Bíblia, Revisar

Jeremias 26

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!

Jeremias declarou digno de morte, mas pela interposição de Ahikam salvo; Os casos semelhantes de Micah e Urijah sendo aduzidos em favor do profeta.

1 No princípio do reinado de Jeoaquim, filho de Josias, rei de Judá, veio esta palavra do SENHOR,dizendo:

As profecias que deram a ofensa foram as dadas em detalhes no sétimo, oitavo e nono capítulo (compare Jr 26:6 aqui com Jr 7:12,14); e sumariamente referido aqui [Maurer], provavelmente pronunciado em uma das grandes festas (a dos tabernáculos, segundo Ussher; pois os habitantes de “todas as cidades de Judá” são representados como presentes, Jr 26:2). Veja em Jr 7:2.

2 Assim diz o SENHOR: Põe-te no pátio da casa do SENHOR, e fala a todas as cidades de Judá, que vêm para adorar na casa do SENHOR, todas as palavras que te mandei que lhes falasses; não diminuas uma só palavra.

no tribunal – o maior tribunal, a partir do qual ele poderia ser ouvido por todo o povo.

venha adorar – A adoração é vã sem obediência (1Sm 15:21-22).

todas as palavras – (Ez 3:10).

não diminuas uma só palavra – (Dt 4:2; 12:32; Pv 30:6; At 20:27; 2Co 2:17; 4:2; Ap 22:19). Não suprimindo ou suavizando nada por medo de ofender; nem estabelecendo friamente e indiretamente o que só pode fazer a afirmação forçada fazer o bem.

3 Pode ser que ouçam, e se convertam cada um de seu mal caminho; então eu me arrependeria do mal que pretendo lhes fazer pela maldade de suas ações.

se assim for – expresso de acordo com concepções humanas; não como se Deus não conhecesse previamente todas as contingências, mas marcasse a obstinação das pessoas e a dificuldade de curá-las; e para mostrar Sua própria bondade em fazer a oferta que os deixou sem desculpa (Calvino).

4 Dize-lhes, pois: Assim diz o SENHOR: Se não me ouvirdes para andardes em minha Lei, a qual dei diante de vós,
5 Para dar atenção às palavras de meus servos, os profetas, que eu vos envio, insistentemente os enviando, mas não os ouvistes;

profetas – os inspirados intérpretes da lei (Jr 26:4), que a adaptaram ao uso do povo.

6 Então farei desta casa como a Siló, e tornarei esta cidade em maldição a todas as nações da terra.

como Siló – (veja Jr 7:12,14; 1Sm 4:10-12; Sl 78:60).

maldição – (Jr 24:9; Is 65:15).

7 E os sacerdotes, os profetas, e todo o povo, ouviram a Jeremias falar estas palavras na casa do SENHOR.
8 E sucedeu que, acabando Jeremias de falar tudo o que o SENHOR tinha lhe mandado falar a todo o povo, os sacerdotes e os profetas e todo o povo lhe pegaram, dizendo: Certamente morrerás;

sacerdotes – O capitão do templo teve o poder de proferir infratores no templo com uma sanção dos sacerdotes.

profetas – os falsos profetas. A acusação contra Jeremias era a de expressar falsidade no nome de Jeová, um ato punível com a morte (Dt 18:20). Sua profecia contra o templo e a cidade (Jr 26:11) pode ser explicitamente representada como contradizendo as próprias palavras de Deus (Sl 132:14). Compare a acusação semelhante contra Estevão (At 6:13-14).

9 Pois profetizaste em nome do SENHOR, dizendo: Esta casa será como Siló, e esta cidade será assolada até não restar morador.E juntou-se todo o povo contra Jeremias na casa do SENHOR.
10 E os príncipes de Judá, ao ouvirem estas coisas, subiram da casa do rei à casa do SENHOR; e sentaram-se à entrada da porta nova do SENHOR.

príncipes – membros do Conselho de Estado ou Grande Conselho, que tomou conhecimento de tais ofensas.

ouviu – o clamor do tumulto popular.

subiu – da casa do rei ao templo, que ficava mais alto que o palácio.

sentou – como juízes, no portão, o lugar habitual de tentar tais casos.

pota nova – originalmente construído por Jotão (“o portão superior”, 2Rs 15:35) e agora restaurado recentemente.

11 Então os sacerdotes e os profetas falaram aos príncipes e a todo o povo, dizendo: Pena de morte deve ter este homem, pois profetizou contra esta cidade, como ouvistes com vossos próprios ouvidos.
12 E Jeremias falou a todos os príncipes e a todo o povo, dizendo: O SENHOR me enviou para profetizar contra esta casa e contra esta cidade todas as palavras que ouvistes.

Senhor me enviou – uma justificativa válida contra quaisquer leis alegadas contra ele.

contracontra – sim, “concernente”. Jeremias evita propositalmente dizer “contra”, que irritaria desnecessariamente. Eles tinham usado a mesma palavra hebraica (Jr 26:11), que deveria ser traduzida como “preocupante”, embora eles quisessem dizer isso no sentido desfavorável. Jeremias assume sua palavra em um sentido melhor, sugerindo que ainda há espaço para o arrependimento: que suas profecias visam o verdadeiro bem da cidade; para ou sobre esta casa … cidade (Grotius).

13 Agora, portanto, melhorai vossos caminhos e vossas ações, e ouvi à voz do SENHOR vosso Deus; então o SENHOR mudará de ideia quanto ao mal que falou contra vós.

(Jr 26:3,19).

14 Eu, porém, eis que estou em vossas mãos: fazei de mim como parecer melhor e mais correto aos vossos olhos.

A humildade de Jeremias é mostrada aqui, e submissão aos poderes que são (Rm 13:1).

15 Mas sabei certamente que, se vós me matardes, então trareis sangue inocente sobre vós, e sobre esta cidade, e sobre seus moradores; porque em verdade o SENHOR me enviou a vós para falar aos vossos ouvidos todas estas palavras.

sobre si mesmos – Até agora você estará longe de escapar dos males previstos, derramando meu sangue, que você, por esse mesmo ato, apenas incorrerá em penalidades mais pesadas (Mt 23:35).

16 Então os príncipes e todo o povo disseram aos sacerdotes e profetas: Este homem não é merecedor de pena de morte, porque em nome do SENHOR nosso Deus ele nos falou.

todo o povo – As pessoas volúveis, como eles foram anteriormente influenciados pelos sacerdotes para clamar por sua morte (Jr 26:8), então agora sob a influência dos príncipes exigem que ele não seja condenado à morte. Compare-se a Jesus, o antítipo de Jeremias, os hosannas da multidão alguns dias antes do mesmo povo, persuadido pelos sacerdotes como neste caso, clamaram, Afastem-se com Ele, crucifiquem-no (Mt 21:1-11; 27:20-25). Os sacerdotes, por inveja do seu santo zelo, eram mais inimigos do que os príncipes, cujo ofício era mais secular que religioso. Um profeta não poderia legalmente ser condenado à morte a menos que profetizasse em nome de outros deuses (portanto, eles dizem “em nome do Senhor”), ou depois que sua profecia falhou em sua realização. Enquanto isso, se ele previsse calamidade, ele poderia ser preso. Compare o caso de Micaiah (1Rs 22:1-28).

17 E se levantaram alguns dos anciãos da terra, e falaram a todo o ajuntamento do povo, dizendo:

Compare a interposição de Gamaliel (At 5:34, etc.).

anciãos – alguns dos “príncipes” mencionados (Jr 26:16) aqueles cuja idade, bem como a dignidade, dariam peso aos precedentes dos tempos passados ​​que eles acrescentam.

18 Miqueias, o morastita, profetizou nos dias de Ezequias rei de Judá, e falou a todo o povo de Judá, dizendo: Assim diz o SENHOR dos exércitos: Sião será arada como campo, e Jerusalém se tornará em amontoados de pedras, e o monte do templo em lugares altos de mato.

(Mq 3:12)

Morasthite – chamado assim de uma aldeia da tribo de Judá.

Ezequias – O precedente no reinado de um rei tão bom provou que Jeremias não foi o único profeta, ou o primeiro, que ameaçou a cidade e o templo sem incorrer em morte.

monte do templo – Moriah, em que estava o templo (peculiarmente chamado de “a casa”) será coberto com bosques em vez de edifícios. Jeremias, citando profecias anteriores, nunca o faz sem alteração; ele adapta a linguagem ao seu próprio estilo, mostrando assim sua autoridade em seu tratamento das Escrituras, como sendo ele próprio inspirado.

19 Por acaso foi ele morto por Ezequias rei de Judá e todo Judá? Por acaso Ezequias não temeu ao SENHOR, e orou na presença do SENHOR, e o SENHOR mudou de ideia quanto ao mal que tinha falado contra eles? E nós, faremos pois tão grande mal contra nossas próprias almas?

Ezequias, longe de matá-lo, foi levado a “temer ao Senhor” e orar pela remissão da sentença contra Judá (2Cr 32:26).

O Senhor se arrependeu – (Êx 32:14; 2Sm 24:16).

Assim, se matarmos Jeremias.

20 Houve também um homem que profetizava em nome do SENHOR: Urias, filho de Semaías de Quiriate-Jearim, o qual profetizou contra esta cidade e contra esta terra, conforme todas as palavras de Jeremias;

Como a fuga e captura de Urijah deve ter ocupado algum tempo, “o começo do reinado de Jeoiaquim” (Jr 26:1) não deve significar o início, mas o segundo ou terceiro ano de seu reinado de onze anos.

E… também – talvez conectado com Jr 26:24, como o comentário do escritor, não a continuação do discurso dos anciãos: “E embora também um homem que profetizasse… Urijá… (provando quão grande era o perigo em que Jeremias e quão maravilhosa é a providência de Deus em preservá-lo), no entanto a mão de Aikam ”, etc. [Glassius]. O contexto, no entanto, implica antes que as palavras são a continuação da fala anterior dos anciãos. Eles acrescentam outra instância além da de Miquéias, embora de um tipo diferente, a saber, de Urijá: ele sofreu por suas profecias, mas elas implicam, embora não se aventurem a expressá-la, que assim o pecado foi acrescentado ao pecado, e que não fez bem a Jeoiaquim, pois a condição notória do estado neste momento mostra que uma vingança mais pesada está iminente se perseverarem em tais atos de violência (Calvino).

21 E quando ouviu suas palavras o rei Jeoaquim, e todos seus grandes, e todos seus príncipes, então o rei procurou matá-lo; e Urias, ao ouvir isso , teve medo, fugiu, e foi ao Egito;
22 Porém o rei Jeoaquim enviou alguns homens a Egito: Elnatã filho de Acbor, e outros homens com ele, ao Egito;

a Egito – Ele havia sido colocado no trono pelo faraó do Egito (2Rs 23:34). Isso explica a prontidão com que ele conseguiu que os egípcios entregassem Urijá a ele, quando aquele profeta buscou um asilo no Egito. Urijah foi fiel em entregar sua mensagem, mas com defeito em deixar o seu trabalho, por isso Deus permitiu que ele perdesse a sua vida, enquanto Jeremias estava protegido em perigo. O caminho do dever é frequentemente o caminho da segurança.

23 Os quais tiraram a Urias do Egito, e o trouxeram ao rei Jeoaquim, que o feriu à espada, e lançou seu cadáver nas sepulturas do povo comum.

nas sepulturas do povo comum – literalmente, “filhos do povo” (compare 2Rs 23:6). Os profetas parecem ter tido um cemitério separado (Mt 23:29). O corpo de Urijah foi negado essa honra, a fim de que ele não devesse ser considerado um verdadeiro profeta.

24 Porém a mão de Aicã, filho de Safã, foi com Jeremias, para que não o entregassem nas mãos do povo para o matarem.

Aicã – filho de Shaphan, o escriba, ou secretário real. Ele foi um dos que o rei Josias, quando atingido pelas palavras do livro da lei, enviou para inquirir do Senhor (2Rs 22:12,14). Por isso, sua interferência aqui em nome de Jeremias é o que devemos esperar de sua associação passada com aquele bom rei. Seu filho, Gedalias, seguiu os passos de seu pai, de modo que ele foi escolhido pelos babilônios como aquele a quem eles cometeram Jeremias por segurança depois de tomar Jerusalém, e em cuja lealdade eles podiam confiar em colocá-lo sobre o remanescente do pessoas na Judéia (Jr 39:14; 2Rs 25:22).

do povo para o matarem – Príncipes muitas vezes, quando querem destruir um homem bom, preferem que seja feito por um tumulto popular em vez de por sua própria ordem, de modo a colher o fruto do crime sem ódio para si mesmos (Mt 27:20).

<Jeremias 25 Jeremias 27>

Leia também uma introdução ao Livro de Jeremias.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados