Provérbios 5

1 Filho meu, presta atenção à minha sabedoria, inclina teus ouvidos ao meu entendimento.

Comentário de A. R. Fausset

Essa conexão de sabedoria e entendimento é frequente (Pv 2:2; Pv 3:7); a primeira denota o uso de meios sábios para fins sábios; o outro, o exercício de um discernimento adequado em sua descoberta. [JFB]

2 Para que guardes o bom-senso; e teus lábios conservem o conhecimento.

Comentário de A. R. Fausset

Os lábios podem ter uma resposta discreta e inteligente para dar aos encantos do prazer; como, por exemplo, aqueles da “mulher pervertida” (Pv 5:3; Pv 1:4; Sl 119:100-101). [JFU]

3 Porque os lábios da mulher pervertida gotejam mel; e sua boca é mais suave que o azeite.

(Compare com Pv 2:16). Suas promessas sedutoras são enganosas.

4 Porém seu fim é mais amargo que o absinto; é afiado como a espada de dois fios.

Comentário de A. R. Fausset

seu fim – literalmente, “seu futuro”, no sentido de recompensa, o que segue (compare com Salmo 37:37; Sl 73:17). Sua natureza é evidenciada pelo uso de figuras, opostas às de Pv 5:3. O sofrimento físico e moral dos libertinos iludidos é terrível. [JFB]

5 Seus pés descem à morte; seus passos conduzem ao Xeol.

péspassos – isto é, o curso da vida termina na morte.

6 Para que não ponderes a vereda da vida, os percursos delas são errantes, e tu não os conhecerás.

Comentário de A. R. Fausset

os percursos delas são errantes… – “seus caminhos são variados, para evitar que você conheça o verdadeiro caráter dela e, portanto, a verdadeira felicidade”. [JFB]

7 E agora, filhos, escutai-me; e não vos desvieis das palavras de minha boca.

Não será suficiente ouvir, você deve materializar as palavras através de ações (T. Cartwright).

8 Mantenha teu caminho longe dela; e não te aproximes da porta da casa dela.

Evite a menor tentação.

9 Para que não dês tua honra a outros, nem teus anos de vida aos cruéis.

tua honra – quer seja força (Pv 3:13) ou riqueza.

teus anos – desperdiçando.

10 Para que estranhos não se fartem de teu poder, e teus trabalhos não sejam aproveitados em casa alheia;

Comentário de A. R. Fausset

poder – literalmente, “força”, ou o resultado disso.

trabalhos – o fruto de teu penoso esforço (Sl 127:2). Pode haver uma referência à escravidão, uma punição em troca da morte devida ao adúltero (Dt 22:22). [JFB]

11 E gemas em teu fim, quando tua carne e teu corpo estiverem consumidos.

Comentário de A. R. Fausset

em teu fim – o fim, ou recompensa (compare Pv 5:4).

carne ecorpo – a pessoa inteira sob uma doença incurável. [JFB]

12 E digas:Como eu odiei a correção, e meu coração desprezou a repreensão?

Comentário de A. R. Fausset

O pecador arruinado em vão lamenta sua negligência à advertência e seu triste destino em ser trazido à desgraça pública. [JFB]

13 E não escutei a voz de meus ensinadores, nem ouvi a meus mestres.

ensinadoresmestres – instrutores religiosos, pais, ministros da Palavra.

14 Quase me achei em todo mal, no meio da congregação e do ajuntamento.

Comentário de A. R. Fausset

mal – por sofrimento, como em Gênesis 19:20; Gênesis 49:15.

Não havia quase nenhum pecado em que não me envolvi; e isto, no meio da congregação e ajuntamento – isto é, abertamente, descaradamente, na assembléia para adoração, onde de todos os lugares eu deveria ter me evitado o mal:como o Israelita cometendo fornicação com a mulher midianita à vista de toda a congregação (Nm 25:6-7; Ez 8:5-16); e como os filhos de Eli “à porta do tabernáculo do testemunho” (1Sa 2:22). “Congregação” significa todo o corpo de adoradores, a Igreja, sem referência a um lugar fixo ou hora marcada de reunião. “Ajuntamento”, ao contrário, significa uma reunião designada da congregação em um lugar e tempo fixos. A igreja e a congregação são a melhor tradução. A luxúria torna os homens sem qualquer vergonha e imprudentes quanto a todo pecado. [JFU]

15 Bebe água de tua própria cisterna, e das correntes de teu próprio poço.

Comentário de A. R. Fausset

Figuras das quais a “cisterna” (Pv 5:15,18) representa a esposa, e as “correntes” de águas [Pv 5:16] os filhos, homens são exortados a constância e satisfação em prazeres conjugais lícitos. [JFU]

16 Derramar-se-iam por fora tuas fontes, e pelas ruas os ribeiros de águas?

Comentário de A. R. Fausset

Ou seja, por ser fiel à tua própria esposa, terás uma descendência transbordante saindo de ti em direção às ruas para as várias funções honrosas da vida (Números 24:7). Assim como a esposa é o poço, os filhos são as suas águas. Uma descendência abundante é um presente especial de Deus (Salmo 127:3; Salmo 128:3). A promessa aqui segue o preceito em Provérvios 5:15. A recompensa é o resultado da obediência. A tradução negativa se baseia em autoridade insuficiente: “Não se dispersem as tuas fontes”. Quanto às crianças “nas ruas”, compare com Zacarias 8:5. A união de um marido com uma esposa tende a numerosos descendentes; a concubinato geralmente causa esterilidade. [JFU]

17 Sejam somente para ti, e não para os estranhos contigo.

Sejam somente para ti – os filhos das prostitutas não conhecem o pai.

18 Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher de tua juventude.

mulher de tua juventude – a com quem você casou na juventude.

19 Seja ela uma cerva amorosa e gazela graciosa; que os seios dela te fartem em todo tempo; e anda pelo caminho do amor dela continuamente.

seios – (Compare Ct 1:13; Ez 23:3, 8).

20 E por que tu, filho meu, andarias perdido pela estranha, e abraçarias o peito da mulher alheia?

Comentário de A. R. Fausset

Quando há tantas vantagens no amor conjugal e perdas no amor adúltero, que loucura, abatimento e perigo é buscar os abraços de uma prostituta ou adúltera! [JFB]

21 Pois os caminhos do homem estão perante os olhos do SENHOR; e ele pondera todos os seus percursos.

Comentário de A. R. Fausset

Isso responde antecipadamente a objeção do devasso — agirei com tanta cautela e sigilo que escaparei de todas as penas da fornicação e do adultério. Mas isso é impossível, “Pois os caminhos do homem estão perante os olhos do SENHOR”, etc. Como o argumento na primeira sentença é da onisciência de Deus, de modo que no segundo é da Sua justiça – “Ele pondera” – ou seja, Ele pesa em balanças e recompensará de acordo como “todos os seus percursos” (2Cr 16:9; Jr 32:19; Zc 4:10). [JFU]

22 O perverso será preso pelas suas próprias perversidades; e será detido pelas cordas de seu próprio pecado.

Ele fará com que o pecado traga a sua punição.

23 Ele morrerá pela falta de correção; e andará sem rumo pela grandeza de sua loucura.

Comentário de A. R. Fausset

pela falta de correção – literalmente, “em falta de instrução”, tendo a recusado (compare com Jó 13:18; Hb 11:24).

andará sem rumo – literalmente, “como um embriagado”. [JFB]

<Provérbios 4 Provérbios 6>

Introdução à Provérbios 5

Um discurso contra a licenciosidade sexual masculina. Após a habitual exortação introdutória de dar atenção à instrução (Provérbios 5:1-2), a influência mortal da prostituta é descrita (Provérbios 5:8-6), assim o ouvinte é advertido a evitar ela para que a miséria e a destruição não venha sobre ele (Pv 5:7-14 ), e é exortado a fidelidade conjugal (Provérbios 5:18-30), tendo em vista o destino do ímpio (Provérbios 5: 22-23). [Toy]

Visão geral de Provérbios

“O livro de Provérbios convida as pessoas a viverem com sabedoria e temor ao Senhor a fim de experimentarem a boa vida”. Tenha uma visão geral deste livro através de um breve vídeo produzido pelo BibleProject. (8 minutos)

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Leia também uma introdução ao livro dos Provérbios.

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.