Isaías 64

1 Ah, se tu rompesses os céus, e descesses, os montes se tremeriam de diante de tua presença,

rompesses os céus – rebentando para executar vingança, de repente, descendo sobre o inimigo de Tuas pessoas (Sl 18:9; 144:5; Hb 3:5-6).

fluir para baixo – (Jz 5:5; Mq 1:4).

2 Tal como o fogo acende a madeira, e o fogo faz ferver as águas; para assim fazeres notório o teu nome a teus adversários, de modo que as nações tremessem de tua presença!

Oh, que a tua ira consumiria teus inimigos como o fogo. Em vez disso, “como o fogo queima o mato seco” (Gesenius).

3 Como quando fazias coisas temíveis, as quais nunca esperávamos; quando tu descias, e os montes se tremiam diante de tua presença.

Quando – Abastecimento de Is 64:2, “Como quando”.

coisas terríveis – (Sl 65:5).

nós não procuramos – exceder em muito a expectativa de qualquer nação nossa; inigualável antes (Êx 34:10; Sl 68:8).

desceu – no Monte Sinai.

os montes se tremiam – Repetidas de Is 64:1; eles oram a Deus para fazer as mesmas coisas para Israel agora como nas eras anteriores. Gesenius, em vez de “fluir” aqui, e “fluir” em Is 64:1, traduz de uma raiz hebraica diferente, “tremor… tremeu”; mas o “fogo” derrete e faz com que as coisas fluam, ao invés de tremer (Is 64:2).

4 Nem desde os tempos antigos se ouviu, nem com os ouvidos se percebeu, nem olho viu outro Deus além de ti, que age em favor daquele que nele espera.

O sentido não é que só Deus sabe o que Ele preparou, mas que nenhum homem conhece (a visão e a audição sendo usadas como incluindo todas as formas de apreensão espiritual) qualquer deus que faça coisas tão grandes como Ele faz. Paulo, em 1Co. 2:9, aplica as palavras livremente, à sua maneira, às bênçãos eternas que Deus prepara para Seu povo. Clemente de Roma (cap. 34), pode-se notar, faz uma aplicação semelhante das palavras, dando “aqueles que O esperam” (como em Isaías), ao invés de “aqueles que O amam”. [Ellicott, Revisar]

5 Tu foste ao encontro do alegre, e do que pratica justiça, e aos que se lembram de ti em teus caminhos. Eis que te enfureceste porque pecamos por muito tempo. Seremos salvos?

encontro – isto é, Tu fazes paz, ou entrais em aliança com ele (ver em Is 47:3).

regozija-se e trabalha – isto é, que com vontade jubilosa opera (Gesenius) (At 10:35; Jo 7:17).

aqueles – Tu encontras “aqueles”, em aposição a “ele”, que representa uma classe cujas características “aquelas que”, etc., descrevem mais completamente.

lembra-te de ti nos teus caminhos – (Is 26:8).

pecou – literalmente, “tropeçou”, carregando a figura de “maneiras”.

naqueles é continuação – um apelo para depreciar a continuação da ira de Deus; não é na tua ira que há continuação (Is 54:7-8; Salmo 30:5; 103:9), mas em Teus caminhos (“aqueles”), a saber, de pacto de misericórdia com o teu povo. (Mq 7:18-20; Ml 3:6); com a força da eterna continuação de Seu pacto, eles inferem pela fé: “seremos salvos”. Deus “lembrou” para eles Seu pacto (Sl 106:45), embora eles frequentemente “não se lembrassem” Dele (Sl 78:42). Castellio traduz: “nós pecamos por muito tempo neles (‘teus caminhos’), e poderíamos então ser salvos?” Mas eles dificilmente usariam tal pedido quando seu próprio objetivo fosse ser salvo.

6 Porém todos nós somos como um imundo, e todas as nossas justiças são como roupas contaminadas; e todos nós caímos como uma folha, e nossas culpas nos levam como o vento.

Porém todos nós somos como um imundo – legalmente impuros, como um leproso. Verdade de Israel, em todos os lugares agora cortado pela incredulidade e pelos juízos de Deus da congregação dos santos.

e todas as nossas justiças – plural, ‘impureza’ estendida a todo ato particular deles, até mesmo às orações e louvores deles. Verdade dos melhores feitos do não regenerado (Fp 3:6-8; Tt 1:15; Hb 11:6).

roupas contaminadas – (ou trapo de imundícia) literalmente, um “pano menstruado” (Lv 15:3320:18; Lm 1:17).

caímos como uma folha – (Sl 90:5-6). [JFB, Revisar]

7 E ninguém há que invoque a teu nome, que se desperte para se apegar a ti; pois tu escondeste teu rosto de nós, e nos consumiste por nossas perversidades.

stirreth – se levanta da sonolência espiritual.

segure – (Is 27:5).

8 Porém agora, SENHOR, tu és nosso Pai; nós somos barro, e tu és nosso oleiro; e todos nós somos obra de tuas mãos.

Comumente, em parte, talvez, pela aplicação da imagem de São Paulo em Rom. 9:20-21, e pelo uso que Isaías fez dela em Isa. 29:16, associamos a ideia do oleiro com a de simples soberania arbitrária. Aqui, porém (como em Jer. 18:6), outro aspecto nos é apresentado, e o poder do Grande Oleiro é feito o terreno da oração. O “barro” lhe pede que o modele de acordo com Sua vontade, e tem fé em Sua prontidão, bem como em Seu poder, para cumprir com essa oração. O pensamento do “oleiro” se torna, neste aspecto, um com o da Paternidade de Deus. [Ellicott, Revisar]

9 Não te enfureças tanto, SENHOR, nem te lembres da nossa perversidade para sempre; vê, olha agora, que todos nós somos teu povo.

(Sl 74:1-2).

nós somos … teu povo – (Jr 14:9,21).

10 Tuas santas cidades se tornaram um deserto; Sião se tornou um deserto; Jerusalém está assolada.

santas cidades – Nenhuma cidade, a não ser Jerusalém, é chamada “a cidade santa” (Is 48:2; 52:1); o plural, portanto, refere-se às partes superior e inferior da mesma cidade Jerusalém (Vitringa); ou toda a Judéia era santa para Deus, então suas cidades eram consideradas “sagradas” (Maurer) Mas o paralelismo favorece Vitringa. Sião e Jerusalém (a única cidade) respondendo às “cidades santas”.

11 Nossa santa e nossa gloriosa casa, em que nossos pais te louvavam, foi queimada a fogo; e todas as coisas com que nos agradávamos se tornaram ruínas.

casa – o templo.

belo – inclui a ideia de glorioso (Mc 13:1; At 3:2).

queimada – (Sl 74:7; Lm 2:7; 2Cr 36:19). Sua destruição sob Nabucodonosor prefigurou aquilo sob Tito.

coisas com que nos agradávamos ​​- hebraico, “objetos de desejo”; nossas casas, nossa cidade e todas as suas queridas associações.

12 Será que continuarás a te conter sobre estas coisas, SENHOR? Continuarás quieto, e nos oprimindo tanto?

sobre estas coisas – Tu, não obstante estas calamidades de Teu povo, ainda recusas Teu auxílio (Is 42:14)?

<Isaías 63 Isaías 65>

Visão geral de Isaías

Em Isaías, o profeta “anuncia que o julgamento de Deus irá purificar Israel e preparar o seu povo para a chegada do rei messiânico e de uma nova Jerusalém”. Para uma visão geral deste livro, assista ao breve vídeo abaixo produzido (em duas partes) pelo BibleProject.

Parte 1 (8 minutos).

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Parte 2 (9 minutos).

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Leia também uma introdução ao Livro de Isaías.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.