Bíblia, Revisar

1 Coríntios 16

1 E quanto à coleta que se faz para os santos, fazei também como ordenei às igrejas da Galácia.

coleta que se faz para os santos – em Jerusalém (Rm 15:26) e na Judéia (At 11:29, At 11:30; At 24:17; compare 2Co 8:4; 2Co 9:1, 2Co 9:12 ). Ele diz “santos” em vez de “os pobres”, para lembrar aos coríntios que, ao dar, é para o povo do Senhor, seus próprios irmãos na fé. Perto do fim da existência nacional dos judeus, a Judéia e Jerusalém foram perseguidas com vários problemas, que em parte afetaram os cristãos judeus. A comunidade de bens que existiu entre eles por um tempo deu alívio temporário, mas tendeu a empobrecer tudo, paralisando o esforço individual (At 2:44), e, portanto, logo foi descontinuado. Um belo fruto da graça foi que aquele que, por causa das perseguições, roubou a muitos deles (At 26:10), deveria tornar-se o principal em esforços para seu alívio.

como eu dei – em vez disso, “dei a ordem”, ou seja, durante a minha jornada pela Galácia, mencionada em At 18:23. As igrejas da Galácia e da Frígia foram as últimas que Paulo visitou antes de escrever esta epístola. Ele estava agora em Éfeso e veio para lá imediatamente depois de visitá-los (At 18:23; At 19:1). Que ele não tenha ficado em silêncio na Galácia sobre as contribuições para os pobres, parece a partir da sugestão que cairá em sua epístola àquela igreja (Gl 2:10): uma coincidência indesejada e marca de genuinidade [Paley, Horae Paulinae]. Ele propõe os gálatas como um exemplo para os coríntios, os coríntios para os macedônios, os coríntios e macedônios para os romanos (Rm 15:26, Rm 15:27, 2Co 9:2). Há grande força no exemplo.

2 Cada primeiro dia da semana, cada um de vós ponha alguma coisa à pate, reservando para isso conforme a prosperidade que tiver obtido, para que, quando eu vier, não se façam coletas.

semana – já consagrado pelos cristãos como o dia da ressurreição do Senhor, o dia de início tanto do físico e das novas criações espirituais: gradualmente superou o sábado judaico no sétimo dia (Sl 118:22-24; Jo 20:19, Jo 20:26, At 20:7, Ap 1:10). Assim, o começo do ano foi mudado do outono para a primavera, quando Israel foi trazido do Egito. Três festas anuais, todas típicas das verdades cristãs, eram dirigidas para serem guardadas no primeiro dia da semana: a festa da oferta ondulatória do primeiro feixe, respondendo à ressurreição do Senhor; Pentecostes, ou a festa das semanas, típica dos frutos da ressurreição na Igreja Cristã (Lv 23:111516, 36); a festa dos tabernáculos na colheita, típica da colheita do número inteiro dos eleitos de um extremo do céu ao outro. A Páscoa foi dirigida para ser guardada como um sábado sagrado (Êx 12:16). O sábado cristão comemora as respectivas obras das Três Pessoas do Deus Triúno – criação, redenção (a ressurreição) e santificação (no Pentecostes, o Espírito Santo sendo derramado). Jesus veio para cumprir o Espírito da Lei, não para cancelá-lo ou para baixar seu padrão. O principal objetivo do sábado é a santidade, não meramente o descanso: “Lembre-se de que você santifica o dia de sábado.” Compare Gn 2:3: “Deus abençoou e santificou, porque … nele Ele descansou”, etc. “Lembre-se” implica que existia antes da doação da lei do Sinai, e refere-se à sua instituição no Paraíso (compare Êx 16:22, 23, 2630). “Seis dias tu trabalharás”: o espírito do comando é cumprido se os seis dias de trabalho sejam nos últimos seis dias ou no primeiro. Um sábado perpétuo seria, sem dúvida, o mais alto ideal cristão; mas vivendo em um mundo de negócios onde o ideal cristão ainda não é realizado, se uma lei de tempos definidos era necessária no Paraíso, ainda é mais agora.

cada um de vocês – mesmo aqueles em circunstâncias limitadas.

Deitado por ele – embora não haja uma coleção pública semanal, cada um é privado para separar uma proporção definida de sua renda semanal para a causa e caridade do Senhor.

na loja – abundantemente: o penhor de uma loja melhor previsto para o doador (1Tm 6:19).

como Deus o fez prosperar – literalmente, “tudo o que ele pode prosperar”, ou “pode ​​pela prosperidade ter adquirido” (Alford), (Mt 25:15-29; 2Co 8:12).

quando eu vier, não se façam coletas – para que elas não tenham que ser feitas, quando você e meu tempo devem ser empregados em coisas mais diretamente espirituais. Quando os homens dão de uma vez por todas, nem tanto é dado. Mas quando cada um coloca algo em todos os dias do Senhor, mais é coletado do que se daria de uma vez (Bengel).

3 E quando eu vier, enviarei aos que por cartas aprovardes, para que levem vossa doação para Jerusalém.

enviarei aos que por cartas aprovardes – em vez traduzir “, a quem vocês devem aprovar, eles vou enviar com letras”: ou seja, cartas para várias pessoas em Jerusalém, que seriam suas credenciais. Não haveria necessidade de cartas deles antes que Paul viesse, se as pessoas recomendadas não fossem expulsas antes disso. Literalmente, “por letras”; uma expressão abreviada para “eu enviarei, recomendando-as por letras” (Grotius). Se a Versão em Inglês for retida, o sentido será: “Quando eu chegar, enviarei aqueles a quem por suas cartas, para serem dados a eles, vocês aprovarão”. Mas a antítese (oposição ou contraste) ao próprio Paulo (1Co 16:4) favorece a visão de Grotius. Então, “por” significa com (Rm 2:27); e o grego para “por” é traduzido com (2Co 2:4).

liberalidade – literalmente, dom gracioso ou gratuito (2Co 8:4).

4 E se for necessário que eu também vá, irão comigo.

conheça – “vale a pena”. Se suas coleções forem grandes o suficiente para valer a jornada de um apóstolo (um estímulo à sua liberalidade), eu mesmo as acompanharei em vez de lhes dar credenciais (1Co 16:3; compare com Atos 20 : 1-4).

comigo – para me precaver contra todas as possíveis suspeitas do mal (2Co 8:4, 19-21).

5 Mas virei até vós, depois de passar pela Macedônia (porque passarei pela Macedônia).

Sua primeira intenção tinha sido (2Co 1:15, 16) de passar por eles (Corinto) para a Macedônia, e novamente retornar a eles da Macedônia, e assim para a Judéia; isso ele havia anunciado na epístola perdida (1Co 5:9); tendo agora deixado de lado essa intenção (pela qual ele foi acusado de leviandade, 2Co 1:17, etc., enquanto que foi por lenidade, 2Co 1:23; 2Co 2:1), ele anuncia seu segundo plano de “ não os vendo agora a propósito ”, mas“ passando pela Macedônia ”primeiro a caminho deles, e então“ demorando um pouco ”, e até“ permanecendo e invernando com eles ”.

porque passarei – tanto quanto dizer: “Isto é o que finalmente resolvo” (não como a inscrição errônea da epístola representa, como se ele estivesse em seguida em Filipos, a caminho da Macedônia); insinuando que houve alguma comunicação anterior sobre o assunto da jornada, e também que houve alguma indecisão no plano do apóstolo (Paley). De acordo com seu segundo plano, nós o encontramos na Macedônia quando o Segundo Coríntios foi escrito (2Co 2:13; 2Co 8:1; 2Co 9: 2, 4), e em seu caminho para Corinto ( 2Co 12:14, 2Co 13:1, compare com At 20:1, At 20:2. “Passar” se opõe a “permanecer” (1Co 16:6). Ele ainda não estava na Macedônia (como mostra 1Co 16:8), mas em Éfeso; mas ele estava pensando em passar por ele (não permanecendo como ele se propôs a fazer em Corinto).

6 E pode ser que eu fique um tempo convosco ou também passar o inverno, para que me envieis para onde quer que eu for.

Ele “permaneceu e até inverno” para os três meses de inverno na Grécia (Corinto), At 20:3, At 20:6; de qual passagem parece que Paulo provavelmente deixou Corinto cerca de um mês antes dos “dias de pães sem fermento” ou da Páscoa (de modo a dar tempo para tocar em Tessalônica e Bereia, de que cidades dois de seus companheiros estavam; fez em Filipos); de modo que os três meses em Corinto seriam dezembro, janeiro e fevereiro [Birks, Horae Apostolicae].

vós – enfático no grego.

onde quer que eu for – Ele se propôs a ir para a Judéia (2Co 1:16) de Corinto, mas seus planos não foram fixados positivamente ainda (ver em 1Co 16:4; compare com At 19:21).

7 Porque eu não quero vos ver agora apenas de passagem; mas espero ficar convosco por algum tempo, se o Senhor o permitir.

Eu não vou te ver agora, a propósito – literalmente, “eu não quero ver você desta vez de passagem”; isto é, para pagar-lhe agora o que teria que ser uma visita meramente passageira, como fiz na segunda visita (2Co 12:14). Em contraste com “um pouco”, isto é, algum tempo, como o grego poderia ser melhor traduzido.

mas – Os manuscritos mais antigos dizem “por”.

8 Porém ficarei em Éfeso até o Pentecostes.

em Éfeso – de onde Paulo escreve esta epístola. Compare 1Co 16:19, “Ásia”, em que Efeso foi.

até o Pentecostes – Ele parece ter ficado como ele aqui fins: para apenas quando o tumulto que o levou embora explodiu, ele já estava com a intenção de deixar Éfeso (At 19:21, At 19:22). Combinado com 1Co 5:7, 1Co 5:8, este versículo fixa a data desta epístola para algumas semanas antes de Pentecostes, e logo após a Páscoa.

9 Porque uma porta grande e eficaz se abriu para mim, e há muitos adversários.

porta – (2Co 2:12). Uma abertura para a extensão do Evangelho. Os homens sábios estão atentos e aproveitam as oportunidades. Então “porta da esperança”, Os 2:15. “Porta da fé”, At 14:27. “Uma porta aberta”, Ap 3:8. “Porta de enunciação”, Cl 4:3. “Ótimo”, isto é, extenso. “Efetivo”, isto é, exigir grandes trabalhos (Estius); ou oportuna para efetuar grandes resultados (Beza).

muitos adversários – que bloqueariam o caminho e impediriam que entrássemos pela porta aberta. Não aqui falsos mestres, mas adversários abertos: judeus e pagãos. Depois que Paulo, através de seu agora longo e contínuo trabalho em Éfeso, produziu efeitos que ameaçavam os interesses daqueles cujos ganhos eram derivados da idolatria, “muitos adversários” surgiram (At 19:9-23). Onde o bem é bom, o mal certamente começará como seu antagonista.

10 E se vier Timóteo, olhai para que ele esteja sem temor convosco; porque assim como eu, ele também faz a obra do Senhor.

Agora, sim, “Mas”. Portanto, Timóteo não era portador da epístola; pois, então, não se diria: “SE Timóteo vier”. Ele deve, portanto, ter sido enviado por Paulo de Éfeso antes que esta epístola fosse escrita, de acordo com 1Co 4:17-19; e ainda a passagem aqui implica que Paulo não esperava que ele chegasse a Corinto até depois que a carta fosse recebida. Ele diz a eles como tratá-lo “se” ele deveria chegar. At 19:21, At 19:22 esclarece a dificuldade: Timóteo, quando enviado de Éfeso, onde esta epístola foi escrita, não prosseguiu diretamente para Corinto, mas foi primeiro para a Macedônia; assim embora enviado antes da carta, ele poderia não alcançar Corinto até que fosse recebido naquela cidade. A coincidência não planejada entre a Epístola e a história, e a clarificação do significado da primeira (que não menciona a jornada para a Macedônia) pela segunda, é uma marca segura de genuinidade [Paley, Horae Paulinae]. Não é certo que Timóteo realmente tenha chegado a Corinto; porque em At 19:22 somente a Macedônia é mencionada; mas isso não quer dizer que, embora a Macedônia fosse o objeto imediato de sua missão, Corinto não era o objetivo final. O “SE Timóteo vem”, implica incerteza. 2Co 1:1 representa-o com Paulo na Macedônia; e 2Co 12:18, falando de Tito e outros enviados a Corinto, não menciona Timóteo, o que provavelmente teria feito, se alguém estivesse tão intimamente ligado ao apóstolo como Timóteo, permanecesse como seu delegado em Corinto. A missão de Tito ocorreu então, quando se tornou incerto se Timóteo poderia avançar da Macedônia para Corinto, estando Paul ansioso por notícias imediatas do estado da Igreja de Corinto. Alford argumenta que, se assim fosse, os adversários de Paulo o teriam acusado de inconstância também (2Co 1:17), como no caso de sua própria mudança de propósito. Mas Tito foi enviado diretamente para Corinto, de modo a chegar lá antes que Timóteo pudesse pelo caminho através da Macedônia. A presença de Tito, assim, compensaria o desapontamento com a pretendida visita de Timóteo e desarmaria os adversários de uma acusação a esse respeito (2Co 7:6, 2Co 7:7).

sem temor – Referindo-se talvez a uma timidez nervosa no caráter de Timóteo (1Tm 3:15; 1Tm 5:22, 1Tm 5:24). Sua juventude aumentaria esse sentimento, assim como seu país, Lystra, provavelmente seria desprezado em refinado Corinto.

11 Portanto ninguém o despreze; mas enviai-o em paz, para que ele venha a mim; porque eu o espero com os irmãos.

despreze – Esta acusação não é dada a respeito de qualquer outro dos muitos mensageiros que Paulo enviou. 1Tm 4:12 explica isso (compare o Sl 119:141). Ele era um jovem, provavelmente mais jovem do que os geralmente empregados nas missões cristãs; por isso, Paulo, sabendo que deveria, por causa disso, ser exposto ao desprezo, o adverte: “Ninguém despreze a tua mocidade” [Paley, Horae Paulinae].

conduta – colocá-lo em seu caminho com cada marca de respeito e com tudo o que ele precisa (Tt 3:13).

em paz – (At 15:33; Hb 11:31). “Paz” é a saudação de bondade e respeito no Oriente; e assim representa todas as bênçãos. Talvez aqui haja também um contraste entre a “paz” e as “contendas” predominantes em Corinto (1Co 1:11).

porque eu o espero – Ele e Tito foram designados para encontrar Paulo em Trôade, para onde o apóstolo se propôs a partir de Éfeso (2Co 2:12, 2Co 2:13). Paulo, portanto, reivindica seu respeito por Timóteo como alguém a quem ele se sentia tão necessário para si mesmo como “procurar” por ele [Teofilaxe].

com os irmãos – Outros além de Erasto acompanharam Timóteo à Macedônia (compare 1Co 16:12; At 19:22).

12 E quanto ao irmão Apolo, muito roguei que ele viesse com os irmãos até vós; mas ele de maneira nenhuma teve vontade de vir por agora; porém oferecendo-se a ele boa oportunidade, ele virá.

para vir até você – Ele diz que isto não deve suspeitar que ele de ciúme impediu Apolo de vir até eles; talvez eles tivessem pedido expressamente que Apolo fosse enviado a eles. Apolo não estava em Éfeso quando Paulo escreveu (compare 1Co 16:19e 1Co 1:1). Provavelmente, a falta de vontade de Apolo em ir a Corinto nessa época foi porque, ciente da indevida admiração de seu estilo retórico que desencamou muitos em Corinto, ele não desejou sancioná-lo (1Co 1:12; 1Co 3:4). A nobre liberdade de Paulo de todo ciúme egoísta levou-o a pedir a Apolo que fosse; e, por outro lado, Apolo, tendo ouvido falar do abuso de seu nome em Corinto para fins partidários, recusou-se perseverantemente a ir. Paul, é claro, não poderia afirmar em sua carta particularmente essas razões no estado existente de divisão prevalente ali. Ele chama Apolo de “irmão” para marcar a unidade que existia entre os dois.

com os irmãos – que levam esta carta (1Co 16:17). (Veja 1Co 16:24, subscrição adicionada à epístola). Conybeare pensa que Tito foi um dos portadores desta primeira carta (2Co 8:6, 2Co 8:16-24; 2Co 12:18). Alford pensa que “os irmãos” aqui podem ser os mesmos que em 1Co 16:11.

tempo conveniente – Apolo retornou a Corinto quando suas divisões foram moderadas (Jerônimo), e assim foi um período mais oportuno.

13 Vigiai, ficai firmes na fé, sede corajosos, e vos esforçai.

Ele mostra que eles deveriam fazer suas esperanças de salvação não dependerem de Apolo ou de qualquer outro professor; que repousa consigo mesmos. “Vigiai”, porque estais adormecidos. “Levanta-te”: porque sois como homens cambaleantes. “Pare com você como homens; sê forte ”, pois sois afeminados (1Co 16:14). “Todas as tuas coisas sejam feitas com caridade” (1Co 8:1; 1Co 13:1): não com contendas como hoje (Crisóstomo). “Na fé”, que foi assaltado por alguns (1Co 15:11Co 15:12-27).

14 Todas as vossas coisas sejam feitas em amor.
15 Vós sabeis que os da casa de Estéfanas foram os primeiros da Acaia, e que eles têm se dedicado ao trabalho dos santos; rogo-vos, pois, irmãos,

primeiros da Acaia – os primeiros convertidos aqueus (compare Rm 16:5). A imagem é das primícias oferecidas ao Senhor (Lv 23:10; compare com 1Co 15:20). Os membros dessa família haviam sido batizados pelo próprio Paulo (1Co 1:16).

dedicado ao trabalho dos santos – Traduza: “Coloquem-se a si mesmos (isto é, voluntariamente) para ministrar aos santos” (compare 2Co 8:44).

16 Que também vos sujeiteis a eles, e a todo aquele que opera e trabalha junto conosco.

Que vós – Traduza: “Que vós também”, ou seja, na sua vez … em troca de sua auto-devoção (Alford).

ajuda com eles.

laboureth – por ele mesmo.

17 E eu me alegro com a vinda de Estéfanas, e de Fortunato, e de Acaico, porque estes supriram o que de vossa parte me faltava.

Achaicus – provavelmente da casa de Stephanas.

que de vossa parte me faltava – Na medida em que você foi incapaz de “refrescar meu espírito”, em que você está ausente de mim, “eles forneceram” vindo de mim para você, e assim fornecendo os meios de intercurso entre você e eu. Eles parecem ter trazido esta carta de volta; veja a assinatura abaixo: daí as exortações, 1Co 16:16, 1Co 16:18, como se estivessem em Corinto quando a epístola chegou.

18 Porque eles confortaram meu espírito, e também o vosso. Então reconhecei aos tais.

eles confortaram meu espírito, e também o vosso – “seu” será renovado ao receber esta carta, sabendo que “meu espírito é refrescado” por ter vindo até mim de você; e (talvez) pelo bom relatório que eles deram de muitos de vocês (1Co 1:4-8); meu refresco de espírito redunda a vocês, como sendo meus discípulos (2Co 7:13; compare Zc 6:8).

reconhecei – dê-lhes agradecimentos devidos por uma gentil recepção deles: 1Ts 5:12, “conheça-os” em seu verdadeiro valor e trate-os de acordo.

19 As igrejas da Ásia vos saúdam. Áquila e Priscila vos saúdam-vos afetuosamente no Senhor, e também a igreja que está na casa deles.

Ásia – nem toda a Ásia Menor, mas apenas a Ásia da Lídia, da qual Éfeso era a capital.

muito – com carinho especial.

Áquila e Priscila – (compare At 18:2; Rm 16:3, Rm 16:4). Originalmente expulsos da Itália por Cláudio, eles tinham vindo a Corinto (de onde a saudação dos coríntios era apropriada aqui), e depois foram removidos de Corinto para Paulo, para Éfeso (At 18:2, At 18:18, At 18:19 At 18:26); aqui, como em Roma posteriormente, eles montaram uma igreja (ou assembléia de crentes) em sua casa (Rm 16:3, Rm 16:5). Um padrão para maridos e esposas cristãos. Seu amor cristão devotado aparece onde quer que eles estivessem (Rm 16:3, Rm 16:4). Até mesmo os talentosos Apolo, tão admirados em Corinto, deviam muito de seu conhecimento a eles (At 18:24-26). Em 1Co 16:20, “Todos os irmãos” (isto é, toda a Igreja) parecem distinguir-se da “igreja que está em sua casa”, que era apenas uma assembléia parcial e privada da igreja geral em Corinto. . Neander pensa que Rm 16:23 se refere à reunião “toda a Igreja” na casa de Gaio (compare com Cl 4:15). “Sinagoga” implica uma assembléia em geral, sem referência ao caráter ou motivos de seus membros. “Igreja”, como o hebraico {Kahal}, implica uma assembléia legalmente convocada; como, por exemplo, os judeus se reuniram como um corpo político para receber a lei (por isso, Estêvão a chama de “a Igreja no deserto”, At 7:38) e ter um vínculo jurídico de união. Os seguidores de Cristo quando dispersos um do outro deixam de ser uma congregação (sinagoga), mas ainda são uma Igreja, tendo o elo comum de união com a mesma Cabeça pela mesma fé e esperança [Vitringa, Sinagoga e Templo]. A partir disso, podemos explicar que Paulo está entrando “em todas as casas e haling homens e mulheres”: ele iria em busca de cristãos ir para suas várias “casas” de oração.

no Senhor – Eles oram por todas as bênçãos sobre você do Senhor, a fonte de todo bem (Grotius). Alford explica, “de uma maneira cristã”, como consciente de seu Senhor comum. “No Senhor” parece-me referir-se à sua união em Cristo, suas orações pelo bem um do outro em virtude dessa união.

20 Todos os irmãos vos saúdam. Saudai-vos uns as outros com beijo santo.

beijo santo – o símbolo do amor mútuo dos cristãos, especialmente na ceia do Senhor (compare Rm 16:16; 1Ts 5:26), “em que todas as dissensões dos coríntios seriam engolidas” (Bengel) .

21 Saudação de minha própria mão, de Paulo.

saudação … com a minha própria mão – Ele, portanto, ditou todo o resto da epístola.

22 Se alguém não ama ao Senhor Jesus Cristo seja anátema. Vem, Senhor.

Um solene aviso de fechamento acrescentou em sua própria mão como em Ef 6:24; Cl 4:18.

ao Senhor – que deve ser “amado” acima de Paulo, Apolo e todos os outros mestres. Amar uns aos outros é estar em conexão com o amor a Ele acima de tudo. Inácio [Epístola aos Romanos, 7] escreve sobre Cristo: “Meu amor foi crucificado” (compare com Ct 2: 7).

Jesus Cristo – omitido nos manuscritos mais antigos.

seja anátema – amaldiçoado com essa maldição que os judeus que chamam Jesus de “amaldiçoado” (1Co 12:3). Tão longe de “saudar” ele, o ordeno ser amaldiçoado.

Vem, Senhor – Siríaco para, “o Senhor vem”. Um lema ou palavra de ordem para incentivar a sua preparação para a vinda do Senhor; como em Fp 4:5: “O Senhor está próximo”.

23 A graça do Senhor Jesus Cristo esteja convosco.

A graça, etc. – Esta é a saudação pretendida em 1Co 16:21; e do qual os incrédulos (1Co 16:22; compare com 2Jo 1:10-11) são excluídos (Bengel).

24 Meu amor esteja com todos vós em Cristo Jesus. Amém. A primeira Carta aos Coríntios foi escrita de Filipos, e enviada por Estéfanas, Fortunato, Acaico e Timóteo

Meu amor, etc. – Depois de ter feito severas repreensões, ele encerra com expressões de “amor”: suas próprias repreensões foram motivadas pelo amor e, portanto, estão em total harmonia com a profissão de amor aqui feita: foi o amor em Cristo Jesus e, portanto, abraçou “todos” que o amavam.

A assinatura representa a epístola como escrita de Filipos. 1Co 16:8 mostra que foi escrito em Éfeso. Bengel conjectura que talvez, no entanto, tenha sido enviado de Filipos (1Co 16:5), porque os representantes dos coríntios tinham acompanhado Paulo para lá. De Éfeso havia uma estrada para Corinto, acima de Filipos.

<1 Coríntios 15 2 Coríntios 1>

Introdução à 1 Coríntios 16

Instruções sobre a coleção para os cristãos da Judeia: os planos futuros de Paulo: Ele recomenda a eles Timóteo, Apolo, etc. Saudações e conclusões.

Leia também uma introdução à Primeira Epístola aos Coríntios.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.