Bíblia, Revisar

Isaías 52

1 Desperta-te! Desperta-te! Veste-te de tua força, ó Sião! Veste-te de teus belos vestidos, ó Jerusalém, cidade Santa! Porque nunca mais entrará em ti nem incircunciso nem impuro.

Is 52: 1-15. Primeiro através de treze versos relacionados com cinquenta e primeiro capítulo.

Sião, muito tempo em cativeiro (Is 51:17-20), é chamado a vestir roupas bonitas em sua prosperidade futura.

força – como teu adorno; respondendo a “roupas bonitas” na sentença paralela. Desperte-se do abatimento e assuma a confiança.

cidade Santa – (Ne 11:1; Ap 21:2).

não mais … imundo – (Is 35:8; 60:21; Jl 3:17; Ap 21:27). Uma profecia nunca cumprida.

incircunciso – espiritualmente (Ez 44:9; At 7:51).

2 Sacode-te do pó, levanta-te, e senta-te, ó Jerusalém! Solta-te das ataduras de teu pescoço, ó cativa filha de Sião.

Pó do assento dos enlutados (Jo 2:12-13).

Levanta-te, e senta-te – isto é, num lugar mais digno: num divã ou num trono [Lowth], depois de ter sacudido a folha por um vestido esvoaçante quando sentado no chão; ou simplesmente “Levante-se e sente-se ereto” (Maurer)

3 Porque assim diz o SENHOR: Por nada fostes vendidos, também sem ser por dinheiro sereis resgatados.

Quando vocês se tornarem servos de seus inimigos, sem o seu amor por preço ou por você, (Is 45:13), eles são libertados assim: um tipo de . Assim, o espiritual espiritual, “grátis sob o pecado”, gratuitamente (Rm 7:14), será redimido também gratuitamente (Is 55:1).

4 Porque assim diz o Senhor DEUS: Meu povo em tempos passados desceu ao Egito para lá peregrinar; e a Assíria sem razão o oprimiu.

Meu povo – Jacó e seus filhos.

desceu – a Judéia era um país elevado em comparação com o Egito.

peregrinar – Eles foram encontrados para ficarem somente até a fome em Canaã ter cessado.

Assíria – Senaqueribe. Lembra-te de o envio do Egito e do assírio; O que, então, é impedir-me de libertar-lo da Babilônia e da Anticristo nos últimos dias?

sem razão – respondendo a “por nada” em Is 52:5; foi um caso de opressão gratuita sem presente caso, como nesse caso.

5 E agora, o que tenho de fazer aqui?,Diz o SENHOR, Pois meu povo foi tomado sem motivo algum; e os que dominam sobre ele uivam, diz o SENHOR; E meu nome continuamente, durante o dia todo, é blasfemado.

o que tenho de fazer aqui – isto é, o que eu sou chamado a fazer? O fato de que o meu amor é levado por nada (Is 49:24-25) por nada ”(Exaustão gratuita, Isaias 52:4; veja também em Is 52:3) exige Minha interposição.

Eles que governam – ou “tiranizam”, isto é, Babilônia, literal e mística.

make … uivar – ou, fazer um grito de exultação sobre eles (Maurer)

blasfemado – um sabre, na Babilônia: uma razão de Deus para libertar Seu povo, não sua escravidão, mas por causa de seu santo nome (Ez 20:9,14).

6 Por isso meu povo conhecerá o meu nome, por esta causa naquele dia; porque eu mesmo sou o que digo, eis-me aqui.

sabre naquele dia – quando Cristo se revelará a Israel sensatamente; único significado por uma obstinada incredulidade será vencida (Sl 102:16; Zc 12:10; 14:5).

7 Como são agradáveis sobre os montes os pés daquele que dá boas notícias, que anuncia a paz; que fala notícias do bem; que anuncia a salvação; do que diz a Sião: Teu Deus reina!

é, o advento de talautomado visto nas distantes “montanhas” (ver em Is 40:9; ver em Is 41:27; ver em Is 25:6-7; ver em Ct 2:17) correndo com pressões como boas noticias há muito tempo, é muito grato à cidade desolada (Na 1:15).

boas notícias – apenas retiradas ao retorno da Babilônia. Completa e antitipicamente, o Evangelho (Lc 2:10-11), “começando em Jerusalém” (Lc 24:47), “a cidade do grande rei” (Mt 5:35), onde o Messias, na restauração final de Israel, “reine” como peculiarmente o Deus de Sião (“teu Deus reina”; compare com o Sl 2:6).

8 Eis a voz dos teus vigilantes; eles levantam a voz, juntamente gritam de alegria; porque olho a olho verão quando o SENHOR trazer de volta a Sião.

vigilantes – em depoimentos separados por notificações de última hora para menstruação de notícias com notícias (compare Is 21:6-8). O hebraico é mais convincente do inglês, “A voz dos teus teus vigias” (exclamatório como em Ct 2:8). “Eles levantam a voz! juntos eles cantam.

olho a olho – isto é, à mão, e tão claramente (Gesenius); Nm 14:14, “cara a cara”; Nm 12:8, boca a boca. Compare 1Co 13:12; Ap 22:4, da visão de Simeão do Salvador foi uma prefiguração (Lc 2:30). Os vigias, espiritualmente, são ministros e outros que vivem na paz de Jerusalém (Is 62:6-7),

traga de novo – isto é, restaure. Ou então, “voltar a” (Maurer)

9 Gritai de alegria, jubilai juntamente, ó lugares abandonados de Jerusalém; porque o SENHOR consolou a seu povo, redimiu a Jerusalém.

(Is 14:7-8; 42:11).

redimidos – espiritualmente e nacionalmente (Is 48:20).

10 O SENHOR expôs o seu santo braço perante os olhos de todas as nações; e todos os confins da terra verão a salvação de nosso Deus.

braço – metáfora de guerreiros que desnudam o braço para a batalha (Ez 4:7).

todos os confins da terra verão a salvação de nosso Deus – O livramento feito por Deus por Israel fará com que todas as nações reconheçam o Senhor (Is 66:18-20). O cumprimento parcial (Lc 3:6) é um precursor do andamento completo futuro.

11 Retirai-vos! Retirai-vos! Saí daí! Não toqueis em coisa impura! Saí do meio dela! Purificai-vos vós que levais os vasos do SENHOR!

(Is 48:20; Zc 2:6-7). Longa residência na Babilônia fez muitos relutam em deixar-lo: assim como uma Babilônia mística (Ap 18:4).

vós … que urso … vasos do Senhor – os sacerdotes e levitas, cujo ofício era levar os vasos do templo (Jr 27:18). Nabucodonosor os levaram para a Babilônia (2Cr 36:18). Ciro os restaurou (Ed 1:7-11).

ser … limpo – separando-se totalmente dos idólatras babilônicos, místicos e literais.

12 Pois vós não saireis apressadamente, nem ireis fugindo; porque o SENHOR irá adiante de vossa face, o Deus de Israel será vossa retaguarda.

com o fim do Egito (Êx 12:33,39; Dt 16:3; compare Nota, ver em Is 28:16). Tereis tempo para purificar-se e preparar deliberadamente uma partida.

SENHOR – Jeová, como seu líder na frente (Is 40:3; Êx 23:20; Mq 2:13).

Rereward – literalmente, “reunir”, isto é, para trazer a parte de trás do seu host. A transição é frequente da glória do Messias em Seu Advento para reinar, para Sua humilhação em Seu advento para sofrer. De fato, assim como os adventos são só, que Ele está tão velho, que está prestes a retornar, mas para vir.

13 Eis que meu servo agirá prudentemente; ele será exaltado e elevado, e muito sublime.

Capítulo 53, capítulo 54 termina com Is 52:12. This section, daqui até o final do capítulo 53, resolve uma controvérsia com os judeus, se o Messias for uma pessoa pretendida; e com infiéis, se escritos por Isaías, ou um outro momentos antes de Cristo. A correspondência com a vida e a morte de Jesus Cristo é tão pequena que não pode ser resultado de conjecturas ou acidentes. Um impostor não poderia ser moldado e o curso dos acontecimentos de modo a fazer com que a sua vida seja bem sucedida. A escrita é, além disso, declaradamente profética. As citações no Novo Testamento têm: (1) que foi, antes da época de Jesus, uma parte reconhecida do Antigo Testamento; (2) que se refere ao Messias (Mt 8:17; Mc 15:28; Lc 22:37; Jo 12:38; At 8:28-35; Rm 10:16; 1Pe 2:21-25). As alusões indiretas a ele ainda provam mais claramente a interpretação messiânica; tão universal era aquela interpretação, que é simplesmente referida em conexão com a virtude expiatória de Sua morte, sem ser formalmente citada (Mc 9:12; Rm 4:25; 1Co 15:3; 2Co 5:21; 1Pe 1:19, 2:21-25, 1Jo 3:5). A genuinidade da passagem é certa; pois os judeus não o teriam forjado, pois se opõe à sua noção do Messias, como um príncipe temporal triunfante. Os cristãos não poderiam ter forjado isso; porque os judeus, inimigos do cristianismo, são “nossos bibliotecários” (Paley). Os judeus tentam escapar de sua força pela invenção de dois Messias, um deles um Messias sofredor (Ben Joseph), o outro um Messias triunfante (Ben David). Hillel afirmou que o Messias já veio na pessoa de Ezequias. Buxtorf afirma que muitos dos Rabinos modernos acreditam que Ele veio por um bom tempo, mas não se manifestará por causa dos pecados dos judeus. Mas os antigos judeus, como o Chaldee paraphrast, Jonathan, referem-se ao Messias; então o Medrasch Tauchuma (um comentário sobre o Pentateuco); também Rabino Moses Haddarschan (ver Hengstenberg, Cristologia do Antigo Testamento). Alguns explicam o povo judeu, seja no exílio babilônico, seja nos sofrimentos e dispersões atuais. Outros, a porção piedosa da nação tomada coletivamente, cujos sofrimentos fizeram uma satisfação vicária pelos ímpios. Outros, Isaías ou Jeremias (Gesenius), os profetas coletivamente. Mas um indivíduo é claramente descrito: ele sofre voluntariamente, inocentemente, pacientemente, e como a causa eficiente da justiça de Seu povo, que não é outra coisa senão o Messias (Is 53:4-6,9,11; contraste Jr 20:7; 15:10-21; Sl 137:8-9). Is 53:9 não pode ser usado por nenhum outro. A objeção de que os sofrimentos (Is 53:1-10) se referem são representados como passado, a glorificação somente como futuro (Is 52:13-15; 53:11-12) surge por não ver que o profeta toma sua posição no meio das cenas que ele descreve como futuro. A maior proximidade do primeiro advento, e o intervalo entre ele e o segundo, estão implícitos no uso do pretérito quanto ao primeiro, o futuro ao segundo.

Veja – despertando a atenção para a impressionante imagem do Messias que se segue (compare com Jo 19:5,14).

meu servo – Messias (Is 42:1).

agirá prudentemente – em vez disso, “prosperar” (Gesenius) como a sentença paralela favorece (Is 53:10). Ou, unindo ambos os significados, “reinará bem” [Hengstenberg]. Este verso expõe no princípio a questão final de Seus sofrimentos, cuja descrição segue: a conclusão (Is 53:12) corresponde; a seção (Is 52:13; 53:12) começa quando termina com Sua glória final.

exaltado – elevado (Mc 16:19; Ef 1:20-22; 3:22).

14 Como muitos se espantaram de ti, de que a aparência dele estava tão desfigurada, mais do que qualquer outro; que seu aspecto já não parecia com os filhos dos homens.

Resumo da história do Messias, que é apresentada mais detalhadamente no capítulo cinquenta e três. “Assim como muitos ficaram atônitos (acompanhados de aversão, Jr 18:16; 19:8), etc .; seu rosto, etc .; então ele aspergirá ”, etc .; Israel neste responde ao seu antítipo Messias, agora “um espanto e palavra de ordem” (Dt 28:37), a partir de então prestes a ser uma bênção e meio de salvação para muitas nações (Is 2:2-3; Mq 5:7).

te; his – Tais mudanças de pessoas são comuns na poesia hebraica.

desfigurada – hebraico, “desfiguramento”; abstrato para concreto; não só desfigurada, mas desfigurada em si.

mais do que qualquer outro – Castalio traduz, “de modo que não era mais a de um homem” (compare Sl 22:6). Quanto mais perfeitos podemos supor que o “corpo preparado” (Hb 10:5) para Ele por Deus, o mais triste, ao contrário, era o “estragar” de Seu semblante e forma.

15 Assim ele salpicará a muitas nações, e sobre ele os reis fecharão suas bocas; porque aquilo que nunca lhes havia sido anunciado, isso verão; e aquilo que nunca tinham ouvido, disso entenderão.

para exultar. ”Mas a palavra universalmente no Antigo Testamento significa ou borrifar com sangue, como o sumo sacerdote faz uma expiação (Lv 4:6; 16:18-19); ou com água, para purificar (Ez 36:25; compare com o Espírito, At 2:33), ambos apropriados ao Messias (Jo 13:8; Hb 9:13-14; 10:22; 12:24, 1Pe 1:2). A antítese é suficiente sem qualquer processamento forçado. Muitos ficaram surpresos; muitos (não apenas homens, mas) nações serão aspergidos. Eles ficaram surpresos com uma pessoa tão abjeta que se dizia ser o Messias; todavia, é Ele quem justificará e purificará. Os homens eram mudos com o assombro do desprezo por um mais marcado que o mais baixo dos homens, mas o mais elevado: mesmo os reis (Is 49:7,23) ficariam mudos com reverência e veneração (“cale… bocas”; Jó 29:9-10; Mq 7:16).

que… não… disse a eles – a razão pela qual os reis devem venerá-los; as maravilhas da redenção, que não haviam sido ditas antes, serão então anunciadas a eles, maravilhas como nunca tinham ouvido ou visto em paralelo (Is 55:1; Rm 15:21; 16:25-26).

<Isaías 51 Isaías 53>

Leia também uma introdução ao Livro de Isaías.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.