Bíblia, Revisar

Esdras 2

Número de pessoas que retornaram da Babilônia

1 Estes são os filhos da província que subiram do cativeiro, dos transportados que Nabucodonosor, rei de Babilônia, tinha transportado para a Babilônia, e que voltaram a Jerusalém e a Judá, cada um para sua cidade;

filhos da província – isto é, Judéia (Ed 5:8), assim chamada como sendo agora reduzida de um reino ilustre, independente e poderoso para uma província obscura, servil e tributária do império persa. Este nome é aplicado pelo historiador sagrado para intimar que os exilados judeus, embora agora libertados do cativeiro e autorizados a retornar à sua própria terra, ainda eram os súditos de Ciro, habitando uma província dependente da Pérsia.

voltaram a Jerusalém e a Judá, cada um para sua cidade – ou a cidade que fora ocupada pelos seus antepassados, ou como a maior parte da Judéia estava então desolada ou possuída por outros, a cidade que foi reconstruída e destinada a ele agora. .

2 Os quais vieram com Zorobabel, Jesua, Neemias, Seraías, Reelaías, Mardoqueu, Bilsã, Mispar, Bigvai, Reum e Baaná. O registro dos homens do povo de Israel:

Os quais vieram com Zorobabel – Ele era o chefe ou líder do primeiro grupo de exilados que voltavam. Os nomes de outras pessoas influentes que foram associados na condução das caravanas também são mencionados, sendo extraídos provavelmente dos arquivos persas, nos quais o registro foi preservado: o número de Jeshua, o sumo sacerdote, e Neemias.

3 Os filhos de Parós, dois mil cento e setenta e dois;

Os filhos – essa palavra, usada em todo este catálogo, significa “posteridade” ou “descendentes”.

4 Os filhos de Sefatias, trezentos e setenta e dois;
5 Os filhos de Ara, setecentos e setenta e cinco;

O número é declarado em Ne 7:10 de ter sido apenas seiscentos e cinquenta e dois. É provável que todos os mencionados como pertencentes a esta família tenham sido encaminhados para o local geral de encontro, ou tenham inicialmente inscrito seus nomes como pretendendo ir; mas, no intervalo de preparação, alguns morreram, outros foram impedidos por enfermidades ou obstáculos intransponíveis, de modo que, em última análise, não mais do que seiscentos e cinquenta e dois chegaram a Jerusalém.

6 Os filhos de Paate-Moabe, dos descendentes de Jesua e Joabe, dois mil oitocentos e doze;
7 Os filhos de Elão, mil duzentos e cinquenta e quatro;
8 Os filhos de Zatu, novecentos e quarenta e cinco;
9 Os filhos de Zacai, setecentos e sessenta;
10 Os filhos de Bani, seiscentos e quarenta e dois;
11 Os filhos de Bebai, seiscentos e vinte e três;
12 Os filhos de Azgade, mil duzentos e vinte e dois;
13 Os filhos de Adonicão, seiscentos e sessenta e seis;
14 Os filhos de Bigvai, dois mil e cinquenta e seis;
15 Os filhos de Adim, quatrocentos e cinquenta e quatro;
16 Os filhos de Ater, de Ezequias, noventa e oito;
17 Os filhos de Bezai, trezentos e vinte e três;
18 Os filhos de Jora, cento e doze;
19 Os filhos de Hasum, duzentos e vinte e três;
20 Os filhos de Gibar, noventa e cinco;
21 Os filhos de Belém, cento e vinte e três;
22 Os homens de Netofá, cinquenta e seis;
23 Os homens de Anatote, cento e vinte e oito;

Os homens de Anatote – É agradável ver tantos desta cidade judaica retornando. Era uma cidade dos levitas; mas o povo rejeitou a advertência de Jeremias e convocou contra si uma de suas mais severas previsões (Jr 32:27-35). Esta profecia foi cumprida na conquista assíria. Anatote foi devastado e continuou em ruínas. Mas o povo, tendo sido levado durante o cativeiro para um melhor estado de espírito, retornou e sua cidade foi reconstruída.

24 Os filhos de Azmavete, quarenta e dois;
25 Os filhos de Quiriate-Jearim, Quefira, e Beerote, setecentos e quarenta e três;
26 Os filhos de Ramá e Geba, seiscentos e vinte e um;
27 Os homens de Micmás, cento e vinte e dois;
28 Os homens de Betel e Ai, duzentos e vinte e três;
29 Os filhos de Nebo, cinquenta e dois;
30 Os filhos de Magbis, cento e cinquenta e seis;
31 Os filhos do outro Elão, mil duzentos e cinquenta e quatro;
32 Os filhos de Harim, trezentos e vinte;
33 Os filhos de Lode, Hadide, e Ono, setecentos e vinte e cinco;
34 Os filhos de de Jericó, trezentos e quarenta e cinco;
35 Os filhos de Senaá, três mil seiscentos e trinta;
36 Os sacerdotes: os filhos de Jedaías, da casa de Jesua, novecentos e setenta e três;

Os sacerdotes – Cada uma de suas famílias estava sob o seu príncipe ou cabeça, como as das outras tribos. Deve ser lembrado que o corpo inteiro foi dividido em vinte e quatro cursos, um dos quais, em rotação, dispensava as tarefas sacerdotais a cada semana, e cada divisão era chamada pelo nome de seu primeiro príncipe ou chefe. Parece desta passagem que apenas quatro dos cursos dos sacerdotes retornaram do cativeiro babilônico; mas estes quatro cursos foram depois, à medida que as famílias aumentaram, divididos em vinte e quatro, os quais foram distinguidos pelos nomes dos cursos originais designados por Davi [1Cr 23:6-13]. Por isso encontramos o curso de Abias ou Abia (1Cr 24:10) subsistindo no início da era cristã (Lc 1:5).

37 Os filhos de Imer, mil e cinquenta e dois;
38 Os filhos de Pasur, mil duzentos e quarenta e sete;
39 Os filhos de Harim, mil e dezessete.
40 Os Levitas: os filhos de Jesua e de Cadmiel, dos filhos de Hodavias, setenta e quatro.
41 Os cantores: os filhos de Asafe, cento e vinte e oito.
42 Os filhos dos porteiros: os filhos de Salum, os filhos de Ater, os filhos de Talmom, os filhos de Acube, os filhos de Hatita, os filhos de Sobai; ao todo, cento e trinta e nove.
43 Os servos do templo: os filhos de Zia, os filhos de Hasufa, os filhos de Tabaote,
44 Os filhos de Queros, os filhos de Sia, os filhos de Padom;
45 Os filhos de Lebana, os filhos de Hagaba, os filhos de Acube;
46 Os filhos de Hagabe, os filhos de Sanlai, os filhos de Hanã;
47 Os filhos de Gidel, os filhos de Gaar, os filhos de Reaías;
48 Os filhos de Rezim, os filhos de Necoda, os filhos de Gazão;
49 Os filhos de Uzá, os filhos de Paseia, os filhos de Besai;
50 Os filhos de Asná, os filhos de Meunim, os filhos de Nefusim;
51 Os filhos de Baquebuque, os filhos de Hacufa, os filhos de Harur;
52 Os filhos de Baslute, os filhos de Meída, os filhos de Harsa;
53 Os filhos de Barcos, os filhos de Sísera, os filhos de Temá;
54 Os filhos de Nesias, os filhos de Hatifa.
55 Os filhos dos servos de Salomão: os filhos de Sotai, os filhos de Soferete, os filhos de Peruda;

Os filhos dos servos de Salomão – ou os estranhos que o monarca alistou na construção do templo, ou aqueles que viviam em seu palácio, o que foi considerado uma grande honra.

56 Os filhos de Jaala, o filhos de Darcom, os filhos de Gidel;
57 Os filhos de Sefatias, os filhos de Hatil, os filhos de Poquerete-Hazebaim, os filhos de Ami.
58 Todos os servos do templo, e filhos dos servos de Salomão, trezentos e noventa e dois.
59 Também estes subiram de Tel-Melá, Tel-Harsa, Querube, Adã, e Imer, porém não puderam mostrar a família de seus pais, nem sua linhagem, se eram de Israel:
60 Os filhos de Delaías, os filhos de Tobias, os filhos de Necoda, seiscentos e cinquenta e dois.
61 E dos filhos dos sacerdotes: os filhos de Habaías, os filhos de Coz, os filhos de Barzilai, o qual tomou mulher das filhas de Barzilai gileadita, e foi chamado pelo nome delas.

os filhos de Barzilai – Ele preferiu esse nome ao da sua própria família, julgando ser uma distinção maior estar ligado a uma família tão nobre do que pertencer à casa de Levi. Mas, por essa ambição mundana, ele perdeu a dignidade e as vantagens do sacerdócio.

62 Estes buscaram seu registro de genealogias, mas não foi achado; por isso foram rejeitados do sacerdócio.
63 E o governador lhes mandou que não comessem das coisas sagradas, até que houvesse sacerdote com Urim e Tumim.

Tirshatha – um título dado pelos governadores persas da Judéia (ver também Ne 7:65-70; 8:9; 10:1). É derivado do torsh persa (“severo”) e é equivalente a “sua severidade”, “seu horror”.

64 Toda esta congregação junta foi quarenta e dois mil trezentos e sessenta,

Este montante bruto é doze mil a mais do que os números particulares dados no catálogo, quando somados, chegam. Reconhecendo os números menores, descobriremos que eles somam 29.818 neste capítulo e 31.089 no capítulo paralelo de Neemias [ver Ne 7:66-69]. Esdras também menciona quatrocentos e noventa e quatro pessoas omitidas por Neemias, e Neemias menciona 1765 não notado por Esdras. Se, portanto, o excedente de Esdras for somado à soma em Neemias, e o excedente de Neemias ao número em Esdras, ambos se tornarão 31.583. Subtraindo isso de 42.360, haverá uma deficiência de 10.777. Estes são omitidos porque não pertencem a Judá e Benjamim, nem aos sacerdotes, mas às outras tribos. Os servos e cantores, homens e mulheres, são contados separadamente (Ed 2:65), de modo que juntando todos esses itens, o número de todos que foram com Zorobabel chegou a cinquenta mil, com oito mil animais de carga [Alting, citado na hermenêutica de Davidson].

65 Sem seus servos e servas, os quais foram sete mil trezentos trinta e sete; também tinham duzentos cantores e cantoras.
66 Seus cavalos foram setecentos e trinta e seis; seus mulos, duzentos e quarenta e cinco;
67 Seus camelos, quatrocentos trinta e cinco; asnos, seis mil setecentos e vinte.
68 E alguns dos chefes de famílias, quando vieram à casa do SENHOR que estava em Jerusalém, deram ofertas voluntárias para a casa de Deus, para a reconstruírem em seu lugar.

A visão de um lugar santificado pelas associações mais carinhosas e sagradas, mas agora deitado em desolação e ruínas, fez as fontes de sua piedade e patriotismo surgirem de novo. Antes de tomar quaisquer medidas ativas para fornecer alojamento a si e suas famílias, o chefe entre eles levantou uma grande soma por contribuições voluntárias para a restauração do templo.

69 Conforme sua capacidade deram ao tesouro da obra sessenta e uma mil dracmas de ouro, cinco mil libras de prata, e cem vestes sacerdotais.

dracmas de ouro – em vez disso, “darics”, uma moeda persa (ver em 1Cr 29:7).

vestes sacerdotais – (compare com Ne 7:70). Isso – nas circunstâncias – foi um presente muito apropriado. Em geral, pode-se notar que os presentes de vestes, ou de quaisquer outras mercadorias utilizáveis, por mais singulares que pareçam a nós, estão em harmonia com as noções e costumes estabelecidos do Oriente.

70 E os sacerdotes, os Levitas, os do povo, os cantores, os porteiros e os servos do templo, habitaram em suas cidades; como também todo Israel em suas cidades.
<Esdras 1 Esdras 3>

Leia também uma introdução ao livro de Esdras.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.