Jeremias 20

1 E Pasur, filho de Imer, o sacerdote, que era o principal supervisor na casa do SENHOR, ouviu a Jeremias enquanto profetizava estas palavras.

de vinte e quatro governadores originais do santuário e da casa de Deus, vinte e quatro ao todo, isto é, dezesseis dos filhos de Eleazar e oito dos filhos de Itamar (1Cr 24:14). Este pashur é distinto de Pasur, filho de Melquias (Jr 21:1). Os “capitães” (Lc 22:4) parecem ter estado sobre as vinte e quatro guardas do templo, e têm apenas o direito de se apresentarem a qualquer um que seja culpado de delinquência dentro dele; Mas o poder tinha que ser judicial sobre tais coisas (Grotius) (Jr 26:8,10,16).

2 Então Pasur feriu ao profeta Jeremias, e o pôs no tronco que ficava à porta superior de Benjamim, a qual fica na casa do SENHOR.

O fato de Pachur da mesma ordem e da mesma família que Jeremias agrava a indignidade do golpe (1Rs 22:24; Mt 26:67).

As ações – um instrumento de tortura com cinco buracos, em que o resgate, duas mãos e dois pés foram empurrados, o corpo sendo mantido em uma postura torta (Jr 29:26). De uma raiz hebraica, para “virar” ou “cremalheira”. Isso marca a crueldade de Pashur.

alto – isto é, o portão superior (2Rs 15:35).

porta superior de Benjamim – uma porta na parede do templo, correspondente à porta de Benjamim, dita na muralha da cidade, na direção do território de Benjamim (Jr 7:2; 37:13; 38:7). O portão do templo de Benjamim, em uma posição elevada, era chamado de “porta alto”, para distinguir o portão da muralha da cidade de Benjamim.

3 E foi no dia seguinte que Pasur tirou a Jeremias do tronco. Disse-lhe então Jeremias: O SENHOR não chama teu nome Pasur, mas sim “Terror por todos os lados”.

Pasur – composto de duas raízes, significando “grandeza (e assim ‘segurança’) de todos os lados”; em antítese a Magor-missabib, “terror ao redor” (Jr 20:10; 6:25; 46:5; 49:29; Salmo 31:13).

4 Porque assim diz o SENHOR: Eis que eu farei de ti um terror a ti mesmo, e a todos os teus amigos; e cairão pelo espada de seus inimigos, e teus olhos o verão; e a todo Judá entregarei na mão do rei da Babilônia, e os levará cativos a Babilônia, e os ferirá à espada.

a todos os teus amigos – que acreditaram em suas falsas promessas (Jr 20:6). O sentido deve ser de acordo com o medo ao redor (Jr 20:3). Eu trarei terror sobre todos os teus amigos, o terror que surge de ti mesmo, ou seja, como tuas falsas profecias. Tu e as tuas profecias são vistas, para consternação de ti e dos teus tolos, para usarem a sua ruína e a tua. A tradução de Maurer, portanto, não é necessária: “Você pode desistir de todos os seus amigos para o terror”.

5 Entregarei também toda a riqueza desta cidade, e todo seu trabalho, e todas suas coisas preciosas; e entregarei todos os tesouros dos reis de Judá nas mãos de seus inimigos, e os saquearão, e os tomarão, e os levarão a Babilônia.

força – isto é, recursos.

labores – frutos do trabalho, ganho, riqueza.

6 E tu, Pasur, e todos os moradores de tua casa ireis ao cativeiro, e entrarás na Babilônia, e ali morrerás; e ali serás sepultado, tu, e todos os teus amigos, aos quais profetizaste falsamente.

profetizaste falsamente – um sabre, que não pode sair por terra sem profetas, sacerdotes e mestres (“os sábios”) (Jr 18:18; compare com Jr 5:31).

7 Persuadiste-me, ó SENHOR, e eu fiquei persuadido; mais forte foste que eu, e prevaleceste; sirvo de escárnio o dia todo; cada deles zomba de mim.

A queixa de Jeremias, não muito diferente da de Jó, expressa um pouco da fraqueza humana, em consequência de sua prisão. Tu prometeste nunca me entregar à vontade dos meus inimigos, e ainda assim o fizeste. Mas Jeremias entendeu mal a promessa de Deus, que não era que ele não teria nada a sofrer, mas que Deus o livraria dos sofrimentos (Jr 1:19).

Persuadiste-me, ó SENHOR, e eu fiquei persuadidopara assumir a ofício profético, “e eu fui persuadido”, isto é, me permiti ser persuadido a empreender o que eu acho muito difícil para mim. Assim, hebraica é usada em um bom sentido (Gênesis 9:27; Pv 25:15; Os 2:14).

mais forte foste que eu, e prevaleceste – fizeste-me profetizar, apesar da minha relutância – (Jr 1,5-7); no entanto, quando exerço meu ofício, sou tratado com zombaria (Lm 3,14). [JFB, Revisar]

8 Pois desde que falo, grito; eu clamo violência e destruição; pois a palavra do SENHOR tem me servido de insulto e zombaria o dia todo.

Antes, “sempre que falo, clamo. No que diz respeito à violência e estragar, eu sou obrigado a gritar ”, isto é, queixar-se (Maurer) “Eu chorei violência e estraguei” (Jr 6:7)! Eu não tive falar em tom calmo; sua maldade desesperada me obrigou a “gritar”.

porque – pelo contrário, “portanto”, uma apodosis da sentença anterior; As minhas palavras proféticas, não apenas falei, mas chorei; e chorou, violência…; por isso, a palavra do Senhor me fez vergonha (Jr 20:7).

9 Então eu disse: Não me lembrarei dele, nem falarei mais em seu nome; porém ela foi em meu coração como um fogo ardente contido em meus ossos; resisti até me cansar, mas não pude.

eu disse: Não me lembrarei dele, nem falarei mais em seu nome. O sentido de uma obra sem esperança, destinada a falhar, pesou na alma do profeta, e ele teria desmaiado; mas ela ardeu como fogo dentro dele, e não seria contida.

resisti até me cansar, mas não pude. Deus havia prevalecido contra ele, o obrigou a empreender uma obra contra sua vontade, mas ele não podia prevalecer contra Deus. Assim como grande parte da linguagem de Jeremias, isto também veio dos hinos de Israel (Psa. 39:3). [Ellicott, Revisar]

10 Porque ouço a murmuração de muitos, temor por todos os lados: Anunciai, e anunciaremos. Todos os meus amigos observam meu manquejar, dizendo: Talvez se enganará; então prevaleceremos contra ele, e nos vingaremos dele.

Porque – não se referindo às palavras imediatamente anteriores, mas a “não farei menção a Ele”. A “difamação” ou a detração do inimigo por todos os lados (ver Salmo 31:13) tentaram-no a pensar em não profetizar mais.

Relatório… nós reportaremos – As palavras de seus adversários um ao outro; dar qualquer informação contra ele (verdadeiro ou falso), que dará cor para acusá-lo; e “vamos denunciá-lo”, isto é, ao Sinédrio, a fim de esmagá-lo.

meus amigos – literalmente, “homens da minha paz”; aqueles que fingiram estar em paz comigo (Sl 41:9). Jeremias é um tipo de Messias, referido naquele Salmo. (Veja Jr 38:22; Jó 19:19; Sl 55:13-14; Lc 11:53-54).

observam meu manquejar – (Salmo 35:15, Margem, “parada”; Salmo 38:17; 71:10). Gesenius não traduz tão bem, segundo o idioma árabe, “aqueles que guardam meu lado” (isto é, meus amigos mais íntimos sempre ao meu lado), em aposição aos “familiares”, e o assunto de “dizer” (em vez de “dizer” ”). O hebraico significa apropriadamente “lado”, depois “parada”, quando a parada se dobra de um lado.

11 Mas o SENHOR está comigo como temível guerreiro; por isso meus perseguidores tropeçarão, e não prevalecerão; eles serão muito envergonhados, por não terem agido prudentemente; terão humilhação perpétua, que jamais será esquecida.

Mas o Senhor está comigo. Como em Salmos 22 e outras afirmações semelhantes, o profeta, embora perplexo, ainda não está desesperado (2Co. 4:8). Ele passa através das águas profundas, mas luta para fora delas até a rocha de refúgio. A palavra “terrível” foi usada com um significado especial. Jeová havia prometido libertar o profeta dos “terríveis” (Jr. 15:21). Ele, o Deus poderoso (Isa. 9:6) agora mostraria que Ele era mais terrível do que os inimigos do profeta, que era melhor vir sob a ira deles do que sob a Sua (Isa. 8:12-13). [Ellicott, Revisar]

12 Tu, SENHOR dos exércitos, que examinas o justo, que vês os sentimentos e pensamentos, faz-me ver a tua vingança sobre eles; pois a ti revelei a minha causa.

que examinas o justo – em contraste latente com os apressados ​​juízos dos homens (Jr 11:20; 17:10).

aberto – isto é, cometido (compare 2Rs 19:14; Salmo 35:1).

13 Cantai ao SENHOR, louvai ao SENHOR; pois ele livra a alma do necessitado da mão dos malfeitores.

entregue… alma – Esta libertação aconteceu quando Zedequias sucedeu Jeconias.

14 Maldito seja o dia em que nasci! O dia em que minha mãe me teve não seja bendito!

O contraste entre o espírito desta passagem e a ação de graças precedente deve ser explicado assim: para mostrar quão grande era o livramento (Jr 20:13), ele une uma imagem do que seu espírito ferido tinha sido antes de sua libertação; Eu havia dito no tempo da minha prisão: “Amaldiçoado seja o dia”; meu sentimento era o de Jó (Jó 3:3,10-11, cujas palavras Jeremias, portanto, copia). Embora o zelo de Jeremias tivesse sido despertado, não tanto para si mesmo, como para a honra de Deus pisoteada pela rejeição das palavras do profeta, ainda assim foi intemperante quando ele fez de seu nascimento um assunto para amaldiçoar, o que era realmente um terreno para ação de graças.

15 Maldito seja o homem que deu as novas a meu pai, dizendo, Um filho macho te nasceu, trazendo-lhe assim muita alegria.

Um filho macho – O nascimento de um filho é no Oriente um assunto especial de alegria; enquanto que de uma filha muitas vezes não é assim.

16 E seja tal homem como as cidades que o SENHOR assolou sem se arrepender; e ouça gritos de manhã, e clamores ao meio dia;

as cidades – Sodoma e Gomorra.

gritos de manhã, e clamores ao meio dia – isto é, deixá-lo em alarme o dia inteiro (não apenas à noite quando os terrores geralmente prevalecem, mas durante o dia quando é algo extraordinário) com terríveis gritos de guerra, como em uma cidade sitiada (Jr 18:22).

17 Por ele não ter me matado no ventre, de modo que minha mãe teria sido minha sepultura, e o ventre uma gravidez perpétua.

ele – “aquele homem” (Jr 20:15-16).

do útero – isto é, naquele tempo, enquanto eu ainda estava no útero.

18 Para que saí do ventre? Para ver trabalho e dor, e meus dias serem gastos com vergonha?
<Jeremias 19 Jeremias 21>

Visão geral de Jeremias

No livro de Jeremias, o profeta “anuncia que Deus irá julgar os pecados de Israel com um exílio para a Babilônia. E então, ele vive os horrores das suas previsões. Tenha uma visão geral deste livro através do vídeo a seguir produzido pelo BibleProject. (8 minutos)

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Leia também uma introdução ao Livro de Jeremias.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.