Bíblia, Revisar

Provérbios 21

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!
1 Como ribeiros de águas é o coração do rei na mão do SENHOR, ele o conduz para onde quer.

ribeiros – canais de irrigação (Sl 1: 3), cujo curso era facilmente voltado (compare Dt 11:10). Deus dispõe os reis da maneira que Ele quiser (Pv 16: 9; Sl 33:15).

2 Todo caminho do homem é correto aos seus próprios olhos; mas o SENHOR pesa os corações.

(Veja Pv 14: 2; Pv 16: 2-25).

3 Praticar justiça e juízo é mais aceitável ao SENHOR do que sacrifício.

(Veja Sl 50: 7-15; Is 1:11, Is 1:17).

4 Olhos orgulhosos e coração arrogante: a lavoura dos perversos é pecado.

Olhos orgulhosos – (Compare Margem; Salmo 131: 1).

coração arrogante – ou “coração de largura”, um que esteja inchado (compare Sl 101: 5).

arar – melhor “lâmpada”, figura frequente de prosperidade (Pv 20:20); daí alegria ou deleite.

5 Os planos de quem trabalha com empenho somente levam à abundância; mas os de todo apressado somente à pobreza.

O contraste é entre a indústria estável e a precipitação (compare Pv 19: 2).

6 Trabalhar para obter tesouros com língua mentirosa é algo inútil e fácil de se perder; os que assim fazem buscam a morte.

para obter – ou “o que é obtido” (compare Jó 7: 2; Jr 22:13, hebraico).

vaidade … para lá e para cá – tão fugaz quanto palha ou palha no vento (compare Pv 20: 17-21; Sl 62:10). Tais encontros são insatisfatórios.

eles … morte – agem como se o fizessem (Pv 8:36; Pv 17:19).

7 A violência praticada pelos perversos os destruirá, porque se negam a fazer o que é justo.

violência – ou “destruição”, especialmente a opressão, da qual eles são autores.

os destruirá – literalmente, “cortar com uma serra” (1Rs 7: 9), isto é, totalmente arruiná-los. Seus pecados serão visitados neles em espécie.

8 O caminho do homem transgressor é problemático; porém a obra do puro é correta.

do homem – qualquer um; seu caminho é oposto à verdade e também alienado dela. O puro prova a si mesmo pela sua conduta correta.

9 É melhor morar num canto do terraço do que numa casa espaçosa com uma mulher briguenta.

canto – uma torre ou mandril no telhado.

briguenta – ou contenciosas.

casa espaçosa – literalmente, “casa de comunhão”, grande o suficiente para várias famílias.

10 A alma do perverso deseja o mal; seu próximo não lhe agrada em seus olhos.

Tão fortemente ele deseja fazer o mal (Salmo 10: 3; Ec 8:11), que ele nem poupará seu amigo se estiver em seu caminho.

11 Castigando ao zombador, o ingênuo se torna sábio; e ensinando ao sábio, ele ganha conhecimento.

(Compare Pv 19:25). Aquilo que os simples aprendem pelos terrores da punição, os sábios aprendem ensinando.

12 O justo considera prudentemente a casa do perverso; ele transtorna os perversos para a ruína.

(Veja Salmo 37: 35-38; Salmo 73:17, Salmo 73:20).

casa – família ou interesses.

ruína – ou supra “Deus” (compare Pv 10:24), ou a palavra é usada impessoalmente.

13 Quem tapa seu ouvido ao clamor do pobre, ele também clamará, mas não será ouvido.

Os princípios da retribuição, frequentemente ensinados (compare Sl 18:26; Mt 7: 1-12).

14 O presente em segredo extingue a ira; e a dádiva no colo acalma o forte furor.

O efeito do suborno (Pv 17:23) é reforçado pelo sigilo, pois a pessoa subornada não deseja que seus motivos sejam conhecidos.

15 Alegria para o justo é fazer justiça; mas isso é pavor para os que praticam maldade.

Mas o justo ama certo e não precisa de subornos. Os ímpios finalmente encontram a destruição, embora por algum tempo felizes em esconder a corrupção.

16 O homem que se afasta do caminho do entendimento repousará no ajuntamento dos mortos.

do caminho do entendimento – (compare Pv 12:26; Pv 14:22).

repousará – isto é, descansar como no final de uma jornada; a morte será sua casa imutável.

17 Quem ama o prazer sofrerá necessidade; aquele que ama o vinho e o azeite nunca enriquecerá.

Luxos caros empobrecem.

18 O resgate em troca do justo é o perverso; e no lugar do reto fica o transgressor.

(Compare Pv 11: 8). Sofrendo o que tinham planejado para os justos, ou trazido sobre eles, os ímpios se tornaram seu resgate, no sentido usual de substitutos (compare Js 7:26; Et 7: 9).

19 É melhor morar em terra deserta do que com uma mulher briguenta e que se irrita facilmente.

(Compare Pv 21: 9).

deserta – pastagem, embora terreno inabitável (Salmo 65:12).

20 Há tesouro desejável e azeite na casa do sábio; mas o homem tolo é devorador.

Os sábios, por diligência e cuidado, acumulam e aumentam a riqueza, enquanto os tolos

devorador – literalmente, “engolir”, avidamente.

21 Quem segue a justiça e a bondade achará vida, justiça e honra.

Aquele que tenta agir com justiça e bondade (Salmo 34:14) prosperará e obterá justiça e honra.

22 O sábio passa por cima da cidade dos fortes e derruba a fortaleza em que confiam.

“A sabedoria é melhor do que a força” (Ec 7:19; Ec 9:15).

força … disso – aquilo em que eles confiam.

23 Quem guarda sua boca e sua língua guarda sua alma de angústias.

(Veja Pv 13: 2, Pv 13: 3; Tiago 3: 6-10).

24 “Zombador” é o nome do arrogante e orgulhoso; ele trata os outros com uma arrogância irritante.

O nome reprovador é merecido por aqueles que tratam os outros com raiva e desprezo.

25 O desejo do preguiçoso o matará, porque suas mãos se recusam a trabalhar;

desejo – isto é, de facilidade e ociosidade o leva à fome.

26 Ele fica desejando suas cobiças o dia todo; mas o justo dá, e não deixa de dar.

O pecado da cobiça marca o preguiçoso, como a virtude da benevolência dos justos.

27 O sacrifício dos perversos é abominável; quanto mais quando a oferta é feita com má intenção.

Deus considera o coração e a hipocrisia é mais odiosa do que a inconsistência aberta.

má intenção – ou “design” (Pv 1: 4).

28 A testemunha mentirosa perecerá; porém o homem que ouve a verdade falará com sucesso.

(Veja Pv 19: 5).

que ouve – ou dá ouvidos à instrução e assim cresce.

falará com sucesso – ou sinceramente (compare Habacuque 1: 5), e, portanto, acredita-se (Pv 12:19; Tg 1:19).

29 O homem perverso endurece seu rosto, mas o correto confirma o seu caminho.

endurece seu rosto – é obstinado.

confirma o seu caminho – considera isto, e age aconselhado.

30 Não há sabedoria, nem entendimento, nem conselho contra o SENHOR.

Os melhores dispositivos e a confiança dos homens são em vão comparados com os de Deus, ou sem a Sua ajuda (Pv 19:21; Salmo 20: 7; Salmo 33:17).

31 O cavalo é preparado para o dia da batalha, mas a vitória vem do SENHOR.
<Provérbios 20 Provérbios 22>

Leia também uma introdução ao livro dos Provérbios.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados