Provérbios 22

1 É preferível ter um bom nome do que muitas riquezas; e ser favorecido é melhor que a prata e o o ouro.

Comentário de A. R. Fausset

Visto que “favor” por si só expressa suficientemente o sentimento bondoso ou a estima dos outros para com alguém, é melhor traduzir como margem:’Favor é melhor do que prata.’ Portanto, o caldeu e o siríaco; mas a Vulgata, a Septuaginta e o árabe apóiam a versão em inglês. O caráter é melhor do que a riqueza, porque seu fundamento é melhor – a saber, a virtude; sua aquisição mais difícil, sua bússola mais ampla, sua utilidade maior, sua duração mais longa, sua perda mais fatal ( Provérbios 4:9 ; Provérbios 13:15 ). Compare José, Gênesis 39:4 ; Gênesis 39:21 ; Ester, Ester 2:15 . [JFU, aguardando revisão]

2 O rico e o pobre se encontram; todos eles foram feitos pelo SENHOR.

Comentário de A. R. Fausset

Embora ricos e pobres sejam desiguais em termos mundanos, eles são iguais em relação à criação e à natureza comum. Apesar das distinções convencionais de propriedade e posição, eles se encontram em pé de igualdade em muitas coisas. Eles se encontram em um nível de respeito às fraquezas comuns da humanidade, doença e morte. Então, na casa de Deus ( Tiago 2:1-4 ). Nenhum poderia dispensar o outro. Os ricos precisam do trabalho dos pobres; os pobres, o dinheiro e a inteligência educada dos ricos. Portanto, os pobres não devem ser desprezados, nem os ricos, invejados. Fazer isso seria reprovar a Deus, que fez ambos como eles são ( Provérbios 14:31 ; Provérbios 29:13) Em vez disso, ambos devem ser ligados em mútuos ofícios de bondade. Os homens não devem ser avaliados por suas riquezas ou pobreza, mas pelo “bom nome” e “favor” que eles merecem ou não perante Deus e os homens ( Provérbios 22:1 ). [JFU, aguardando revisão]

3 O prudente vê o mal, e se esconde; mas os ingênuos passam e sofrem as consequências.

Comentário de A. R. Fausset

O prudente (o homem) ê o mal, e se esconde (dele, até que passe, Isaías 4:6 ; Isaías 26:20 ; Isaías 32:2 ); mas os ingênuos passam (não apreendendo nada e, portanto, não saindo do caminho do mal) e sofrem as consequências – por sua imprudência pecaminosa ou temeridade. Se os simples veem o mal, não o veem em sua verdadeira magnitude. Eles são tão apressados ​​por suas paixões que negligentemente passam adiante. O piedoso prudente, por meio do instinto espiritual, guiado pelas Escrituras, junto com a experiência, muitas vezes prevê o perigo espiritual e o evita. É verdadeira sabedoria fugir da ira vindoura. Então Noé, Hebreus 11:7. ‘É a natureza que ensina um homem sábio com medo a se esconder. Mas a graça e a fé o ensinam onde. Onde deve a criança assustada esconder sua cabeça, senão no seio de seu Pai amoroso? onde um cristão, mas sob a sombra das asas de Cristo, seu Salvador? ‘ (‘Remédio contra o medo’ de Hooker.) [JFU, aguardando revisão]

4 A recompensa da humildade e do temor ao SENHOR são riquezas, honra, e vida.

Comentário de A. R. Fausset

( Salmos 19:11 ; Salmos 112:3 ; Mateus 6:33 ), Verdadeiro ” humildade “é o associado inseparável do” temor do Senhor “. Os humildes, afetados com um verdadeiro senso da majestade divina, não podem deixar de sentir sua própria vileza e nada pela comparação. [JFU, aguardando revisão]

5 Há espinhos e ciladas no caminho do perverso; quem cuida de sua alma deve ficar longe de tal caminho.

Comentário de A. R. Fausset

Há espinhos e ciladas (emaranhados no pecado e conseqüente punição) no caminho do perverso. Ele os provoca por sua perversidade e não pode se livrar deles. Então Israel, Josué 23:13 ; Juízes 2:3 . Os pecadores freqüentemente encontram dores mais amargas por causa do inferno do que os piedosos por causa do céu:e como eles armam armadilhas para os outros ( Salmos 38:12 ; Salmos 64:5 ), Satanás também para eles ( 1 Timóteo 3:7 ; 2 Timóteo 2:26 ).

quem cuida de sua alma (aquele que zela pela sua segurança eterna, 1 João 5:18deve ficar longe de tal caminho – dos “espinhos e laços”. [JFU, aguardando revisão]

6 Instrui ao menino em seu caminho, e até quando envelhecer, não se desviará dele.

Comentário de A. R. Fausset

A criança deve ser iniciada no caminho da vida desde o início de sua vida (2Timóteo 1:5; 2Timóteo 3:15; Deuteronômio 6:7). As crianças entendem mais do que podem expressar. Como um templo recentemente construído, e ainda não profanado, é solenemente separado ao Senhor, assim uma criança, por meio de formação piedosa, é dedicada como um templo do Espírito Santo (1Samuel 1:28).

Instrui – o hebraico para ‘catecismo’ foi retirado deste verbo, ceeper  chinuk  (Gênesis 14:14). A fim de formar uma criança, devemos perguntar a Deus:”Como devemos ordenar a criança, e como devemos fazer com ela”? (Juízes 13:12).

em seu caminho – “na boca de seu caminho” – ou seja, não como Mercer e Maurer, “em proporção à capacidade de sua compreensão;” mas como a versão inglesa, “no caminho que ele deve seguir;” não no caminho que ele deveria seguir; talvez com a idéia adicional de que isto deve ser feito na boca ou na abertura de seu caminho; desde a primeira abertura da razão. O hebraico é, no entanto, muitas vezes usado simplesmente de acordo com (Gênesis 43:7. margem:Levítico 27:18; Números 26:56).

até quando – ou seja, a partir do aprendizado (Mercer); do modo como ele deve ir, na versão inglesa, a infância é maleável; a maturidade é dura e inexprimível. A semente semeada na infância pode parecer perdida por um tempo, mas se tiver sido semeada com fé, ela se desenvolverá “quando ele for velho”. Timóteo, ensinado na Escritura quando criança, não foi totalmente convertido até ser um homem (1Timóteo 1:2). A semente deve ser semeada na juventude; a colheita não é de se esperar até a virilidade. [JFU]

7 O rico domina sobre os pobres, e quem toma emprestado é servo daquele que empresta.

Comentário Whedon

O rico domina sobre os pobres. Este provérbio, também, afirma um fato geral em linguagem convincente. As riquezas dão influência, poder, domínio sobre aqueles que não têm riquezas; e o homem que pede emprestado, ou contrai dívidas, perde, em certo sentido, sua liberdade pela obrigação que tem para com seu credor.

servo. עבד, (‘hebhedh,) é a palavra comumente usada para servo, (escravo), embora não se restrinja a esse sentido. [Whedon, aguardando revisão]

8 Aquele que semeia perversidade colherá sofrimento; e a vara de sua ira se acabará.

Comentário do Púlpito

Aquele que semeia perversidade colherá sofrimento –  não ganhará nada substancial, não terá nada para mostrar por suas dores. Mas aven também significa “calamidade”, “tribulação”, como Provérbios 12:21; assim, o gnomo expressa a verdade de que aqueles que praticam o mal serão punidos por seus próprios pecados – o contraste exato com a promessa aos justos (Pv 11:18). “Ao que semeia a justiça, será a recompensa certa.” Assim, temos em Jó 4:8:“Os que lavram iniqüidade e semeiam o mal segam o mesmo”; e o apóstolo afirma (Gl 6:7, etc), “Tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas o que semeia no Espírito, do Espírito colher a vida eterna. ” Os provérbios orientais dizem:”Assim como o pecado, assim é a expiação”:”Quem semeia espinhos só colhe espinhos” (comp. Pro 12:14).

e a vara de sua ira se acabará. O escritor está pensando especialmente na crueldade e injustiça praticada contra um vizinho, como Delitzsch apontou, e ele quer dizer que a vara que ele ergueu, a violência intencionada contra a vítima inocente, desaparecerá ou cairá inofensivamente. Ewald e outros pensam que a vara é a ira Divina, e traduzem o verbo (kalah) “está preparado”, um sentido que aqui não suportará bem, embora seja a LXX. emprestou algum apoio a ele ao traduzir, “E cumprirá plenamente a praga (πληγὴν ,? ‘punição’) de seus atos.” A tradução, “falhará”. “será consumido ou aniquilado”, é confirmado por Gênesis 21:15; Is 1:28; Is 16:4, etc. A Septuaginta adiciona um dístico aqui, do qual o primeiro membro é uma variante de Is 16:9. e a segunda outra tradução do último hemistique do presente versículo:”O homem alegre e Deus doador abençoa (ἄνδρα ἱλαρὸν καὶ δότην εὐλογεῖ ὁ Θεός):mas ele porá fim (συντελεσεῖ) à vaidade de suas obras.” O primeiro hemistique é notável por ser citado por São Paulo (2Co 9:7), com uma ligeira variação, Ἱλαρὸν γὰρ δότην ἀγαπᾷ ὁ Θεός. Portanto, Eclesiástico 32:9 (35), “Em todas as tuas dádivas mostra um semblante alegre (ἱλάρωσον τὸ πρόσθπόν σου).” [Pulpit, aguardando revisão]

9 Quem tem olhos bondosos será abençoado, porque deu de seu pão ao pobre.

Comentário de A. R. Fausset

Quem tem olhos bondoso – em contraste com um ‘olhar maligno contra o irmão pobre’ ( Deuteronômio 15:9 ), quando o levita “olhava” o homem ferido, e ainda “passava do outro lado” ( Lucas 10:32 ) . É olhando para as necessidades de nosso irmão que somos movidos a ter pena e a aliviá-lo.

será abençoado – por Deus ( 2 Coríntios 9:6 ), pelos pobres ( Jó 31:20 ) e por todos os homens bons.

porque deu de seu pão ao pobre – não todo, mas uma porção dele. As reivindicações de nossas próprias famílias não devem ser esquecidas. [JFU, aguardando revisão]

10 Expulsa ao zombador, e a briga terminará; cessará a disputa e a vergonha.

Comentário de A. R. Fausset

Expulsa ao zombador – da família (como Agar e Ismael, Gênesis 21:9-10 :’Sara viu o filho de Agar … zombando, pelo que disse:Expulso, etc.) da Igreja. Aquele que despreza a Deus e ao homem levanta contendas. Livrar-se dele é livrar-se da “contenda” (hebraico, din, contenda judicial). [JFU, aguardando revisão]

11 Quem ama a pureza do coração fala graciosamente com os lábios, e o rei será seu amigo.

Comentário de A. R. Fausset

Pureza de coração, livre da mistura estranha de hipocrisia e egoísmo, é a única base sólida para a graça nos lábios. DeDieu leva a segunda cláusula como parte do predicado, ‘ Todo aquele que ama a pureza de coração, seus lábios são graciosos, e o rei será seu amigo. ‘”O rei” – ou seja, aquele que é um rei de acordo com o verdadeiro ideal de realeza, especialmente o Rei dos reis. [JFU, aguardando revisão]

12 Os olhos do SENHOR protegem o conhecimento; porém ele transtornará as palavras do enganador.

Comentário de A. R. Fausset

Os olhos do SENHOR protegem o conhecimento – a saber, aquele do conhecimento piedoso, prático e experimental da verdade. Seus “olhos” olham com favor, para que Ele ‘preserve’ aqueles que têm o “conhecimento” salvador de Si mesmo. Ele cuida para que isso não seja perdido para eles. “Pureza de coração” é o caminho para isso, e traz consigo a amizade do grande Rei ( Provérbios 22:11 ).

porém ele transtornará as palavras do enganador. Eles esperavam com mentiras e lisonjas ganhar amigos; mas Deus frustra e derruba a eles e suas palavras. [JFU, aguardando revisão]

13 O preguiçoso diz:Há um leão lá fora! Ele me matará nas ruas!

Comentário de A. R. Fausset

O preguiçoso diz:Há um leão lá fora! – inventar perigos imaginários para desculpar sua indolência em ficar em casa, em vez de sair para os negócios ativos.

Ele me matará nas ruas! – indicando a tolice de sua desculpa. Os leões não vagam livremente “nas ruas”, mas em florestas selvagens. [JFU, aguardando revisão]

🔗 Para se aprofundar no assunto, leia o texto “O temor do Senhor é o antídoto contra a preguiça” do pastor batista Paulo Alves.

14 A boca da mulher pervertida é uma cova profunda; aquele contra quem o SENHOR se irar cairá nela.

Comentário de A. R. Fausset

A boca da mulher pervertida (os discursos lisonjeiros da tentadora, Provérbios 7:11-21é uma cova profunda – onde as feras são apanhadas, da qual não há como escapar.

aquele contra quem o SENHOR se irar (por causa da resistência deliberada ao Espírito Santo, e o pecado perseverante, Salmos 7:11 ) cairá nela – ( Eclesiastes 7:26 .) Deus pune um longo curso de pecado intencional em rejeição de a luz por outro pecado:o último pecado é a punição do pecado anterior ( Salmos 81:11-12 ; Romanos 1:28 ). [JFU, aguardando revisão]

15 A tolice está amarrada ao coração do menino; mas a vara da correção a mandará para longe dele.

Comentário de A. R. Fausset

A tolice está amarrada ao coração do menino – não apenas por ligeiros fios, mas por assim dizer por correntes, de modo que não pode ser facilmente arrancada dele. O hebraico, qªshuwraah ( H7194 ), expressa um abraço firme, compacto e estreito ( Gênesis 44:30 ; 1 Samuel 18:1 ). [JFU, aguardando revisão]

16 Aquele que oprime ao pobre para proveito próprio e aquele que dá suborno ao rico certamente empobrecerão.

Comentário de A. R. Fausset

Ambos procuram a si mesmos:um oprimindo os pobres, o outro dando aos ricos esperando algo novamente ( Lucas 6:33-35 ). Este último muitas vezes chega a sofrer necessidade e desapontamento neste mundo, e certamente ficará sem as verdadeiras riquezas no dia da recompensa vindoura ( Lucas 14:12-14) Maurer traduz, ‘Aquele que oprime os pobres’, no caso será encontrado ‘para aumentar as riquezas do homem pobre’; como quando o dano opressivo foi detectado, sua propriedade deve ser restaurada a ele, e ele receberá mais (Mercer); pois assim o pobre é estimulado a forçar ainda mais suas energias (Maurer). “Aquele que dá aos ricos” (enquanto oprime os pobres, para ter o que dar aos “ricos”, Mercer), no caso, será descoberto que o fez apenas para empobrecer o homem rico, é o homem rico que é assim tentado à ociosidade e extravagância. [JFU, aguardando revisão]

17 Inclina o teu ouvido e escuta as palavras dos sábios; dispõe teu coração ao meu conhecimento;

Comentário de A. R. Fausset

Inclina o teu ouvido – a exortação introdutória.

e escuta as palavras dos sábios; dispõe teu coração ao meu conhecimento. Salomão representa a si mesmo como o porta-voz inspirado dos sábios piedosos de todos os tempos. [JFU, aguardando revisão]

18 porque é agradável que as guardes dentro de ti, e estejam prontas para os teus lábios;

Comentário de A. R. Fausset

porque é agradável que as guardes dentro de ti (em teu peito; cf. margem, e estejam prontas para os teus lábios. Ou forneça ‘se’. ‘Se eles devem ser igualmente [ yachdaaw ( H3162 )] ajustados em (i:e., Apropriadamente expressos por) teus lábios,’ como eles são mantidos dentro de teu coração. A doçura ou simpatia do “conhecimento piedoso é: (1) se for entesourado no íntimo do coração ( Provérbios 2:10 ; Salmos 19:10 ; Salmos 119:103 ); (2) se for feliz com palavras dos lábios ( Salmos 119:171 ; Mateus 12:34-35 ; Colossenses 3:16 ). [JFU, aguardando revisão]

19 para que tua confiança esteja no SENHOR, eu as ensino a ti hoje.

Comentário de A. R. Fausset

eu as ensino a ti hoje – a ti mesmo, seja quem for que lê ou ouve ( Gênesis 27:34 ). Se até agora você não conheceu ou atendeu às minhas palavras, eu as coloco diante de ti AGORA. “Este dia” se estende a cada geração em sucessão que junta este livro ( Salmos 95:7 ; Hebreus 3:7 ; Hebreus 3:15 ; Hebreus 4:7 ). Não podes invocar a desculpa de que nunca ouviste. [JFU, aguardando revisão]

20 Por acaso não te escrevi excelentes coisas sobre o conselho e o conhecimento,

Comentário de A. R. Fausset

Para o Qeri ‘[ shaaliyshiym ( H7991 )], “coisas excelentes”, o Kethibh lê [ shilshowm ( H8032 )],’ muito tempo atrás ‘- literalmente, anteontem; mas esta palavra hebraica nunca é usada sem ‘ontem’ ( tªmowl ( H8543 )) precedente. Provérbios 8:6 , “Coisas excelentes (principescas)”, corresponde à versão em inglês:hebraico, nªgiydiym ( H5057) Shalishim são propriamente uma classe de principais líderes militares. A Septuaginta caldeia, a Vulgata, o siríaco e o árabe traduzem ‘de maneira tríplice’ ou ‘três vezes’. “Conselhos” referem-se à vida prática cotidiana; “conhecimento” à teoria. [JFU, aguardando revisão]

21 para te ensinar a certeza das palavras da verdade, para que possas responder palavras de verdade aos que te enviarem?

Comentário de A. R. Fausset

ara te ensinar a certeza das palavras da verdade. As palavras da Escritura são: (1) certo, e nem um pouco ambíguo ou equívoco (como os oráculos pagãos); (2) cheio de verdade e, portanto, cheio de poder salutar.

para que possas responder palavras de verdade aos que te enviarem? para consultar-te. Alguém ensinado experimentalmente nas Escrituras torna-se uma espécie de oráculo a quem outros podem consultar em dificuldades. Mas Gejer, depois da Vulgata, Caldeu e Siríaco, traduz, ‘para aqueles que te enviam’ – ou seja, para teus superiores que te enviam em qualquer missão. Portanto, o hebraico ( 1 Samuel 21:2 ; 2 Samuel 24:13 ; 1 Crônicas 21:12 ). Mas o árabe suporta a versão em inglês. [JFU, aguardando revisão]

22 Não roubes ao pobre, porque ele é pobre; nem oprimas ao aflito junto à porta do julgamento.

Comentário de A. R. Fausset

Não roubes ao pobre, porque ele é pobre – porque você pensa que ele é incapaz de evitar o mal. Ou, já que ele é pobre, não aumente sua aflição.

nem oprimas ao aflito junto à porta do julgamento –  i:e., No lugar da justiça. Essas são as injúrias mais graves que são infligidas sob o pretexto da justiça, quando o próprio porto de refúgio é transformado em rocha para naufragá-los ( Malaquias 3:5 ; Zacarias 7:10 ). Deixe a pobreza dos pobres e a santidade do tribunal de justiça suplicar por eles. [JFU, aguardando revisão]

23 Porque o SENHOR defenderá a causa deles em juízo, e quanto aos que os roubam, ele lhes roubará a alma.

Comentário de A. R. Fausset

Aqueles que privaram os pobres de seus meios de vida, o Senhor privará a própria vida aqui e no além. [JFU, aguardando revisão]

24 Não seja companheiro de quem se irrita facilmente, nem andes com o homem furioso,

Comentário Whedon

Não seja companheiro (não tenha companhia) de quem se irrita facilmente – Um de temperamento violento. [Whedon, aguardando revisão]

25 Para que não aprendas o caminho dele, e te ponhas em armadilhas para tua alma.

Comentário do Púlpito

Para que não aprendas o caminho dele – sua maneira de vida e conduta. como Pro 1:15 (onde ver nota). A raiva gera raiva; impotência, impaciência. São Basílio (‘De Ira’), citado por Corn. um Lapide, ordena:”Não tome seu adversário como seu professor, e não seja um espelho para refletir o homem irado, mostrando sua figura em ti.”

e te ponhas em armadilhas para tua alma – traga destruição para si mesmo. A raiva não subjugada não apenas estraga a bondade da vida social, mas leva a todos os tipos de complicações perigosas que podem trazer ruína e morte em seu encalço (comp. Pro 15:18). [Pulpit, aguardando revisão]

26 Não estejas entre os que se comprometem em acordos com as mãos, ou os que ficam por fiadores de dívidas.

Comentário do Púlpito

Um aviso contra ser fiador, muitas vezes repetido. Não estejas entre os que se comprometem em acordos com as mãos – ou seja, que se tornam garantias para os outros (ver Pro 17:18; Pro 20:16; e comp. Pro 6:1; Pro 11:15). [Pulpit, aguardando revisão]

27 Se não tens como pagar, por que razão tirariam tua cama debaixo de ti?

Comentário de A. R. Fausset

por que razão tirariam tua cama debaixo de ti? por que você deveria se envolver em tais dificuldades a ponto de colocar no poder do credor a remoção do leito de debaixo de você? (cf. Provérbios 20:16 .) [JFU, aguardando revisão]

28 Não mudes os limites antigos que teus pais fizeram.

Comentário de A. R. Fausset

Portanto, espiritualmente, não substitua irreverentemente os antigos marcos da fé – por exemplo, o teste paulino de uma igreja em pé ou em queda, justificação apenas pela fé. Impaciência de restrição, independência obstinada de espírito e resistência ilegal à autoridade das coisas divinas são características dos últimos dias ( 2 Timóteo 3:1-7 ; 2 Timóteo 4:3-4 ). As tradições romanas são uma remoção dos marcos antigos que as Escrituras estabeleceram. [JFU, aguardando revisão]

29 Viste um homem habilidoso em sua obra? Perante a face dos reis ele será posto; ele não será posto diante de pessoas sem honra.

Comentário de A. R. Fausset

Viste um homem habilidoso em sua obra? Perante a face dos reis ele será posto – como José, Neemias e Daniel fizeram ( Gênesis 39:3-6 ; Gênesis 41:42 ; Neemias 1:11 ; Neemias 2:1 ; Daniel 6:1-3 ; Daniel 8:27 ). Os espiritualmente diligentes estarão diante do Rei dos reis (cf. 1 Reis 10:8 com Apocalipse 7:15 ; Apocalipse 22:3-4 ; João 12:26 ). [JFU, aguardando revisão]

<Provérbios 21 Provérbios 23>

Visão geral de Provérbios

“O livro de Provérbios convida as pessoas a viverem com sabedoria e temor ao Senhor a fim de experimentarem a boa vida”. Tenha uma visão geral deste livro através de um breve vídeo produzido pelo BibleProject. (8 minutos)

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Leia também uma introdução ao livro dos Provérbios.

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.