Bíblia, Revisar

Jeremias 25

Profecia dos setenta anos de cativeiro; e depois disso a destruição de Babilônia, e de todas as nações que oprimiram os judeus.

1 Palavra que veio a Jeremias quanto a todo o povo de Judá, no quarto ano de Jeoaquim, filho de Josias, rei de Judá, (o qual é o primeiro ano de Nabucodonosor rei de Babilônia);

quarto ano de Jeoiaquim – chamado o terceiro ano em Dn 1:1. Mas provavelmente Jeoiaquim foi colocado no trono pelo faraó-neco em seu retorno de Carquemis por volta de julho, enquanto Nabucodonosor subiu ao trono em 21 de janeiro de 604 aC; de modo que o primeiro ano de Nabucodonosor foi em parte o terceiro, em parte o quarto, de Jeoiaquim. Aqui primeiro Jeremias dá datas específicas. Nabucodonosor já havia entrado na Judéia no reinado de seu pai Nabopolassar.

2 A qual o profeta Jeremias falou a todo o povo de Judá, e a todos os moradores de Jerusalém, dizendo:
3 Desde o ano treze de Josias, filho de Amom, rei de Judá, até este dia, isto é, há vinte e três anos, tem vindo a mim a palavra do SENHOR; e eu tenho vos falado, insistentemente vos falando; porém vós não escutastes.

Desde o décimo terceiro ano de Josias, em que Jeremias começou a profetizar (Jr 1:11), até o fim do reinado de Josias, foram dezenove anos (2Rs 22:1); os três meses 2Rs 23:31) do reinado de Jeoacaz, com os não completamente completos quatro anos de Jeoiaquim (Jr 25: 1), somados aos dezenove anos, perfazem vinte e três anos ao todo.

4 E o SENHOR enviou a vós todos seus servos os profetas, insistentemente os enviando; porém vos não escutastes, nem inclinastes vossos ouvidos para escutar,

levantando cedo – (Veja em Jr 7:13). “Os profetas” referem-se a Urijá, Sofonias, Habacuque, etc. Agrava o pecado deles, que Deus enviou não apenas um, mas muitos mensageiros, e aqueles mensageiros, profetas; e que, durante todos esses anos especificados, Jeremias e seus companheiros profetas não pouparam esforços, tarde e cedo.

5 Quando diziam: Convertei-vos agora, cada um de seu mau caminho, e da maldade de vossas ações, e habitai na terra que o SENHOR deu a vós e a vossos pais para todo o sempre;

Volte … morar – Em hebraico, é expressa pela mesmice dos sons a correspondência entre eles se voltando para Deus e Deus se voltando para eles para permitir que eles habitam em suas terras: “Shubu} … “shebu}, “Retorno” … assim você deve “permanecer”.

cada um de seu mau – Cada um deve se arrepender separadamente e se afastar de seu próprio pecado. Nenhum é excetuado, a fim de que não pensem que sua culpa se extingue porque o mal é geral.

6 E não segui deuses estrangeiros, para os servirdes e encurvardes a eles, nem me provoqueis à ira com a obra de vossas mãos; para que eu não vos faça mal.

Ele instaura um pecado, idolatria, como representante de todos os seus pecados; como nada é mais caro a Deus do que uma pura adoração de si mesmo.

7 Porém vós não me destes ouvidos, diz o SENHOR, para me provocardes à ira com a obra de vossas mãos, para o vosso mal.

Ainda que me provocais à ira (Dt 32:21), todavia não sou eu a vós mesmos, a quem feris assim (Pv 8:36; 20:2).

8 Portanto assim diz o SENHOR dos exércitos: Visto quanto não tendes ouvido minhas palavras,
9 Eis que eu enviarei, e tomarei a todas as famílias do norte, diz o SENHOR, e a Nabucodonosor rei de Babilônia, meu servo, e os trarei contra esta terra, e contra seus moradores, e contra todas estas nações ao redor; e os destruirei, e os farei de espanto, assovio, e de desolações perpétuas.

do norte – (veja em Jr 1:14-15). Os medos e outros povos do norte, confederados com a Babilônia, estão incluídos com os caldeus.

meu servo – Meu agente para punir (Jr 27:6; 43:10; compare Jr 40:2). Compare Is 44:28; Ciro, “Meu pastor”. Deus faz até os incrédulos inconscientemente cumprirem Seus desígnios. Uma reprovação aos judeus, que se gabavam de que eles eram os servos de Deus; no entanto, um rei pagão é mais servo de Deus do que eles e que é o agente de sua punição.

10 E eliminarei dentre eles a voz de júbilo e voz de alegria, voz de noivo e voz de noiva, o ruído das pedras de moer, e a luz de lâmpada.

(Jr 7:34; Ap 18:23). A terra ficará tão desolada que até mesmo nas casas de pé não haverá morador; uma terrível quietude prevalecerá; nenhum som do moinho de mão (duas pedras circulares, uma acima da outra, para moer milho, trabalhado por duas mulheres, Êx 11:5; Mt 24:41; no uso diário em todas as casas, e portanto proibido de ser levado em penhor, Dt 24:6); nenhuma luz noturna, tão universal no Oriente que a casa mais pobre tem, queimando a noite toda.

candelabro (Jó 21:17; 18:6).

11 E toda esta terra se tornará em desolação, e em espanto; e estas nações servirão ao rei da Babilônia por setenta anos.

setenta anos – (Jr 27:7). O número exato de anos dos sábados em quatrocentos e noventa anos, o período desde Saul até o cativeiro babilônico; justa retribuição por sua violação do sábado (Lv 26:34-35; 2Cr 36:21). Os setenta anos provavelmente começam no quarto ano de Jeoiaquim, quando Jerusalém foi capturada pela primeira vez, e muitos cativos, assim como os tesouros do templo, foram levados; eles terminam com o primeiro ano de Ciro, que, ao tomar Babilônia, emitiu um decreto para a restauração dos judeus (Ed 1:1). As setenta semanas proféticas de Daniel baseiam-se nos setenta anos do cativeiro (compare Dn 9:2,24).

12 E será que, quando os setenta anos forem completados, punirei ao rei da Babilônia e àquela nação por sua maldade, diz o SENHOR, assim como a terra dos Caldeus; e a tornarei em desolações para sempre.
13 E trarei sobre aquela terra todas as minhas palavras que falado contra ela: tudo o que está escrito neste livro, que Jeremias profetizou contra todas as nações.

está escrito neste livro, que Jeremias profetizou contra todas as nações – Segue-se que as profecias contra nações estrangeiras (quadragésimo sexto a cinquenta e primeiro capítulos) já devem ter sido escritas. Por isso, a Septuaginta insere aqui essas profecias. Mas se eles tivessem seguido imediatamente (Jr 25:13), não haveria nenhuma propriedade na observação no verso. O próprio texto da referência mostra que eles existiam em alguma outra parte do livro, e não no contexto imediato. Foi neste mesmo ano, o quarto de Jeoiaquim (Jr 36:1-2), que Jeremias foi instruído a escrever em um livro regular pela primeira vez tudo o que ele havia profetizado contra Judá e “nações” estrangeiras. o começo do seu ministério. Provavelmente, numa época subsequente, quando completou todo o trabalho, incluindo os quarenta e seis a cinquenta e primeiros capítulos, o próprio Jeremias inseriu a cláusula: “tudo o que está escrito neste livro, que Jeremias profetizou contra todas as nações”. As profecias em questão podem ter sido repetidas, como outras em Jeremias, mais de uma vez; Assim, na coleção menor original, eles podem ter ficado em uma posição anterior; e, na coleção subsequente mais completa, em sua posição posterior e atual.

14 Porque também deles se servirão muitas nações e grandes reis; assim lhes pagarei conforme seus feitos, conforme a obra de suas mãos.

servir-se – (Jr 27:7; 30:8; 34:10). Aproveitar-se de seus serviços como escravos.

eles também – os Caldeus, que até agora fizeram de outras nações seus escravos, também eles mesmos serão escravos para eles. Maurer traduz, “deve impor servidão sobre eles, mesmo eles.”

recompensá-los – ou seja, os caldeus e outras nações contra as quais Jeremias havia profetizado (Jr 25:13), como tendo oprimido os judeus.

suas ações – sim, “ação”, ou seja, seu mau tratamento dos judeus (Jr 50:29; 51:6,24; compare 2Cr 36:17).

15 Porque assim me disse o SENHOR Deus de Israel: Toma de minha mão este copo de vinho do meu furor, e dá de beber dele a todas as nações às quais eu te envio.

copo de vinho – Compare Jr 13:12-13, quanto a esta imagem, para expressar julgamentos estupidificantes; também Jr 49:12; 51:7. Jeremias frequentemente incorpora a imagem de Isaías em suas profecias (Lm 4:21; Is 51:17-22; Ap 16:19; 18:6). A taça de vinho não foi literalmente dada por Jeremias aos representantes das diferentes nações; mas apenas na visão simbólica.

16 E beberão, tremerão, e enlouquecerão, por causa da espada que eu envio entre eles.

ser movido – carretel (Na 3:11).

17 E eu tomei o copo da mão do SENHOR, e dei de beber a todas as nações às quais o SENHOR tinha me enviado:
18 A Jerusalém, às cidades de Judá; e a seus reis e seus príncipes, para torná-los em desolação, em espanto, em assovio, e em maldição, tal como é hoje;

Jerusalém – coloque primeiro: porque “o juízo começa na casa de Deus”; eles são os mais culpados, cujos privilégios religiosos são maiores (1Pe 4:17).

reis – Jeoiaquim, Jeconias e Zedequias.

tal como é hoje – A realização da maldição já havia começado sob Jeoiaquim. Esta cláusula, no entanto, pode ter sido inserida por Jeremias em sua revisão final de suas profecias no Egito.

19 A Faraó rei do Egito, e a seus servos, seus príncipes, e a todo o seu povo;

Faraó – colocado depois de Jerusalém, porque os judeus tinham confiado mais nele, e Egito e Judéia estavam em pé de igualdade (Jr 46:2,25).

20 E a todas os povos ali misturados; e a todos os reis da terra de Uz, e a todos os reis da terra dos filisteus, e a Asquelom, Gaza, e Ecrom; e aos restantes de Asdode;

povos ali misturados – tropas estrangeiras mercenárias servindo sob Faraó-hofra no tempo de Jeremias. O emprego desses estrangeiros provocou os nativos egípcios a derrubá-lo. Psammetichus, pai do Faraó-Neco, também dera um assentamento no Egito aos aventureiros jônios e carianos [Heródoto, 2.152, 154]. (Veja Jr 50:37; ver em Is 19:2-3; 20:1; Ez 30:5. O termo é encontrado primeiramente em Êx 12:38.

Uz – na ordem geográfica aqui, entre o Egito e os estados ao longo do Mediterrâneo; portanto, não o “Uz” de Jó 1: 1 (norte da Arábia-Deserta), mas a parte norte da Arábia-Petraea, entre o mar e Idumea (Lm 4:21; ver Gn 36:20,28).

restantes de Asdode – chamado de “remanescente”, porque Ashdod havia perdido a maioria de seus habitantes nos vinte e nove anos de cerco de Psammetichus. Compare também veja em Is 20:1. Gath não é mencionado porque foi derrubado na mesma guerra.

21 A Edom, Moabe, e aos filhos de Amom;

Edom… Moabe… Amon – uniu-se, como sendo relacionado a Israel (ver Jr 48:1 à 49:39).

22 E a todos os reis de Tiro, e a todos os reis da Sidom, e aos reis dos litorais que estão além do mar;

todos os reis de Tyrus – os pequenos reis das várias dependências de Tiro.

ilhas – um termo que inclui todas as regiões marítimas (Sl 72:10).

23 E a Dedã, e Tema, e Buz, e a todos os dos cantos mais distantes.

Dedan – norte da Arábia (Gn 25:3-4).

Tema… Buz – tribos vizinhas ao norte da Arábia (Jó 32:2).

todos… em… cantos mais extremos – em vez disso, “ter o cabelo cortado em ângulos”, um costume pagão (ver em Jr 9:26).

24 E a todos os reis de Arábia, e a todos os reis dos povos misturados que habitam no deserto;

povos misturados – não no mesmo sentido de Jr 25:20; a “multidão heterogênea”, assim chamada em desprezo (compare Jr 49:28,31; 50:37). Por outro lado, pode ser traduzido como “árabes”; mas a repetição do nome não é provável. Blaney acha que havia duas divisões do que chamamos de Arábia, o oeste (Araba) e o leste. O oeste incluía Arábia-Petraea e as partes no mar que faz fronteira com o Egito, a terra de Cush; o leste, Arábia-Felix e Deserta. Os últimos são “os mestiços” que habitam o deserto.

25 E a todos os reis de Zinri, e a todos os reis de Elão, e a todos os reis de Média;

Zinri – talvez o Zabra mencionado por Ptolomeu entre Meca e Medina. Zimrã também, como Dedan, foi um dos filhos de Abraão por Quetura (Gn 25:2).

Elam – propriamente, a oeste da Pérsia; mas usado para a Pérsia em geral.

26 E a todos os reis do norte, os de perto e os de longe, tanto uns como os outros; e a todos os reinos da terra que estão sobre a face da terra; e o rei de Sesaque beberá depois deles.

Sesaque – Babilônia; como o paralelismo em Jr 51:41 prova. No sistema cabalístico (chamado Athbash, a primeira letra hebraica do alfabeto sendo expressa pelo último), Sheshach responderia exatamente a Babel. Jeremias pode ter usado esse sistema (como talvez em Jr 51:41) para encobrir no tempo desta predição, no quarto ano de Jeoiaquim, enquanto Nabucodonosor estava diante de Jerusalém. Em Jr 51:41 não pode haver ocultação, como Babilônia é expressamente mencionada. Michael é mais simplesmente explica o termo “descarado-portão” (compare Is 45: 2); outros, “a casa de um príncipe”. Ao contrário, vem da deusa babilônica, Shach, pela reduplicação da primeira carta; dela Misael foi nomeado Meshach pelos babilônios. O termo Shace foi aplicado a uma festa na Babilônia, mencionada em Jr 51:39,57; Is 21:5. Foi durante esta festa que Ciro tomou Babilônia [Heródoto, 1]. Assim, Jeremias, misticamente, denota o tempo de sua captura por este termo [Glassius].

27 Pois tu lhes dirás: Assim diz o SENHOR dos exércitos, Deus de Israel: Bebei, e embriagai-vos, vomitai, caí, e não vos levanteis, por causa da espada que eu envio entre vós.

não vos levanteis – As nações pagãs em questão não deveriam mais se levantar. Os judeus devem cair, mas por um tempo, e depois ressuscitar. Portanto, o epíteto é dado, “o Deus de Israel”.

28 E será que, se não querem tomar o copo de tua mão para beber, então tu lhes dirás: Assim diz o SENHOR dos exércitos: Certamente bebereis;

se eles se recusarem a tomar a taça – Nenhum esforço deles para escapar da destruição valerá.

29 Pois eis que na cidade que se chama pelo meu nome eu começo a castigar; e vós ficaríeis impunes? Não ficareis impunes, porque eu estou chamando espada contra todos os moradores da terra, diz o SENHOR dos exércitos.

Se eu não poupar o meu povo eleito por causa do pecado, muito menos te pouparei (Ez 9:6; Ob 1:16; Lc 23:31; 1Pe 4:17).

ficar impune – “ser tratado como inocente”.

30 Tu, pois, profetizarás a eles todas estas palavras, e lhes dirás: O SENHOR bramará desde o alto, e levantará sua voz a sua santa morada; bramará intensamente sobre sua morada; dará forte grito, tal como os que pisam as uvas, contra todos os moradores da terra.

rugido – imagem de um leão destrutivo (Is 42:13; Jl 3:16).

em sua habitação – em vez disso, “Sua pastagem”; mantendo a imagem de um leão rugindo contra o rebanho no pasto. O rugido foi o primeiro a sair sobre a Judéia, onde estavam “as ovelhas do seu pasto” (Salmo 100: 3), e daí em terras pagãs.

gritar… trilhar… uvas – (Jr 48:33; Is 16:9-10).

31 Chegará o estrondo até o extremo da terra; porque o SENHOR disputa com as nações; entrará em juízo com todos; e entregará os perversos à espada, diz o SENHOR.

controvérsia – causa em questão (Mq 6:2).

disputa com as nações – (Is 66:16). Deus mostra ao mundo inteiro que Ele faz o que é totalmente justo em punir.

32 Assim diz o SENHOR dos exércitos: Eis que a calamidade sai de nação em nação, e uma grande tempestade se levantará desde os confins da terra.

das costas – sim, “das regiões mais remotas”. Como uma tempestade que surge em uma região e depois se difunde por toda parte, os juízos de Deus passarão “de nação para nação”, até que tudo seja cumprido; nenhuma distância impedirá o cumprimento.

não se lamentem – (Jr 16:4,6).

nem reunidos – a seus pais, em seus túmulos ancestrais (Jr 8:2).

esterco – (Sl 83:10).

33 E os mortos pelo SENHOR naquele dia serão desde um extremo da terra até o outro extremo; não serão lamentados, nem recolhidos, nem sepultados; serão como esterco sobre a face da terra.
34 Uivai, pastores, e clamai; e revolvei-vos na cinza , líderes do rebanho; porque já se cumpriram vossos dias para serdes mortos; e sereis dispersos e caireis como um vaso precioso.

pastores – príncipes (Jr 22:22). Aqui ele retorna para os judeus e seus governantes, usando a mesma imagem que em Jr 25:30, “pasto” (ver em Jr 25:30).

chafurdem-se – cubram-se como grossos com as cinzas, em sinal de tristeza, como alguém que os enrola (Jr 6:26; Ez 27:30) (Maurer)

principais – líderes. A Septuaginta traduz “carneiros”, realizando a imagem (compare Is 14:9; Zc 10:3).

dias do seu massacre … de … dispersões – em vez disso, “os seus dias para abate (isto é, o tempo de você ser morto), e as suas dispersões (não ‘das suas dispersões’), são realizadas (estão chegando)”.

vaso precioso – outrora foi um vaso precioso, mas caíreis e, assim, serás um vaso quebrado (ver em Jr 22:28). “Sua excelência passada não o deixará seguro agora. Eu me voltarei para sua ignomínia, qualquer que seja a glória que eu conferi a você ”(Calvino).

35 E não haverá meio de fuga para os pastores, nem escape para os líderes do rebanho.

escapando (falhará) o principal ”etc. (Am 2:14). Os líderes serão os primeiros objetos para abate; Escape por vôo estará fora de seu poder.

36 Haverá voz do grito dos pastores, e uivo dos lideres do rebanho; porque o SENHOR assolou os seus pastos.
37 E as pastagens quietas serão devastadas por causa do furor da ira do SENHOR.

habitações – em vez disso, a realização da imagem “pastagens” (ver em Jr 25:30). Os pastos onde, pacificamente e sem incursão de animais selvagens, os rebanhos se alimentaram, serão destruídos; isto é, as regiões onde, até então, havia paz e segurança (aludindo ao nome Salem, ou Jerusalém, “possuindo a paz”).

38 Ele deixou seu abrigo tal como filhote de leão; pois assolada foi a terra deles, pelo furor do opressor, e pelo furor de sua ira.

seu abrigo – o templo, onde até então, como um leão, como seu defensor, pelo mero terror de Sua voz Ele afastou o inimigo; mas agora Ele deixa uma presa para os gentios (Calvino).

ferocidade de … opressor – sim, como o hebraico, para “opressor” é um adjetivo feminino, a palavra “espada” é entendida, que, em Jr 46:16; 50:16 é expresso (na verdade, alguns manuscritos e a Septuaginta leram “espada” em vez de “ferocidade” aqui; provavelmente interpolados de Jr 46:16), “a espada opressora”. O hebraico para “oprimir” significa também um “Pomba”: pode haver, portanto, uma alusão encoberta ao estandarte caldeu que traz uma pomba sobre ele, em honra de Semiramis, a primeira rainha, disse na superstição popular ter sido alimentada por pombas quando exposta ao nascimento, e na morte ter sido transformado em uma pomba. Seu nome pode vir de uma raiz referindo-se ao arrulhar de uma pomba. Aquele pássaro foi considerado sagrado para a deusa Vênus. A Vulgata traduz assim “a ira da pomba”.

sua … raiva – Se a ira de Nabucodonosor não pode ser evitada, quanto menos a de Deus (compare Jr 25:37)!

<Jeremias 24 Jeremias 26>

Leia também uma introdução ao Livro de Jeremias.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.