tivesse apelado a César.
Este homem poderia ter sido libertado se não tivesse apelado para César. Desse modo, parece que tais apelos, uma vez feitos, deveriam ser realizados.
<Atos 25 Atos 27>

Leia também uma introdução ao Livro dos Atos dos Apóstolos.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados