Bíblia, Revisar

2 Crônicas 28

Acaz, reinando perversamente, é afligido pelos sírios

1 De vinte anos era Acaz quando começou a reinar, e dezesseis anos reinou em Jerusalém: mas não fez o que era correto aos olhos do SENHOR, como Davi seu pai.

De vinte anos era Acaz – (veja em 2Rs 16:1-4). Este primeiro, excluindo os princípios e o exemplo de seu pai excelente, é um grande desafio à idolatria. Ele governou com uma autoridade arbitrária e absoluta, e não como um soberano teocrático: ele não apenas abandonou o templo de Deus, mas primeiro uma adoração simbólica com um irmão, e depois uma idolatria grosseira praticada pelos cananeus.

2 Antes andou nos caminhos dos reis de Israel, e ademais fez imagens de fundição aos baalins.
3 Queimou também incenso no vale dos filhos de Hinom, e queimou seus filhos por fogo, conforme as abominações das nações que o SENHOR havia lançado diante dos filhos de Israel.
4 Assim sacrificou e queimou incenso nos altos, e nas colinas, e debaixo de toda árvores espessa.
5 Pelo qual o SENHOR seu Deus o entregou em mãos do rei dos sírios, os quais lhe derrotaram, e tomaram dele uma grande presa, que levaram a Damasco. Foi também entregue em mãos do rei de Israel, o qual o derrotou com grande mortandade.

o SENHOR seu Deus o entregou em mãos do rei dos síriosFoi também entregue em mãos do rei de Israel – Esses versos, sem aludir à formação de uma confederação entre os reis sírio e israelita para invadir o reino de Judá, ou relatar o início da guerra no final do reinado de Jotão. (2Rs 15:37), dê a questão apenas de algumas batalhas que foram travadas no início da campanha.

entregou-o. . . o feriu. . . ele também foi entregue – isto é, seu exército, pois Acaz não estava pessoalmente incluído no número dos mortos nem dos cativos. A matança de cento e vinte mil em um dia foi uma terrível calamidade, que (2Cr 28:6) foi expressamente declarada como um julgamento sobre Judá, “porque haviam abandonado o Senhor Deus de seus pais”. Entre os mortos estavam algumas pessoas de distinção:

6 Porque Peca, filho de Remalias matou em Judá em um dia cento e vinte mil, todos eles homens valentes; porquanto haviam deixado ao SENHOR o Deus de seus pais.
7 Assim Zicri, homem poderoso de Efraim, matou a Maaseias filho do rei, e a Azricão seu mordomo, e a Elcana, segundo depois do rei.

Maaseias filho do rei – sendo os filhos de Acaz jovens demais para participar de uma batalha, esse indivíduo deve ter sido um filho mais jovem do falecido rei Jotão;

Elcana, segundo depois do rei – isto é, o vizir ou primeiro ministro (Gn 41:40; Et 10:3). Estes foram todos cortados no campo por Zichri, um guerreiro israelita, ou como alguns pensam, ordenados a serem mortos após a batalha. Um grande número de cativos também caiu no poder dos conquistadores; e uma divisão igual de prisioneiros de guerra sendo feitos entre os aliados, eles foram enviados sob uma escolta militar para as respectivas capitais da Síria e Israel [2Cr 28:8].

8 Tomaram também cativos os filhos de Israel de seus irmãos duzentos mil, mulheres, meninos, e meninas, a mais de haver saqueado deles um grande despojo, o qual trouxeram a Samaria.

Tomaram também cativos os filhos de Israel de seus irmãos duzentos mil – Esses cativos incluíam um grande número de mulheres, meninos e meninas, uma circunstância que cria a presunção de que os hebreus, como outros orientais, foram acompanhados na guerra por multidões de não-combatentes (ver em Jz 4:8). O relatório desses “irmãos”, trazidos como cativos para Samaria, provocou indignação geral entre os habitantes mais bem dispostos; e Oded, um profeta, acompanhado pelos príncipes (2Cr 28:12,14), saiu, à medida que a escolta se aproximava, para evitar a afronta vergonhosa de introduzir tais prisioneiros na cidade. Os oficiais do esquadrão obviamente não tinham culpa; eles estavam simplesmente cumprindo seu dever militar de conduzir os prisioneiros de guerra ao seu destino. Mas Oded mostrou claramente que o exército israelita havia conquistado a vitória – não pela superioridade de suas armas, mas em consequência do julgamento divino contra Judá. Ele forçosamente expôs a enormidade da ofensa de manter “seus irmãos” como escravos entraram em guerra. Ele protestou fervorosamente contra acrescentar esta grande ofensa de crueldade anormal e pecaminosa (Lv 25:43-44; Mq 2:8-8) à quantidade já avassaladora de seus próprios pecados nacionais. Tal foi o efeito de sua evocação animada e da maré oposta do sentimento popular, que “os homens armados deixaram os cativos e o despojo diante dos príncipes e de toda a congregação”.

9 Havia então ali um profeta do SENHOR, que se chamava Obede, o qual saiu diante do exército quando entrava em Samaria, e disse-lhes: Eis que o SENHOR o Deus de vossos pais, pela ira contra Judá, os entregou em vossas mãos; e vós os
10 E agora haveis determinado sujeitar a vós a Judá e a Jerusalém por servos e servas: mas não haveis vós pecado contra o SENHOR vosso Deus?
11 Ouvi-me, pois, agora, e voltai a enviar os cativos que haveis tomado de vossos irmãos: porque o SENHOR está irado contra vós.
12 Levantaram-se então alguns homens dos principais dos filhos de Efraim, Azarias filho de Joanã, e Berequias filho de Mesilemote, e Jeizquias filho de Salum, e Amasa filho de Hadlai, contra os que vinham da guerra.
13 E disseram-lhes: Não metais aqui os cativos; porque o pecado contra o SENHOR será sobre nós. Vós tratais de acrescentar sobre nossos pecados e sobre nossas culpas, sendo suficientemente grande nosso delito, e a ira do furor sobre Israel.
14 Então o exército deixou os cativos e a presa diante dos príncipes e de toda a multidão.
15 E levantaram-se os homens nomeados, e tomaram os cativos, e vestiram do despojo aos que deles estavam nus; vestiram-nos e calçaram-nos, e deram-lhes de comer e de beber, e ungiram-nos, e conduziram em asnos a todos os fracos, e levaram-nos até Jericó, cidade das palmeiras, próxima de seus irmãos; e eles voltaram a Samaria.

E levantaram-se os homens nomeados – Estes eram ou os “chefes dos filhos de Efraim” (mencionado 2Cr 28:12), ou alguns outros líderes escolhidos para o ofício benevolente. Sob sua gentil superintendência, os prisioneiros não só foram libertados, mas saíram do espólio confortavelmente aliviados com comida e roupas, e levaram até Jericó no caminho de volta para suas próprias casas. Este é um belo incidente, e cheio de interesse, como mostrando que mesmo neste período de declínio nacional, não havia poucos que aderiram firmemente à lei de Deus.

16 Naquele tempo enviou a pedir o rei Acaz aos reis de Assíria que lhe ajudassem:

“Naquela época”, refere-se ao período de grande aflição de Acaz, quando, depois de uma sucessão de derrotas, ele recuou para dentro dos muros de Jerusalém. Ou na mesma ou numa campanha subsequente, os aliados sírio e israelita marcharam para sitiá-lo (ver em 2Rs 16:7). Embora libertados deste perigo, outros inimigos infestaram seus domínios tanto no sul como no oeste.

17 Porque a mais disto, os edomitas haviam vindo e ferido aos de Judá, e haviam levado cativos.

Porque a mais disto, os edomitas haviam vindo e ferido aos de Judá – Esta invasão deve ter sido depois de Rezin (no início da recente guerra siro-israelense), libertou aquele povo do jugo de Judá (2Cr 15:11; compare 2Rs 16:6).

18 Assim os filisteus haviam invadido as cidades da planície, e ao sul de Judá, e haviam tomado a Bete-Semes, a Aijalom, Gederote, e Socó com suas aldeias, Timna também com suas aldeias, e Ginzo com suas aldeias; e habitavam nelas.

Gederote – na fronteira filistéia (Js 15:41).

Socó – (Js 15:35), agora Shuweikeh, uma cidade no vale de Judá (ver 1Sm 17:1).

Ginzo – agora Jimza, um pouco a leste de Ludd (Lydda) [Robinson]. Todos esses desastres, pelos quais o “Senhor abateu a Judá”, foram por causa de Acaz, rei de Israel (Judá), veja 2Cr 21:2; 24:16; 28:27 que fez Judá nu e transgrediu contra o Senhor.

19 Porque o SENHOR havia humilhado a Judá por causa de Acaz rei de Israel: porquanto ele havia desnudado a Judá, e rebelado-se gravemente contra o SENHOR.
20 E veio contra ele Tiglate-Pileser, rei dos assírios: pois o oprimiu, e não o fortificou.

pois o oprimiu, e não o fortificou – isto é, apesar do alívio temporário que Tilgate-pilneser proporcionou a ele pela conquista de Damasco e o massacre de Rezim (2Rs 16:9), pouca vantagem resultou dele, pois Tilgath-pilneser passou o inverno em folia voluptuosa em Damasco; e a conexão formada com o rei assírio acabou sendo uma fonte de novas e maiores calamidades e humilhação para o reino de Judá (2Cr 28:2-3).

21 Ainda que Acaz tenha despojado a casa do SENHOR, e a casa real, e as dos príncipes, para dar ao rei dos assírios, contudo isso ele não lhe ajudou.
22 Ademais o rei Acaz no tempo que aquele lhe afligia-se, acrescentou transgressão contra o SENHOR;

no tempo que aquele lhe afligia-se, acrescentou transgressão contra o SENHOR – Esse rei apaixonado se rendeu à influência da idolatria e exerceu sua autoridade real para estendê-la, com a intensidade de uma paixão – com a ignorância e o temor servil de um pagão (2Cr 28:23) e um desafio implacável a Deus (ver em 2Rs 16:10-20).

23 Porque sacrificou aos deuses de Damasco que lhe haviam ferido, e disse: Pois que os deuses dos reis da Síria lhes ajudam, eu também sacrificarei a eles para que me ajudem; bem que foram estes sua ruína, e a de todo Israel.
24 A mais disso recolheu Acaz os vasos da casa de Deus, e quebrou-os, e fechou as portas da casa do SENHOR, e fez-se altares em Jerusalém em todos os cantos.
25 Fez também altos em todas as cidades de Judá, para queimar incenso aos deuses alheios, provocando assim a ira ao SENHOR o Deus de seus pais.
26 Os demais de seus feitos, e todos seus caminhos, primeiros e últimos, eis que estão escrito no livro dos reis de Judá e de Israel.
27 E descansou Acaz com seus pais, e sepultaram-no na cidade de Jerusalém: mas não lhe meteram nos sepulcros dos reis de Israel; e reinou em seu lugar Ezequias seu filho.
<2 Crônicas 27 2 Crônicas 29>

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.