Bíblia

Salmo 119

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!

א (álefe)

1 Bem-aventurados são os puros em seus caminhos, os que andam na lei do SENHOR.

puros. Literalmente, “completos”, perfeitos ou sinceros (compare Sl 37:37).

seus caminhos. Ou “percurso da vida”.

andam na lei. Agem de acordo com ela (compare com Lc 1:6).

lei – de uma palavra que significa “ensinar”, é um termo de significado bastante geral, denotando a instrução da Palavra de Deus. [JFB]

2 Bem-aventurados são os que guardam os testemunhos dele, e o buscam com todo o coração;

testemunhos. A palavra de Deus é assim chamada, porque nela Ele testifica a favor da verdade e contra o pecado.

o buscam – isto é, um conhecimento Dele, com desejo de se conformar à Sua vontade. [JFB, 1871]

3 E não praticam perversidade, mas andam nos caminhos dele.

caminhos dele…a direção que Ele revela como a correta.

4 Tu mandaste que teus mandamentos fossem cuidadosamente obedecidos.

cuidadosamente obedecidos. Deus nunca deu um mandamento cujo cumprimento sabia ser impossível. E a tudo o que Ele ordenou, Ele requer obediência; e a Sua graça é suficiente para nós. Não devemos brincar com Deus. [Barnes, 1832]

5 Ah! Como gostaria que meus caminhos fossem dirigidos a guardar teus estatutos!

Como gostaria que meus caminhos fossem dirigidos. Preparados, ordenados corretamente e firmados (2Cr 27:6). Recordando a fragilidade e a instabilidade do homem, e sabendo que este não pode por si mesmo obedecer à lei de Deus, o salmista ora pelo poder divino para ordenar corretamente e estabelecer seus caminhos. [JFU, 1871]

6 Então não me envergonharia, quando eu observasse todos os teus mandamentos.

Não ficarei desiludido com a minha esperança de salvação quando considerar não apenas alguns, ou mesmo muitos, mas TODOS os teus mandamentos. Uma única cobiça poupada ou querida é incompatível com a salvação (Tg 2:10-11). [JFU, 1871]

7 Louvarei a ti com um coração correto, enquanto aprendo os juízos de tua justiça.

juízos. Regras de conduta formadas pelas decisões judiciais de Deus; daí o sentido amplo da palavra nos Salmos, de modo que inclui decisões de aprovação e condenação. [JFB]

8 Eu guardarei teus estatutos; não me abandones por completo.

por completo. O mesmo termo hebraico é traduzido como “cuidadosamente” em Salmo 119:4: “Tu mandaste que teus mandamentos fossem cuidadosamente obedecidos”: Eu quero guardá-los cuidadosamente: para que eu possa fazer isso, não me abandones por completo. O crente pode parecer quase abandonado; mas ele nunca é totalmente abandonado (Sl 37:24,28). [JFU, 1871]

ב (bete)

9 Com que um rapaz purificará o seu caminho? Sendo obediente conforme a tua palavra.

Com que um rapaz purificará o seu caminho? As ambições dos jovens são naturalmente fortes e propensas a contaminarem a alma (compare com Pv 1:4; 20:11).

Sendo obediente conforme a tua palavra. Comapre com Salmo 17:4. [JFU]

10 Eu te busco como todo o meu coração; não me deixes desviar de teus mandamentos.

Eu te busco como todo o meu coração. Assim todo o Judá, sob o reinado de Asa, “entraram em concerto de que buscariam ao SENHOR o Deus de seus pais, de todo seu coração e de toda sua alma” (2Cr 15:12,15).

não me deixes desviar de teus mandamentos. Como penalidade das minhas andanças: Deus acrescenta, “maldade a maldade” dos rebeldes (Sl 69:27). Não me desampares quando de coração te busco, mas ajuda-me pela tua graça. Assim, Israel suplica em Is 63:17: “Ó Senhor, por que nos fizeste errar dos teus caminhos?” [JFU]

11 Guardei a tua palavra em meu coração, para eu não pecar contra ti.

A segurança contra a queda (Sl 37:31). Assim fez Maria (Lc 2:19,51; Pv 7:1). Ele está seguro de que escorregará quem deixa escapar do seu coração a Palavra de Deus, o antídoto para o pecado. [JFU]

12 Bendito és tu, SENHOR; ensina-me os teus estatutos.

Ensinaste-me a conhecer-te e a louvar-te como Bendito; continua a ensinar-me ainda. Tu, que tens uma provisão de graça tão rica, como o Bendito, dá-me o ensinamento dela. [JFU]

13 Com meus lábios contei todos os juízos de tua boca.

(Dt 6:6-7) Embora eu tenha “escondido a tua Palavra no meu coração” (Sl 119:11), eu não a confino ali, mas a pronuncio com meus lábios.

contei. Literalmente, enumerei (Sifarti) em detalhes todos os juízos de tua boca. Faço tanto para ser mais familiarizado com eles, como também para ensiná-los aos outros. Assim como eu o ensino aos outros, assim tu os “ensina-me” (Sl 119:12). [JFU]

14 Eu me alegro mais com o caminho de teus estatutos, do que com todas as riquezas.

A obediência às leis pelas quais Deus testemunha a Sua vontade é a verdadeira riqueza que traz alegria à vida. Compare com o ensino de Pv 2:4; 3:13 em diante; 8:10-11,18-19; 16:16. [Cambridge, 1906]

15 Meditarei em teus mandamentos, e darei atenção aos teus caminhos.

Meditarei em teus mandamentos. Pensarei neles; encontrarei minha felicidade neles.

e darei atenção aos teus caminhos. E olharei para os teus caminhos – os teus mandamentos. Eu os observo continuamente, ou me refiro a eles em minha mente como o guia de minha vida. [Barnes]

16 Terei prazer em teus estatutos; não me esquecerei de tua palavra.

Terei prazer em teus estatutos. Encontrarei a minha felicidade nas tuas leis (Sl 1:2; 112:1)

não me esquecerei de tua palavra. Não deixarei que o mundo a tire da minha mente. [Barnes]

ג (guímel)

17 Trata bem o teu servo, para que eu viva, e obedeça tua palavra.

Trata bem. Compare com Salmo 13:6; 116:7; 142:7.

e obedeça tua palavra. Compare com Salmo 118:17. [Cambridge, 1906]

18 Abre meus olhos, para que eu veja as maravilhas de tua lei.

Abre. Literalmente, “Descobre”. A visão natural é incapaz de discernir os mistérios (Sl 119:27) da revelação divina; daí esta oração pela remoção do véu de seus olhos. Compare com 2Rs 6:17; Ef 1:17-18. [Cambridge]

19 Eu sou peregrino na terra, não escondas de mim os teus mandamentos.

Como estrangeiro na terra, não sei o que devo fazer, o que devo evitar; ensina-me ambos, revelando os teus mandamentos. Esta terra não é a casa do crente, mas a sua habitação. Como os estrangeiros devem esperar muitos inconvenientes, tu, que te preocupas com o estrangeiro, me levantas (Gejer). O caminho dos mandamentos de Deus é o caminho para a cidade celestial, onde o povo de Deus não será peregrino, mas filho na casa do Pai. Não escondas de mim o caminho. Até mesmo na terra de Canaã os verdadeiros israelitas se sentiram, como seus pais antes deles (Hb 11:13), “estrangeiros e peregrinos” (1Cr 29:15; Sl 39:12). Muito mais ainda os cristãos (1Pe 2:11). [JFU]

20 Minha alma está despedaçada de tanto desejar os teus juízos em todo tempo.

Um pedido de resposta à oração de Salmo 119:19. Sua alma se rompe, é esmagada, oprimida e consumida pelo desejo de um conhecimento mais pleno dos julgamentos de Deus, ou seja, a declaração confiável de Sua Vontade. [Cambridge]

21 Tu repreendes aos malditos arrogantes, que se desviam de teus mandamentos.

Este é um exemplo dos “juízos” desejados (Sl 119:20). Deus repreendeu o orgulhoso Faraó, que “se exaltou contra o povo de Deus” (Êx 9:17): Deus então mostrou que “é maior que todos os deuses, até naquilo em que se vangloriavam” (Êx 18:11). Senhor, repreenda-os novamente e defenda seu povo! Aqueles estão sob a maldição que se desviam de teus mandamentos (Dt 27:26; Gl 3:10). [JFU, 1871]

22 Tira-me de minha humilhação e desprezo, pois eu guardei teus testemunhos.

Tira-me. Literalmente “dispa-me”, a vergonha é vista como uma cobertura; mas provavelmente gôl, “remova”, deve ser lido em vez de gal, a vergonha é considerada como um fardo. Este versículo deve ser conectado com Salmo 119:21. Tu repreendes os arrogantes; repreende-os agora, e livra-me do desprezo que eles amontoam sobre mim por causa do meu cumprimento a Tua lei. [Cambridge, 1906]

23 Até mesmo os príncipes se sentaram, e falaram contra mim; porém o teu servo estava meditando em teus estatutos.

(Sl 119:161) O escudo do Israel de Deus contra as calúnias dos grandes homens deste mundo é meditação amorosa na Palavra de Deus. Não apenas em particular, mas “sentados” em deliberado “conselho” público (Sl 1:1), os príncipes do mundo falam contra o povo de Deus. Mas este não deve ser dissuadido de continuar em obediência aos estatutos de Deus, especialmente no caso de Jesus (At 4:5-7,25-27). [JFU]

24 Pois teus testemunhos são meus prazeres e meus conselheiros.

(Sl 119:77,92) – em oposição aos ‘príncipes assentados’ planejando contra ele (Sl 119:23). O rei Afonso, quando perguntado sobre quem eram os melhores conselheiros, respondeu, os mortos, ou seja, os livros; porque eles, sem bajulação, ensinam a pura verdade. Com mais razão, Davi chama as leis de Deus de seus conselheiros (Muis). [JFU, 1871]

ד (dálete)

25 Minha alma está grudada ao pó; vivifica-me conforme tua palavra.

A primeira sentença é de Salmo 44.25; compare com Salmo 22:15; Is 26.19. O pó é o lugar dos aflitos, dos feridos e dos mortos. Vivifica-me – ou seja, à paz e à alegria. [JFU]

26 Eu te contei os meus caminhos, e tu me respondeste; ensina-me conforme teus estatutos.

Eu te contei os meus caminhos, e tu me respondeste – isto é, na minha oração sob aflição (Sl 118:5,21). “Meus caminhos” estão aqui, toda a minha situação (Sl 37:5). Ele não quer dizer uma simples menção, mas um compromisso confidencial e decidido de si mesmo e de todas as suas preocupações com Deus, como um homem doente faz ao seu médico, um cliente ao seu advogado (Gejer).

ensina-me conforme teus estatutos – para que pela minha obediência a eles eu possa testemunhar a minha gratidão. [JFU, 1871]

27 Faze-me entender o caminho de teus preceitos, para eu falar de tuas maravilhas.

(Sl 145:5-6). Faça-me assim para apreciá-los com o coração e a mente (Sl 119:18), para que minha língua celebre suas obras maravilhosas, que são a expressão visível de teus preceitos. [JFU, 1871]

28 Minha alma se derrama de tristeza; levanta-me conforme tua palavra.

Quando a minha alma se derrama em lágrimas (Jó 16:20) de dor, fortalece-me segundo a Tua promessa. [Cambridge, 1906]

29 Desvia de mim o caminho de falsidade; e sê piedoso dando-me tua lei.

Ensina-me na tua palavra, pela qual a minha mente pode ser purificada da vaidade e ensinada a obedecer à tua vontade. [Genebra, 1645]

30 Eu escolhi o caminho da fidelidade; e pus diante de mim os teus juízos.

Eu escolhi o caminho da fidelidade. Entre todos os caminhos da vida eu escolhi este. Eu prefiro este. Desejo andar neste. A religião é, onde quer que exista, uma questão de preferência ou de escolha; e o amigo de Deus prefere o seu serviço ao serviço do mundo.

e pus diante de mim. Eu os coloquei diante da minha mente como o guia da minha conduta; eu fiz do cumprimento deles o fim e o objetivo da minha vida.

os teus juízos. Teus estatutos; as tuas leis. [Barnes, 1870]

31 Estou apegado a teus testemunhos; ó SENHOR, não me envergonhes.

Não desaponte minha esperança. Embora “a minha alma esteja apegada ao pó” (Sl 119:25), ela se apega ainda mais aos teus testemunhos, de modo que nenhum assunto, prazer ou ameaça possa me separar deles. [JFU, 1871]

32 Correrei pelo caminho de teus mandamentos, porque tu alargaste o meu coração.

O alargamento do coração compreende a expansão produzida pelo amor (2Co 6:11); também pelo aumento da sabedoria (1Co 4:29); também pela alegria (em contraste com a contração do coração que a tristeza produz), (Is 60:5; 4:1; 18:36). Correrei, não lentamente, mas com rapidez, pelo largo percurso dos teus mandamentos, esforçando cada nervo para alcançar a perfeição (1Co 9:24; Gl 5:7; Fp 2:16; 3:12-14). Como o sol (Sl 19:6). [JFU, 1871]

ה (hê)

33 Ensina-me, SENHOR, o caminho de teus estatutos, e eu o guardarei até o fim.

Ensina-me, SENHOR, o caminho de teus estatutos. Compreender a orientação espiritual de todos os estatutos, etc, sob a lei, exigia um ensinamento que só poderia vir de Deus.

e eu o guardarei até o fim. Aqui está uma coisa boa pedida para um bom final. Ele deseja um ensinamento celeste; não para fazer um desfile dele, mas para capacitá-lo a discernir o seu dever, para que possa agir de acordo com ele. [Clarke, 1832]

34 Dá-me entendimento, e eu guardarei a tua lei, e a obedecerei de todo o meu coração.

Dá-me entendimento – uma oração frequente dos piedosos (Sl 119:73). Só o Senhor o dá (Pv 2:6; Tg 1:5). [Clarke, 1832]

35 Faze-me andar na trilha de teus mandamentos, porque nela tenho prazer.

Tu que me deste a vontade, me dê a capacidade de realizar. Não abandone alguém que, por sua ajuda, já abraçou a tua Palavra. [JFU, 1871]

36 Inclina meu coração a teus testemunhos, e não à ganância.

ganância. Ou “ganho injusto”. Compare este e o versículo seguinte com Isaías 33:15.

37 Desvia meus olhos para que não olhem para coisas inúteis; vivifica-me pelo teu caminho.

O salmita ora a Deus, autor da vida, por força, para resistir à tentação e seguir Seus caminhos.

coisas inúteis. Tudo aquilo que é falso ou irreal. Compare com 1João 2:15-17.  [Cambridge, 1906]

38 Confirma tua promessa a teu servo, que tem temor a ti.

Essa é provavelmente a melhor tradução. Outra possibilidade seria: Cumpre a tua promessa para com o teu servo, para que sejas temido (NVI). Cumpre-me as promessas feitas aos que Te temem: ou, que visam promover e encorajar a reverência a Ti. Compare com Salmos 130:4. [Cambridge, 1906]

39 Desvia de mim a humilhação que eu tenho medo, pois teus juízos são bons.

a humilhação (“opróbrio” em algumas versões). Aqui, como em Salmos 119:22-23,42, refere-se ao desprezo que ele tem que suportar por causa da sua lealdade à lei de Deus.

pois teus juízos são bons. E por isso não devo padecer por guardá-los. Para os “juízos” consulte Salmos 119:13,20,30. [Cambridge, 1906]

40 Eis que amo os teus mandamentos; vivifica-me por tua justiça.

Ou então, Segundo a tua justiça, pela qual salvas os que confiam em ti. “O anseio pelos mandamentos de Deus é a marca distintiva do piedoso e o penhor da salvação”. (Hengstenberg) [JFU]

ו (vau)

41 E venham sobre mim tuas bondades, SENHOR; e também a tua salvação, segundo tua promessa.

tuas bondades. Bondades manifestadas em livramentos, segundo a tua promessa.

42 Para que eu tenha resposta ao que me insulta; pois eu confio em tua palavra.

Para que eu tenha resposta ao que me insulta (“aos que me afrontam”, NVI). A experiência pessoal da múltipla bondade de Deus manifestada em sua libertação permitirá que ele retorne uma resposta conclusiva para aqueles que o provocam com a inutilidade de servir a Deus. [Cambridge, 1906]

43 E nunca tires de minha boca a palavra da verdade, pois eu espero em teus juízos.

Este versículo deve ser tomado em conexão com Salmo 119:41-42. “E, portanto, não seja privado de poder para testemunhar a verdade diante de meus perseguidores, como seria se não tivesse experiência prática de Tua bondade, pois aguardei com esperança pelos Teus julgamentos”; aqui, como geralmente, não se refere a atos judiciais, mas a princípios do que é certo, que ele espera que se cumpram na vida. [Cambridge, 1906]

44 Assim obedecerei a tua lei continuamente, para todo o sempre.

Assim obedecerei a tua lei. Este é o seu desejo e propósito, se Deus lhe conceder graça.

continuamente, para todo o sempre. Incessantemente até ao fim da sua vida. Ou será que ele funde a sua própria personalidade com a da nação e aguarda ansiosamente a fidelidade das gerações vindouras? [Cambridge, 1906]

45 E andarei livremente por longas distâncias, pois busquei teus preceitos.

E andarei livremente. Literalmente, em um lugar amplo, pois o mandamento de Deus é “extremamente amplo”; sua obediência não representa nenhuma restrição, mas a mais verdadeira liberdade. Ou o sentido pode ser: Deixe-me andar em liberdade, livre do constrangimento da ansiedade e da perseguição. Compare com Salmos 119:32; 118:5.

busquei. Ou, estudei, prestei atenção nos. [Cambridge, 1906]

46 Também falarei de teus testemunhos perante reis, e não me envergonharei.

Assim como Paulo diante do Rei Agripa e Festo (At 26:1-2). Compare o aviso prévio de Jesus, Mateus 10:18-19. Em vez de se envergonharem, os seguidores de Cristo se gloriam de sofrer vergonha pelo Seu nome (At 5:41). Não são eles, mas seus adversários, que serão envergonhados (At 4:14; 6:10; 1Pe 3:16). [JFU]

Leia também Salmo 138:1.

47 E terei prazer em teus mandamentos, que eu amo.

Aqui ele expressa seu deleite pessoal (Sl 119:16) no estudo privado da palavra de Deus, como em Salmos 119:46 ele expressou sua profissão pública de fé nela. [JFU]

48 E levantarei as minhas mãos a teus mandamentos, que eu amo; e meditarei em teus estatutos.

levantarei as minhas mãos a teus mandamentosisto é, eu vou em oração (Sl 28:2) direcionar meu coração para guardar Teus mandamentos. [JFB, 1871]

ז (záin)

49 Lembra-te da palavra dada a teu servo, à qual mantenho esperança.

A palavra da promessa de Deus deu-lhe esperança, e ele implora que Deus não se esqueça disso. Como servo fiel, ele se atreve a reivindicar uma fidelidade correspondente de seu Senhor. [Cambridge]

50 Isto é meu consolo na minha aflição, porque tua promessa me vivifica.

Isto. Ou seja, Tua palavra, se o verso for uma continuação do anterior. Mas talvez a NVI traduza melhor “Este é o meu consolo…A tua promessa dá-me vida”. A experiência passada do poder sustentador da promessa de Deus que dá vida é o seu conforto na aflição. [Cambridge, 1906]

51 Os arrogantes têm zombado de mim demasiadamente; porém não me desviei de tua lei.

têm zombado de mim demasiadamente. Literalmente, desprezaram-me muito. Os homens arrogantes de quem o salmista fala pertenciam à classe dos “escarnecedores”, os ímpios que fazem do bem e do santo o objeto de ridicularização. Compare com Provérbios 21:24; e repare em Salmo 1:1. Embora o ridicularizem, ele não se desvia da sua sujeição à lei de Deus. [Cambridge, 1906]

52 Eu me lembrei de teus juízos muito antigos, SENHOR; e assim me consolei.

teus juízos muito antigosisto é, Suas intervenções passadas em favor de Seu povo são uma garantia de que Ele irá novamente interpor-se para libertá-los; e elas se tornam o tema de constante e prazerosa meditação. [JFB, 1871]

53 Eu me enchi de ira por causa dos perversos, que abandonam tua lei.

que abandonam tua lei. Certamente refere-se aos israelitas negligentes ou apóstatas. [Cambridge, 1906]

54 Teus estatutos foram meus cânticos no lugar de minhas peregrinações.

cânticos. Como o exilado canta canções de sua casa (Sl 137:3), assim o filho de Deus, “estranho na terra”, canta os cânticos do céu, seu verdadeiro lar (Sl 39:12). Nos tempos antigos, as leis eram colocadas em verso, para gravá-las ainda mais na memória do povo.

lugar de minhas peregrinações. A vida presente (Gn 17:847:9; Hb 11:13). [JFU, 1871]

55 De noite tenho me lembrado de teu nome, SENHOR; e tenho guardado tua lei.

A lembrança constante do Legislador e de tudo o que Ele se revelou ser, é o motivo mais poderoso para o cumprimento das Suas leis.

De noite. Compare com Salmo 119:62; 1:2. [Cambridge, 1906]

56 Isto eu tenho feito, porque guardo teus mandamentos.

Outra tradução seria: “Esta tem sido a minha prática: Obedecer aos teus preceitos” (NVI).

ח (hete)

57 O SENHOR é minha porção; eu disse que guardaria tuas palavras.

(Sl 16:5; 73:26; Lm 3:24; Jr 10:16). Que o mundo descrente escolha os bens terrenos como sua parte. Eu escolho o Senhor e Suas palavras como a minha. [JFU, 1871]

58 Busquei a tua face com todo o meu coração; tem piedade de mim segundo tua palavra.

Busquei a tua face. Salmo 45:12.

tem piedade de mim segundo tua palavra. Êxodo 33:19.

59 Eu dei atenção a meus caminhos, e dirigi meus pés a teus testemunhos.

Eu dei atenção. O original hebraico implica constante meditação. [Ellicott]

60 Eu me apressei, e não demorei a guardar os teus mandamentos.

Eu me apressei. Os homens costumam postergar seu arrependimento – para adiá-lo a um “tempo mais conveniente” (At 24:25). O salmista não era tão tolo – ele “se apressou”, diz ele; e não demorou a guardar os mandamentos de Deus. Isso foi sábio, pois é “agora é o dia da salvação” (2Cr 6:2). [Pulpit, 1897]

61 Bandos de perversos me roubaram; porém não me esqueci de tua lei.

Ou então, “Embora as cordas dos ímpios queiram prender-me, eu não me esqueço da tua lei”, conforme a NVI.

62 No meio da noite eu me levanto para te louvar, por causa dos juízos de tua justiça.

No meio da noite. Hengstenberg supõe que seja referência ao tempo quando o Senhor saiu para matar os primogênitos egípcios (Êx 11:412:29; compare Jó 34:20). No entanto, refere-se aos louvores e orações do próprio salmista durante a noite. Compare Paulo e Silas (At 16:25; compare com Sl 63:6). [JFB, 1871]

63 Sou companheiro de todos os que te temem, e dos que guardam os teus mandamentos.

A comunhão dos santos. O prazer em sua companhia é uma evidência de pertencer a eles (Sl 16:3; Am 3:3; Ml 3:16). [JFB, 1871]

64 A terra está cheia de tua bondade, SENHOR; ensina-me os teus estatutos.

Compare com o Salmo 33:5; 145:9. A bondade universal do SENHOR faz com que o salmista queira saber mais sobre Sua Vontade. [Cambridge, 1906]

ט (tete)

65 Tu fizeste bem a teu servo, SENHOR, conforme tua palavra.

conforme tua palavra. Isto é, a tua promessa. Compare com Deuteronômio 6:24; 10:13; 30:9,15. [Cambridge, 1906]

66 Ensina-me bom senso e conhecimento, pois tenho crido em teus mandamentos.

Ensina-me bom senso. Ou seja, o capacidade de distinguir entre o certo e o errado.

pois tenho crido em teus mandamentos. A oração por mais instrução é fundamentada na lealdade para com a vontade conhecida de Deus. [Cambridge, 1906]

67 Antes de ter sido afligido, eu andava errado; mas agora guardo tua palavra.

Para Hengstenberg refere-se ao efeito castigador produzido sobre as mentes dos judeus pelo cativeiro (Jr 31:18-19). A verdade é geral (Jó 5:6; Jo 15:2; Hb 12:11). [JFB, 1871]

68 Tu és bom, e fazes o bem; ensina-me os teus estatutos.

Compare com o Senhor Jesus (Atos 10:38).

69 Os arrogantes forjaram mentiras contra mim; mas eu com todo o meu coração guardo os teus mandamentos.

Os arrogantes forjaram mentiras contra mim (“mancharam meu nome com mentiras”, NVI). Salmo 119:22,23,42,78, etc. eu com todo o meu coração guardo os teus mandamentos. Salmo 119:2,10,34,etc. “A conexão entre as sentenças é – que toda a astúcia e malícia de seus inimigos deve apenas levá-lo a obedecer a Deus com um coração mais completo do que nunca” (Professor Alexander). [Pulpit, 1897]

70 O coração deles se incha como gordura; mas eu tenho prazer em tua lei.

incha como gordura – espiritualmente insensível (Sl 17:10; 73:7; Is 6:10).

71 Foi bom pra mim ter sido afligido, para assim eu aprender os teus estatutos.

Toda a nação “aprendeu os estatutos de Deus” através da aflição do cativeiro babilônico. Os indivíduos “aprendem” igualmente pelos seus castigos particulares. [Pulpit, 1897]

72 Melhor para mim é a lei de tua boca, do que milhares de peças de ouro ou prata.

Esta é a lição que ele aprendeu na escola da aflição – a inestimável preciosidade da lei de Deus. Compare com Salmo 119:14; Provérbios 8:10-11. [Cambridge, 1906]

י (iode)

73 Tuas mãos me fizeram e me formaram; faze-me ter entendimento, para que eu aprenda teus mandamentos.

me fizeram. Ou “me estabeleceram”. Compare com Jó 10:8; Deuteronômio 32:6. [Cambridge, 1906]


74 Os que te temem olham para mim e se alegram, porque eu mantive esperança em tua palavra.

Os que te temem olham para mim e se alegram. Literalmente “me verão e se alegrarão”. Serei para eles uma nova prova de que Deus não abandona os seus servos.

porque eu mantive esperança em tua palavra. Não caí da graça – continuei a confiar nas tuas promessas. [Pulpit, 1897]

75 Eu sei, SENHOR, que teus juízos são justos; e que tu me afligiste por tua fidelidade.

tua fidelidade – isto é, sem violar em nada a Tua fidelidade; porque os meus pecados mereciam e precisavam de castigo paterno. Suportando o castigo com uma disposição filial (Hb 12:6-11), as promessas de misericórdia de Deus (Rm 8:28) serão cumpridas, e Ele dará consolo na tristeza (Lm 3:22; 2Co 1:3-4). [JFB, 1871]

76 Seja agora tua bondade para me consolar, segundo a promessa que fizeste a teu servo.

(Sl 119:17,24) Esta última é a reivindicação da minha vida espiritual; por isso peço com confiança a tua terna misericórdia para preservar-me na vida física e espiritual, para que eu possa ainda alegrar-me na tua lei, como já é o meu deleite. [JFU]

77 Venham tuas misericórdias sobre mim, para que eu viva; pois tua lei é o meu prazer.

tuas misericórdias. Tuas compaixões (Sl 119:156). Compare com Deuteronômio 13:17-18; Isaías 49:13; 54:7; Zacarias 1:16. [Cambridge, 1906]

78 Sejam envergonhados os arrogantes, porque eles me prejudicaram com mentiras; porém eu medito em teus mandamentos.

porque eles me prejudicaram com mentiras. Compare com Lamentações 3:36.

medito em teus mandamentos e assim não serei “envergonhado” (Sl 119:80).

79 Virem-se a mim os que te temem e conhecem os teus testemunhos.

Aqueles que podem ter pensado que suas aflições eram uma evidência da rejeição de Deus serão então levados a retornar a Ele; como os amigos de Jó fizeram em sua restauração, depois de terem sido previamente levados através de suas aflições a duvidar da realidade de sua religião. [JFU, 1871]

80 Seja meu coração correto em teus estatutos, para eu não ser envergonhado.

Seja meu coração correto isto é, perfeito, sincero.

envergonhado. Ouse seja, desapontado na minha esperança de salvação. [JFU, 1871]

כ (cafe)

81 Minha alma desfalece por tua salvação; em tua palavra mantenho esperança.

Minha alma desfalece por tua salvação. Está agarrada a ela (Sl 119:123; 84:2).

em tua palavra mantenho esperança. Ainda que dolorosamente tentado, eu não perco a minha esperança. [JFU]

82 Meus olhos desfaleceram por tua promessa, enquanto eu dizia: Quando tu me consolarás?

desfaleceram por tua promessa. Isto é, pelo cumprimento da tua promessa de libertação (Sl 69:3; Jó 31:16). [JFU, 1871]

83 Porque fiquei como um odre na fumaça, porém não me esqueci teus testemunhos.

odre na fumaça. Ou seja, como um recipiente de couro seco e murcho pela fumaça, assim ele é definhado pela tristeza. Os odres de vinho costumavam ser pendurados na fumaça para secá-los, antes que o vinho fosse colocado neles (Maurer). [JFB, 1871]

84 Quantos serão os dias de teu servo? Quando farás julgamento aos meus perseguidores?

Quantos serão os dias…A brevidade da vida é um argumento para a rápida punição dos perseguidores do salmista, caso contrário ele pode não viver para ver confirmada a justiça de Deus. Compare com Salmo 89:47; 102:11 em diante. [Cambridge, 1906]

85 Os arrogantes me cavaram covas, aqueles que não são conforme a tua lei.

cavaram covas…conspiram para minha destruição.

86 Todos os teus mandamentos são verdade; com mentiras me perseguem; ajuda-me.

Todos os teus mandamentos são verdade. Literalmente, “fidelidade” (Sl 119:75); a eles – os teus mandamentos – vinculastes promessas ao obediente que certamente serão cumpridas. [JFU, 1871]

87 Estou quase que destruído por completo sobre a terra; porém eu não deixei teus mandamentos.

Os seus perseguidores quase conseguiram acabar com ele, mas ele ainda se manteve fiel à lei. A segunda linha coloca em destaque a impiedade da conduta deles.

sobre a terra. O palco da vida: o salmista e outros como ele quase foram exterminados. Compare com Salmo 12:1. [Cambridge, 1906]

88 Vivifica-me conforme tua bondade, então guardarei o testemunho de tua boca.

Se ele quiser continuar a glorificar a Deus pela observância de Sua lei, Deus deve preservar sua vida e libertá-la dos obstáculos que impedem sua devoção ao Seu serviço. [JFU]

ל (lâmede)

89 Para sempre, SENHOR, tua palavra permanece nos céus.

tua palavra permanece – isto é, permanece tão firme quanto o céu em que habita, e de onde emanou. [JFB, 1871]

90 Tua fidelidade dura de geração em geração; tu firmaste a terra, e assim ela permanece.

tu firmaste a terra, e assim ela permanece (Sl 33:9).

91 Eles continuam por tuas ordens até hoje, porque todos são teus servos.

Eles continuam por tuas ordens até hoje. O céu e a terra continuam a cumprir as ordens dadas por Deus no princípio (Jr 31:35-36; 33:25). [Pulpit, 1897]

92 Se a tua lei não fosse meu prazer, eu já teria perecido em minha aflição.

Compare com Salmo 119:16,24,35,47,70,77. Somente um verdadeiro amor aos mandamentos de Deus pode sustentar aqueles que sofrem duras aflições. [Pulpit, 1897]

93 Nunca esquecerei de teus mandamentos, porque tu me vivificaste por eles.

porque tu me vivificaste por eles – com as esperanças que teus mandamentos me trazem (Sl 119:50). [JFU, 1871]

94 Eu sou teu, salva-me, porque busquei teus preceitos.

busquei (ou estudei) teus preceitos. Compare com Salmo 119:45.

95 Os perversos me esperaram, para me destruírem; porém eu dou atenção a teus testemunhos.

Os perversos me esperaram, para me destruírem (Sl 56:6).

porém eu dou atenção a teus testemunhos. Como Daniel, que mesmo seus inimigos tramando contra ele para o destruír, não deixou de orar três vezes por dia. [JFU, 1871]

96 A toda perfeição eu vi fim; mas teu mandamento é extremamente grande.

Em contraste com os estreitos limites dos padrões humanos de perfeição. Não vi nada de humano tão completo que, em algum momento, não tenha faltado: só o teu mandamento é infinito e imutável. Não há limite para a sua perfeição. Ele descreve toda a situação da Igreja e do mundo, passado, presente e futuro, e tudo o que deve ser acreditado e feito para a salvação. [JFU, 1871]

מ (mem)

97 Ah, como eu amo a tua lei! O dia todo eu medito nela.

Ele o diz, não para louvar sua própria devoção, mas a excelência da lei de Deus, como digna de todo amor e constante meditação. [JFU, 1871]

98 Ela me faz mais sábio do que meus inimigos por meio de teus mandamentos, porque ela está sempre comigo.

Ou melhor, “Os teus mandamentos me tornam mais sábio que os meus inimigos” (NVI). A mesma correspondência da sabedoria com a obediência à Lei é encontrada no Livro de Provérbios. [Ellicott, 1905]

99 Sou mais inteligente que todos os meus instrutores, porque medito em teus testemunhos.

que todos os meus instrutores. Que derivam seu aprendizado de outras fontes. Delitzsch pensa que o Salmo 119:98-100 se refere a mestres e anciãos que, como os saduceus helenizantes, corriam perigo de apostasia por sua tolerância, e perseguiam o jovem rigoroso pela lei de Deus. Mas claramente o ponto do salmista não é a superioridade de sua própria interpretação mais estrita da lei em relação à interpretação mais tolerante de seus mestres, mas a superioridade da lei em relação a todas as outras formas de instrução como fonte de sabedoria, prudência e discernimento. [Cambridge, 1906]

100 Sou mais prudente que os anciãos, porque guardei teus mandamentos.

mais prudente que os anciãos. A idade não é uma solução contra a estupidez, onde ela não está de acordo com a palavra de Deus (Lutero) (Jó 32:7-9). A Bíblia é a chave de todo conhecimento, a história do mundo, passado, presente e futuro (Sl 111:10). Quem faz a vontade de Deus conhece a doutrina (Jo 7:17). [JFB, 1871]

101 Afastei meus pés de todo mau caminho, para guardar tua palavra.

Evitar caminhos pecaminosos é tanto o efeito quanto o meio de aumentar o conhecimento divino (compare Sl 19:10). [JFB]

102 Não me desviei de teus juízos, porque tu me ensinaste.

porque tu me ensinaste – interiormente, pelo Espírito, sem o qual toda a doutrina é ineficaz; tu me ensinas o caminho em que devo andar, e nele guardas os meus passos, para não tropeçar, nem me desviar dele (Os 11:3; Is 54:13; Jr 31:34). [JFU, 1871]

103 Como são doces tuas palavras ao meu paladar! Mais que o mel em minha boca.

Salmo 19:10.

O paladar espiritual distingue o que é doce e saudável para o gosto da alma santificada (cf. Jó 12:11; Jó 34:3). [JFU, 1871]

104 Obtenho conhecimento por meio de teus preceitos; por isso odeio todo caminho de mentira.

Eu entendo não só nos mistérios da fé, mas também na orientação prudente dos assuntos da vida. Inversamente, um dos maiores filósofos pagãos, Cícero, escreve a Octavius: “Ai de mim! Eu nunca fui sábio, e fui anteriormente estimado aquilo que não fui”. odeio todo caminho de mentira, tanto em mim mesmo, para não enganar os outros, como em outros, para que não me enganem (Rivetus).

Compare com Salmo 119:29. [JFU, 1871]

נ (num)

105 Tua palavra é lâmpada para meus pés e luz para meu caminho.

Compare com Provérbios 6:23. A palavra de Deus é uma luz para o guiar com segurança entre os perigos que atravessam o seu caminho pelas trevas deste mundo. Contraste o destino dos ímpios (Sl 35:6). [Cambridge, 1906]

106 Eu jurei, e assim cumprirei, de guardar os juízos de tua justiça.

Esta foi a aliança nacional no Sinai e nos campos de Moabe.

107 Eu estou muito aflito, SENHOR; vivifica-me conforme a tua palavra.

A vida foi prometida na condição de obediência (Lv 18:5; Dt 6:24).

108 Agrada-te das ofertas voluntárias de minha boca, SENHOR; e ensina-me teus juízos.

ofertas voluntárias. As expressões espontâneas de sua gratidão, em contraste com as “ofertas” do templo (Os 14:2; Hb 13:15). Ele determina seguir este caminho, confiando no poder vivificador de Deus (Sl 119:50) na aflição, e na aceitação graciosa de seus “sacrifícios espirituais de oração e louvor” (Sl 50:5,14,23). [JFU, 1871]

109 Continuamente arrisco minha alma, porém não me esqueço de tua lei.

Em meio a perigos mortais (a frase é tirada do fato de que o que carregamos em nossas mãos pode facilmente escapar delas, Jz 12:3; 1Sm 28:21; Jó 13:14; compare com 1Sm 19:5), e exposto a inimigos astutos, sua segurança e orientação estão na verdade e nas promessas de Deus. [JFB, 1871]

110 Os perversos me armaram um laço de armadilha, mas não me desviei de teus mandamentos.

A explicação do verso anterior. Sua vida é ameaçada por inimigos, aparentemente por causa de sua dedicação à lei, mas nenhum perigo ou perseguição o tenta à indiferença ou apostasia.Compare com Salmos 119:85-87.

mas não me desviei de teus mandamentos. Como no Salmo 119:176. [Cambridge, 1906]

111 Tomei teus testemunhos por herança para sempre, pois eles são a alegria de meu coração.

Israel, por causa dos seus pecados, tinha perdido a terra prometida como herança eterna (Gn 13:15; Êx 32:13), e nunca a recuperou totalmente; mas o israelita piedoso tem uma herança eterna na lei, da qual nenhum inimigo o pode privar.

são a alegria de meu coração. Compare com Jeremias 15:16. [Cambridge, 1871]

112 Inclinei meu coração para praticar os teus testemunhos para todo o sempre.

para todo o sempre. “até o fim” (NVI) como no Salmo 119:33. [Cambridge, 1871]

ס (sâmeque)

113 Odeio os inconstantes, mas amo a tua lei.

os inconstantes“pessoas instáveis”, literalmente, “homens divididos”, aqueles de uma mente dividida e que duvida (Tg 1:8); “Um homem de mente dupla” (Hengstenber), céticos ou noções céticas em oposição à certeza da palavra de Deus. [JFB]

114 Tu és meu refúgio e meu escudo; eu espero em tua palavra.

refúgio (compare com o Sl 27:5).

escudo (Sl 3:3; 7:10).

espero em tua palavra. Confiantemente descansa em seus ensinos e promessas. [JFB]

115 Afastai-vos de mim, malfeitores, para que eu guarde os mandamentos de meu Deus.

Compare com o Salmo 6:8.

Significativamente ele chama Deus de meu Deus, implicando que embora eles (os malfeitores) professem servi-Lo, Ele não é realmente deles. [Cambridge, 1871]

116 Sustenta-me conforme a tua promessa, para que eu viva; e não me faças ser humilhado em minha esperança.

Mas para guardar os mandamentos de Deus, ele precisa de graça sustentadora. Compare com Sl 51:12; 3:5; 37:17,24.

não me faças ser humilhado em minha esperança. Ou seja, fique desapontado e envergonhado com o fracasso da minha esperança de libertação. Compare com Salmo 119:166. [Cambridge, 1871]

117 Segura-me, e estarei protegido; então continuamente pensarei em teus estatutos.

Compare com Salmos 18:35; 20:2; 41:3; 94:18.

118 Tu atropelas a todos que se desviam de teus estatutos; pois o engano deles é mentira.

Todos os seus astutos e enganosos planos, com os quais maquinam enganar e arruinar-me, e outros homens bons, enganá-los-ão a eles e às suas próprias expectativas, e trarão sobre si mesmos a destruição que planejam para os outros. [Henry, 1706]

Tu atropelas. Ou então, “Tu rejeitas” (NVI), ou “Desprezas” (JFA).

119 Tu tiras a todos os perversos da terra como se fossem lixo; por isso eu amo teus testemunhos.

Tu tiras a todos os perversos. Deus remove os ímpios, como o refinador de metais lança fora a escória. Compare com Jr 6:28-30; Ez 22:18-19; Ml 3:2-3.

por isso eu amo teus testemunhos. Para que eu possa evitar o destino deles: ou talvez, porque vejo a tua justiça manifestada nesses julgamentos. Compare com o próximo verso. [Cambridge, 1906]

120 Meu corpo se arrepia de medo de ti; e temo os teus juízos.

os teus juízos. Ou atos de julgamento, punições infligidas aos ímpios, ou as leis e ordenanças de acordo com as quais eles são punidos. O temor reverente é o complemento correto do amor santo. [Cambridge, 1906]

ע (áin)

121 Eu fiz juízo e justiça; não me abandones com os meus opressores.

Consciente da sua própria retidão, o salmista ora para que não seja abandonado à vontade dos seus opressores. Sua conduta corresponde ao caráter de Deus. Compare com Salmo 33:5; 89:14. [Cambridge, 1906]

122 Sê tu a garantia do bem de teu servo; não me deixes ser oprimido pelos arrogantes.

Sê tu a garantia. Literalmente, o original hebraico significa trocar, o fiador tomando o lugar do seu amigo (Jó 17:3, comentário; Is 38:14). Ver comentário de Jr 30:21. O salmista considera a disputa de seus inimigos com Israel e ele próprio como um julgamento judicial, no qual sua causa estava em questão; e ele deseja que o Senhor se responsabilize por ele. Só o Messias realiza isso. Compare com Zacarias 3:1-5; Hb 7:22; 9:11-15. Sobre os arrogantes, compare Sl 119,21; do bem, Dt 6:24; 10:13; 30:9. [JFU, 1871]

123 Meus olhos desfaleceram de esperar por tua salvação, e pela palavra de tua justiça.

e pela palavra de tua justiça. A tua justa palavra – para que me seja dada a conhecer, e para que eu possa ver a sua beleza e desfrutar dela. [Barnes]

124 Age para com teu servo segundo tua bondade, e ensina-me teus estatutos.

Compare com Salmo 109:21.

ensina-me teus estatutos. Essa é sua principal oração: portanto, muitas vezes repetida (compare com Salmo 119:12). [JFU, 1871]

125 Eu sou teu servo. Dá-me entendimento; então conhecerei teus testemunhos.

Eu sou teu servo (Sl 116:16)

Dá-me entendimento; então conhecerei teus testemunhos. Esta é a única recompensa do meu serviço, que peço por uma questão de graça, não de dívida. [JFU]

126 É tempo do SENHOR agir, porque estão violando tua lei.

Já é tempo do SENHOR interferir com um ato de julgamento (compare com Jeremias 18:23), e vindicar Sua lei quebrada. A segunda parte é decisiva a favor desta interpretação: caso contrário, a primeira parte poderia ser interpretada: É hora de agir por Jeová, e o Salmo 119:124-125 relacionado a ele, no sentido de que em tal crise é necessário um novo conhecimento. [Cambridge, 1906]

127 Por isso eu amo teus mandamentos mais que o ouro, o mais fino ouro.

Por isso. Isto é, em vista destes benefícios, ou então, Por causa da glória da Tua lei, tão louvada nas partes anteriores do Salmo.

eu amo. Todos os seus mandamentos, sobre todos os assuntos, são estimáveis pela sua pureza, e levam uma pessoa impregnada de espírito a odiar todo o mal (Sl 19:10). [JFB, 1871]

128 Por isso considero corretos todos os teus mandamentos quanto a tudo, e odeio todo caminho de falsidade.

Não devemos escolher aqueles mandamentos que se adaptam às nossas inclinações, enquanto deixamos de lado outros que se opõem aos nossos desejos, mas considerar corretos todos os teus mandamentos quanto a tudo como a regra obrigatória de nossa vida.

Jesus estabelece a universalidade da obrigação de obedecer a todos os “jota” e “til” da lei (Mt 5:17-19), e o perigo de “quebrar um dos menores mandamentos”. Não desejo a abolição de nenhum mandamento de Deus, mas sim a abolição do meu pecado, que o mandamento condena (Rivetus). [JFU, 1871]

פ (pê)

129 Maravilhosos são teus testemunhos, por isso minha alma os guarda.

maravilhosos. Sobre-humano em sua excelência: literalmente maravilhas, o termo frequentemente usado para designar a revelação de Deus de Seu poder em atos miraculosos (Ex 15:11; Sl 77:11,14; compare com Salmo 119:18).

por isso minha alma os guarda. Sua sublimidade e mistério não repelem, mas atraem. [Cambridge, 1906]

130 A entrada de tuas palavras dá luz, dando entendimento aos simples.

A entrada. Literalmente, “a abertura”; As palavras de Deus, como uma porta aberta, deixam entrar luz ou conhecimento. De preferências, como explica Hengstenberg, “a abertura”, ou “explicação da tua palavra”. Para o homem natural, as portas da Palavra de Deus estão fechadas. Lc 24:27,31; At 17:3; Ef 1:18, confirmam esta visão.

aos simples – aqueles que precisam ou desejam (compare Sl 19:7). [JFB, 1871]

131 Abri minha boca, e respirei; porque desejei teus mandamentos.

Um desejo ardente (compare Sl 56:1-2) de esclarecimento espiritual, estabelecimento no caminho certo, livramento dos iníquos e evidência do favor de Deus é expresso – Abri minha boca, e respirei. Como um viajante em um deserto quente recebe a brisa refrescante (Sl 63:184:2). [JFB, 1871]

132 Olha-me, e tem piedade de mim; conforme teu costume para com os que amam o teu nome.

Olha-me. O oposto a esconder ou desviar o rosto (compare Sl 25:15; 86:6102:17).

conforme teu costume para com os que amam o teu nome. Tais pessoas têm direito às manifestações da graça de Deus, repousando na natureza de Deus como fiel à Sua promessa, e não em seus próprios méritos. [JFB, 1871]

133 Firma meus passos em tua palavra, e que nenhuma perversidade me domine.

Firma meus passos – para que não sejam interrompidos (Sl 40:2).

nenhuma perversidade. Salmo 119:34 favorece Hengstenberg, “qualquer homem iníquo”, qualquer “opressor”. Mas a primeira sentença paralela nisto (Sl 119:33) favorece a versão em português (Sl 19:13). Sua esperança de libertação da opressão externa do homem (Sl 119:34) baseia-se na sua libertação do “domínio interno da perversidade”, em resposta à sua oração (Sl 119:33). [JFU, 1871]

134 Resgata-me da opressão dos homens; então guardarei teus mandamentos.

Resgata-me da opressão dos homens. Da oração contra a opressão da “perversidade” (Sl 119:133) ele naturalmente passa à oração pela libertação da opressão dos homens iníquos (Lc 1:74).

então guardarei teus mandamentos. Desimpedido pela oposição daqueles, que me frustra agora. [JFU]

135 Brilha teu rosto sobre teu servo, e ensina-me teus estatutos.

Brilha teu rosto sobre teu servo. Oração pelo retorno do pleno favor de Deus ao Seu povo Israel (Sl 80:3,7; Nm 6:25). [JFU]

136 Ribeiros d'água descem de meus olhos, porque eles não guardam tua lei.

Zeloso por guardar a lei de Deus, ele é profundamente afligido quando outros a violam (compare com o Sl 119:53).

Ribeiros d’água descem de meus olhos (Lm 3:48; Jr 9:1).

porque eles não guardam a tua lei. Compare com Ez 9:4; Jr 13:17). [JFB, 1871]

צ (tsadê)

137 Tu és justo, SENHOR; e corretos são teus juízos.

O justo é singular, juízos plurais – ou seja, cada um dos teus juízos é justo. Quando o pecador castigado justifica Deus em Seus atos punitivos, ele está na condição adequada para receber a libertação (Ne 9:33; Dn 9:7). [JFU, 1871]

Leia também um estudo sobre justiça de Deus.

138 Tu ensinaste teus testemunhos justos e muito fiéis.

Esse verso é uma explicação do anterior; literalmente, ‘ordenaste os teus testemunhos de justiça e fidelidade por completo’. Eles são a própria fidelidade no que diz respeito ao cumprimento das promessas a eles ligadas (Sl 119:86; 93:5). [JFU]

139 Meu zelo me consumiu, porque meus adversários se esqueceram de tuas palavras.

Não por uma falha de memória, mas agindo deliberadamente como se não se lembrassem deles. Isso me aflige e consome mais do que os danos que sofro deles. Quem nos nossos dias se atormenta com os males e pecados públicos? (Muis.) [JFU]

140 Refinada é a tua palavra, e teu servo a ama.

Refinada é a tua palavra. Literalmente, puríssima, purificada, como ouro ou prata refinada pelo fogo de toda escória (Sl 12:6; 18:30). Quanto mais puro e precioso é o objeto amado (na avaliação do mundano), mais ardente é a indignação sentida por qualquer leve dano sobre ele. [JFU]

141 Eu sou pequeno e desprezado; porém não me esqueço de teus mandamentos.

pequeno e desprezado. Insignificante aos olhos dos homens, e desprezado por sua rigorosa submissão à lei; mas nem o brilho do poder do mundo nem o forte desprezo do mundo podem desviá-lo de sua lealdade. [Cambridge, 1907]

142 Tua justiça é justa para sempre, e tua lei é verdade.

Os princípios do governo de Deus são permanentes e confiáveis, e no mais profundo sofrimento Seu povo os considera um tema de meditação agradável e uma fonte de poder revitalizante (Sl 119:17,116).

tua lei é verdade. Portanto, não pode enganar quanto às suas promessas. [JFB]

143 Aperto e angústia me encontraram; ainda assim teus mandamentos são meus prazeres.

Aperto e angústia me encontraram. Como cães farejando uma animal selvagem escondido ou fugindo. [JFU]

144 A justiça de teus testemunhos dura para sempre; dá-me entendimento, e então viverei.

A justiça de teus testemunhos dura para sempre (Sl 119:142.)

dá-me entendimento, e então viverei (Sl 119:34,73,169) “Teus mandamentos” não frustram as esperanças dos que descansam sobre as promessas a eles ligadas; portanto, espiritualmente entendê-los traz com eles vida. [JFU]

ק (cofe)

145 Clamei com todo o meu coração; responde-me, SENHOR; guardarei teus estatutos.

Clamei com todo o meu coração. Toda a alma do salmista estava envolvida nisso. [Clarke, 1832]

146 Clamei a ti; salva-me, e então guardarei os teus testemunhos.

A compreensão de nossa salvação como um fato vivido é o motivo mais forte para guardar os testemunhos de Deus. [JFU]

147 Eu me antecedi ao amanhecer, e gritei; e mantive esperança em tua palavra.

me antecedi ao amanhecer. Quando se esperava que estivesse dormindo, ele estava acordado (Sl 63:6; 77:4; Lm 2:19). Tal é a sinceridade do desejo e amor pela verdade de Deus. [JFB, 1871]

148 Meus olhos antecederam as vigílias da noite, para meditar em tua palavra.

Meus olhos antecederam as vigílias da noite. Os meus olhos já estão despertos antes das vigílias da noite passarem (Maurer). “As vigílias da noite me encontram acordado quando chegam” (Hengstenberg). Este último condiz melhor com: Sl 63:6; 77:4; Lm 2:19). Wilberforce costumava dizer: ‘Eu encontro mais tempo para negócios, e os faço melhor, quando tenho observado melhor minhas devoções privadas’. [JFU]

149 Ouve minha voz, segundo tua bondade, SENHOR; vivifica-me conforme teu juízo.

vivifica-me – reviva o meu coração segundo aqueles princípios da justiça, fundamentados na Tua própria natureza, e revelados na Tua lei, que estabelece especialmente a Tua misericórdia para com os humildes e a justiça para com os ímpios (compare com o Sl 119:30). [JFB, 1871]

150 Aproximam-se de mim os que praticam maldade; eles estão longe de tua lei.

eles estão longe de tua lei. Eles estão perto de todo o mal, mas longe de ti.

151 Porém tu, SENHOR, estás perto de mim; e todos os teus mandamentos são verdade.

(Sl 119:42) Meus inimigos se aproximam (Sl 119:150), mas tu estás mais perto de mim do que eles (Sl 145:18; Jr 23:23). A segunda sentença dá a razão pela qual Ele está perto do Seu povo – , porque Ele o prometeu em conjunto com a obediência aos “Seus mandamentos”. “Todos os teus mandamentos”, com as ameaças e promessas a eles ligadas, são a própria verdade. [JFU]

152 Desde antigamente eu soube de teus testemunhos, que tu os fundaste para sempre.

Os homens podem afirmar ou agir como se acreditassem que as leis de Deus são obsoletas: mas do estudo dessas mesmas leis o salmista aprendeu há muito tempo a sua validade eterna; e as suas convicções profundamente enraizadas não podem ser abaladas pelo desprezo ou pelas ameaças dos seus inimigos. [Cambridge]

ר (rexe)

153 Olha a minha aflição, e livra-me dela; pois não me esqueci de tua lei.

Olha a minha aflição. Foi a oração de Israel no exílio (Lm 1:9), lembrando a Deus de Suas próprias palavras quando Ele estava prestes a libertar Seu povo do Egito (Êx 3:7). [Cambridge]

154 Defende minha causa, e resgata-me; vivifica-me conforme tua palavra.

Defende minha causa. A disputa entre ele e seus perseguidores é retratada como uma ação judicial: Jeová não será seu advogado? Compare com Salmo 35:1; 43:1; Is 51:22.

resgata-me. Livrai-me, como de escravidão. Compare com Êxodo 6:6; 15:13; Salmo 19:14, e a frequente descrição de Jeová como o Redentor de Israel do exílio em Isaías 40-66. [Cambridge, 1906]

155 A salvação está longe dos perversos, porque eles não buscam teus estatutos.

eles não buscam. Ou, “não estudam”. Compare com Salmo 119:45,94.

156 Muitas são tuas misericórdias, SENHOR; vivifica-me conforme teus juízos.

Muitas são tuas misericórdias. As tuas compaixões (Sl 119:77). Compare com 2Sm 24:14; Ne 9:19,27,31; Dn 9:18.

vivifica-me conforme teus juízos. Compare com Salmo 119:149. [Cambridge, 1906]

157 Muitos são meus perseguidores e meus adversários; porém eu não me desvio de teus testemunhos.

porém eu não me desvio de teus testemunhos. Salmo 119:51; 44:18.

158 Eu vi aos enganadores e os detestei, porque eles não guardam tua palavra.

Referindo-se aos israelitas apóstatas, infiéis ao pacto. Ao invés de ser atraído por eles, ele sentiu desgosto e aversão (Sl 139:21) ao observá-los e aos seus caminhos. [Cambridge, 1906]

159 Vê, SENHOR, que eu amo teus mandamentos; vivifica-me conforme a tua bondade.

Compare com Salmo 119:121-126,153-155).

vivifica-me conforme a tua bondade (Sl 119:88). Esta oração ocorre aqui pela nona vez, mostrando um profundo sentimento de fragilidade. [JFB, 1871]

160 O princípio de tua palavra é fiel, e o juízo de tua justiça dura para sempre.

Deus sempre foi fiel, e os princípios de Seu governo continuarão dignos de confiança.

O princípio. Isto é, “cada palavra de Gênesis (assim chamada pelos judeus de suas primeiras palavras, “No princípio”) até o fim das Escrituras é verdadeira”. Hengstenberg traduz mais literalmente, “A soma das tuas palavras é a verdade”. O sentido é substancialmente o mesmo. Todo o corpo da revelação é a verdade. “A tua palavra não é senão a verdade” (Lutero). [JFB, 1871]

שׁ (xin)

161 Príncipes me perseguiram sem causa, mas meu coração temeu a tua palavra.

temeu. Um medo reverente, não escravo, que não poderia coexistir com o amor (Sl 119:163; 1Jo 4:8). Em vez de temer seus perseguidores, ele teme a Palavra de Deus somente (Lc 12:4-5). Os judeus escrevem na primeira página da grande Bíblia (Gn 28:17): “Quão temível é este lugar! Não é outra coisa, senão casa de Deus e porta do céu”. [JFB, 1871]

162 Eu me alegro em tua palavra, tal como alguém que encontra um grande tesouro.

O temor santo não é incompatível com a alegria santa. Compare com Salmo 119:119-120; Mateus 28:8.

como alguém que encontra um grande tesouro. Compare com Isaías 9:3. [Cambridge, 1906]

163 Odeio e abomino a falsidade; mas amo a tua lei.

a falsidade. Isto é, como no Salmo 119:29, a infidelidade ao pacto de Deus com o Seu povo; a apostasia. [JFB, 1871]

164 Louvo a ti sete vezes ao dia, por causa dos juízos de tua justiça.

Louvo a ti sete vezes ao dia. Não apenas de manhã ao meio-dia e à noite (Sl 55:17), mas constante e repetidamente. Compare com Provérbios 24:16; &c.

juízos de tua justiça. Compare com Salmo 119:7. [Cambridge, 1906]

165 Muita paz têm aqueles que amam a tua lei; e para eles não há tropeço.

Muita paz têm aqueles que amam a tua lei (Pv 3:1-2; Is 32:17; Tg 3:18). Há sempre inquietação onde há pecado. A sensação de perfeita paz e descanso pertence àqueles que amam e guardam a Lei de Deus.

e para eles não há tropeço. Nada os fará tropeçar, muito menos cair da graça. [Pulpit, 1897]

166 Espero por tua salvação, SENHOR; e pratico teus mandamentos.

Espero por tua salvação, SENHOR (Sl 119:81,123). Esperei por ti, aguardando continuamente que viesses em meu auxílio, e me salvasses dos meus inimigos. [Pulpit, 1897]

167 Minha alma guarda teus testemunhos, e eu os amo muito.

Estou consciente de amá-los; sinto uma certeza interior de que os amo.

168 Eu guardo teus preceitos e teus testemunhos, porque todos os meus caminhos estão diante de ti.

Com a coragem de uma boa consciência, ele apela à onisciência de Deus como prova da sinceridade de seu propósito.

diante de ti. Compare com o Salmo 38:9, e com a ideia de Hebreus 4:13. [Cambridge, 1906]

ת (tau)

169 Chegue meu clamor perante teu rosto, SENHOR; dá-me entendimento conforme tua palavra.

dá-me entendimento. Assim como prometestes ser o mestre de todos os que dependem de ti. [Genebra, 1645]

170 Venha minha súplica diante de ti; livra-me conforme tua promessa.

Venha minha súplica diante de ti. A palavra aqui “súplica” significa “graça, misericórdia, piedade” (Js 11:20; Ed 9:8); logo, aquilo pelo qual se busca favor ou misericórdia – oração ou petição (Sl 6:9; 55:1).

livra-me conforme tua promessa. Dos meus inimigos, dos meus pecados, dos meus perigos. Segundo as tuas promessas, segundo aquilo que a tua palavra prevê. [Barnes, 1870]

171 Meus lábios falarão muitos louvores, pois tu me ensinas teus estatutos.

falarão muitos louvores ou “derramarão louvores” (compare Sl 19:2); farão com que Teus louvores fluam como de uma fonte transbordante. [JFB, 1871]

172 Minha língua falará de tua palavra, porque todos os teus mandamentos são justiça.

Minha língua falará de tua palavra. Literalmente, “responderá à tua palavra”, isto é, com louvor, responderá à tua palavra. Toda expressão em que louvamos a Deus e à Sua Palavra é uma resposta, ou reconhecimento, correspondente às perfeições dAquele que louvamos (Sl 147:7). [JFU, 1871]

173 Que tua mão me socorra, porque escolhi seguir teus preceitos.

Compare com Salmo 119:77,81,92.

escolhi…em preferência a todos os outros objetos de prazer. [JFB, 1871]

174 Desejo tua salvação, SENHOR; e tua lei é o meu prazer.

e tua lei é o meu prazer. É tanto aquilo que me traz prazer que eu sinceramente desejo ou anseio ver mais e mais da sua riqueza e plenitude. [Barnes, 1870]

175 Que minha alma viva e louve a ti; e que teus juízos me socorram.

teus juízos. Como no Salmo 119:149,156.

176 Tenho andado sem rumo, como uma ovelha perdida; busca a teu servo, pois eu não me esqueci de teus mandamentos.

Embora seja um errante de Deus, o verdadeiramente piedoso sempre deseja ser atraído de volta para Ele; e, embora por um tempo negligente, nunca esquece os mandamentos pelos quais é ensinado.

sem rumo…portanto, totalmente incapaz de se recuperar (Jr 50:6; Lc 15:4). Não somente o pecador antes da conversão, mas o crente após a conversão, é incapaz de se recuperar; mas este último, depois de vagar temporariamente, sabe a quem procurar restauração. Salmo 119:175-176 parecem resumir as petições, confissões e profissões do Salmo. O escritor deseja o favor de Deus, para louvá-Lo por Sua verdade, confessa que errou, mas, no meio de todas as suas peregrinações e adversidades, professa um apego permanente à Palavra revelada de Deus, o tema de tais elogios repetidos, e a reconhecida fonte de tão grandes e incalculáveis bênçãos. Assim, o Salmo, ainda que mais didático do que o habitual, é o intermediário de ambas as partes da devoção — oração e louvor. [JFB, 1871]

<Salmo 118 Salmo 119>

Introdução ao Salmo 119

O Salmo 119 tem várias peculiaridades. Ele está dividido em vinte e duas partes ou estrofes, identificadas pelas vinte e duas letras do alfabeto hebraico. Cada estrofe contém oito versos, e a primeira letra de cada verso é aquela que dá nome à estrofe. Seu conteúdo consiste principalmente de louvores à Palavra de Deus, exortações à sua leitura, e reverência por ela, orações pela sua devida influência, e queixas dos ímpios por a desprezarem. Há apenas dois versos (Sl 119:122,132) que não contêm algum termo ou descrição da Palavra de Deus. Estes termos têm várias derivações, mas aqui são usados, em sua maioria, como sinônimos, embora o uso de uma variedade de termos pareça planejado, a fim de expressar melhor os vários aspectos em que nossas relações com a palavra revelada de Deus são apresentados. O Salmo não parece ter relação com nenhuma ocasião ou interesse especial da nação ou Igreja judaica, mas foi evidentemente “feito como um manual de pensamentos piedosos, especialmente para instruir os jovens, e sua estrutura peculiar provavelmente foi adotada para ajudar na memorização”. [JFB, 1871]

Leia também uma introdução ao livro de Salmos.

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados