Livro dos Provérbios

O livro de Provérbios é uma coleção de ditados morais e filosóficos a respeito de uma ampla variedade de assuntos presente em forma poética. Este livro apresenta a “filosofia da vida prática. É o sinal para nós que a Bíblia não despreza o bom senso e a prudência. Ele nos transmite, da forma mais vigorosa possível, o valor da inteligência e da sabedoria e de uma boa instrução. Toda a força da língua hebraica e da autoridade sagrada do livro é lançada sobre essas verdades singelas. Trata, também, dessa visão refinada, criteriosa e cuidadosa das nuances mais sutis do caráter humano tão frequentemente negligenciadas pelos teólogos, mas tão necessárias para qualquer avaliação verdadeira da vida humana”  (Jewish Church, 1879).

Quanto a autoria do livro de Provérbios, várias pessoas são mencionadas: Salomão (Provérbios 1:1; 10:1; 25:1), Ezequias (Provérbios 25:1), Agur (Provérbios 30:1) e Lemuel (Provérbios 31:1).

O Julgamento de Salomão, por Peter Paul Rubens (1617)

Estrutura do livro de Provérbios

Este livro é geralmente dividido em cinco partes:

(1) Provérbios 1-9, contendo uma exposição da sabedoria como o bem mais elevado.

(2) Provérbios 10 à 22:16, contendo provérbios de Salomão.

(3) Provérbios 22:17, contendo ditos dos sábios.

(4) Provérbios 25-29, contendo provérbios de Salomão “que os homens de Ezequias, rei de Judá, coletaram”.

(5) Provérbios 30, contendo “as palavras de Agur” .

(6) Provérbios 31, contendo “os ditos do rei Lemuel”.

Diz-se que Salomão escreveu três mil provérbios e os que estão contidos neste livro podem ser uma seleção deles (1Reis 4:32). No Novo Testamento há trinta e cinco citações diretas deste livro ou alusões a ele.

Adaptado de: Illustrated Bible Dictionary (Proverbs, Book of).