Bíblia, Revisar

Esdras 1

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!

Proclamação de Ciro para construção do Templo

1 No primeiro ano de Ciro rei da Pérsia, para que se cumprisse a palavra do SENHOR pela boca de Jeremias, o SENHOR despertou o espírito de Ciro rei da Pérsia, o qual mandou proclamar por todo o seu reino, e também por escrito, dizendo:

No primeiro ano de Ciro rei da Pérsia – O império persa, incluindo Pérsia, Mídia, Babilônia e Caldéia, com muitas dependências menores, foi fundado por Ciro, 536 b. [Hales]

para que se cumprisse a palavra do SENHOR pela boca de Jeremias (ver Jr 25:12; 29:10). Esta referência é uma afirmação parentética do historiador e não faz parte da proclamação.

2 Assim diz Ciro, rei da Pérsia: O SENHOR, Deus dos céus, me deu todos os reinos da terra; e ele me mandou que lhe edificasse uma casa em Jerusalém, que está em Judá.

O SENHOR, Deus dos céus, me deu todos os reinos da terra – Embora isto seja no estilo oriental de hipérbole (ver também Dn 4:1), era literalmente verdade que o império persa era o maior poder dominante no mundo em esse tempo.

ele me mandou que lhe edificasse uma casa em Jerusalém – A fraseologia desta proclamação, independentemente do testemunho expresso de Josefo, fornece evidências indiscutíveis de que Ciro tinha visto (provavelmente através de Daniel, seu venerável primeiro ministro e favorito) aquelas profecias em que, duzentos anos antes de nascer, seu nome, sua carreira vitoriosa e os importantes serviços que prestava aos judeus eram distintamente profetizados (Is 44:28; 46:1-4). A existência de predições tão notáveis ​​levou-o a reconhecer que todos os seus reinos eram dons concedidos a ele pelo “Senhor Deus do céu”, e levou-o a cumprir o dever que havia sido colocado sobre ele muito antes de seu nascimento. Esta foi a fonte e origem do grande favor que ele mostrou aos judeus. A proclamação, embora emitida “no primeiro ano de Ciro” [Ed 1:1], não entrou em vigor até o ano seguinte.

3 Quem há entre vós de todo seu povo, seu Deus seja com ele, e suba a Jerusalém que está em Judá, e edifique a casa ao SENHOR Deus de Israel; ele é o Deus que habita em Jerusalém.

Quem há entre vós de todo seu povo – O significado do decreto era conceder plena permissão aos exilados judeus, em todas as partes do seu reino, que escolhessem, regressar ao seu próprio país, bem como recomendar os seus compatriotas que permaneceram para ajudar os pobres e fracos em seu caminho, e contribuir liberalmente para a reconstrução do templo.

4 E todo aquele que tiver restado em qualquer lugar onde estiver morando, os homens de seu lugar o ajudem com prata, ouro, bens, e animais; além das doações voluntárias para a casa de Deus, que está em Jerusalém.
5 Então se levantaram os chefes das famílias de Judá e de Benjamim, os sacerdotes e os Levitas, e todos aqueles cujo espírito Deus despertou, para subirem a edificar a casa do SENHOR, que está em Jerusalém.

Então se levantaram os chefes das famílias – Os chefes paternos e eclesiásticos do cativeiro posterior, aqueles das tribos de Judá e Benjamim, com alguns também de outras tribos (1Cr 9:3), que mantiveram sua ligação com a adoração pura de Deus, naturalmente, assumiu a liderança neste movimento. Seu exemplo foi seguido por todos cuja piedade e patriotismo eram fortes o suficiente para enfrentar os vários desalentos que assistiam ao empreendimento. Eles foram generosamente assistidos por multidões de seus conterrâneos cativos, que, nascidos na Babilônia ou confortavelmente estabelecidos por ligações familiares ou posse de bens, optaram por permanecer. Parece que seus amigos assírios e vizinhos, também, seja de uma disposição favorável à fé judaica, seja da imitação da política da corte, demonstraram boa vontade e grande liberalidade em ajudar e promover as visões dos emigrantes.

6 E todos os que estavam em seus arredores fortaleceram suas mãos com objetos de prata e de ouro, com bens e animais, e com coisas preciosas, além de tudo o que foi dado voluntariamente.
7 Também o rei Ciro tirou os utensílios da casa do SENHOR, que Nabucodonosor tinha trazido de Jerusalém, e posto na casa de seus deuses.

Ciro tirou os utensílios da casa do SENHOR – Embora se diga (2Rs 24:13) que estes foram cortados em pedaços, que não seriam feitos para os grandes e magníficos vasos; e, se tivessem sido divididos, as partes poderiam ser reunidas. Mas pode-se duvidar se a palavra hebraica traduzida cortada em pedaços, não significa simplesmente cortada, isto é, de uso posterior no templo.

8 E Ciro, rei da Pérsia, tirou-os por meio do tesoureiro Mitridate, o qual os deu contados a Sesbazar, príncipe de Judá.

Sesbazar, príncipe de Judá – isto é, Zorobabel, filho de Salatiel (compare Ed 3:8; 5:16). Ele nasceu na Babilônia e foi chamado por sua família Zorobabel, isto é, estranho ou exilado na Babilônia. Shesh-bazar, significando “adorador do fogo”, era o nome dado a ele na corte, assim como outros nomes foram dados a Daniel e seus amigos. Ele foi reconhecido entre os exilados como hereditário príncipe de Judá.

9 E esta é o seu número: trinta bacias de ouro, mil bacias de prata, vinte e nove facas,
10 Trinta taças de ouro, quatrocentas e dez taças de prata, e mil outros utensílios.
11 Todos os utensílios de ouro e de prata foram cinco mil e quatrocentos. Sesbazar trouxe todos estes com os do cativeiro que subiram da Babilônia a Jerusalém.

Todos os utensílios de ouro e de prata foram cinco mil e quatrocentos – Os vasos aqui especificados correspondem apenas ao número de 2499. Por isso, é provável que os vasos maiores sejam mencionados apenas, enquanto o inventário do todo, incluindo grandes e pequenos , chegou à soma bruta indicada no texto.

os do cativeiro que subiram da Babilônia a Jerusalém – Todos os exilados judeus não abraçaram o privilégio que o rei persa lhes concedeu. A grande proporção, nascida na Babilônia, preferia continuar em seus lares confortáveis ​​para empreender uma jornada distante, cara e perigosa até uma terra desolada. Nem os exilados que retornaram foram todos de uma só vez. A primeira banda foi com Zerubbabel, outros depois com Ezra, e um grande número com Neemias em um período ainda posterior.

<2 Crônicas 36 Esdras 2>

Leia também uma introdução ao livro de Esdras.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados