Bíblia

1 Coríntios 12

Aviso Quer estudar a Bíblia e não sabe por onde começar? Conheça o nosso curso: Como Estudar a Bíblia? Ele é gratuito, online e pode ser iniciado agora mesmo! Clique aqui e saiba mais.


O uso e o abuso dos dons espirituais, especialmente profecia e línguas

1 E quanto aos dons espirituais, irmãos, não quero que sejais ignorantes.

Este é o segundo assunto a ser corrigido nas reuniões dos coríntios: o “primeiro” foi discutido em 1Co 11:18.

dons espirituais…os sinais da contínua presença eficaz do Espírito na Igreja, o complemento de Sua encarnação, como o corpo é o complemento da cabeça. Pelo amor que permeia o todo, os dons dos vários membros, formando complementos recíprocos entre si, tendem ao único objetivo de aperfeiçoar o corpo de Cristo. Os dons ordinários e permanentes são compreendidos juntamente com o extraordinário, sem distinção especificada, já que ambos fluem do Espírito divino residente da vida. Os dons extraordinários, longe de tornar os mestres mais peculiarmente santos do que em nossos dias, nem sempre provaram que tais pessoas estavam em um estado seguro (Mt 7:22).

não quero que sejais ignorantescom todas as suas ostentações de “conhecimento” em Corinto. Se for ignorante agora, será sua própria culpa, não minha (1Co 14:38).

2 Vós sabeis que éreis gentios, vós vos desviáveis para os ídolos mudos, conforme éreis guiados.

(Ef 2:11)

Vós sabeis que éreisVocês foram levados às cegas de um lado para outro à vontade de seus falsos guias.

ídolos mudoscontrastou com o Deus vivo que “fala” no crente pelo Seu Espírito (1Co 12:3, etc.).

conforme éreis guiadosOs oráculos pagãos conduziram seus devotos aleatoriamente, sem nenhum princípio definido.

3 Por isso eu vos deixo claro que ninguém que fala pelo Espírito de Deus chama a Jesus de maldito; e ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, a não ser pelo Espírito Santo.

O meio para comprovar a presença do Espírito é a confissão de Jesus como o Senhor. Parece que alguns membros da Igreja, afirmando estarem sob a influência do poder do Espírito Santo, haviam chamado Jesus de maldito, como se fossem incrédulos. Nenhuma afirmação desse tipo, diz o apóstolo, pode vir de quem fala pelo Espírito.

ninguém que fala pelo Espírito de Deus chama a Jesus de maldito (compare com Mc 9:39Jo 16:14,151Jo 4:2-3) –  ou então, “diz: Jesus é anátema!” (ARC), como diriam judeus incrédulos.

maldito (compare com 1Co 16:22Dt 21:23Gl 3:13).

ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, a não ser pelo Espírito Santo (compare com 1Co 8:6Mt 16:16,17Jo 13:13Jo 15:262Co 3:52Co 11:4).

Jesus é o Senhor (compare com Rm 10:9). Essa confissão sincera é a essência do cristianismo, e prova a presença do Espírito Santo, a posse de um dom dEle. Para um meio de comprovação semelhante, compare com 1Jo 2:1-3. O professor Stevens parafraseia assim: “A primeira coisa a ser entendida é que a confissão de Jesus Cristo como Senhor é a tônica de todo discurso inspirado. O teste primário da inspiração do Espírito é: Você reconhece o senhorio de Cristo?” [Dummelow, 1909]

4 E há variedade de dons, mas o Espírito é o mesmo.

variedade de dons – isto é, variedades de dons espirituais peculiares aos vários membros da Igreja: compare “dividindo a cada homem separadamente” (1Co 12:11).

variedade de dons A Santíssima Trindade aparece aqui: o Espírito Santo neste verso; Cristo em 1Co 12:5; e o Pai em 1Co 12:6. Os termos “dons”, “trabalhos” e “operações” correspondem respectivamente aos Três Divinos. O Espírito é tratado em 1Co 12:7, etc .; o Senhor, em 1Co 12:12, etc .; Deus, em 1Co 12:28. (Compare Ef 4:4-6). [JFB]

5 E há variedade de trabalhos na Igreja, mas o Senhor é o mesmo.

“Dons” (1Co 12:4), “trabalhos” (as várias funções e serviços executados por aqueles que têm os dons, compare 1Co 12:28) e “operações” (os efeitos reais resultantes tanto do primeiro, através de o poder universalmente operativo do único Pai que está “acima de tudo, através de todos e em todos nós”, forma um clímax ascendente (Henderson).

Senhor é o mesmo a quem o Espírito glorifica por essas ministrações (Bengel). [JFB]

6 E há variedade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos.

operações – (Compare 1Co 12:10).

o mesmo Deusopera – pelo Seu Espírito trabalhando (1Co 12:11).

tudo em todos todos eles (os “dons”) em todas as pessoas (que os possuem). [JFB]

7 Mas a cada um é dada a manifestação do Espírito, para o que for proveitoso.

Compare com 1Co 14:5,12,17,19,22-26Mt 25:14Rm 12:6-8Ef 4:7-121Pe 4:10-11. O dom pelo qual o Espírito manifesta a Sua presença é dado a cada um para o “benefício de todos” (NVT). [Dummelow, 1909]

8 Porque a um é dada, pelo Espírito, palavra de sabedoria; e a outro palavra de conhecimento, pelo mesmo Espírito

Compare com 1Co 1:5,30; 2:6-10; 13:2,8Gn 41:38,39Ex 31:31Rs 3:5-12Ne 9:20Jó 32:8Sl 143:10Pv 2:6Is 11:2-3; 50:4Is 59:21Dn 2:21Mt 13:11At 6:32Co 8:7Ef 1:17-18.

palavra de sabedoria – capacidade para comunicar sabedoria aos outros (Ef 6:19), ou seja, NOVAS revelações da sabedoria divina na redenção, em contraste com a filosofia humana (compare com 1Co 1:24; 2:6-7; Ef 1:8; 3:10; Cl 2:3). Para James Macknight esse era um dom exclusivo dos apóstolos, que permitiu a eles cumprir a tarefa de anunciar o Evangelho infalivelmente.

palavra de conhecimento – capacidade para comunicar verdades JÁ REVELADAS (nisso se distingue da “palavra de sabedoria”, que se relacionava com NOVAS revelações). Compare com 1Co 14:6, onde “revelação” (corresponde a “sabedoria” aqui) é distinta de “conhecimento” (Henderson). A sabedoria é mais profunda do que o conhecimento. O conhecimento está relacionado com coisas que devem ser feitas; a sabedoria, com coisas eternas: por isso a sabedoria não “desaparecerá”, como o conhecimento (1Co 13:8). [JFU, 1871]

9 e a outro fé pelo mesmo Espírito; e a outro dons de curas, pelo mesmo Espírito.

(compare com 1Co 13:2Mt 17:19-20; 21:21Mc 11:22,23Lc 17:5,6; Hb 11:33) – não às doutrinas, mas para realização de milagres: confiança em Deus, pelo impulso de Seu Espírito, que Ele os capacitaria a realizar qualquer milagre necessário (compare 1Co 13:2; Mc 11:23; Tg 5:15). Sua natureza, ou princípio, é o mesmo que o da fé salvadora, ou seja, a confiança em Deus; a causa realizadora é a mesma — um poder totalmente sobrenatural (Ef 1:19-20). Mas os objetos da fé diferem respectivamente. Assim, a fé salvadora não salva pelo seu próprio mérito, mas pelos méritos d’Aquele que é o seu objeto [ou seja, os méritos de Cristo].

dons de curas (compare com Mt 10:8Mc 6:13; 16:18Lc 9:2; 10:9At 3:6-8; 4:29-31; 5:15; 10:38; 19:11,12Tg 5:14,15) – no plural, diferentes tipos de doenças precisam de diferentes tipos de cura (Mt 10:1). [JFU, 1871]

10 E a outro operações de milagres; e a outro profecia; e a outro o dom de discernir aos espíritos; e a outro variedade de línguas; e a outro interpretação de línguas.

profecia – Neste caso, provavelmente, não no sentido mais amplo de ensino público pelo Espírito (1Co 11:4-5; 1Co 14:1-5,22-39); mas, como implica a sua posição entre “milagres” e um “discernimento de espíritos”, a revelação inspirada do futuro (At 11:27-2821:11; 1Tm 1:18), (Henderson). Depende da “fé” (1Co 12:9; Rm 12:6). Os profetas estavam ao lado dos apóstolos (1Co 12:28; Ef 3:5; Ef 4:11). Como a profecia faz parte de todo o projeto da redenção, uma visão inspirada das partes obscuras das Escrituras existentes foi a preparação necessária para a previsão miraculosa do futuro.

discernir aos espíritos – discernir entre a operação do Espírito de Deus, e o espírito maligno, ou espírito humano (1Co 14:29; compare com 1Tm 4:1; 1Jo 4:1).

variedade de línguas – o poder de falar várias línguas, provavelmente humanas (At 2:8-111Co 14:2). [JFU]

outro interpretação de línguas – alguém que tinha este dom, quando um discurso era entregue em uma língua desconhecida, costumava ficar de pé e interpretá-la para as pessoas, sem sem o qual não poderia ser útil para elas; e às vezes uma pessoa era dotada para falar em uma língua desconhecida, e ainda assim não era capaz de interpretar sua fala de modo que as pessoas entendessem: veja 1Co 14:13. As regras a serem observadas em tais casos, e por tais pessoas, ver em 1Co 14:27. [Gill]

11 Mas todas estas coisas quem opera é um e o mesmo Espírito, repartindo particularmente a cada um como quer.

como ele quer (1Co 12:18; Hb 2:4).

12 Porque assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros deste único corpo, sendo muitos, compõem um corpo; assim também é Cristo.

um corpo (compare com 1Co 10:17; 12:27; Rm 12:4-5; Gl 3:16; Ef 4:4,12,15-16; 5:23,30Cl 1:18,24; 2:19; 3:15).

assim também é Cristo. Cristo é aqui considerado como a pessoa cujo corpo é a Igreja. Ele está tão intimamente ligado à Igreja que é quase identificado com ela. Ele infunde Seu Espírito nela, e Sua Presença a permeia. Todo cristão é um membro do corpo de Cristo — cabeça, mão, pé, olho, ouvido ou algum outro membro igualmente essencial. [Dummelow, 1909]

13 Em um só Espírito fomos batizados todos nós em um só corpo, quer judeus, quer gregos, quer escravos, quer livres; e para todos nós foi dado de beber de um só Espírito.

Em um só Espírito fomos batizados (compare com 1Co 10:2Is 44:3-5Ez 36:25-27Mt 3:11Lc 3:16Jo 1:16,33; 3:5At 1:5Rm 6:3-6; 8:9-11Ef 4:5; 5:26Cl 2:11,12Tt 3:4-61Pe 3:21) todos nós em um só corpo. Uma prova ilustrativa da afirmação anterior. O corpo humano é composto por muitos membros, assim como corpo espiritual de Cristo, que é Sua Igreja.

quer judeus (compare com Rm 3:29; 4:11Gl 3:23,28Ef 2:11-16,19-22; 3:6Cl 1:27; 3:11).

quer escravos (compare com 1Co 7:21-22Ef 6:8).

nós foi dado de beber (compare com Is 41:17-18Is 55:1Zc 9:15-17Jo 4:10,14; 6:63; 7:37-39) de um só Espírito. O ato do batismo não foi apenas um regar do convertido com a lavagem da regeneração, mas um tomar parte dele no um só Espírito”. É a mesma palavra grega usada em 1Co 3:6 e traduzida como Apolo “regou”. [Ellicott, 1905]

14 Porque também o corpo não é composto de um membro, mas de muitos.

Compare com 1Co 12:12,19,27-28Ef 4:25).

15 Se o pé disser: 'Por eu não ser mão, não sou do corpo'; nem por isso deixa de ser do corpo.

Os membros em menos evidência não devem se depreciar ou serem menosprezados por outros em mais destaque (1Co 12:21-22).

nem por isso deixa de ser do corpo – ou então interrogativamente, “acaso, por isso, deixa de ser parte do corpo?” (NVT).

16 E se a orelha disser: 'Por eu não ser olho, não sou do corpo'; nem por isso deixa de ser do corpo.

Compare com 1Co 12:22Rm 12:3,10Fp 2:3. Os membros em menos evidência não devem se depreciar ou serem menosprezados por outros em mais destaque (1Co 12:21-22).

nem por isso deixa de ser do corpo – ou então interrogativamente, “acaso, por isso, deixa de ser parte do corpo?” (NVT).

17 Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se fosse todo ouvido, onde estaria o olfato?

Compare com 1Co 12:21,291Sm 9:9Sl 94:9Sl 139:13-16Pv 20:12. O olho é superior, mas não o seria caso fosse o único membro do corpo.

Spoiler title

Deus pôs os membros no corpo (compare com 1Co 12:24,28).

cada um deles como quis (compare com 1Co 12:11; 3:5; 15:38Sl 110:3; 135:6Is 46:10Jn 1:14Lc 10:21; 12:32Rm 12:3Ef 1:5,9Ap 4:11).

19 Se todos, porém, fossem um membro, onde estaria o corpo?

onde estaria o corpo que necessariamente “tem muitos membros” (1Co 12:12,14). [Alford]

20 Mas há agora muitos membros, porém um só corpo.

Mas há agora – de fato, em contraste com a suposição do versículo anterior (1Co 12:19; compare com 1Co 12:18).

muitos membros – mutuamente dependentes. [JFU, 1871]

21 E o olho não pode dizer à mão: 'Não tenho necessidade de ti'; nem a cabeça aos pés: 'Não tenho necessidade de vós';

Não tenho necessidade de ti. Uma repreensão àqueles que desprezavam os que não possuíam os seus dons. [Dummelow, 1909]

22 Antes, os membros do corpo que nos parecem ser os mais fracos, são muito mais necessários;
23 e os que pensamos serem os menos honrados do corpo, a esses muito mais honramos; e os nossos mais indecorosos têm muito mais respeito,

os nossos [membros do corpo] mais indecorosos têm muito mais respeito – ou seja, vestimos eles. Na versão NVT, “protegemos cuidadosamente as partes que não devem ser vistas”.

24 porém os nossos mais respeitáveis não têm tanta necessidade disso. Mas assim Deus juntou o corpo, dando muito mais honra ao que tinha falta dela,

Mas assim Deus juntou o corpo, dando muito mais honra ao que tinha falta dela. Em outras palavras, “Deus armou o corpo de maneira tal que se dão um cuidado e uma honra especiais àqueles membros que, de outro modo poderiam parecer menos importantes” (VIVA).

25 para que não haja divisão no corpo, mas que os membros tenham igual cuidado uns com os outros.

para que não haja divisão no corpo (compare com 1Co 1:10-12; 3:3; 11:18; Jo 17:21-262Co 13:11).

26 De maneira que, caso um membro sofre, todos os membros sofrem com ele; e caso um membro seja honrado, todos os membros se alegram com ele.

Compare com Rm 12:152Co 11:28,29Gl 6:2Hb 13:31Pe 3:8.

todos os membros sofrem com ele. Aquilo que é verdade sobre o corpo humano, através da ligação nervosa de todas as suas partes, deve ser verdade sobre a Igreja do Senhor (compare com Rm 12:5). [Dummelow, 1909]

27 Ora, vós sois o corpo de Cristo e, individualmente, membros desse corpo.

Compare com 1Co 12:12,14-20Rm 12:5Ef 1:23; 4:12; 5:23,30Cl 1:24.

28 A uns Deus estabeleceu na Igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar, profetas, em terceiro lugar, mestres; depois operadores de milagres, os que têm dons de curar, ou de prestar ajuda, ou de administrar, ou de falar em variedades de línguas.

Compare com 1Co 12:7-11Lc 6:14At 13:1-3; 20:28Rm 12:6-8Ef 2:20; 3:5; 4:11-13Hb 13:17,241Pe 5:1-4.

Esta é uma lista não de ministérios distintos, mas de funções e dons, alguns dos quais podem ser combinados na mesma pessoa. Paulo foi apóstolo, profeta, mestre (At 13:1), operou milagres e falou em línguas (1Co 14:18).

apóstolos – testemunhas comissionadas da Ressurreição de Cristo, fundadores ou organizadores de igrejas.

profetas (compare com 1Co 12:10) – intérpretes inspirados da mente de Deus.

mestres – aqueles que dão instruções sobre a fé e a orientação da religião sobre a vida e a conduta (1Co 12:8).

prestar ajuda (compare com Nm 11:17) – incluindo o trabalho original dos diáconos, a ministração aos pobres e doentes.

administrar (compare com Rm 12:81Tm 5:17Hb 13:17,24) – isto é, capacidade de organização e governo, incluindo grande parte do trabalho dos presbíteros.

variedades de línguas (compare com 1Co 12:10At 2:8-11) – são, talvez, colocadas em último lugar porque eram sobrevalorizadas em Corinto. [Dummelow, 1909]

29 Por acaso são todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? São todos operadores de milagres?

São todos…? Com certeza não! Compare com 1Co 12:4-11,14-20.

30 Tem todos dons de curas? Falam todos várias línguas? Interpretam todos essas línguas?

Com certeza não! Compare com 1Co 12:4-11,14-20.

31 Porém, desejai com zelo pelos melhores dons. Um caminho ainda mais excelente eu vos mostrarei.

Um caminho ainda mais excelente eu vos mostrarei. O caminho do amor, conforme descrito em 1Co 13.

<1 Coríntios 11 1 Coríntios 13>

Introdução à 1 Coríntios 12

Vários poderes, capacidades e graças haviam sido concedidos pelo Espírito Santo a cristãos da igreja em Corinto. Alguns deles eram nitidamente milagrosos, como profecia, línguas, poder para realizar milagres; outros eram dons menos extraordinários, como ensino ou sabedoria; ou graças especiais de caráter cristão, como o amor. O apóstolo não faz distinção entre essas duas classes; todos são da mesma Fonte e devem ser exercidos para o bem de todos. Os coríntios estavam inclinados a supervalorizar os dons mais chamativos, especialmente o das línguas. Aqueles que possuíam esse dom sentiam-se tentados a usá-lo para mera exibição; aqueles que não o possuíam invejavam esses outros, e subestimavam seus próprios dons.

Paulo primeiro (1Co 12) mostra que todos esses dons vêm do mesmo Espírito, e todos contribuem para o bem-estar da Igreja. Mas o amor (que será tratado no capítulo seguinte) supera todos eles; sem ele, não têm qualquer proveito. Desses dons, a profecia (isto é, pregação inspirada, revelação da vontade de Deus) é melhor do que as línguas, porque edifica a Igreja e produz um melhor efeito sobre os incrédulos (1Co 14). Contudo, o uso de ambos os dons na Igreja deve acontecer de modo que todas as coisas possam ser feitas (a) para edificação”, e (b) “em ordem e decência”. [Dummelow, 1909]

Visão geral de 1 Coríntios

Na sua Primeira Epístola aos Coríntios, “Paulo mostra aos novos cristãos de Corinto que até os problemas mais complexos da nossa vida podem ser abordados através da lente do evangelho”. Tenha uma visão geral da carta através deste breve vídeo (8 minutos) produzido pelo BibleProject.

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Leia também uma introdução à Primeira Epístola aos Coríntios.

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – julho de 2020.