Bíblia

Provérbios 10

1 Provérbios de Salomão: O filho sábio alegra ao pai; mas o filho tolo é tristeza para sua mãe.

sábiotolo – conforme eles seguem ou rejeitam os preceitos da sabedoria.

2 Tesouros da perversidade para nada aproveitam; porém a justiça livra da morte.

nada – isto é, ganhos ilícitos não dão felicidade verdadeira (compare Pv 4:17; Mt 6:19).

justiça – especialmente bondade (Sl 112:9).

morte – o maior de todos os males.

3 O SENHOR não permite a alma do justo passar fome, porém arruína o interesse dos perversos.

(Compare com o Sl 37:16-20).

4 Aquele que trabalha com mão preguiçosa empobrece; mas a mão de quem trabalha com empenho enriquece.

enriquece – (compare com Pv 10:22).

5 Aquele que ajunta no verão é filho prudente; mas o que dorme na ceifa é filho causador de vergonha.

filho – como Pv 1:8, 10.

dorme – na indolência e não para descansar.

causador de vergonha – compare com Pv 14:35; Pv 17:2.

6 Há bênçãos sobre a cabeça dos justos; mas a violência cobre a boca dos perversos.

bênçãos – literalmente, “louvores”. “A boca do ímpio encobre (ou oculta) a violência (ou planos maliciosos)” para ser executada no devido tempo (Sl 5:9; Sl 10:7; Rm 3:14), e, portanto, não tem louvores (compare com Pv 10:11).

7 A lembrança do justo será uma bênção; mas o nome dos perversos apodrecerá.

apodrecerá – literalmente, “seja comido por vermes”, inútil e repugnante.

8 O sábio de coração aceita os mandamentos; mas o louco de lábios será derrubado.

sábio… – (compare com Pv 9:8-9, 16).

9 Aquele que anda em sinceridade anda seguro; mas o que perverte seus caminhos será conhecido.

perverte seus caminhos – agindo com intenção de enganar.

conhecido – revelado e punido.

10 Aquele que pisca os olhos maliciosamente gera dores; e o louco de lábios será derrubado.

Dois vícios contrastados; hipocrisia, ou insinuar o mal contra alguém (Pv 6:13; Sl 35:19), e precipitação ao falar.

11 A boca do justo é um manancial de vida; mas a boca dos perversos está coberta de violência.

um manancial – ou “fonte” de bem para si e para os outros (Jo 7:37-38). Sobre última oração, veja Pv 10:6.

12 O ódio desperta brigas; mas o amor cobre todas as transgressões.

cobre todas as transgressões – pelo perdão e paciência.

13 Nos lábios do bom entendedor se acha sabedoria, mas uma vara está às costas daquele que não tem entendimento.

não tem entendimento – (Pv 6:32; Pv 7:7).

14 Os sábios guardam consigo sabedoria; mas a boca do tolo está perto da perturbação.

guardam consigo sabedoria – como tesouros para um bom uso.

boca do tolo está perto da perturbação – a destruição está próxima; os tolos se expõem ao mal por tagarelar.

15 A prosperidade do rico é a sua cidade fortificada; a pobreza dos necessitados é sua perturbação.

Tanto confiando na “incerteza das riquezas” (1Tm 6:17), como nos males da pobreza (Pv 30:9), os homens, não temendo a Deus, caem em perigos.

16 A obra do justo é para a vida; os frutos do perverso, para o pecado.

Somente as obras dos justos são realmente bem-sucedidas, enquanto os ganhos dos ímpios tentam e levam ao pecado.

17 O caminho para a vida é daquele que guarda a correção; mas aquele que abandona a repreensão anda sem rumo.

guarda – observa (Pv 3:18; Pv 4:22).

abandona – ou, “desvia da repreensão”, que pode direcioná-lo corretamente.

18 Aquele que esconde o ódio tem lábios mentirosos; e o que produz má fama é tolo.

Ambos os vícios devem um dia ser conhecidos e punidos e, consequentemente sua loucura.

19 Na abundância de palavras não há falta de transgressão; mas aquele que refreia seus lábios é prudente.

Muito falar envolve risco de pecado; por isso há sabedoria em refrear a língua (Sl 39:1; Tg 1:26).

20 A língua do justo é como prata escolhida; o coração dos perversos vale pouco.

A fala correta é o fruto de um bom coração, mas os ímpios mostram que são inúteis.

21 Os lábios dos justo apascentam a muitos; mas os tolos, por falta de entendimento, morrem.

Os tolos não apenas deixam de beneficiar os outros, como os justos, mas obtêm sua própria ruína (compare Pv 10:11, 17; Os 4:6).

22 É a bênção do SENHOR que enriquece; e ele não lhe acrescenta dores.

As riquezas de Deus não produzem a tristeza da ilícita (compare Ec 2:21-23; 1Tm 6:9-10, 17).

23 Para o tolo, fazer o mal é uma diversão; mas para o homem bom entendedor, divertida é a sabedoria.

O pecado é o prazer dos ímpios; sabedoria é o do bom.

24 O temor do perverso virá sobre ele, mas o desejo dos justos será concedido.

Os ímpios temem o mal; os justos desejam o bem.

25 Assim como o vento passa, assim também o perverso não mais existirá; mas o justo tem um alicerce eterno.

(Compare com Sl 1:4; Sl 37:9-10, 36).

fustoalicerce – bem colocado e firme (Mt 7:24-25).

26 Assim como vinagre para os dentes, e como fumaça para os olhos, assim também é o preguiçoso para aqueles que o mandam.

Isto é, causa irritação.

27 O temor ao SENHOR faz aumentar os dias; mas os anos dos perversos serão encurtados.

(Veja Pv 9:11; Sl 55:23).

28 A esperança dos justos é alegria; mas a expectativa dos perversos perecerá.

expectativaperecerá – em decepção.

29 O caminho do SENHOR é fortaleza para os corretos, mas ruína para os que praticam maldade.

O caminho – isto é, a providência de Deus sustenta os justos e derruba os iníquos (Os 14:9).

30 O justo nunca será removido, mas os perversos não habitarão a terra.

(Veja Pv 12:3; Sl 37:9-11; Sl 102:28).

terra – ou “terra da promessa”.

31 A boca do justo produz sabedoria, mas a língua perversa será cortada fora.

produz – literalmente, “germina” como uma planta.

perversa – (compare Pv 2:12, 14).

cortada – como uma planta infrutífera.

32 Os lábios do justo sabem o que é agradável; mas a boca dos perversos é cheia de perversidades.

perversidades – todos os tipos de engano e má natureza.

<Provérbios 9 Provérbios 11>

Introdução à Provérbios 10

Aqui começa a segunda parte do livro dos Provérbios (10 à 22:16), que, com a terceira, (22:16 à 25:28) contém séries de provérbios cujo sentido é completo em um ou dois versos, e que, não tendo conexão lógica, não admitem análise. Os paralelismos de Provérbios 10:1 à 15:33 são na maioria antitéticos; e os de Provérbios 16:1 à 22:16, sintético. A estrutura dos provérbios indicam um propósito de facilitar a memorização.

Leia também uma introdução ao livro dos Provérbios.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.