Bíblia, Revisar

2 Timóteo 4

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!
1 Convoco-te diante de Deus e de Cristo Jesus, que irá julgar os vivos e os mortos, e pela sua aparição e seu reino:

portanto – omitido nos manuscritos mais antigos.

o Senhor Jesus Cristo – Os manuscritos mais antigos leram simplesmente “Cristo Jesus”.

irá julgar – Sua comissão de Deus é mencionada, At 10:42; sua resolução para isso, 1Pe 4:5; a execução de sua comissão, aqui.

pela sua aparição – Os manuscritos mais antigos leram “e” para “em”; então traduzi: “(Eu te ordeno diante de Deus…) e pelo Seu aparecimento”.

e seu reino – para ser colocado em sua aparência, quando esperamos reinar com Ele. Seu reino é real agora, mas não visível. Posteriormente é real e visível (Lc 22:18,30; Ap 1:711:1519:6). Agora ele não é um meio de seus inimigos que estão sendo derrubados (Sl 110:2; Hb 10:13). Então Ele reinará com Seus adversários prostrados.

2 prega a palavra; insiste em tempo e fora de tempo; mostra os erros; repreende e exorta, com toda paciência e ensino.

Prega – literalmente, “proclamar como arauto”. O termo para os discursos na sinagoga era, (At 17:2,1818:4,19) é aplicado em Atos aos discursos na Igreja Cristã Justino Mártir [Apologia, 2], revista a ordem do culto público, “No domingo, todos os anos e os escritos dos apóstolos e profetas são lidos; então o presidente faz um discurso; depois disso, todos se levantam e rezam; então é oferecido pão e vinho e água; o presidente também ora e agradece, e o povo solenemente concorda, dizendo: Amém. ”Os bispos e presbíteros tinham o direito e o dever de pregar, mas às vezes chamavam diáconos e até mesmo leigos para pregar. Eusébio [História Eclesiástica, 6,19]; Nisto a Igreja imitava a sinagoga (Lc 4:17-22; At 13:15-16).

insiste – isto é, urgente, sério, em toda a obra do ministério.

em tempo e fora de tempo – isto é, em todas as estações; se eles consideram seu discurso como sazonal ou fora de época. “Assim como as fontes, embora nenhuma delas possa derivar, ainda fluem; e os rios, embora nenhum deles beba, ainda correm; assim devemos fazer tudo da nossa parte ao falar, embora nenhum nos dê atenção ”[Crisóstomo, Homilia, 30, vol. 5. p. 221]. Eu acho que com Crisóstomo, inclui-se também a ideia de épocas que sejam sazonais ou fora de época para o próprio Timóteo; não apenas quando conveniente, mas quando inconveniente para ti, tanto a noite como o dia (At 20:31), em perigo, bem como em segurança, na prisão e quando condenado à morte, bem como quando em geral, não só na igreja, mas em toda parte e em todas as ocasiões, quando e onde quer que o trabalho do Senhor o requeira.

3 Pois virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; em vez disso, terão comichão no ouvido e amontoarão para si instrutores conforme os seus próprios desejos maus;

em que não suportarão – os cristãos professos.

a sã doutrina – grego, “a sã (ver em 1Tm 1:10) doutrina” ou “ensino”, ou seja, do Evangelho.

comichão – gostam de ouvir os professores que lhes dão um mero prazer (At 17:19-21), e não ofendem as verdades que rangem aos seus ouvidos. Eles, por assim dizer, fazem cócegas com prazer a leviandade da multidão (Cícero), que vem como a um teatro para ouvir o que agradará aos seus ouvidos, não para aprender (Seneca) o que lhes fará bem. “A coceira no ouvido é tão ruim em qualquer outra parte do corpo, e talvez pior” (South).

amontoarão  – um sobre o outro: uma massa indiscriminada de falsos mestres. A variedade encanta os ouvidos comichão. “Aquele que despreza o ensino sadio, deixa mestres sãos; eles procuram instrutores como eles ”(Bengel). É a corrupção do povo em primeira instância, que cria artimanhas religiosas (Êx 32:1).

para si  – como os seus gostos depravados; populus vult decipi, et decipiatur – “o povo deseja ser enganado, assim sejam enganados”. “Como sacerdote, como povo” (1Rs 12:31; Os 4:9).

seus próprios desejos maus – Em vez de considerar a vontade de Deus, eles não gostam de serem interrompidos em suas concupiscências por verdadeiros mestres. [JFB]

4 desviarão os ouvidos da verdade, e se voltarão aos mitos.

A orelha não é o que se opõe aos desejos do homem.

desviarão – (1Tm 1:6). É uma justa retribuição, que quando os homens se afastam da verdade, devem ser transformados em fábulas (Jr 2:19).

mitos – (1Tm 1:4).

5 Tu, porém, vigia-te em todas as coisas; suporta as aflições, faz a obra de evangelista, cumpre o teu serviço.

Eu não estou mais aqui para suportar essas coisas; Sê tu um digno sucessor de mim, não mais dependendo de mim para conselho, mas teu próprio mestre, e nadando sem as rolhas (Calvino); siga meus passos, herde seu resultado e a honra de seu fim (Alford).

vigia-te – literalmente, “com a vigília de um sóbrio”.

em todas as coisas  – em todas as ocasiões e sob todas as circunstâncias (Tt 2:7).

suporta as aflições – sofrer dificuldades (Alford).

evangelista – bispo missionário pregador e professor.

cumpre o teu serviço – faça prova completa de cumprir em todas as suas exigências, não deixando nada por fazer (At 12:25; Rm 15:19; Cl 4:17).

6 Pois já sou uma oferta de derramamento, e o tempo da minha partida está perto.

oferta de derramamento – Grego: “Pois já estou sendo oferecido”; literalmente, como uma libação; apropriado para o derramamento de seu sangue. Todo sacrifício começou com uma libação inicial na cabeça da vítima (compare Nota, veja em Fp 2:17). Um motivo para estimular Timóteo à fidelidade – a partida e a bem-aventurança final de Paulo; é o fim que coroa o trabalho (Bengel). Como o tempo de sua partida foi indicado a Pedro, também a Paulo (2Pe 1:14).

minha partida – literalmente, “perder âncora” (ver em Fp 1:23). Dissolução.

7 Lutei a boa luta, terminei a carreira, guardei a fé.

Lutei a boa luta – o grego não se restringe a uma luta, mas inclui qualquer competição competitiva, por exemplo, a do hipódromo (1Tm 6:12 (Alford); 1Co 9:24, etc .; Hb 12:1-2).

– a fé cristã cometida a mim como um crente e um apóstolo (compare 2Tm 1:14; Ap 2:10; Ap 3:10).

8 Desde agora a coroa da justiça me está reservada, a qual o Senhor, o justo Juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda.

a coroa. Coroa não de folhas que murcham; não concedida pela vontade humana, nem diante de espectadores humanos, mas anjos. O desde agora marca o momento decisivo; ele olha para seu estado em um aspecto tríplice: (1) o passado “lutei”; (2) o presente imediato; me está reservada (3) O futuro o Senhor, o justo Juiz, me dará naquele dia (Bengel).

Uma grinalda costumava ser concedida nos jogos nacionais gregos ao vencedor na luta livre, etc (compare 1Pe 5:4; Ap 2:10).

da justiça. A recompensa é em reconhecimento da justiça realizada em Paulo pelo Espírito de Deus; a coroa está preparada para os justos; mas é uma coroa que consiste em justiça. Justiça será sua própria recompensa. A justiça será a sua própria recompensa (Ap 22:11). Compare Êx 39:30. Um homem é justificado gratuitamente pelos méritos de Cristo por meio da fé; quando ele é assim justificado, Deus aceita suas obras, e honra-as com uma recompensa, que não lhes é devida, mas dada pela graça. “Tão grande é a bondade de Deus para com os homens que Ele deseja que suas obras sejam meritórias, embora sejam apenas Seus próprios dons” (Para Celestine I., Epistles, 12).

me dará. No original grego, “recompensará” em justa retribuição como “Juiz” (At 17:31; 2Co 5:10; 2Ts 1:6-7).

a todos os que amarem. Amarem e amam: o desejo corrente pelo aparecimento de Cristo, o que pressupõe fé (compare Hb 9:28). Compare o triste contraste, 2Tm 4:10, “amou o presente tempo”. [JFU]

9 Procura vir logo até mim,

(2Tm 4:21; 1:4,8)

Timóteo deveria vir para ser um conforto para Paulo; também para ser fortalecido por ele para continuar o trabalho do evangelho depois da morte de sua morte. [JFU]

10 porque Demas me desamparou: ele amou o tempo presente, e partiu para Tessalônica; Crescente para a Galácia, e Tito para a Dalmácia.

Demas – uma vez um “companheiro de trabalho” de Paulo, junto com Marcos e Lucas (Cl 4:14; Fp 1:24). Seu motivo para abandonar Paulo parece ter sido o amor pela facilidade mundana, a segurança e o conforto em casa, e a falta de inclinação para enfrentar o perigo com Paulo (Mt 13:20-22). Crisóstomo implica que Tessalônica era sua casa.

Galácia – Um manuscrito mais antigo suporta a leitura “Gália”. Mas a maioria dos manuscritos mais antigos, etc., “Galácia”.

Tito – Ele deve ter, portanto, deixado Creta depois de “colocar em ordem” os assuntos das igrejas ali (Tt 1:5).

Dalmácia – parte da província romana de Illyricum na costa do Adriático. Paulo havia escrito para ele (Tt 3:12) para ir a ele no inverno para Nicópolis (em Épiro), pretendendo na primavera pregar o Evangelho na província adjacente da Dalmácia. Tito parece ter ido para lá para realizar a intenção do apóstolo, cuja execução foi interrompida por sua prisão. Se ele foi por vontade própria, como é provável, ou foi enviado por Paulo, com o qual a expressão “se foi” dificilmente concorda, não pode ser positivamente decidido. Paulo aqui fala apenas de seus assistentes pessoais o terem abandonado; ele ainda tinha amigos entre os cristãos romanos que o visitavam (2Tm 4:21), embora tivessem tido medo de ficar ao lado dele em seu julgamento (2Tm 4:16).

11 Só Lucas está comigo. Toma Marcos, e o traz contigo, porque ele me é muito útil para o serviço.

Toma – grego, “pegue” na tua jornada (At 20:13-14). João Marcos provavelmente estava em, ou perto, Colossos, como na Epístola aos Colossenses (Cl 4:10), escrita dois anos antes disso, ele é mencionado como prestes a visitá-los. Timóteo estava ausente de Éfeso e em algum lugar do interior da Ásia Menor; Daí ele teria certeza de cair com Mark em sua jornada.

porque ele me é muito útil para o serviço – Marcos esteve sob uma nuvem por ter abandonado Paulo em um momento crítico em sua viagem missionária com Barnabé (At 15:37-4013:5,13). Timóteo ocupou posteriormente o mesmo cargo em relação a Paulo, como Marcos certa vez realizou. Por isso, Paulo, apropriadamente aqui, apaga a censura do passado com alto louvor a Marcos e guardas contra Timóteo fazendo comparações auto-complacentes entre ele e Marcos, como se ele fosse superior ao último (compare Fp 1:24). Demas se apóstata. Marcos retorna ao caminho certo e não é mais inútil, mas é proveitoso para o ministério evangélico (Fp 1:11).

12 Enviei Tíquico a Éfeso.

Tíquico. Ver Atos 20:4. Em Ef 6:21, Paulo o chama de “irmão amado e fiel ministro no Senhor”. Mas pode ser perguntado: por que ele não o manteve Tíquico consigo, ou por que Paulo haveria de mandá-lo embora, e então chamaria Timóteo? A probabilidade é que ele o tinha enviado antes de ter visto razão para suspeitar que seria morto; e agora, sentindo a necessidade de um amigo para estar com ele, ele chamou Timóteo, ao invés dele, porque Tíquico tinha sido incumbido de realizar algum serviço que ele não podia deixar, e porque Paulo desejava dar algumas instruções especiais a Timóteo antes de morrer. [Barnes]

13 Quando vieres, traz a capa que deixei em Trôade na casa de Carpo, e os livros, principalmente os pergaminhos.

que deixei em Trôade– provavelmente obrigado a deixá-lo em uma partida apressada.

Carpo – um amigo fiel a quem foram confiados depósitos tão preciosos. A menção de seu “manto”, longe de ser indigno de inspiração, é um daqueles toques gráficos que lança uma luz sobre a última cena da vida de Paulo, nos confins de dois mundos; neste querendo um manto para cobri-lo do frio do inverno, naquele coberto pela justiça dos santos, “vestido com a sua casa desde o céu” [Gaussen]. Assim, a vestimenta interior e a vestimenta exterior de Jesus, o mestre de Paulo, são sugestivos do pensamento mais instrutivo (Jo 19:2).

livros – Ele estava ansioso com respeito a estes que ele poderia transmiti-los aos fiéis, para que eles possam ter o ensino de seus escritos, quando ele deveria ter ido embora.

principalmente os pergaminhos – contendo talvez algumas de suas inspiradas epístolas.

14 Alexandre, o que trabalha com cobre, me causou muitos males; o Senhor retribuirá a ele conforme suas obras.

Alexandre, o que trabalha com cobre – “latoeiro” ou “ferreiro” em geral. Talvez o mesmo que o Alexander (ver em 1Tm 1:20) em Éfeso. Excomungado, em seguida, ele foi posteriormente restaurado, e agora desabafou sua malícia pessoal por causa de sua excomunhão em acusar Paulo perante os juízes romanos, seja de incendiarismo ou de introdução de uma nova religião. Veja minha introdução. Ele pode ter sido o Alexandre apresentado pelos judeus no tumulto em Éfeso (At 19:33-34).

retribuirá– Os manuscritos mais antigos dizem: “recompensará” ou “recompensará”. A vingança pessoal certamente não influenciou o apóstolo (2Tm 4:16).

15 Toma cuidado com ele também, porque ele se opôs muito às nossas palavras.

nossas palavras. Aos argumentos de nós cristãos para a nossa fé comum. Os crentes têm uma causa comum.

16 Na minha primeira defesa ninguém esteve comigo para me ajudar, pelo contrário, todos me desampararam. Que isso não seja levado em consideração contra eles.

Na minha primeira defesa – isto é, “defesa” no tribunal, no meu primeiro exame público. Timóteo nada sabia disso, é claro, até que Paulo agora o informa. Mas durante seu antigo encarceramento em Roma, Timóteo estava com ele (Fp 1:1,7). Isto deve ter sido, portanto, uma segunda prisão. Ele deve ter sido libertado antes da perseguição em a.d. 64, quando os cristãos foram acusados ​​de causar a conflagração em Roma; pois, se ele tivesse sido um prisioneiro, ele certamente não teria sido poupado. A tradição [Eusébio, História Eclesiástica, 2.251] de que ele foi finalmente decapitado, concorda com ele não ter sido morto na perseguição, a.d. 64, quando queimando até a morte foi o modo pelo qual os cristãos foram executados, mas posteriormente a ele. Seu “primeiro” julgamento em sua segunda prisão parece ter estado sob a acusação de cumplicidade na conflagração; sua ausência de Roma pode ter sido a base de sua absolvição por essa acusação; sua condenação final estava provavelmente sob a responsabilidade de introduzir uma nova e ilegal religião em Roma.

ninguém esteve comigo para me ajudar –  “, veio para a frente comigo” (Alford) como amigo e advogado.

Que isso não seja levado em consideração contra eles – não pode ser colocado à sua carga? A posição de “seu”, no grego, é enfática. “Que não seja posto à SUA carga”, pois eles foram intimidados; o seu afastamento de mim não era de má disposição, mas de medo; é certo que será colocado sob a responsabilidade daqueles que os intimidaram. Ainda assim Paulo, como Estevão, sem dúvida teria oferecido a mesma oração por seus próprios perseguidores (At 7:60).

17 Mas o Senhor me ajudou e me fortaleceu, a fim de que por mim a pregação fosse completamente divulgada, e todos os gentios a ouvissem; e fui livrado da boca do leão.

o Senhor – mais porque os homens me abandonaram.

me ajudou – mais forte do que “veio comigo” (Grego, 2Tm 4:16).

por mim – “através de mim”; através dos meus meios. Uma única ocasião é frequentemente do maior momento.

a pregação – “a proclamação do Evangelho”.

fosse completamente divulgada – pode ser totalmente feito (ver em 2Tm 4:5).

todos os gentios  – presentes no meu julgamento, “possam ouvir” o Evangelho proclamado então. Roma era a capital do mundo gentio, de modo que uma proclamação da verdade aos romanos era provável que fosse para o resto do mundo gentio.

e fui livrado da boca do leão – a saber, Satanás, o leão que ruge e devora (Lc 22:31; 1Pe 5:8). Eu fui impedido de cair em sua armadilha (2Tm 2:26; Sl 22:21; 2Pe 2:9); 2Tm 4:18 concorda com essa interpretação: “O Senhor me livrará de toda má obra”, isto é, tanto do mal como do maligno, como o grego da oração do Senhor o expressa. Não foi a libertação de Nero (que foi chamado o leão) que ele se alegrou, pois ele não temia a morte (2Tm 4:6-8), mas a libertação da tentação, através do medo, a negar o seu Senhor: assim Alford .

18 O Senhor me livrará de toda obra má, e me preservará para o seu reino celestial. A ele seja glória para todo o sempre. Amém.

E o Senhor me livrará, etc. – Esperança tira suas conclusões do passado para o futuro (Bengel).

e me preservará – literalmente, “salvará” (Sl 22:21), “me trará segurança”. Jesus é o Senhor e o Libertador (Fp 3:20; 1Ts 1:10): Ele salva do mal; Ele dá boas coisas.

reino celestial – grego, “Seu reino, que é celestial”.

A ele seja … etc. – Grego, “a quem seja a glória dos séculos dos séculos”. A própria esperança produz uma doxologia: quanto maior será a doxologia que o prazer real produzirá! (Bengel)

19 Cumprimenta Prisca e Áquila, e a casa de Onesíforo.

Prisca e Áquila – (At 18:2-3; Rm 16:3-4; 1Co 16:19, escrito de Éfeso, onde, portanto, Áquila e Priscila devem ter sido).

casa de Onesíforo – Se ele estivesse morto na época, a “casa” não teria sido chamada de “a casa de Onesíforo”. Ele provavelmente estava ausente (ver em 2Tm 1:16).

20 Erasto ficou em Corinto, e deixei Trófimo doente em Mileto.

Para descrever sua deserção, ele informa a Timóteo que Erasto, um de seus companheiros habituais (At 19:22, possivelmente o mesmo Erasto de Rm 16:23, embora não saísse claro como ele poderia deixar seus deveres oficiais para as viagens missionárias) permaneceu em Corinto, sua terra natal, ou residência habitual, de que cidade ele era “camareiro”, ou administrador da cidade e tesoureiro (Rm 16:23); e Trófimo ele deixou para trás em Mileto doente. (Sobre sua história anterior, veja em At 20:421:29). Este verso é irreconciliável com o encarceramento de que ele escreve sendo o primeiro: pois ele não passou por Corinto ou Mileto a caminho de Roma quando estava prestes a ser preso pela primeira vez. Como Mileto estava perto de Éfeso, há uma presunção de que Timóteo não estava em Éfeso quando Paulo escreveu, ou ele não precisaria informar Timóteo de Trófimo que estava doente em sua vizinhança imediata. No entanto, Trófimo pode não ter ficado ainda em Mileto na época em que Paulo escreveu, embora o tivesse deixado a caminho de Roma. Prisca e Áquila estavam mais propensos a estar em Éfeso (2Tm 4:19), e ele deseja que Timóteo os acalente: assim também Onésphoro ‘casa (2Tm 1:18). Paulo não tinha o poder de curar à vontade (At 19:12), mas como o Senhor lhe permitia.

21 Procura vir antes do inverno. Êubulo, Pudente, Lino, Cláudia e todos os irmãos te cumprimentam.

antes do inverno – quando uma viagem, de acordo com antigos usos da navegação, estaria fora de questão: também, Paulo precisaria de sua “capa” contra o inverno (2Tm 4:13).

Pudente… Cláudia – depois marido e mulher (segundo Marcial [Epigramas, 4,13; 11,54]), ele um cavaleiro romano, ela um britânico, de sobrenome Rufina. Tacitus [On Agriculture, 14], menciona que territórios no sudeste da Inglaterra foram dados a um rei britânico; Cogidunus, em recompensa por sua fidelidade a Roma, a.d. 52, enquanto Cláudio era imperador. Em 1772, um mármore foi desenterrado em Chichester, mencionando Cogidunus com o sobrenome Cláudio, acrescentado de seu patrono, o nome do imperador; e Pudens em conexão com Cogidunus, sem dúvida, seu sogro. Sua filha seria Claudia, que parece ter sido enviada a Roma para a educação, como garantia da fidelidade do pai. Aqui ela estava sob a proteção de Pomponia, esposa de Aulus Plautius, conquistador da Grã-Bretanha. Pomponia foi acusada de superstições estrangeiras, a.d. 57 [Tácito, Anais, 3,32], provavelmente o cristianismo. Ela provavelmente foi o instrumento de converter Claudia, que tomou o nome Rufina dela, que sendo um cognome dos gens Pomponian (compare Rm 16:13, Rufus, um cristão). Pudens em inscrição marcial e na de Chichester, aparece como um pagão; mas talvez ele ou seus amigos ocultassem seu cristianismo através do medo. Tradição representa Timóteo, um filho de Pudens, como participando na conversão dos bretões.

Lino – colocado em terceiro lugar; portanto, não neste momento ainda, como ele foi depois, bispo. Seu nome sendo inserido entre Pudens e Claudia, implica que os dois ainda não eram casados. “Eubulus” é identificado por alguns com Aristóbulo, que, com seus convertidos, é considerado um dos primeiros evangelistas da Grã-Bretanha. O próprio Paulo, diz Clemente, “visitou o oeste mais distante [talvez o Reino Unido, certamente a Espanha], e foi martirizado sob os governantes em Roma”, que eram vice-presidentes de Nero em sua ausência da cidade.

22 O Senhor seja com o teu espírito. A graça seja convosco.

A graça seja convosco. Plural, ou seja, a vós membros das igrejas de Éfeso e das regiões vizinhas.

<2 Timóteo 3 Tito 1>

Introdução à 2 Timóteo 4

Solene incumbência a Timóteo de cumprir seu dever zelosamente, pois tempos de apostasia estão próximos, e o apóstolo está perto de seu fim triunfante: Solicita que ele traga Marcos consigo para Roma, pois somente Lucas está com ele, os outros tendo ido embora : Também sua capa e pergaminhos: Adverte contra Alexander: Diz o que aconteceu com ele em sua primeira defesa: Greetings: Benediction.

Leia também uma introdução à Segunda Epístola à Timóteo.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados