Bíblia, Revisar

Isaías 63

Aviso Quer estudar a Bíblia e não sabe por onde começar? Conheça o nosso curso: Como Estudar a Bíblia? Ele é gratuito, online e pode ser iniciado agora mesmo! Clique aqui e saiba mais.


1 Quem é este, que vem de Edom, de Bozra, com vestes salpicadas de vermelho, este ornado em sua vestimenta, que marcha com grande força? Eu, o que falo em justiça, poderoso para salvar.

Is 63: 1-19. Messias vindo como o vingador, em resposta às orações do seu povo.

O Messias, aproximando-se de Jerusalém depois de ter vingado o Seu povo sobre Ele e seus inimigos, é representado sob imagens tiradas da destruição de “Edom”, o tipo dos últimos e mais amargos inimigos de Deus e Seu povo (ver Is 34:5, etc. .

Quem – a questão do profeta na visão profética.

tingido – escarlate com sangue (Is 63:2-3; Ap 19:13).

Bozra – (Veja em Is 34:6).

viajando – em vez disso, imponente; literalmente, “jogando para trás a cabeça” (Gesenius).

falo em justiça – resposta do Messias. Eu, que tenho na fidelidade dada uma promessa de libertação, estou agora prestes a cumpri-la. Em vez disso, falar de justiça (Is 45:19; 46:13); salvação sendo significada como resultado de Sua “justiça” (Maurer)

save – O mesmo Messias que destrói o incrédulo salva o crente.

2 Por que tu estás de roupa vermelha, e tuas vestes como de alguém que pisa em uma prensa de uvas?

O profeta pergunta por que suas vestes são “tingidas” e “vermelhas”.

prensa de uvas – em vez disso, o “lagar”, em que as uvas eram pisadas com os pés; o suco mancharia as vestes daquele que os pisava (Ap 14:19-20; 19:15). A imagem era apropriada, pois o campo em redor de Bozra abundava em uvas. Este golpe final infligido pelo Messias e Seus exércitos (Ap 19:13-15) decidirá a sua reivindicação aos reinos usurpados por Satanás, e pela “besta”, a quem Satanás delega seu poder. Será um dia de julgamento para os gentios hostis, pois Sua primeira vinda foi um dia de julgamento para os judeus incrédulos.

3 Eu sozinho pisei na prensa de uvas, e ninguém dos povos houve comigo; e os pisei em minha ira, e os esmaguei em meu furor; e o sangue deles salpicou sobre minhas roupas, e sujei toda a minha roupa.

Resposta do Messias. Para a imagem, veja Lm 1:15. Ele “pisa o lagar” aqui não como sofredor, mas como um impulsionador de vingança.

vai trilhar… será… vai manchar – sim, os pretextos, “eu pisei… pisoteou… foi aspergido… eu corri”.

sangue – literalmente, “suco espirituoso” da uva, pressionado por pisar (Gesenius).

4 Porque o dia da vingança estava em meu coração; e o ano de meus redimidos havia chegado.

é – sim, “foi”. Isso atribui a razão pela qual Ele destruiu o inimigo (Sf 3:8).

meus redimidos – Meu povo para ser redimido.

diaano – aqui, como em Is 34:8; 61:2, o tempo da “vingança” é descrito como um “dia”; o da graça e da “recompensa” aos “remidos”, como um “ano”.

5 E olhei, e não havia quem me ajudasse; e me espantei de que não houvesse quem me apoiasse; por isso meu braço me trouxe a salvação, e meu furor me apoiou.

As mesmas palavras que em Is 59:16, exceto que aí está a Sua “justiça”, aqui está a Sua “fúria”, que é dito que O sustentou.

6 E atropelei os povos em minha ira, e os embebedei em meu furor; e fiz descer o sangue deles até a terra.

Fizeram-nos bêbados. ”A mesma imagem ocorre Is 51:17,21-23; Sl 75:8; Jr 25:26-27.

trará abaixo… força para… terra – ao invés, “eu derramei a sua vida-sangue (as mesmas palavras hebraicas como em Is 63:3) sobre a terra” [Lowth e Septuaginta].

7 Farei menção das bondades do SENHOR, e dos louvores ao SENHOR, conforme tudo quanto o SENHOR fez para nós; e do grande bem à casa de Israel, que ele tem lhes concedido segundo suas misericórdias, e segundo a abundância de suas bondades;

Confissão penitencial de Israel e oração pela restauração (Sl 102:17,20), estendendo-se de Is 63:7 a Is 64:12.

gentilezas amorosas … louvores … misericórdias … benevolências – Os plurais e as repetições implicam que a linguagem é inadequada para expressar toda a extensão da bondade de Deus.

nós – os judeus dispersos na época que precedeu sua restauração final.

casa de Israel – de todas as idades; Deus era bom não apenas para os judeus agora dispersos, mas para Israel em todas as épocas de sua história.

8 Pois ele dizia: Certamente eles são meu povo, são filhos que não mentirão; assim ele se tornou o Salvador deles.

ele – Jeová “disse”, isto é, pensou, ao escolhê-los como Seu povo da aliança; assim “disse” (Sl 95:10). Não que Deus fosse ignorante de que os judeus não manteriam a fé com ele; mas Deus é aqui dito, de acordo com os modos humanos de pensamento, para dizer dentro de Si mesmo o que Ele poderia naturalmente ter esperado, como o resultado de Sua bondade para com os judeus; assim, a enormidade de sua perversidade antinatural é a mais vividamente apresentada.

mentira – prove falso para mim (compare com o Sl 44:17).

assim – em virtude de ele ter escolhido eles, Ele se tornou seu Salvador. Então o “portanto” (Jr 31:33). Sua escolha eterna é a base de seus homens realmente salvos (Ef 1:3-4).

9 Em toda a angústia deles, ele também se angustiou, e o anjo de sua presença os salvou; por seu amor e por sua piedade ele os redimiu; e os tomou, e os carregou em todos os dias antigos.

ele também se angustiou – a Versão em Inglês lê o hebraico como a Keri (Margem), faz, “Havia aflição para Ele”. Mas o Chetib (texto) diz: “Não havia aflição” (a mudança em hebraico sendo apenas de uma letra) ); isto é, “Em toda a sua aflição não houve aflição (totalmente opressiva)” (Gesenius); ou, porque “mal lhes sobrevira uma aflição, quando o anjo da sua presença os salvou” [Maurer]; ou, conforme melhor convier ao paralelismo, “Em toda a sua angústia não havia estreiteza em Sua bondade para com eles” (Houbigant), (Jz 10:16; Mq 2:7; 2Co 6:12).

anjo de sua presença – literalmente, “do seu rosto”, isto é, que permanece diante Dele continuamente; Messias (Êx 14:19; 23:20-21; Pv 8:30), língua aplicável a nenhuma criatura (Êx 32:34; 33:2,14; Nm 20:16; Ml 3:1).

descobre-os – (Is 46:3-4; 40:11; Êx 19:4; Dt 32:11-12).

10 Porém eles foram rebeldes, e entristeceram seu Espírito Santo; por isso ele se tornou inimigo deles, e ele mesmo lutou contra eles.

entristeceram – entristecido (Sl 78:40; 95:10; At 7:51; Ef 4:30; Hb 3:10,17).

ele lutou – em vez disso, “Ele foi o que lutou”, ou seja, o anjo da Sua presença [Horsley], (Lm 2:5).

11 Contudo ele se lembrou dos dias antigos, de Moisés, e de seu povo. Onde está aquele que os fez subir do mar com os pastores de seu rebanho? Onde está aquele que punha no meio deles seu Espírito Santo?

se lembrou – Apesar de sua perversidade, ele não esqueceu sua aliança de antigamente; portanto, Ele não os abandonou totalmente (Lv 26:40-42,44-45, Sl 106:45-46); os judeus fazem disso seu pedido a Deus, para que Ele não os abandone agora.

dizendo: Deus é representado, em linguagem humana, mentalmente falando de Si mesmo e de Seus atos anteriores de amor a Israel, como Sua base para ter piedade deles, apesar de sua rebelião.

mar – Mar Vermelho.

pastores – Moisés; ou se o hebraico fosse lido no plural, “pastores”, Moisés, Arão e os outros líderes (assim Sl 77:20).

punha no meio deles seu Espírito Santo – hebraico, “nas partes internas dele”, isto é, Moisés; ou se refere ao rebanho “no meio de seu povo” (Nm 11:17,25; Ne 9:20; Ag 2:5).

12 Onde está aquele que fez seu glorioso braço andar à direita de Moisés, que dividiu as águas perante a presença deles, para fazer seu nome eterno;

A mão direita de Moisés era apenas o instrumento; o braço de Deus era o real motor (Êx 15:6; 14:21).

dividindo a água – (Ne 9:11; Sl 78:13).

13 Que os guiou pelos abismos como cavalo no deserto, de tal modo que nunca tropeçaram?

profundo – literalmente, “o mar agitado e rugindo”.

deserto – sim, a “planície aberta” [Horsley], onde não há obstáculo para fazer com que um cavalo em seu curso corra o risco de tropeçar.

14 Tal como um animal que desce aos vales, o Espírito do SENHOR lhes deu descanso; assim guiaste a teu povo, para fazeres teu nome ser glorioso.

descanso – a imagem de um rebanho levou “para baixo” das colinas para um “vale” fértil e bem regado (Sl 23:2); então o Espírito de Deus “fez com que Israel descansasse” na terra prometida depois de suas cansativas perambulações.

para fazer… nome – (Então Is 63:12; 2Sm 7:23).

15 Olha desde os céus, e vê desde tua santa e gloriosa habitação; onde está teu zelo e tuas forças? A comoção dos sentimentos de teu interior e de tuas misericórdias se retiveram para comigo.

Aqui começa um fervoroso apelo a Deus para que tenha piedade de Israel agora, com base em Seus benefícios anteriores.

habitação de… santidade – (Is 57:15; Dt 26:15; 2Cr 30:27; Sl 33:14; 80:14).

zelo… força – evidenciada anteriormente para o Teu povo.

soando de … entranhas – Tuas emoções de compaixão (Is 16:11; Jr 31:20; 48:36; Os 11:8).

16 Porém tu és nosso Pai, porque Abraão não sabe de nós, nem Israel nos conhece. Tu, SENHOR, és nosso Pai; desde os tempos antigos o teu nome é Nosso Redentor.

Pai – de Israel, por direito não apenas de criação, mas também de eleger adoção (Is 64:3; Dt 32:6; 1Cr 29:10).

porque AbraãoIsrael – Tinha sido a tentação dos judeus para descansar sobre o mero privilégio de sua descendência do fiel Abraão e Jacó (Mt 3:9; Jo 8:39; 4:12); agora finalmente eles renunciam a isto, confiando em Deus somente como seu Pai, apesar de todas as aparências em contrário. Mesmo que Abraão, nosso pai terreno, a quem nos orgulhamos, nos rejeite, Tu não o farás (Is 49:15; Sl 27:10). Isaque não é mencionado, porque nem toda a sua posteridade foi admitida à aliança, enquanto que toda a de Jacó foi; Abraão é especificado porque ele foi o primeiro pai da raça judaica.

eterno – um argumento por que Ele deveria ajudá-los, ou seja, por causa de sua imutabilidade eterna.

17 Por que, ó SENHOR, tu nos fazes andar fora de teus caminhos? Por que endureces nosso coração para que não tenhamos temor a ti? Volta, por favor a teus servos, às tribos de tua herança.

nos fazes adar fora de teus caminhos? – isto é, “sofrer” nós errar e ser endurecido em nosso coração. Eles não pretendem negar sua própria censura, mas confessam que, por sua própria culpa, Deus os entregou a uma mente depravada (Is 6:9-10; Sl 119:10; Rm 1:28).

Retorno – (Nm 10:36; Sl 90:13).

18 Por um pouco de tempo teu santo povo a possuiu; nossos adversários pisaram teu santuário.

teu santo povo – Israel dedicado como santo a Deus (Is 62:12; Dt 7:6).

possuída – ou seja, a Terra Santa, ou Teu “santuário”, retirado da sentença seguinte, que é paralelo a isto (compare Is 64:10-11; Sl 74:6-8).

thy – um argumento por que Deus deveria ajudá-los; Sua causa é sua causa.

19 Nós nos tornamos como aqueles de quem nunca dominaste, semelhantes aos que nunca foram chamados pelo teu nome.

nunca, em vez disso, “somos teus desde a antiguidade; Tu não sabes governar sobre eles ”(Barnes). Lowth traduz: “Por muito tempo fomos como aqueles sobre os quais não governaste, que não são chamados pelo Teu nome”; “Por muito tempo”, portanto, está em contraste com “mas um pouco” (Is 63:18). Mas a analogia de Is 63:18 torna provável que a primeira sentença neste versículo se refira aos judeus, e a segunda a seus inimigos, como a versão inglesa e Barnes a traduzem. Os inimigos dos judeus são estrangeiros que injustamente se intrometeram na herança do Senhor.

Leia também uma introdução ao Livro de Isaías.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.