Bíblia, Revisar

2 Timóteo 2

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!
1 Portanto tu, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus.

Portanto tu – seguindo o meu exemplo (2Tm 1:8,12), e o de Onesiphorus (2Tm 1:16-18), e evitando aqueles que me abandonaram (2Tm 1:15).

meu filho – As crianças devem imitar seu pai.

fortifica-te – literalmente, “seja investido de poder”. Ter poder, e mostrar-se para tê-lo; implicando um estado permanente de poder.

na graça – o elemento no qual a força do crente tem lugar. Compare 2Tm 1:7: “Deus nos deu o espírito de poder”.

2 E o que de mim ouviste entre muitas testemunhas, confia-o a pessoas fiéis, que sejam competentes para ensinar também a outros.

entre – grego “, através de”, isto é, com a atestação (literalmente, “intervenção”) de muitas testemunhas, ou seja, os presbíteros e outros presentes em sua ordenação ou consagração (1Tm 4:146:12) .

confia-o – em confiança, como um depósito (2Tm 1:14).

fiéis – a qualidade mais necessária para aqueles que têm uma confiança comprometida com eles.

que – grego, “(pessoas) tais como serão competentes para ensinar (aos) também a outros”. Assim, o caminho está preparado para inculcar o dever da perseverança fiel (2Tm 2:3-13). Tu deves considerar como um motivo para perseverança, que tu não apenas guardes o depósito para ti mesmo, mas para transmiti-lo sem dano a outros, que por sua vez cumprirão o mesmo ofício. Isso está tão longe de sustentar a tradição oral, agora que ela ensina quão precária é uma maneira de preservar a verdade revelada, dependendo, como aconteceu, da confiabilidade de cada indivíduo na cadeia de sucessão; e quão gratos devemos ser que o próprio Deus tenha dado a Palavra escrita, que está isenta de tal risco.

3 Sofre comigo as aflições como bom soldado de Cristo Jesus.

Os manuscritos mais antigos não têm “Tu, portanto,” e lêem: “Suportem dificuldades com (eu)”. “Aceite tua parte no sofrimento” (Conybeare e Howson).

4 Nenhum soldado em batalha se envolve com assuntos desta vida, pois tem como objetivo agradar àquele que o alistou.

“Ninguém enquanto servia como soldado.”

com assuntos desta vida – “os negócios da vida” (Alford); mercantil, ou que não seja militar.

agradar àquele que o alistou – o general que inicialmente o alistou como soldado. O próprio Paulo trabalhava na fabricação de tendas (At 18:3). Portanto, o que é proibido aqui é, não todos os outros, exceto a ocupação religiosa, mas o tornar-se emaranhado ou sobrecarregado com isso.

5 E, também, se alguém está competindo como atleta, não recebe a coroa se não seguir as regras.

atleta – “esforce-se nos jogos” (Alford); ou seja, os grandes jogos nacionais da Grécia.

seguir as regras – Esforçar-se legalmente – observando todas as condições de ambos os concursos (mantendo-se dentro dos limites do curso e stript de suas roupas) e a preparação para isso, ou seja, quanto à dieta, unção, exercício, autocontrole, castidade, decoro, etc. (1Co 9:24-27).

6 O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a receber da partilha dos frutos.

O direito da primeira participação dos frutos pertence àquele que está trabalhando; Portanto, não relaxe os seus esforços, como você seria o primeiro a participar da recompensa. Conybeare explica “primeiro” antes do usuário.

7 Considera o que digo; pois o Senhor te dará entendimento em tudo.

Considera o que digo – Considere a força das ilustrações que dei do soldado, do candidato nos jogos e dos lavradores, como se aplicando a ti mesmo no teu ministério.

pois o Senhor te dará – Os manuscritos mais antigos leram, “porque o Senhor te dará entendimento”. Tu podes entender o meu significado para aplicá-lo pessoalmente a ti mesmo; porque o Senhor te dará entendimento quando o buscares “em todas as coisas”. Não a percepção intelectual, mas a apropriação pessoal das verdades metaforicamente expressas, era o que ele precisava para ser dado a ele pelo Senhor.

8 Lembra-te de Jesus Cristo, ressuscitado dos mortos, da descendência de Davi, segundo o meu evangelho.

Lembra-te de Jesus Cristo, ressuscitado dos mortos – Lembre-se de que Cristo ressuscitou para segui-Lo. Como Ele foi ressuscitado após a morte, assim, se você compartilhasse Sua “vida” ressurreta, agora você deve compartilhar Sua “morte” (2Tm 2:11). O particípio passivo perfeito do grego, implica um caráter permanente adquirido por Jesus como o Salvador ressurreto, e nosso permanente interesse Nele como tal. A ressurreição de Cristo é colocada proeminentemente como sendo a verdade agora assaltada (2Tm 2:18), e a melhor calculada para estimular Timóteo a permanecer firme ao compartilhar os sofrimentos de Paulo por causa do evangelho (ver em 2Tm 2:3).

da descendência de Davi – A única genealogia (em contraste com as “genealogias sem fim”, 1Tm 1:4) em que vale a pena pensar, pois prova que Jesus é o Messias. A ausência do artigo no grego, e esta fórmula, “da semente de Davi” (compare Rm 1:3), implica que as palavras eram provavelmente parte de um reconhecido credo oral curto. Em Sua morte, Ele nos assegurou sua humanidade; pela Sua ressurreição, da Sua divindade. Que Ele não foi crucificado por Seu próprio pecado aparece em Sua ressurreição; que Ele foi crucificado mostra que Ele levou o pecado sobre Ele, embora não Nele.

9 Por esse evangelho sofro aflições, e até prisões, como um criminoso; mas a palavra de Deus não está presa.

sofro aflições – Eu sou um sofredor do mal como se eu fosse um praticante do mal.

prisões – (2Tm 1:16).

palavra de Deus não está presa – Embora minha pessoa esteja amarrada, minha língua e minha caneta não estão (2Tm 4:17; At 28:31). Ou ele alude não apenas à sua própria proclamação do Evangelho, embora em cadeias, mas à liberdade de sua circulação por outros, ainda que seu poder de circulá-lo seja agora prescrito (Fp 1:18). Ele também sugere a Timóteo que ser livre deveria ser o mais sério a serviço dele.

10 Por isso tudo suporto por causa dos escolhidos, a fim de que também eles obtenham a salvação que está em Cristo Jesus com glória eterna.

Por isso – por causa da ansiedade, sinto que o Evangelho deveria ser estendido; essa ansiedade sendo implícita em 2Tm 2:9.

suporto – não apenas “eu sofro passivamente”, mas “eu suporto ativa e perseverantemente” e “estou pronto para suportar pacientemente todas as coisas”.

por causa dos escolhidos – para o bem da Igreja: todos os membros do corpo espiritual de Cristo (Cl 1:24).

também eles – assim como eu: os dois eleitos de Deus ainda não se converteram e os que já o são.

salvação … com glória eterna – não só salvação da ira, mas glória em reinar eternamente com Ele (2Tm 2:12). A glória é a expansão completa da salvação (At 2:47; Rm 8:21-24,30; Hb 9:28). Então graça e glória (Sl 84:12).

11 Esta afirmação é fiel: se morrermos com ele , também com ele viveremos;

se– “Pois” o fato é que, “se estivermos mortos com Ele (o tempo greco aoristo implica um estado de uma vez por todas introduzido em tempos passados ​​no momento da regeneração, Rm 6:3-4,8; Cl 2:12), nós também viveremos com Ele. ”A forma simétrica de“ a palavra ”, 2Tm 2: 11-13, e o equilíbrio rítmico das orações paralelas, torna provável, eles fazia parte de um hino da Igreja (ver em 1Tm 3:16), ou fórmula aceita, talvez proferida pela primeira vez por alguns dos “profetas” cristãos na assembléia pública (1Co 14:26). A frase “fiel é a palavra”, que parece ter sido a fórmula usual (compare 1Tm 1:153:14:9; Tt 3:8) em tais casos, favorece isso.

12 se sofrermos, também com ele reinaremos; se o negarmos, também ele nos negará;

sofrermos – sim, como o grego é o mesmo que em 2Tm 2:10: “Se sofremos com ele” (Rm 8:17).

com ele reinaremos – O peculiar privilégio da Igreja eleita agora sofrendo com Cristo, então reinar com Ele (ver em 1Co 6:2). Reinar é algo mais que mera salvação (Rm 5:17; Ap 3:215:1020:4-5).

negarmos – com a boca. Como “crer” com o coração segue, 2Tm 2:12. Compare o oposto: “confessa com a tua boca” e “crede no teu coração” (Rm 10:9-10).

também ele nos negará – (Mt 10:33). [JFB]

13 se formos infiéis, ele continua fiel; porque ele não pode negar a si mesmo.

ele não pode negar a si mesmo – (Dt 7:9-10). Ele não pode ser infiel à Sua palavra que Ele negará aqueles que O negam, embora não sejamos fiéis à nossa profissão de fé Nele (Rm 3:3). Três coisas são impossíveis a Deus, para morrer, mentir e ser enganado (Agostinho), (Hb 6:18). Essa impossibilidade não é de fraqueza, mas de infinito poder e majestade. Além disso, indiretamente, o conforto é sugerido aos crentes, que Ele é fiel às Suas promessas para eles; ao mesmo tempo em que os apóstatas são sacudidos de sua fantasia auto-enganadora, porque eles mudam, Cristo da mesma forma pode mudar. Um aviso a Timóteo para ser firme na fé. [JFB]

14 Lembra-os disso, alertando-os diante de Deus, que não tenham brigas de palavras, que não têm proveito algum, a não ser para a ruína dos ouvintes.

Lembra-os – aqueles sobre quem tu preside (Tt 3:1).

alertando-os – grego, “testificando continuamente”: “adjuring eles.”

diante de Deus – (1Tm 5:21).

que não tenham brigas de palavras – em vez disso, “esforcem-se com palavras”: “não ter uma (mera) guerra de palavras” (2Tm 2:23-246:4) onde os mais vitais questões estão em jogo (2Tm 2:17-18; At 18:15). Os manuscritos mais antigos colocam uma parada em “carregá-los diante do Senhor” (que sentença é, portanto, conectada com “ponha-os em memória”) e leia o imperativo, “Não lutes tu em palavras”, etc.

que não têm proveito algum – não qualificando “palavras”; mas neutra grega, em aposição com “esforçar-se em palavras”, “(uma coisa tendendo) para nenhum lucro”, literalmente, “rentável para nada”; o oposto de “encontrar-se para o uso do mestre” (2Tm 2:21).

a não ser para a ruína dos ouvintes – a certeza de subverter (derrubar) os ouvintes: o oposto de “edificação” (edificação) (2Co 13:10).

15 Procura apresentar-te aprovado a Deus como um trabalhador que não tem de que se envergonhar, que usa bem a palavra da verdade.

Procura – grego: “Seja sincero” ou “diligente”.

apresentar-te – grego, “presente”, como em Rm 12:1. Como distinto daqueles a quem Timóteo deveria cobrar (2Tm 2:14).

aprovado – testado pelo julgamento: oposto ao “reprovado” (Tt 1:16).

trabalhador – aludindo a Mt 20:1, etc.

de que se envergonhar– por seu trabalho não ser “aprovado” (Fp 1:20). Contraste “obreiros fraudulentos” (2Co 11:13).

usa bem  – “manejando corretamente” [Vulgata]; “Administrar corretamente” (Alford); literalmente, cortando “direito” ou “certo”: a metáfora sendo de um pai ou de um mordomo (1Co 4:1) cortando e distribuindo pão entre seus filhos [Vitringa e Calvino], (Lc 12:42). A Septuaginta, Pv 3:611:5, use-o de “fazer o caminho”: assim, Bengel aqui leva Paulo a dizer que Timóteo pode preparar um caminho reto para “a palavra da verdade”, e pode andar em linha reta de acordo com esta linha, não voltando nem para a direita nem para a esquerda, “não ensinando nenhuma outra doutrina” (1Tm 1:3). A mesma imagem de um caminho aparece no grego para “aumentar” (ver em 2Tm 2:16). O oposto de “manejar corretamente” ou “dispensar” é, 2Co 2:17, “corromper a palavra de Deus”.

palavra da verdade – grego “, a verdade” (compare 2Tm 2:18).

16 Mas evita conversas profanas e inútes; pois tendem a produzir maior irreverência.

evita  – literalmente, “fique acima”, separado de, e superior a.

profanas – contrário à “verdade” (2Tm 2:15).

inútes – com voz alta: oposta à palavra temperada (Tt 3:9).

produzir – grego, “avanço”; literalmente, “atacar”: uma imagem dos pioneiros que cortam todos os obstáculos antes de um exército em avanço. Eles fingem progresso; o único tipo de progresso que eles fazem é aumentar a impiedade.

irreverência – grego, “um grau maior de impiedade”.

17 E a palavra deles se espalhará como uma gangrena; entre os quais são Himeneu e Fileto.

espalhará – literalmente, “pasto”. O progresso da mortificação é a imagem. Eles fingem dar ricos pastos espirituais aos seus discípulos: o único pasto é o de um câncer espiritual alimentando-se de seus órgãos vitais.

gangrena – um “câncer”

Himeneu – (Veja 1Tm 1:20). Depois de sua excomunhão, ele parece ter sido readmitido na Igreja e, mais uma vez, tê-lo incomodado.

18 Esses se desviaram da verdade, dizendo que a ressurreição já aconteceu; e perverteram a fé de alguns.

desviaram – grego, “perdeu o alvo” (ver 1Tm 6:21).

 já aconteceu – Os primórdios da heresia gnóstica subsequente já existiam. Eles “arrebataram” (2Pe 3:16) as próprias palavras de Paulo (Rm 6:4; Ef 2:6; Cl 2:12) “para sua própria destruição”, como se a ressurreição fosse meramente a elevação espiritual das almas da morte do pecado. Compare 1Co 15:12, onde ele mostra que todas as nossas esperanças de glória futura repousam na realidade literal da ressurreição. Acreditar no passado (como fizeram os selênio ou os hermanos, segundo Agostinho [Epistles, 119.55, To Januarius, 4]), é negá-lo em seu verdadeiro sentido.

perverteram – tentar subverter “o fundamento” no qual somente a fé pode ficar segura (2Tm 2:19; compare com Tt 1:11).

19 Porém o fundamento de Deus continua firme, e tem este selo: o Senhor conhece os que são seus, e que todo aquele que faz uso do nome do Senhor, se afaste da injustiça.

Porém – Apesar da subversão de sua fé, “o firme fundamento de Deus permanece firme” (assim o grego deve ser traduzido). A “fundação” aqui é “a Igreja” (Alford), “o solo” ou suporte do porão “da verdade” (1Tm 3:15), sendo o próprio Cristo o último “fundamento” (1Co 3:11). Na firme posição da Igreja está envolvida a firme certeza da doutrina em questão (2Tm 2:18). Assim, a “casa” (2Tm 2:20) responde à “fundação”; é constituído pelos eleitos que “o Senhor conhece” (reconhece, Sl 1:6; Mt 7:23; Jo 10:14; 1Co 8:3) como “Seu” e persevera até o fim , embora outros “erram a respeito da fé” (Mt 24:24; Jo 10:28; Rm 8:38-39; 1Jo 2:19). Bengel toma “a fundação” para ser a fidelidade inabalável de Deus (às Suas promessas aos Seus eleitos (Calvino)). Isto contrasta bem com o erro da fé por parte dos réprobos, 2Tm 2:18. Embora neguem a fé, Deus não morre em sua fidelidade (compare 2Tm 2:13).

selo – “inscrição”: indicando propriedade e destino: inscrições foram frequentemente gravadas em uma pedra de “fundação” (Ap 21:14) (Alford). Isto concordará com a visão de que “a fundação” é a Igreja (Ef 2:20). Se for tomada a fidelidade imutável de Deus, o “selo” será considerado como ligado à Sua promessa da aliança, com a inscrição ou a lenda, de um lado da sua superfície redonda, “O Senhor sabe (é ‘conhecido’ no Septuaginta, Nm 16:5, a qual Paulo alude aqui, alterando-o para o seu propósito pelo Espírito) os que são Seus ”; do lado da observação: “Todo aquele que nomeia (como o seu Senhor, Sl 20:7, ou pregue em Seu nome, Jr 20:9) Cristo”.

da injustiça – (Is 52:11). Em ambas as sentenças, pode haver uma alusão a Nm 16:5,26, Septuaginta. A parte de Deus e a parte do homem estão marcadas. Deus escolhe e conhece os seus eleitos; nossa parte é crer e, pelo Espírito, afastar-se de toda iniquidade, uma prova inequívoca de que somos do Senhor (compare Dt 29:29; Lc 13:23-27). São Lucian quando perguntado por seus perseguidores: “De que país és tu?” Respondeu: “Eu sou cristão”. “Qual é a sua ocupação? Eu sou cristão. ”“ De que família? Eu sou um cristão ”[Crisóstomo, Orations, 75]. Ele não pode ser honrado com o nome cristão, que desonra pela iniquidade, Cristo, o autor do nome. O refresco de Blandina em meio a suas torturas era dizer: “Eu sou um cristão e, para nós, cristãos, nenhum mal é feito” [Eusébio, História Eclesiástica, 5.1]. A apostasia da fé é logo seguida pela indulgência na iniquidade. Foi assim com os falsos mestres (2Tm 3:2-8,13).

20 Numa grande casa não há somente utensílios de ouro e de prata, mas também de madeira e de barro; e uns para honra, porém outros para desonra.

Numa grande casa – isto é, a igreja cristã professora visível (1Tm 3:15). Paulo está falando, não daqueles sem, mas da família [visível] de Deus (Calvino). Assim, a parábola da rede de varredura (Mt 13:47-49) reunindo todos os tipos, bons e maus: como os bons e os maus não podem ser distinguidos enquanto sob as ondas, mas somente quando trazidos para a praia, assim também os crentes e incrédulos continue na mesma Igreja, até que o julgamento faça a distinção eterna. “A arca de Noé é um tipo da Igreja; como no primeiro havia juntos o leopardo e o cabrito, o lobo e o cordeiro; assim, no último, os justos e pecadores, vasos de ouro e prata, com vasos de madeira e terra ”[Jerônimo, Diálogo contra os Luciferianos, 302] (compare Mt 20:16).

utensílios de ouro e de prata – preciosos e capazes de suportar o fogo.

madeira e de barro  – sem valor, frágil e logo queimado (1Co 3:12-1515:47).

desonra  – (Pv 16:4; Rm 9:17-23).

21 Portanto, se alguém se purificar destas coisas, será utensílio para honra, santificado e adequado para uso do Dono, e preparado para toda boa obra.

purificar destas coisas – O grego expressa “Se alguém (por exemplo, tu, Timóteo) se purifica (para separar) dentre estes” (vasos para desonra).
santificado – separado como totalmente consagrado ao Senhor.

uso do Dono – os do Senhor. O próprio Paulo era tal vaso: uma vez entre aqueles da terra, mas depois ele se tornou por graça um de ouro.

preparado para toda boa obra  – (2Tm 3:17; Tt 3:1). Contraste Tt 1:16.

22 Foge também dos desejos da juventude; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz, com os que, de coração puro, invocam o Senhor.

Foge – Há muitas luxúrias das quais nossa maior segurança está em fuga (Gn 39:12). Evite ocasiões de pecado. Do caráter abstêmio de Timóteo (1Tm 5:23) é provável que não as indulgências animais, mas a impetuosidade, a autoconfiança precipitada, a pressa, a contenda e a vaidade dos homens jovens (1Jo 2:14-16), são o que ele está aqui advertiu contra: embora o Espírito provavelmente pretendesse que o aviso incluísse tanto em sua aplicação à Igreja em geral.

juventude – Timóteo era jovem (1Tm 4:12).

e – também grego “, mas”; em contraste com “toda boa obra”, 2Tm 2:21.

justiça – o oposto de “iniquidade”, isto é, injustiça (2Tm 2:19; compare com 1Tm 6:11).

paz, com, etc. – em vez disso, não coloque vírgula, “paz com os que invocam o Senhor de coração puro” (1Tm 1:5; Ef 6:5; Cl 3:22). Devemos amar todos os homens, mas não é possível estar em paz com todos os homens, pois isso requer comunidade de propósito e opinião; somente eles que invocam o Senhor com sinceridade (em contraste com os falsos mestres que tinham apenas a forma de piedade, 2Tm 3:5,8; Tt 1:15-16) têm essa comunidade (Theodoret). (Rm 12:18)

23 E rejeita as questões tolas e sem instrução, como sabes que elas produzem brigas.

(Tt 3:9)

sem instrução – grego, “indisciplinado”; não tendendo a promover a disciplina da fé e da moral (Pv 5:23). “Não-instrutivo”; em contraste com “instruir” (2Tm 2:25) e “sábio para a salvação” (2Tm 3:15).

24 E ao servo do Senhor não convém brigar, mas sim ser manso com todos, apto para ensinar e suportar;

“O servo do Senhor” deve imitar seu mestre em não se esforçar contenciosamente, embora intransigente na luta fervorosamente pela fé (Jz 1:3; Mt 12:19).

ser manso com todos – “paciente” (grego, “paciente em suportar”) em relação aos adversários. Ele deve ser gentil para não ocasionar males; paciente para que ele possa suportar males.

apto para ensinar e suportar – implicando não apenas ensino sólido e facilidade no ensino, mas também paciência e assiduidade (Bengel).

25 deve instruir com mansidão aos que se opõem, pois talvez Deus lhes dê arrependimento para conhecerem a verdade;

instruir  – grego, “disciplinando”, instruindo com correção, que aqueles que lidam com perguntas “indutoras” ou “indisciplinadas” precisam (ver em 2Tm 2:23; ver em 1Tm 1:20).

aos que se opõem – grego, “afetados de maneira oposta”; os de uma opinião diferente.

pois talvez Deus lhes dê – Greek, “se a qualquer momento”.

arrependimento – que eles precisam como antecedente ao pleno conhecimento (assim o grego para ‘reconhecimento’) da verdade ”(1Tm 2:4), suas mentes corrompidas (2Tm 3:8), e suas vidas imorais. A causa da ignorância espiritual que suscita tais “questões” é moral, tendo sua sede na vontade, não no intelecto (Jo 7:17). Portanto, o arrependimento é sua primeira necessidade. Isso, não o homem, mas somente Deus pode “dar” (At 5:31).

26 e se libertem da armadilha do diabo, em que foram presos à vontade dele.

se libertem– em grego, “despertos para a sobriedade”, ou seja, da intoxicação espiritual por meio da qual caíram no laço do diabo.

armadilha  – (Ef 6:11, “as ciladas do diabo”: 1Tm 3:76:9).

presos à vontade dele – de modo a seguir a vontade de “QUE” (o grego enfaticamente marca Satanás) inimigo. No entanto, diferentes pronomes gregos representam “ele” e “seu”; e o grego para “cativo” não significa “capturado para destruição”, mas “para ser salvo vivo”, como em Lc 5:10, “pegarás homens para salvá-los para a vida”; também não há nenhum artigo antes do particípio grego, que a versão inglesa “que são levados cativos” exigiria. Portanto, traduza: “Que eles possam despertar … tomados como salvos (e dispostos) cativos por ele (o servo do Senhor, 2Tm 2:24), de modo a seguir a vontade de ELE (o Senhor, 2Tm 2:24, ou “Deus”, 2Tm 2:25). “Há aqui dois males, o” laço “e o sono, do qual eles são entregues: e dois bens para os quais eles são traduzidos, despertos e libertação. Em vez do escravo de Satanás, vem o cativeiro livre e voluntário da obediência a Cristo (2Co 10:5). É Deus quem vai antes, dando arrependimento (2Tm 2:5); então, a obra do seguimento do seu servo certamente será coroada de êxito, levando o convertido a viver “para a vontade de Deus” (At 22:14; 1Pe 4:2).

<2 Timóteo 1 2 Timóteo 3>

Introdução à 2 Timóteo 2

 Exortações; Para a fidelidade como um bom soldado de Cristo; Erros a serem evitados; O fundamento seguro do Senhor; O Espírito correto para um servo de Cristo.

Leia também uma introdução à Segunda Epístola à Timóteo.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados