Bíblia

1 Coríntios 12

O uso e o abuso dos dons espirituais, especialmente profecia e línguas

1 E quanto aos dons espirituais, irmãos, não quero que sejais ignorantes.

Este é o segundo assunto a ser corrigido nas reuniões dos coríntios: o “primeiro” foi discutido em 1Co 11:18.

dons espirituais…os sinais da contínua presença eficaz do Espírito na Igreja, o complemento de Sua encarnação, como o corpo é o complemento da cabeça. Pelo amor que permeia o todo, os dons dos vários membros, formando complementos recíprocos entre si, tendem ao único objetivo de aperfeiçoar o corpo de Cristo. Os dons ordinários e permanentes são compreendidos juntamente com o extraordinário, sem distinção especificada, já que ambos fluem do Espírito divino residente da vida. Os dons extraordinários, longe de tornar os mestres mais peculiarmente santos do que em nossos dias, nem sempre provaram que tais pessoas estavam em um estado seguro (Mt 7:22).

não quero que sejais ignorantescom todas as suas ostentações de “conhecimento” em Corinto. Se for ignorante agora, será sua própria culpa, não minha (1Co 14:38).

2 Vós sabeis que éreis gentios, vós vos desviáveis para os ídolos mudos, conforme éreis guiados.

(Ef 2:11)

Vós sabeis que éreisVocês foram levados às cegas de um lado para outro à vontade de seus falsos guias.

ídolos mudoscontrastou com o Deus vivo que “fala” no crente pelo Seu Espírito (1Co 12:3, etc.).

conforme éreis guiadosOs oráculos pagãos conduziram seus devotos aleatoriamente, sem nenhum princípio definido.

3 Por isso eu vos deixo claro que ninguém que fala pelo Espírito de Deus chama a Jesus de maldito; e ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, a não ser pelo Espírito Santo.

pelo Espírito...esse sendo o poder que o penetra, e o elemento no qual ele fala (Alford), (Mt 16:17; Jo 15:26).

de DeusSanto…O mesmo Espírito é chamado em um tempo “o Espírito de Deus”; em outro,  Espírito Santo”. Santidade Infinita é quase sinônimo de divindade.

faladizer…”Fala” implica o ato de proferir; “Dizer” refere-se ao que é pronunciado. Aqui, “dizer” significa uma confissão espiritual e crente Dele.

Jesus…não uma doutrina abstrata, mas o homem-deus histórico e vivo (Rm 10:9).

maldito…como os judeus e gentios trataram-lo (Gl 3:13). Compare “amaldiçoar a Cristo” na carta do pagão de Plínio [Epístolas, 10,97]. O homem espiritual sente que Ele é a Fonte de todas as bênçãos (Ef 1:3 ) e ser separado dEle é ser amaldiçoado (Rm 9:3).

Senhor…reconhecendo a si mesmo como Seu servo (Is 26:13). “Senhor” é a tradução da Septuaginta para o incomunicável nome hebraico Jeová.

4 E há variedade de dons, mas o Espírito é o mesmo.

variedade de dons – isto é, variedades de dons espirituais peculiares aos vários membros da Igreja: compare “dividindo a cada homem separadamente” (1Co 12:11).

variedade de dons A Santíssima Trindade aparece aqui: o Espírito Santo neste verso; Cristo em 1Co 12:5; e o Pai em 1Co 12:6. Os termos “dons”, “trabalhos” e “operações” correspondem respectivamente aos Três Divinos. O Espírito é tratado em 1Co 12:7, etc .; o Senhor, em 1Co 12:12, etc .; Deus, em 1Co 12:28. (Compare Ef 4:4-6). [JFB]

5 E há variedade de trabalhos na Igreja, mas o Senhor é o mesmo.

“Dons” (1Co 12:4), “trabalhos” (as várias funções e serviços executados por aqueles que têm os dons, compare 1Co 12:28) e “operações” (os efeitos reais resultantes tanto do primeiro, através de o poder universalmente operativo do único Pai que está “acima de tudo, através de todos e em todos nós”, forma um clímax ascendente (Henderson).

Senhor é o mesmo a quem o Espírito glorifica por essas ministrações (Bengel). [JFB]

6 E há variedade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos.

operações – (Compare 1Co 12:10).

o mesmo Deusopera – pelo Seu Espírito trabalhando (1Co 12:11).

tudo em todos todos eles (os “dons”) em todas as pessoas (que os possuem). [JFB]

7 Mas a cada um é dada a manifestação do Espírito, para o que for conveniente.

Mas…Embora todos os dons fluam do único Deus, Senhor e Espírito, a “manifestação” pela qual o Espírito age (como Ele está oculto em Si mesmo) varia em cada indivíduo.

a cada um…para cada um dos membros da Igreja separadamente.

para o que for convenientecom vista ao ganho de todo o corpo.

8 Porque a um é dada, pelo Espírito, palavra de sabedoria; e a outro palavra de conhecimento, pelo mesmo Espírito.

palavra de sabedoria…a pronta expressão de (para transmitir a outros, Ef 6:19) sabedoria, ou seja, novas revelações da sabedoria divina na redenção, em contraste com a filosofia humana (1Co 1:24; 1Co 2:6, 1Co 2:7; Ef 1:8; Ef 3:10; Cl 2:3).

palavra de conhecimento…expressão pronta sobrenaturalmente comunicada de verdades JÁ REVELADA (nisso se distingue da “palavra de sabedoria”, que se relacionava com NOVAS revelações). Compare 1Co 14:6, onde “revelação” (respondendo a “sabedoria” aqui) é distinta de “conhecimento” (Henderson). Sabedoria ou revelação pertencia aos “profetas”; conhecimento, para os “mestres”. A sabedoria penetra mais profundamente do que o conhecimento) e o conhecimento diz respeito a coisas que devem ser feitas (1Co 13:8), (Bengel).

9 e a outro fé pelo mesmo Espírito; e a outro dons de curas, pelo mesmo Espírito.

…não da doutrinas, mas de milagres: confiança em Deus, pelo impulso de Seu Espírito, que Ele os capacitaria a realizar qualquer milagre requerido (compare 1Co 13:2; Mc 11:23; Tg 5:15). Sua natureza, ou princípio, é a mesma que a da fé salvadora, ou seja, a confiança em Deus; a causa produtora, também, no mesmo, “ou seja, um poder totalmente sobrenatural (Ef 1:19, Ef 1:20). Mas os objetos da fé diferem respectivamente. Assim, vemos que a fé salvadora não salva pelo seu mérito intrínseco, mas pelos méritos daquele que é o objeto dela.

curas…referindo-se a diferentes tipos de doenças que precisam de diferentes tipos de cura (Mt 10:1).

10 E a outro operações de milagres; e a outro profecia; e a outro o dom de discernir aos espíritos; e a outro variedade de línguas; e a outro interpretação de línguas.

profecia – Neste caso, provavelmente, não no sentido mais amplo de ensino público pelo Espírito (1Co 11:4-5; 1Co 14:1-5,22-39); mas, como implica a sua posição entre “milagres” e um “discernimento de espíritos”, a revelação inspirada do futuro (At 11:27-2821:11; 1Tm 1:18), (Henderson). Depende da “fé” (1Co 12:9; Rm 12:6). Os profetas estavam ao lado dos apóstolos (1Co 12:28; Ef 3:5; Ef 4:11). Como a profecia faz parte de todo o projeto da redenção, uma visão inspirada das partes obscuras das Escrituras existentes foi a preparação necessária para a previsão miraculosa do futuro.

discernir aos espíritos – discernir entre a operação do Espírito de Deus, e o espírito maligno, ou espírito humano (1Co 14:29; compare com 1Tm 4:1; 1Jo 4:1).

variedade de línguas – o poder de falar várias línguas, provavelmente humanas (At 2:8-111Co 14:2). [JFU]

outro interpretação de línguas – alguém que tinha este dom, quando um discurso era entregue em uma língua desconhecida, costumava ficar de pé e interpretá-la para as pessoas, sem sem o qual não poderia ser útil para elas; e às vezes uma pessoa era dotada para falar em uma língua desconhecida, e ainda assim não era capaz de interpretar sua fala de modo que as pessoas entendessem: veja 1Co 14:13. As regras a serem observadas em tais casos, e por tais pessoas, ver em 1Co 14:27. [Gill]

11 Mas todas estas coisas quem opera é um e o mesmo Espírito, repartindo particularmente a cada um como quer.

como ele quer (1Co 12:18; Hb 2:4).

12 Porque assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros deste único corpo, sendo muitos, compõem um só corpo; assim também é Cristo.

Unidade, não uniformidade invariável, é a lei de Deus no mundo da graça, como a da natureza. Como os muitos membros do corpo compõem um todo orgânico e nenhum pode ser dispensado como desnecessário, então aqueles diferentemente dotados pelo Espírito, compõem um todo orgânico espiritual, o corpo de Cristo, no qual todos são batizados pelo único Espírito.

assim também é Cristo…isto é, o Cristo inteiro, a cabeça e o corpo. Assim, Sl 18:50, “Seu ungido (Messias ou Cristo), Davi (o antitípico Davi) e Sua semente”.

13 Porque também todos nós somos batizados em um só Espírito, para um só corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres; e para todos nós foi dado de beber um só Espírito.

batizados em um só EspíritoO efeito projetado do batismo, que é realizado quando não frustrado pela infidelidade do homem.

e para todos nós foi dado de beber um só EspíritoHá uma alusão indireta à Ceia do Senhor, pois há uma alusão direta ao batismo no início do verso. Então, o “Espírito, a água e o sangue” (1Jo 5:8), similarmente combinam os dois sinais exteriores com as coisas internas significadas, a graça do Espírito.

14 Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos.

A analogia do corpo, consistindo exclusivamente de um, mas de muitos membros, ilustra a dependência mútua dos vários membros no único corpo, a Igreja.

15 Se o pé disser: Por eu não ser mão, não sou do corpo;Por isso, ele não é do corpo?

Os membros mais humildes não devem se depreciar ou serem menosprezados por outros mais nobres (1Co 12:21, 22).

16 E se a orelha disser: Por eu não ser olho, não sou do corpo;Por isso, ela não é do corpo?
17 Se todo o corpo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se fosse todo ouvido, onde estaria o olfato?

O olho é superior, mas não o seria caso fosse o único membro do corpo.

18 Mas agora Deus pôs os membros no corpo, a cada qual deles como ele quis.

cada qual…cada um separadamente.

19 Porque se todos fossem um só membro, onde estaria o corpo?

onde estaria o corpoque, por sua própria ideia, “tem muitos membros” (1Co 12:12, 14), (Alford).

20 Mas há agora muitos membros, porém um só corpo.

agora…como o caso realmente é: em contraste com a suposição (1Co 12:19; compare com 1Co 12:18).

muitos membros…mutuamente dependentes.

21 E o olho não pode dizer à mão: Não tenho necessidade de ti; Nem a cabeça aos pés: Não tenho necessidade de vós;

O superior não pode dispensar os membros inferiores.

22 Antes até os membros do corpo que nos parecem ser os mais fracos, são muito mais necessários.

mais fracos…mais suscetível a lesões: por exemplo, o cérebro, a barriga, o olho. Sua fraqueza, tão longe de acabar com a necessidade deles, exige nosso maior cuidado pela sua preservação, como sendo sentida “necessária”.

23 E os que pensamos serem os menos honrados do corpo, a esses muito mais honramos; e os nossos mais desprezíveis têm muito mais respeito.

menos honrados – “Achamos que” os pés e a barriga “são menos honrosos”, embora não seja realmente assim.

os nossos mais desprezíveis – as partes escondidas. Os mais inferiores, apesar de não serem vestidos no resto do corpo, o cobrem. [JFB]

24 Porém os nosso mais respeitáveis não têm tanta necessidade; mas assim Deus juntou o corpo, dando muito mais honra ao que tinha falta dela.

juntou…sobre o princípio da compensação mútua.

ao que tinha falta delaà parte deficiente (Alford) (1Co 12:23).

25 Para que não haja divisão no corpo, mas que os membros tenham igual cuidado uns com os outros.

divisão no corpo…(compare 1Co 12:21) – sem desunião; referindo-se às “divisões” notadas (1Co 11:18).

cuidado uns com os outrosisto é, em favor do outro.

26 E seja que, caso um membro sofra, também os membros sofrem juntos; e caso um membro seja honrado, todos os membros se alegram juntos.

E…consequentemente.

também os membros sofrem juntos“Quando um espinho entra no calcanhar, todo o corpo sente e se preocupa: a parte de trás se dobra, a barriga e as coxas se contraem, as mãos se aproximam e tiram o espinho, a cabeça se inclina e os olhos vêem o membro afetado com um olhar intenso ”(Crisóstomo).

todos os membros se alegram juntos“Quando a cabeça é coroada, todo o homem se sente honrado, a boca expressa, e os olhos parecem, alegria” (Crisóstomo).

27 E vós sois o corpo de Cristo, e membros em particular.

membros em particular…Cada igreja é em miniatura o que todo o agregado das igrejas é coletivamente, “o corpo de Cristo” (compare 1Co 3:16): e seus componentes individuais são membros, cada um em seu lugar designado.

28 E Deus pôs a uns na Igreja: em primeiro lugar apóstolos, em segundo profetas, em terceiro mestres; depois milagres, dons de curas, socorros, lideranças, variedades de línguas.

na igreja…como Ele “colocou os membros… no corpo” (1Co 12:18).

primeiro lugar apóstolosacima mesmo dos profetas. Não apenas os Doze, mas outros são assim chamados, por exemplo, Barnabé, etc. (Rm 16:7 7).

mestres…que ensinaram, na maioria das vezes, verdades já reveladas; enquanto os profetas fizeram novas revelações e proferiram todas as suas profecias sob a influência do Espírito. Como os mestres tinham a “palavra do conhecimento”, assim os profetas “a palavra da sabedoria” (1Co 12:8). Evangelistas e pastores pertencem ao grupo de mestres.

milagres…literalmente, “poderes” (1Co 12:10): classificados abaixo de “mestres”, já que a função de ensinar é mais edificante, embora menos deslumbrante do que operar milagres.

socorros, liderançasdepartamentos inferiores e superiores de “ministrações” (1Co 12:5); como exemplos dos primeiros, diáconos cujo ofício era ajudar no alívio dos pobres, e em batizar e pregar, subordinados a ministros superiores (At 6:1-10; At 8:5-17); também, outros que ajudaram com seu tempo e meios, na causa do Senhor (compare 1Co 13:13; Nm 11:17).

variedade de línguas…(1Co 12:10). “Diversos tipos de línguas.”

29 Por acaso são todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? São todos com dons de milagres?

São todos…Certamente não.

30 Tem todos dons de curas? Falam todos várias línguas? Interpretam todos?
31 Porém desejai com zelo pelos melhores dons; e eu vos mostro um caminho ainda mais excelente.

desejai com zeloNão no espírito de descontente “cobiça”. O Espírito “divide a cada homem separadamente como ele quer” (1Co 12:1); mas isso não impede que os homens busquem fervorosamente, pela oração e vigilância, meditação, os maiores dons.

ainda maisAlém de recomendar o seu desejo zeloso para os maiores dons, eu estou prestes a mostrar-lhe uma coisa ainda mais excelente de se desejar, “o caminho de amor ”(compare 1Co 14:1). Esse amor, ou “caridade”, inclui tanto “fé” quanto “esperança” (1Co 13: 7) e produz os mesmos frutos (1Co 13:1-1) como os frutos ordinários e permanentes do Espírito (Gl 5:22-24). Assim, longanimidade, compare 1Co 12:4; “Fé”, 1Co 12:7; “Alegria”, 1Co 12:6; “Mansidão”, 1Co 12:5; “Bondade”, 1Co 12:5; “Gentileza”, 1Co 12:4 (o grego é o mesmo para “é gentil”). É a obra do Espírito Santo, e consiste no amor a Deus, por causa do amor de Deus em Cristo para nós e, como consequência, amor ao homem, especialmente aos irmãos em Cristo (Rm 5:5; Rm 15:30). Isso é mais desejável do que dons (Lc 10:20).

<1 Coríntios 11 1 Coríntios 13>

Leia também uma introdução à Primeira Epístola aos Coríntios.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.