Bíblia, Revisar

Atos 3

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!
1 E Pedro e João estavam subindo juntos para o Templo à hora da oração (a nona hora );

At 3: 1-26. Pedro cura um homem coxo no portão do Templo – Seu endereço para a multidão maravilhada.

Pedro e João – já associados pelo seu Mestre, primeiro com Tiago (Mc 1:295:379:2), então por si mesmos (Lc 22:8; e veja Jo 13:23-24). Agora os encontramos constantemente juntos, mas John (ainda jovem) apenas como um ator silencioso.

subiram – estavam subindo, estavam a caminho.

2 E um certo homem estava sendo trazido, que era aleijado desde o ventre de sua mãe, ao qual todo dia colocavam à porta do Templo, chamada Porta Formosa, para pedir esmola aos que entravam no Templo.

um certo homem coxo do ventre de sua mãe – e agora “acima de quarenta anos” (At 4:22).

foi carregado – estava acostumado a ser carregado.

3 O qual, ao ver Pedro e João perto de entrarem no Templo, ele lhes pediu uma esmola.

O qual, ao ver Pedro…Não há evidência de que ele estava familiarizado com eles ou sabia quem eram. Ele perguntou-lhes como estava acostumado a fazer com a multidão que entrava no templo. [Barnes]

4 E Pedro, olhando fixamente para ele, junto com João, disse: Olha para nós.

Para que através do olhar a fé possa ser ajudada no seu nascimento. Para nós, diz Pedro, não assumindo nenhuma superioridade sobre si mesmo em relação ao seu silencioso e mais jovem companheiro no apostolado. [JFU]

5 E o aleijado ficou prestando atenção neles, esperando receber deles alguma coisa.
6 E Pedro disse: Prata e ouro eu não tenho; mas o que eu tenho, isso eu te dou: no nome de Jesus Cristo, o nazareno, levanta-te, e anda!

Prata e ouro não tenho nenhum, mas tal como eu te dou – Que altíssima superioridade respira nestas palavras!

no nome de Jesus Cristo, o nazareno, levanta-te, e anda! – Estas palavras, proferidas com poder sobrenatural, sem dúvida geraram neste homem pobre a fé que enviou a virtude curadora através de seus membros doentes.

7 E, tomando-o pela mão direita, levantou-o ; e logo os seus pés e tornozelos ficaram firmes.

e o ergueu – precisamente o que o seu Senhor tinha feito à sua própria sogra (Mc 1:31).

seus pés – “solas”.

e ossos do tornozelo, etc. – a linguagem técnica de um médico (Cl 4:14).

8 E ele, saltando, pôs-se de pé, e andou, e entrou com eles no Templo, andando, e saltando, e louvando a Deus.

andou … entrou no templo andando, pulando e louvando a Deus – Toda palavra aqui é enfática, expressando a perfeição da cura, como At 3:7, seu imediatismo.

9 E todo o povo o viu andar, e louvar a Deus.

E todo o povo o viu andar… – enquanto se reuniam na hora da oração pública, nos pátios do templo; de modo que o milagre teve a máxima publicidade.

10 E eles o reconheceram, que este era o que se sentava para pedir esmola perto da porta formosa do Templo; e ficaram cheios de surpresa e espanto, por causa do que tinha lhe acontecido.

eles sabiam que era ele quem se preparava para esmolas etc. – (Veja Jo 9:8).

11 E o aleijado que tinha sido curado, tendo se apegado a Pedro e a João, todo o povo correu maravilhado a eles ao pórtico, que se chama de Salomão.

o homem coxo … segurou, etc. – Esta é a natureza humana.

todo o povo correu maravilhado a eles ao pórtico… – Quão vivamente estes detalhes gráficos trazem toda a cena diante de nós! Assim, Pedro foi novamente mobiliado com uma vasta audiência, cuja admiração pelo espetáculo do mendigo curado, agarrado a seus benfeitores, preparou-os para ouvir com reverência a suas palavras.

12 Quando Pedro viu isso , respondeu ao povo: “Homens israelitas, por que vos maravilhais disto? Ou por que vós olhais tão atentamente para nós, como se por nosso próprio poder ou devoção divina o tivéssemos feito andar?

por que vos maravilhais disto? – Pois milagres são maravilhas apenas em relação aos poderes limitados do homem.

como se por nosso próprio poder ou devoção divina o tivéssemos feito andar? – Nem o poder nem o mérito da cura são devidos a nós, meros agentes Daquele que pregamos.

13 O Deus de Abraão, e de Isaque, e de Jacó, o Deus de nossos pais, glorificou a seu filho Jesus, ao qual vós entregastes, e diante do rosto de Pilatos o negastes, mesmo ele julgando que fosse solto.

O Deus de Abraão, etc. – (Veja At 2:22; veja em At 2:36).

glorificou a seu filho Jesus – antes, “o seu Servo Jesus”, como a mesma palavra é traduzida em Mt 12:18, mas naquele sentido elevado em que Isaías a aplica sempre ao Messias (Is 42:149:652:1353:11). Quando “Filho” é destinado, uma palavra diferente é usada.

ao qual vós entregastes… – Com que coragem heróica Pedro aqui acusa seus auditores com o mais pesado de todos os crimes concebíveis, e com que força terrestre da linguagem essas acusações são feitas!

14 Mas vós negastes ao santo e justo, e pedistes que um homem assassino fosse vos dado.

negastes ao santo e justo. A linguagem sustenta enfaticamente Uma Pessoa, a quem estes dois epítetos se aplicam exclusivamente; ao mesmo tempo, implica que o próprio público estava ou deveria estar familiarizado com ela, como característica do Messias predito (Sl 16:10; Is 53:9,11; Lc 4:34: comparar cm Jo 8:46; 10:36).

e pedistes que um homem assassino fosse vos dado. Exigindo não só o sacrifício do inocente em primeiro lugar, mas também a absolvição do culpado cruel. [JFU]

15 E vós matastes ao Príncipe da vida, ao qual Deus ressuscitou dos mortos, do que nós somos testemunhas.

matastes ao Príncipe da vida – Paradoxo glorioso, mas quão penetrante para a consciência dos auditores.

16 E pela fé em seu nome, o nome dele deu firmeza a este, que vedes e conheceis; e a fé que é por meio dele deu a este perfeita saúde na presença de todos vós.

seu nome, o nome dele deu firmeza a este… – Com que habilidade o apóstolo usa o milagre tanto para glorificar seu Senhor ascenso quanto para trazer a culpa de Seu sangue para a sua audiência?

17 E agora, irmãos, eu sei que vós fizestes isso por ignorância, assim como também vossos líderes.

E agora, irmãos. Nosso pregador, como seu Mestre, “não quebrará a cana rachada”. Suas acusações mais duras são motivadas pelo amor, que agora se apressa a aliviar as feridas que era necessário infligir.

vós fizestes isso por ignorância (Lc 23:34; At 13:2726:9). [JFU]

18 Mas Deus cumpriu assim o que já antes pela boca de todos os seus profetas ele tinha anunciado, que o Cristo tinha de sofrer.

que o Cristo tinha de sofrer. A doutrina de um MESSIAS SOFREDOR estava totalmente em desacordo com as visões atuais da Igreja Judaica, e difícil de digerir até mesmo pelos Doze, até o dia da ressurreição de seu Senhor. Nosso próprio pregador se revoltou e protestou contra isso, quando foi anunciado pela primeira vez, pelo que recebeu uma terrível repreensão. Aqui ele afirma ser a verdade fundamental da antiga profecia realizada inconscientemente pelos próprios judeus, ainda que por uma gloriosa ordenação divina. Quão grande foi a mudança da iluminação pentecostal em seus pontos de vista! [JFU]

19 Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que vosso pecados sejam apagados, quando vierem os tempos do refrigério da presença do Senhor.

quando os tempos de renovação chegarem – antes, “para que os tempos de renovação possam chegar”; aquele longo período de repouso, prosperidade e alegria, que todos os profetas realizam para a Igreja distraída e este mundo miserável, como um dia virá e que está aqui, como em todos os profetas, feito para voltar-se para a conversão nacional de Israel. .

20 E ele enviar a Jesus Cristo, que já vos foi designado anteriormente.

ele enviará Jesus Cristo – A verdadeira leitura é: “Ele enviará o seu Messias predestinado (ou preordenado), Jesus”.

21 Ao qual convém que o céu receba até os tempos da restauração de todas as coisas, que Deus falou pela boca de todos os seus santos profetas, desde o princípio.

até os tempos – abrangendo todo o período entre a ascensão e o segundo advento de Cristo.

restauração de todas as coisas – compreendendo, provavelmente, a retificação de todas as desordens da queda.

22 Porque Moisés disse aos nossos pais: O Senhor, vosso Deus, levantará dentre vossos irmãos um profeta como eu; a ele ouvireis em tudo o que ele vos falar.

como eu – particularmente na intimidade da comunicação com Deus (Nm 12:6-8), e como a cabeça mediadora de uma nova ordem de coisas (Hb 3:2-6). Pedro toma como certo que, à luz de tudo o que ele havia acabado de dizer, veria imediatamente que Alguém só tinha a pretensão de ser aquele Profeta.

a ele ouvireis em tudo o que ele vos falar… – Esta parte da predição é enfaticamente acrescentada, a fim de calar a audiência à obediência da fé, sob pena de ser finalmente “cortada” da congregação dos justos (Sl 1:1).

23 E será que toda pessoa que não ouvir este profeta será exterminada do povo.

Esta parte da predição é enfaticamente acrescentada, a fim de calar a audiência à obediência da fé, sob pena de ser finalmente exterminada da congregação dos justos (Sl 1:5). [JFU]

24 E também todos os profetas, desde Samuel e os posteriores, todos os que falaram, também anunciaram com antecedência destes dias.

antecedência destes dias – do Messias; todos apontando para “o tempo da reforma” (Hb 9:10), embora com mais ou menos distinção.

25 Vós sois os filhos dos profetas e do pacto que Deus estabeleceu com nossos pais, dizendo a Abraão: E em tua semente serão abençoadas todas as famílias da terra.

da aliança – e assim os herdeiros naturais de suas promessas.

na tua descendência etc. – (Veja Gl 3:8, etc.).

26 Deus, ao ressuscitar seu filho Jesus, primeiro o enviou a vós, para que nisto vos abençoasse: afastando cada um de vós de vossas maldades'.

Deus, tendo levantado – não dos mortos, mas tendo providenciado, preparado e dado.

seu Filho Jesus – “Seu Servo Jesus” (veja em At 3:13).

enviou-o para abençoá-lo – literalmente, “enviou-lhe a bênção”, como se estivesse cheio de bênçãos.

afastando cada um de vós de vossas maldades – isto é, “até agora todos temos procurado demais por um Messias que deveria derramar bênçãos exteriores sobre a nação em geral, e através dela sobre o mundo. Mas aprendemos outras coisas, e agora lhes anunciamos que a grande bênção com a qual o Messias veio carregada é o afastamento de cada um de vocês de suas iniquidades. ”Com que habilidade divina o apóstolo, fundando-se em fatos irresistíveis, aqui levar para casa a consciência de seus auditores sua culpa em crucificar o Senhor da Glória; então acalme suas mentes despertas com garantias de perdão ao voltar-se para o Senhor e um futuro glorioso assim que isso acontecer, para terminar com o Retorno Pessoal de Cristo dos céus para os quais Ele ascendeu; terminando todos com advertências, de suas próprias Escrituras, para se submeterem a Ele se não perecerem, e clamam para receber Dele as bênçãos da salvação.

<Atos 2 Atos 4>

Leia também uma introdução ao Livro dos Atos dos Apóstolos.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados