Bíblia

Provérbios 4

1 Ouvi, filhos, a correção do pai; e prestai atenção, para que conheçais o entendimento.

(Compare com Pv 1:8).

Ouvi, filhos, a correção do pai – um pai espiritual – a saber, eu, Salomão. “a correção” – literalmente, disciplina; instrução disciplinar. Somos tão lentos e apáticos que todos que precisam de nossa atenção têm que ficar continuamente nos estimulando. Mas isso deve ser feito com amor, para que possamos sentir nosso instrutor ao mesmo tempo como um “pai” e amigo. [JFB]

2 Pois eu vos dou boa doutrina; não deixeis a minha lei.

doutrina – tal como ele havia recebido (Lm 3:1).

3 Porque eu era filho do meu pai; tenro, e único perante a face de minha mãe.

único – ou “como filho único” (Gn 22:2), embora ele tivesse irmãos (veja 1Cr 3:5).

4 E ele me ensinava, e me dizia: Que teu coração retenha minhas palavras; guarda meus mandamentos, e vive.

Como resultado abençoado, terás vida em seu sentido mais elevado, tanto no tempo como na eternidade (Pv 3:2; Pv 7:2).

5 Adquire sabedoria, adquire entendimento; e não te esqueças nem te desvies das palavras de minha boca.

Adquire sabedoria – como uma posse permanente.

nem te desvies – de obedecer a minha palavra.

6 Não a abandones, e ela te guardará; ama-a, e ela te conservará.

Não somente aceite, mas ame a sabedoria, que ela te protegerá do mal.

7 O principal é a sabedoria; adquire sabedoria, e acima de tudo o que adquirires, adquire entendimento.

(Compare com Jó 28:28).

adquire – ou toma posse; o desejo por sabedoria é sábio.

8 Exalta-a, e ela te exaltará; quando tu a abraçares, ela te honrará.

Assim como você tem grande consideração por ela, ela irá levantá-lo em honra.

abraçares – com carinho afetuoso.

9 Ela dará a tua cabeça um ornamento gracioso; ela te entregará uma bela coroa.

ornamento – como a grinalda dos conquistadores.

10 Ouve, filho meu, e recebe minhas palavras; e elas te acrescentarão anos de vida.

(Compare com Pv 3:2).

11 Eu te ensino no caminho da sabedoria; e te faço andar pelos percursos direitos.

Já ensinei em parte que agora te ensinarei mais plenamente; sim, estou ensinando-te com mais fidelidade (Gejer). Os “percursos direitos” são os únicos caminhos sábios.

te faço andar – literalmente, “te faço pisar”, como um caminho (Sl 107:7).

12 Quando tu andares, teus passos não se estreitarão; e se tu correres, não tropeçarás.

não se estreitarão – antes, terás amplo espaço (Sl 18:36).

13 Toma a correção para si, e não a largues; guarda-a, porque ela é tua vida.

(Compare com Pv 3:18). A figura de segurar com a mão sugere diligente esforço.

14 Não entres pela vereda dos perversos, nem andes pelo caminho dos maus.

(Compare com Sl 1:1). Evite todas as tentações de entrar no caminho do mal. “Não entres” proíbe o primeiro passo em direção à associação com os perversos em seus caminhos. “Nem andes” proíbe o avançar na mesma aliança maligna, se tivermos sido vencidos temporariamente engano do pecado.

15 Rejeita-o! Não passes por ele; desvia-te dele, e passa longe.

Ele acumula palavras para implicar a grandeza do perigo, bem como a nossa tendência natural para o caminho do mal. Não fique um pouco, nem flerte com a tentação, mas fuja das menores ocasiões de pecado com a prontidão com que José fugiu da mulher de Potifar (Gn 39:10).

16 Pois eles não dormem se não fizerem o mal; e ficam sem sono, se não fizerem tropeçar a alguém.

A razão é encontrada no caráter dos pecadores, cujo zelo pelo mal é fortemente retratado (Pv 6:4; Sl 36:5).

17 Porque comem pão da maldade, e bebem vinho de violências.

(Jó 15:16; Jó 34:7). Não apenas a maldade é o pão deles, e a violência o vinho (compar com Sl 42:3; Sl 53:4, “que devoram a meu povo, como se comessem pão”; Jo 4:34, “Minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou” (Jó 23:12); mas também obtêm seu sustento, seu pão e vinho, através da maldade e violência. Não é de admirar, então, que eles não possam dormir exceto que tenham feito o mal (Pv 4:16; compare com Pv 1:12-13; Am 2:8). [JFB]

18 Mas o caminho dos justos é como a luz brilhante, que vai, e ilumina até o dia ficar claro por completo.

como a luz brilhante – literalmente, como a luz do esplendor – isto é, como a luz do sol (matinal). Este é outro argumento contra o andar com os ímpios (Pv 4:14), o contraste abençoado que o caminho dos justos tem para com o dos ímpios. Em vez de trevas (Pv 4:19) e obras das trevas, que os iníquos amam, os justos têm luz e iluminam todos os lados, porque têm dentro de si a luz da Palavra de Deus e do Espírito de Deus (Fp 2:15; Mt 5:14,16; Ef 5:8). “Ilumina até o dia ficar claro por completo” (2Sm 23:4) – literalmente, indo e brilhando – isto é, brilhando mais e mais. “Até o dia ficar claro por completo” – até que o sol esteja na altura dos meridianos, e pareça parado ali. O justo brilha com a luz do conhecimento celestial, alegria, felicidade e pureza (Pv 13:9; Jó 22:28; Is 58:10). Sua luz de pureza e bem-aventurança não é um brilho intermitente (Ec 7:6), mas uma luz crescente. Eles vão de força em força e de glória em glória (Sl 84:7; 2Co 3:18; Is 40:31; Is 58:8), até que em perfeição absoluta eles “brilharão como o sol, no Reino de seu Pai”(Mt 13:43). [JFB]

19 O caminho dos perversos é como a escuridão; não sabem nem em que tropeçam.

Os maus não sabem em que perigo podem tropeçar e finalmente caírem (Dt 28:28-29). Eles estão em perpétuo perigo, e não o conhecem, porque estão em trevas (Jo 11:9; Jo 12:35; comparar com Pv 4:12, quanto ao piedoso, este “não tropeçará”). O inverso de Pv 4:18 é válido para eles, O caminho do injusto é aquele que se torna mais e mais escuro, até que termina para sempre no negrume da escuridão. Eles parecem (para si mesmos) perspicazes e sábios; todavia, estão na grosseira escuridão da ignorância, do erro e do pecado; e eles estão em perigo contínuo de caírem na escuridão exterior e eterna. [JFB]

20 Filho meu, presta atenção às minhas palavras; e ouve as minhas instruções.

(Compare com Pv 4:10, 13; Pv 3:8…).

Um novo chamado à atenção, por causa da nossa tendência a “sonolência” espiritual (compare com Pv 4:1).

21 Não as deixes ficarem longe de teus olhos; guarda-as no meio de teu coração.

Como o “ouvido” foi mencionado em Pv 4:20, assim“olhos” e “coração” são neste verso, os três caminhos para a entrada do conhecimento no homem. Os olhos devem estar engajados na leitura frequente da Palavra de Deus, como os homens frequentemente olham para seu smartphone, e artistas para o seu modelo. Pode haver alusão a Êx 13:16: “por uma memória diante de teus olhos”. “No meio do teu coração”, não meramente à porta dele; mas como um tesouro escondido no mais intimo de uma casa (Pv 2:1; Pv 3:3, 21; Dt 6:6). [JFB]

22 Porque são vida para aqueles que as encontram; e saúde para todo o seu corpo.

saúdecorpo – preservando de vícios destrutivos à saúde.

23 Acima de tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração; porque dele procedem as saídas da vida.

porque dele procedem as saídas da vida – o coração é o depósito de toda a sabedoria e a fonte de tudo o que afeta a vida e o caráter (Mt 12:35; Mt 15:19).

24 Afasta de ti a perversidade da boca; e põe longe de ti a corrupção dos lábios.

perversidade da boca – isto é, uma boca ou palavras de natureza má.

corrupção dos lábios – ou discussão de palavras.

25 Teus olhos olhem direito; tuas pálpebras estejam corretas diante de ti.

estejamdiante de ti – isto é, busque um propósito sincero e correto, evitando as tentações.

26 Pondera o curso de teus pés; e todos os teus caminhos sejam bem ordenados.

Pondera – considere bem; um percurso sábio resulta da sábia premeditação.

27 Não te desvies nem para a direita, nem para a esquerda; afasta teus pés do mal.

(Compare com Pv 4:25). Evite todos os caminhos do mal (Dt 2:27; Dt 17:11). Uma vida de integridade requer atenção ao coração, a fala, ao olhos e a conduta.

<Provérbios 3 Provérbios 5>

Introdução à Provérbios 4

Os jovens são encorajados por Salomão, como este foi por seu pai, a obter sabedoria como a coisa principal, e como aquilo que dará glória aos seus possuidores (Pv 4:1-9).

Posteriormente, o jovem é advertido a conservar a Sabedoria, que é sua segurança de tropeçar, a não ir no caminho dos homens maus, cujo objetivo é o mal e a violência, e cujo caminho é a escuridão, em contraste com os caminhos dos justos, que é como a luz que brilha, sempre crescendo em brilho (Pv 4:10-19).

E por fim, o jovem é admoestado a sinceramente atentar para as palavras de sabedoria, como sendo a vida para aqueles que as encontram; e para este fim manter o coração, do qual são as questões da vida, e afastar dos lábios toda a perversidade, e olhar diretamente para frente, de modo a não virar nem para a direita e nem para a esquerda do caminho para o céu (Pv 4:20-27).

Leia também uma introdução ao livro dos Provérbios.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.