Bíblia, Revisar

Esdras 9

1 Acabadas, pois, estas coisas, os príncipes se achegaram a mim, dizendo: O povo de Israel, os sacerdotes e os levitas, não têm se separado dos povos destas terras, segundo suas abominações: dos cananeus, heteus, perizeus, jebuseus, amonitas, moabitas, egípcios, e amorreus.

Acabadas, pois, estas coisas – Os primeiros dias após a chegada de Esdras em Jerusalém foram ocupados em executar as diferentes relações de confiança que lhe foram confiadas. A natureza e o desenho do ofício com o qual a autoridade real o havia investido foram publicamente divulgados a seu próprio povo pela entrega formal da contribuição e pelos vasos sagrados trazidos de Babilônia aos sacerdotes para serem depositados no templo. Depois, suas credenciais foram apresentadas em particular aos governadores provinciais; e por este prudente procedimento ordenado, colocou-se na melhor posição para aproveitar todas as vantagens que o rei lhe garantia. Em uma visão superficial, tudo contribuiu para gratificar seus sentimentos patrióticos no estado aparentemente florescente da igreja e do país. Mas um outro conhecido descobriu a existência de grandes corrupções, que exigiam correção imediata. Um foi particularmente trazido sob seu conhecimento como sendo a fonte e origem de todos os outros; ou seja, um abuso grave que foi praticado respeitando a lei do casamento.

os príncipes se achegaram a mim, dizendo – A informação que eles apresentaram com Esdras foi para o efeito que o número de pessoas, em violação da lei divina (Dt 7:2-3), tinha contraído casamentos com mulheres gentias, e que a culpa da prática desordenada, longe de ser confinada às classes mais baixas, era compartilhada por vários dos sacerdotes e levitas, assim como dos principais homens do país. Essa grande irregularidade inevitavelmente traria muitos males em sua jornada; encorajaria e aumentaria a idolatria, assim como derrubaria as barreiras de distinção que, para propósitos importantes, Deus havia levantado entre os israelitas e todas as outras pessoas. Esdras previu essas consequências perigosas, mas ficou impressionado com a dificuldade de corrigir o mal, quando se formaram alianças matrimoniais, famílias foram criadas, afetos engajados e interesses importantes estabelecidos.

2 Pois tomaram de suas filhas para si e para seus filhos, e assim a descendência santa se misturou com os povos destas terras; e os príncipes e os oficiais foram os primeiros nesta transgressão.

descendência santa. O povo escolhido por Jeová.

os príncipes e os oficiais foram os primeiros nesta transgressão. Esse foi o fato mais alarmante de todos. Quando os governantes transgridem a lei, o povo tem de se tornar corrupto e desmoralizado. [Whedon]

3 Quando eu ouvi isto, rasguei a minha roupa e meu manto; e arranquei dos cabelos de minha cabeça e de minha barba, e me sentei atônito.

Quando eu ouvi isto, rasguei a minha roupa e meu manto – a vestimenta exterior e interior, que era um sinal não apenas de grande pesar, mas de pavor ao mesmo tempo da ira divina;

arranquei dos cabelos de minha cabeça e de minha barba – que era um sinal ainda mais significativo de pesar avassalador.

4 Então se juntaram a mim todos os que se tremiam pelas palavras do Deus de Israel, por causa da transgressão dos que eram do cativeiro; mas eu fiquei sentado, atônito, até o sacrifício da tarde.

Então se juntaram a mim todos os que se tremiam pelas palavras do Deus de Israel – Todas as pessoas piedosas que reverenciaram a palavra de Deus e temeram suas ameaças e julgamentos uniram-se a Esdras ao lamentar o pecado público, e planejaram os meios de corrigi-lo.

atônito, até o sacrifício da tarde – A inteligência de tão grosseira violação da lei de Deus por aqueles que foram levados em cativeiro por causa de seus pecados, e que, embora restaurados, ainda não foram reformados, produziu um efeito tão impressionante a mente de Esdras que permaneceu durante algum tempo incapaz de fala ou de ação. A hora do sacrifício vespertino era a hora habitual das pessoas se reunindo; e nessa época, tendo novamente alugado seus cabelos e roupas, fez oração pública e confissão de pecado.

Oração a Deus

5 E perto do sacrifício da tarde eu me levantei de minha aflição; e já tendo rasgado minha roupa e meu manto, inclinei-me de joelhos, e estendi minhas mãos ao SENHOR meu Deus,

inclinei-me de joelhos, e estendi minhas mãos ao SENHOR meu Deus – O fardo de sua oração, que foi ditada por um profundo senso de emergência, foi que ele ficou impressionado com a flagrante enormidade desse pecado, e o ousado A impiedade de continuar nela depois de ter experimentado tão recentemente as pesadas marcas do desprazer divino. Deus começou a mostrar retribuição a favor de Israel pela restauração de alguns. Mas isso só agravou o pecado deles, que, tão logo após seu restabelecimento em sua terra natal, eles violaram abertamente os preceitos expressos e repetidos que os ordenaram a extirpar os cananeus. Tal conduta, ele exclamou, poderia emitir apenas para extrair alguma grande punição do Céu ofendido e assegurar a destruição do pequeno remanescente de nós que é deixado, a menos que, pela ajuda da graça divina, nos arrependamos e produzamos os frutos do arrependimento. em uma reforma imediata e completa.

6 E disse: Meu Deus, estou confuso e envergonhado de levantar a ti, meu Deus, o meu rosto; pois nossas perversidades se multiplicaram sobre nossa cabeça , e nossa culpa cresceu até os céus.
7 Desde os dias de nossos pais até o dia de hoje estamos em grande culpa; e por nossas perversidades nós, nossos reis, e nossos sacerdotes, somos entregues nas mãos dos reis das terras, à espada, ao cativeiro, ao roubo, e à vergonha de rosto, como se vê hoje.

Muito semelhante a essa são as confissões de Neemias (Ne 9:29-35) e de Daniel. O cativeiro tinha feito o seu trabalho convencendo profundamente a nação judaica do pecado, que anteriormente tinha sido tão orgulhosa e presunçosa. [Barnes]

8 Mas agora, por um breve momento, houve favor da parte do SENHOR nosso Deus, para deixar um restante livre, e para nos dar uma estaca em seu santo lugar, a fim de iluminar nossos olhos, ó Deus nosso, e nos dar um pouco de alívio em nossa escravidão.

para nos dar uma estaca em seu santo lugar. Os edifícios nos tempos antigos, e nos países orientais, eram muito mais simples de construir do que os nossos. Tampouco eram providos com aquela variedade de acomodações e móveis dentro dos quais os nossos podem se gabar. Por isso, um requisito essencial era fixar estacas, ou pregos grandes, nas paredes nas quais pendurar móveis e utensílios de uso comum. Estes imensos pregos eram fixados nas paredes do imóvel no processo de construção, e colocados em partes fortes e duráveis (compare com Is 22:23; Ez 15:3; Zc 10:4).

a fim de iluminar nossos olhos, ó Deus nosso. Isto é, nos revigore, como a frase é usada como mesmo sentido em 1 Samuel 14:27-29. [JFU]

9 Porque somos escravos; porém em nossa escravidão nosso Deus não nos desamparou, mas, sim, inclinou sobre nós bondade diante dos reis da Pérsia, para nos dar alívio, para levantarmos a casa de nosso Deus, e restaurarmos suas ruínas, e para nos dar um muro em Judá e em Jerusalém.

para nos dar um muro em Judá e em Jerusalém. Um lugar murado, um refúgio para ovelhas, ou uma cerca para vinhas (Is 5:5). A expressão é peculiarmente apropriada e bela, considerando que Jeová é frequentemente representado como “o Pastor de Israel”, e que, tendo recolhido seu rebanho disperso, ele o colocou com segurança, através da ação subordinada do monarca persa, em seus antigos apriscos na Palestina. Auberlin, Havernick e outros, referem-se ao restabelecimento das muralhas da cidade (compare com Mq 7:11), mas Hengstenberg (“Christologia” 3:, p. 204) o limita também ao templo. [JFU]

10 Mas agora, ó Deus nosso, o que diremos depois disto? Porque abandonamos os teus mandamentos,

Um súbito apóstrofe. A misericórdia de Deus foi grande, mas agora, apesar de tudo, Israel violou esta ordem: o que é que ela merece?

Mas agoradepois disto. Tem-se suposto muito geralmente que ‘depois disto’ significa ‘depois desta manifestação de clemência Divina’. Mas parece melhor supor que Esdras rompa abruptamente de Ed 9:9. O pensamento do favor de Deus no passado faz com que Esdras o compare mentalmente com a posição atual dos judeus. E agora, neste momento, depois desta nova violação do mandamento, depois desta nova prova da nossa culpabilidade, o que podemos dizer? [Cambridge]

11 Os quais mandaste por meio de teus servos, os profetas, dizendo: A terra em que entrais para tomar posse é um terra imunda, por causa das imundícias dos povos daquelas terras, por suas abominações com que a encheram de um extremo ao outro de sua contaminação.

dizendo. As palavras que seguem neste versículo não são citadas de nenhum livro anterior da Escritura, mas meramente dão o sentido geral de numerosas passagens. [Barnes]

12 Agora, pois, não dareis vossas filhas aos seus filhos, nem tomareis suas filhas para vossos filhos, e nunca procurareis sua paz nem seu bem; para que vos fortaleçais, e comais o bem da terra, e a deixeis por herança a vossos filhos para sempre.
13 E depois de tudo o que nos sobreveio por causa de nossas más obras, e de nossa grande culpa, ainda que tu, Deus nosso, puniste menos do que merecíamos por nossas perversidades, e nos deixaste um remanescente como este;
14 Voltaremos, pois, agora, a anular teus mandamentos, e a nos aparentarmos com os povos destas abominações? Não te indignarias tu contra nós até nos consumir, até não haver resto nem remanescente?
15 Ó SENHOR, Deus de Israel, tu és justo; pois restamos como remanescente, assim como se vê hoje. Eis que estamos diante de ti em nossa culpa; ainda que por causa disso ninguém há que possa subsistir diante de tua presença.

Alguns aceitam “justo” como “bondoso” ou “misericordioso”. Outros lhe dão o sentido mais comum de “justo”, e entendem o significado completo da passagem como sendo: “Tu és justo, e nos castigaste, por causa do nosso pecado, a celebração de casamentos proibidos, de modo que nós somos um mero remanescente do que já foi um grande povo”. [Barnes]

<Esdras 8 Esdras 10>

Leia também uma introdução ao livro de Esdras.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.