Jeremias 18

1 Palavra que veio do SENHOR a Jeremias, dizendo:

Comentário de F. D. Hemenway

Um título geral dos três capítulos seguintes, que devem ser considerados em conjunto como constituindo uma única seção. Esta seção é composta de duas partes; distintas, mas mutuamente complementares. A primeira (cap. 18) contém a parábola do oleiro e do vaso deformado; a segunda (cap. 19, 20) dá conta da quebra do jarro, e das advertências e perseguições que se seguiram. [Whedon]

2 Levanta-te, e desce à casa do oleiro; e ali te farei ouvir minhas palavras.

Comentário de A. R. Fausset

desce à casa do oleiro – ou seja, do terreno elevado em que o templo se encontrava, perto do qual Jeremias exercia seu ofício profético, até o solo baixo, onde alguma oleiro conhecido (essa é a força do “o”) tinha sua oficina. [JFB]

3 Então desci à casa do oleiro, e eis que ele estava fazendo uma obra sobre a roda.

Comentário de A. R. Fausset

roda: O torno horizontal do oleiro consistia em duas placas redondas, a inferior maior, a superior menor; de pedra originalmente, mas depois de madeira. Na parte superior, o oleiro moldava o barro em formas que ele gostava. Eles são encontrados representados em materiais egípcios. [Fausset]

4 E o vaso de barro que ele estava fazendo se quebrou na mão do oleiro; então ele voltou a fazer dele outro vaso, conforme o que ao oleiro pareceu melhor fazer.

Comentário de E. H. Plumptre

O profeta foi pelo impulso que sabia ser de Deus para o “campo” no vale de Hinom; ele ficou de pé e contemplou, e então, enquanto observava, foi levado a ver na obra do oleiro uma parábola da história do mundo: Deus como o grande artífice, homens e nações como os vasos que Ele faz para usos honrosos ou desonrosos (2Ti. 2:20; Rom. 9:21). [Ellicott]

5 Então veio a mim palavra do SENHOR, dizendo:

Comentário de Keil e Delitzsch

(2-5) Por ordem de Deus, Jeremias deve ir e ver o tratamento do oleiro do barro, e receber depois a interpretação de Deus do mesmo. Aqui ele colocou diante de seus olhos o que sugere uma comparação do homem com o barro e de Deus com o oleiro, uma comparação que freqüentemente ocorreu aos hebreus, e que havia sido feita para aparecer na primeira formação do homem (compare com Jó 10:9; Jó 33:6; Isaías 29:16; Isaías 45:9; Isaías 64:7). Isso é feito para que ele possa representar forçosamente ao povo, por meio do emblema, o poder do Senhor para fazer de acordo com Sua vontade com todas as nações, e assim também com Israel. Do “descer”, deduzimos que as olarias de Jerusalém ficavam em um vale perto da cidade. האבנים são as molduras redondas por meio das quais o oleiro moldava seus vasos. Este sinal. da palavra é bem aprovado aqui; mas em Êxodo 1:16, onde também é encontrado, o significado é duvidoso, e é uma questão de saber se a derivação é de אבן ou de אופן, roda. O perfecta consec. ונשׁחת e ושׁב designam, tomadas em conexão com o particípio עשׂה, ações que possivelmente foram repetidas: “e se o vaso se estragou, ele o fez de novo”; compare com Ew. 342, B. עשׂה , trabalhando em barro, do material no qual os homens trabalham para fazer algo dele; compare com Êxodo 31: 4 . [Delitzsch, aguardando revisão]

6 Por acaso não poderei eu fazer de vós como este oleiro, ó casa de Israel? diz o SENHOR. Eis que tal como o barro na mão do oleiro, assim sois vós em minha mão, ó casa de Israel.

Comentário de A. R. Fausset

Por acaso não poderei eu fazer de vós como este oleiro, ó casa de Israel? Refutando a confiança dos judeus em seus privilégios externos como o povo eleito de Deus, como se Deus nunca pudesse rejeitá-los. Mas se o oleiro, uma mera criatura, tem o poder de jogar fora um vaso estragado e fazer outro barro do chão, o Criador, pode rejeitar o povo que se mostra infiel a Sua eleição, e pode levantar outros em seu lugar (compare Isaías 45:9; 64:8; Romanos 9:20-21). É curioso que o campo do oleiro foi comprado com o preço da traição de Judas (Mateus 27:9-10: um vaso de oleiro se despedaçou, compare Salmo 2:8-9,27), por não ter respondido ao desígnio do Criador, sendo a própria imagem para descrever o poder soberano de Deus para rejeitá-lo à destruição, não por capricho, mas no exercício do Seu justo juízo. [JFB]

7 Caso em algum momento eu falar contra uma nação e contra um reino, para arrancar, dissipar, e destruir,

Comentário de A. R. Fausset

Caso em algum momento: quando a nação menos espera. Por meio dele ele lembra aos judeus quão maravilhosamente Deus os livrou de sua degradação original, isto é, em um e no mesmo dia vocês foram os mais miseráveis, e então os mais favorecidos de todos os povos (Calvino). [Fausset]

8 Se tal nação se converter de sua maldade, contra a qual falei, eu mudarei de ideia quanto ao mal que tinha pensado lhe fazer.

Comentário de A. R. Fausset

sua maldade: na antítese de “o mal que eu pensava fazer”.

mudarei de ideia: Deus aqui se adapta às concepções humanas. A mudança não está em Deus, mas nas circunstâncias que regulam as relações de Deus: assim como dizemos, a terra se afasta de nós quando navegamos, ao passo que somos nós que retrocedemos da terra (Ezequiel 18:21; 33:11). O princípio imutável de Deus é fazer o melhor que pode ser feito sob todas as circunstâncias; se então Ele não levou em conta a mudança moral em Seu povo (suas orações, etc.), Ele não estaria agindo de acordo com Seu próprio princípio imutável (Jeremias 18:9-10). Isso é aplicado praticamente ao caso dos judeus (Jeremias 18:11; ver Jeremias 26:3; Jonas 3:10). [Fausset]

9 Caso em algum momento eu falar de uma nação e de um reino, para edificar e para plantar;

Comentário de E. H. Plumptre

(7-10) As palavras levam os pensamentos do profeta de volta àqueles que ficaram gravados indelevelmente em sua memória quando ele foi chamado pela primeira vez para o seu trabalho (Jeremias 1:10). Ele agora é ensinado que esse trabalho era totalmente condicional. No discurso antropomórfico ousado, Jeová representa a si mesmo mudando Seu propósito, mesmo que de repente, “em um instante”, se a nação que é afetada por ele passa do mal para o bem ou do bem para o mal. Eterna Lei da Justiça, tratando com os homens segundo as suas obras. Esta, e não a afirmação de uma vontade arbitrária, irresistivelmente predestinadora, era a lição que o profeta havia aprendido com a parábola da roda do oleiro. [Plumptre, aguardando revisão]

10 Se ela fizer o mal diante dos meus olhos, não obedecendo à minha voz, eu mudarei de ideia quanto ao bem que tinha dito lhe fazer.

Comentário de E. H. Plumptre

(7-10) As palavras levam os pensamentos do profeta de volta àqueles que ficaram gravados indelevelmente em sua memória quando ele foi chamado pela primeira vez para o seu trabalho (Jeremias 1:10). Ele agora é ensinado que esse trabalho era totalmente condicional. No discurso antropomórfico ousado, Jeová representa a si mesmo mudando Seu propósito, mesmo que de repente, “em um instante”, se a nação que é afetada por ele passa do mal para o bem ou do bem para o mal. Eterna Lei da Justiça, tratando com os homens segundo as suas obras. Esta, e não a afirmação de uma vontade arbitrária, irresistivelmente predestinadora, era a lição que o profeta havia aprendido com a parábola da roda do oleiro. [Plumptre, aguardando revisão]

11 Então agora, fala, pois, a todo homem de Judá, e aos moradores de Jerusalém, dizendo: Assim diz o SENHOR: Eis que eu determino o mal contra vós, e faço planos contra vós; convertei-vos agora, cada um de seu mau caminho, e melhorai vossos caminhos e vossas ações.

Comentário de A. R. Fausset

eu determino o mal contra vós: aludindo à imagem precedente do “oleiro”, isto é, eu, Jeová, sou agora como se fosse o oleiro emoldurando o mal contra você; mas no caso de você se arrepender, está em meu poder enquadrar novamente minha forma de lidar com você. [Fausset]

12 Porém dizem: Não há esperança; porque seguiremos nossas próprias intenções, e faremos cada um o pensamento de seu maligno coração.

Comentário de A. R. Fausset

Não há esperança: Tuas ameaças e exortações são todas lançadas fora (Jeremias 2:25). Nosso caso é desesperado; estamos irremediavelmente abandonados aos nossos pecados e à sua penalidade. Nessa e nas seguintes orações, “Vamos andar segundo nossos próprios meios”, Jeremias faz com que expressem o estado real do caso, em vez dos subterfúgios hipócritas que eles estariam inclinados a apresentar. Então Isaías 30:10-11. [Fausset]

13 Portanto assim diz o SENHOR: Perguntai agora entre as nações, quem tenha ouvido tal coisa. Grande horror fez a virgem de Israel.

Comentário de A. R. Fausset

(Jeremias 2:10-11). Mesmo entre os pagãos era algo inédito, que uma nação deixasse de lado seus deuses por deuses estrangeiros, embora seus deuses sejam falsos deuses. Mas Israel abandonou o verdadeiro Deus por falsos deuses estrangeiros.

grande horror: (Jeremias 5:30).

virgem de Israel: (2Reis 19:21). Isso aumenta sua culpa, que Israel era a virgem que Deus havia especialmente prometido a ele. [Fausset]

14 Por acaso pode faltar neve nas rochas das montanhas do Líbano? Ou pode deixar de haver as águas frias que correm de terras distantes?

Comentário de A. R. Fausset

Existe algum homem (que vive perto dele) que deixaria a neve do Líbano (isto é, a água da neve fria e derretida do Líbano, como ele explica atualmente), que vem da rocha do campo (um nome poético para o Líbano)? Nenhum Israel, porém, abandona a Jeová, a fonte viva de perto, para as cisternas quebradas estrangeiras. [Fausset]

15 Porém meu povo se esqueceu de mim, queimando incenso à inutilidade, e fazem- lhes tropeçar em seus caminhos, nas veredas antigas, para que andassem por veredas de caminho não aplanado;

Comentário de A. R. Fausset

Porém: sim, “e ainda”; desafiando a ordem natural das coisas.

se esqueceu de mim: (Jeremias 2:32). Isto implica um conhecimento prévio de Deus, enquanto que Ele era desconhecido dos gentios; os judeus “esquecendo-se de Deus, portanto, surgiram de determinada perversidade.

fazem-lhes tropeçar:ou seja, os falsos profetas e sacerdotes idólatras.

veredas antigas: (Jeremias 6:16): os caminhos que os seus antepassados ​​piedosos trilharam. Não antiguidade indiscriminadamente, mas o exemplo dos pais que trilharam o caminho certo, é aqui elogiado.

não aplanado: não devidamente preparado: referindo-se ao centro elevado da estrada. Calvino traduz: “não pisado”. Eles não tinham precedentes de antigos santos para induzi-los a criar para si mesmos uma nova adoração. [Fausset]

16 Para tornar sua terra em desolação, e em assovios perpétuos; todo aquele que passar por ela se espantará e balançará sua cabeça.

Comentário de A. R. Fausset

assovios: (1Reis 9:8). Em sinal de desprezo. Aquilo que era para ser apenas o evento é atribuído ao propósito do povo, embora completamente diferente do que eles teriam a probabilidade de esperar. Sua finalidade é representada como sendo a destruição de seu país, porque foi o resultado inevitável de seu curso de atuação.

espantará e balançará sua cabeça: (2Reis 19:21; Mateus 27:39). Quando “abanar a cabeça” responde a “assobiar”, as respostas “surpreendidas” a “desoladas”, para as quais, portanto, Munster e outros traduzem, “um objeto de admiração” (Jeremias 19:8). [Fausset]

17 Tal como vento oriental, eu os espalharei diante do inimigo; eu lhes mostrarei as costas, e não o rosto, no dia de sua perdição.

Comentário de A. R. Fausset

vento oriental: um vento muito violento (Jó 27:21; Salmo 48:7; Isaías 27:8).

eu lhes mostrarei as costas, e não o rosto, no dia de sua perdição: como “eles viraram as costas para Mim … não a face deles” (Jeremias 2:27). [Fausset]

18 Então disseram: Vinde, e façamos planos contra Jeremias; porque a Lei não perecerá do sacerdote, nem o conselho do sábio, nem a palavra do profeta. Vinde e o firamos com a língua, e não prestemos atenção a nenhuma de suas palavras.

Comentário de A. R. Fausset

(Jeremias 11:19) Trazemos uma acusação capital contra ele, como um falso profeta; “Porque (enquanto ele prediz que esta terra deve ser deixada sem sacerdotes para ensinar a lei, Malaquias 2:7; sem escribas para explicar suas dificuldades; e sem profetas para revelar a vontade de Deus), a lei não perecerá do profeta , Etc .; desde que Deus fez destas uma instituição duradoura em Sua igreja, e a lei declara que elas nunca perecerão (Levítico 6:18; 10:11; compare com Jeremias 5:12) (Grotius).

Os sábios escribas e anciãos se juntaram aos sacerdotes. Talvez eles queiram dizer que devemos estar do nosso lado, apesar das palavras de Jeremias contra nós e nossos profetas (Jeremias 28:15-16; 29:25,32; 5:31); “Pois a lei não perecerá” etc. Eu prefiro a explicação de Grotius.

com… língua: por uma falsa acusação (Salmo 57:4; 64:3; 12:4; 50:19). “Para a língua” (Margem), isto é, por ele falar contra nós. “Na língua”, isto é, vamos matá-lo, para que ele não fale mais contra nós [Castalio]. [Fausset]

19 Ó SENHOR, presta atenção a mim, e ouve a voz dos que brigam comigo.

Comentário de A. R. Fausset

presta atenção a mim: em contraste com “não vamos dar ouvidos” (Jeremias 18:18). Como não me dão ouvidos, ouve-me, Senhor, e deixa que minhas palavras, pelo menos, tenham seu peso contigo. [Fausset]

20 Por acaso se pagará ao bem com o mal? Pois já cavaram uma cova para a minha alma! Lembra-te que me pus diante de ti para falar pelo bem deles, para desviar deles a tua ira.

Comentário de A. R. Fausset

Nos detalhes aqui especificados, Jeremias era um tipo de Cristo (Salmo 109:4-5; Jo 15:25).

minha alma: minha vida; eu (Salmo 35:7).

me pus diante de ti para falar pelo bem deles, para desviar deles a tua ira: assim Moisés (Salmo 106:23; compare Ezequiel 22:30). Então, Jesus Cristo, o antítipo de intercessores parciais anteriores (Isaías 59:16). [Fausset]

21 Portanto entrega os filhos deles à fome, e derrama-os pelo poder da espada; e restem suas mulheres sem filhos e viúvas; e seus maridos sejam postos a morte, e seus rapazes sejam feridos à espada na guerra.

Comentário de A. R. Fausset

derrama-os pelo poder da espada: Nesta oração ele não se entrega à vingança pessoal, como se fosse sua própria causa que estava em jogo; mas ele fala sob o ditado do Espírito, cessando de interceder e falando profeticamente, sabendo que eles estavam condenados à destruição como réprobos; para aqueles que não o faziam, ele sem dúvida deixou de interceder. Não devemos tirar um exemplo disso, o que é um caso especial.

postos a morte: ou, como em Jeremias 15:2, “perecer pela praga da morte” (Maurer) [Fausset]

22 Ouçam-se gritos de suas casas, quando tu trouxeres tropas contra eles de repente; pois cavaram uma cova para me prender, e armaram laços para meus pés.

cavaram uma cova: (Jeremias 18:20; Salmo 57:6; 119:85).

23 Mas tu, SENHOR, conheces todo o plano deles contra mim para me matar; não perdoes sua maldade, nem apagues o pecado deles de diante de tua presença, e tropecem diante de ti; faze assim com eles no tempo de tua ira.

Comentário de A. R. Fausset

não perdoes: (Salmo 109:9-10,14).

nem apagues o pecado deles (Apocalipse 20:12).

diante de ti: hipócritas suponham que Deus não está próximo, desde que escapem da punição; mas quando Ele castiga, dizem que eles estão diante Dele, porque eles não podem mais se lisonjear eles podem escapar de Seus olhos (compare Salmo 90:8).

faze assim: exerça Teu poder contra eles (Maurer)

tempo de tua ira: Embora pareça tardio, finalmente chegará o seu tempo (Eclesiastes 8:11-12; 2Pedro 3:9-10). [Fausset]

<Jeremias 17 Jeremias 19>

Introdução à Jeremias 18

Deus, como único Soberano, tem o direito absoluto de lidar com as nações de acordo com sua conduta para com Ele; Ilustrado de forma tangível pela moldagem de vasos do barro pelo oleiro.

Visão geral de Jeremias

No livro de Jeremias, o profeta “anuncia que Deus irá julgar os pecados de Israel com um exílio para a Babilônia. E então, ele vive os horrores das suas previsões. Tenha uma visão geral deste livro através do vídeo a seguir produzido pelo BibleProject. (8 minutos)

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Leia também uma introdução ao Livro de Jeremias.

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.