Bíblia, Revisar

Provérbios 1

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!
1 Provérbios de Salomão, filho de Davi, rei de Israel.

(Veja a Introdução, Parte I).

2 Para conhecer a sabedoria e a instrução; para entender as palavras da prudência;

Para conhecerinstrução – literalmente, “para conhecer”, isto é, tal é o design desses escritos.

a sabedoria – ou o uso dos melhores meios para os melhores fins, é geralmente empregada neste livro para uma verdadeira piedade.

instrução – disciplina, pela qual os homens são treinados.

para perceber – literalmente, “para perceber”, o design (como acima)

compreensão – isto é, palavras que permitem discernir o bem e o mal.

3 Para obter a instrução do entendimento; justiça, juízo e equidades;

do entendimento – Para receber aquela disciplina que discrição confere. O hebraico para “sabedoria” difere do de Pv 1: 2 e denota um conselho discreto. Compare os traços opostos do tolo (Pv 16:22).
justiça … equidade – todos os atributos de um justo em todas as suas relações com Deus e o homem.

4 Para dar inteligência aos simples, conhecimento e bom senso aos jovens.

simples – um facilmente levado ao bem ou ao mal; então o paralelo.

jovem – um inexperiente.

subtilty – ou prudência (Pv 3:21; Pv 5:21).

senso – literalmente, “dispositivo”, ambas qualidades, boas ou más, de acordo com seu uso. Aqui é bom, pois implicam cautela para escapar do mal e encontrar o bem.

5 O sábio ouvirá, e crescerá em conhecimento; o bom entendedor obterá sábios conselhos.

Tais escritos, os sábios que perseguem o direito terminam por meios corretos, valorizarão.

aprendizagem – não o ato, mas a questão disso.

conselhos sábios – ou a arte e os princípios de governar.

6 Para entender provérbios e sua interpretação; as palavras dos sábios, e seus enigmas.

tal será o resultado.

interpretação – (Compare Margin).

palavras do sábio – (compare Pv 1: 2).

provérbios sombrios – (Veja Sl 49: 4; Jo 16:25; e veja a Introdução, Parte I).

7 O temor ao SENHOR é o principio do conhecimento; os tolos desprezam a sabedoria e a instrução.

O temor do SENHOR – o princípio da verdadeira piedade (compare Pv 2: 5; Pv 14:26; Pv 14:27; Jó 28:28; Sl 34:11; Sl 111: 10; At 9:31).

início – primeira parte, fundação.

tolos – o estúpido e indiferente ao caráter e governo de Deus; daí o ímpio.

8 Filho meu, ouve a instrução de teu pai; e não abandones a doutrina de tua mãe.

Filho meu – Essa forma paterna denota uma consideração terna pelo leitor. Os sentimentos filiais se classificam ao lado da piedade para com Deus, e garantem as mais distintas recompensas (compare Pv 6:20; Ef 6: 2, Ef 6: 3).

9 Porque serão um ornamento gracioso para tua cabeça; e colares para teu pescoço.

Nas figuras de Pv 1: 9, compare Gn 41:42; Cantares de Salomão 1:10; Cantares de Salomão 4: 9.

10 Filho meu, se os pecadores tentarem te convencer, não te deixes influenciar.

Um aviso solene contra a tentação.

seduzir – literalmente, “abra o caminho”.

te convencer, não – O pecado está em consentir ou ceder à tentação, não em ser tentado.

11 Se disserem: Vem conosco, vamos espiar derramamento de sangue; preparemos uma emboscada ao inocente sem razão.

Assassinato e roubo são dados como ilustrações específicas.

Vem conosco, vamos espiar – expresse um esforço e espere por uma ocultação bem-sucedida.

12 Vamos tragá-los vivos, como o Xeol; e inteiros, como os que descem à cova.

tragá-losXeol – destruir totalmente a vítima e os vestígios do crime (Nm 16:33; Sl 55:15). Recompensas abundantes de vilania são prometidas como os frutos deste curso fácil e seguro.

13 Acharemos toda espécie de coisas valiosas, encheremos nossas casas de despojos.
14 Lança tua sorte entre nós, compartilharemos todos de uma só bolsa.
15 Filho meu, não sigas teu caminho com eles; desvia teu pé para longe de onde eles passarem;

A sociedade dos ímpios (caminho ou caminho) é perigosa. Evite o início do pecado (Pv 4:14; Salmo 1: 1; Salmo 119: 101).

16 Porque os pés deles correm para o mal, e se apressam para derramar sangue.
17 Certamente é inútil se estender a rede diante da vista de todas as aves;

Os homens advertidos devem escapar do perigo, pois os pássaros instintivamente evitam redes visivelmente espalhadas. Mas os pecadores estúpidos correm para a sua própria ruína (Salmo 9:16) e, gananciosos, conseguem os mesmos esquemas que os destroem (1Tm 6:10), não apenas deixando de pegar outros, mas obtendo sua própria destruição.

18 Porém estes estão esperando o derramamento de seu próprio sangue; e preparam emboscada para suas próprias almas.
19 Assim são os caminhos de todo aquele que tem ganância pelo lucro desonesto; ela tomará a alma daqueles que a tem.
20 A sabedoria grita pelas ruas; nas praças ela levanta sua voz.

Alguns intérpretes consideram este endereço como a linguagem do Filho de Deus sob o nome de Sabedoria (compare Lc 11:49). Outros pensam que a sabedoria, como o atributo divino especialmente empregado em atos de conselho e admoestação, é aqui personificada e representa Deus. Em ambos os casos, o discurso é uma admoestação muito solene e divina, cuja matéria e espírito são eminentemente evangélicos e impressionantes (ver Pv 8: 1).

sabedoria – literalmente, “Sabedoria”, o plural usado por causa do senso incomum, ou como indicativo da grande excelência da sabedoria (compare Pv 9: 1).

ruas – ou a maioria dos lugares públicos, não secretamente.

21 Ela clama nas encruzilhadas, onde passam muita gente; às entradas das portas, nas cidades ela diz suas mensagens:

A publicidade é ainda mais indicada por termos que designam locais de resort mais comuns.

22 Até quando, ó tolos, amareis a tolice? E vós zombadores, desejareis a zombaria? E vós loucos, odiareis o conhecimento?

simples – (compare Pv 1: 4).

simplicidade – implicando ignorância.

escarnecedores – (Salmo 1: 1) – que desprezam, bem como rejeitam a verdade.

tolos – Embora uma palavra diferente seja usada da de Pv 1: 7, ainda assim tem o mesmo significado.

23 Convertei-vos à minha repreensão; eis que vos derramarei meu espírito, e vos farei saber minhas palavras.

repreensão – implicando convicção que merece (compare Jo 16: 8).

derramar – abundantemente transmitir.

meu espírito – seja de sabedoria personificada, seja de Cristo, um agente divino.

24 Mas porque eu clamei, e recusastes; estendi minha mão, e não houve quem desse atenção,

mão – A ganância, especialmente em suplicar, é denotada pela figura (compare Jó 11:13; Salmo 68:31; Salmo 88: 9).

25 E rejeitastes todo o meu conselho, e não quisestes minha repreensão,

definido em nada – rejeitado como de nenhum valor.

seria nenhum dos – literalmente, “não estavam dispostos ou inclinados a isso”.

26 Também eu rirei em vosso sofrimento, e zombarei, quando vier vosso medo.

Em sua extrema angústia Ele não só recusar ajuda, mas agravá-lo por escárnio.Verse 27 medo – o objeto dele.desolação – literalmente, “um ruído tumultuoso”, denotando a sua confusão total.destrução – ou calamidade (Pv 1:26) em comparação com um turbilhão, como a Rapidez fatal. – (Salmo 4: 1; Salmo 44:11) .primeira – um estado de inextricável opressão, o mais profundo desespero.Verse 28 Ora, nenhuma oração ou a mais diligente busca se fará valer (Pv 8:17). 30 A rejeição apaixonada do pecador traz a sua ruína. 31 caminho – resultado da conduta (Is 3:10; Ez 11:21; Rm 6:21; Gl 6: 7, Gl 6: 8). plenitude (Salmo 123: 4). Verso 32 se afastando – isto é, do apelo de Pv 1:23. Simples – como em Pv 1: 22.prosperidade – quieta, implicando indiferença.Em seguida, 33 habitam em segurança – literalmente, “em confiança ”(Dt 12:10) .está quieta – ou à vontade, na verdadeira prosperidade. do medo – sem medo.

27 Quando vier vosso temor como tempestade, e a causa de vosso sofrimento como ventania, quando vier sobre vós a opressão e a angústia,
28 Então clamarão a mim; porém eu não responderei; de madrugada me buscarão, porém não me acharão.
29 Porque odiaram o conhecimento; e escolheram não temer ao SENHOR.
30 Não concordaram com meu conselho, e desprezaram toda a minha repreensão.
31 Por isso comerão do fruto do seu próprio caminho, e se fartarão de seus próprios conselhos.
32 Pois o desvio dos tolos os matará, e a confiança dos loucos os destruirá.
33 Porém aquele que me ouvir habitará em segurança, e estará tranquilo do temor do mal.
<Salmo 150 Provérbios 2>

Introdução à Provérbios 1

Após o título, o escritor define o design e a natureza das instruções do livro. Ele paternalmente convida a atenção para essas instruções e adverte seus leitores contra as tentações dos ímpios. Em uma bela personificação, a sabedoria é então introduzida de uma maneira muito solene e impressionante, convidando publicamente os homens a receberem seus ensinamentos, advertindo aqueles que rejeitam e encorajam aqueles que aceitam as instruções proferidas.

Leia também uma introdução ao livro dos Provérbios.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados