Livro

Primeira Epístola aos Coríntios

1 Coríntios (ou Primeira Epístola aos Coríntios) foi escrita por Paulo da cidade Éfeso (1Cr 16:8) próximo ao tempo da Páscoa judaica no terceiro ano da permanência do apóstolo lá (At 19:10; At 20:31), quando ele já tinha decidido visitar a Macedônia e depois voltar para Corinto (provavelmente em 57 dC).

As notícias de Corinto que chegaram até ele, no entanto, frustraram seu plano. Ele tinha ouvido falar dos abusos e contendas que surgiram entre eles, primeiro de Apolo (At 19:1), depois de uma carta que lhe escreveram sobre o assunto, também de alguns da “família de Cloé” e de Estéfanas e seus dois amigos que o visitaram (1Co 1:11; 16:17). Paulo então escreveu esta carta, com o propósito de repreender o espírito faccioso e corrigir os conceitos errados que surgiram entre eles, e reparar os abusos e práticas desordenadas que prevaleciam. Tito e um irmão cujo nome não foi dado provavelmente eram os portadores da carta (2Co 2:13; 8:6, 16-18).

A epístola pode ser dividida em quatro partes:

1 Coríntios 1-4: O apóstolo lida com o assunto das lamentáveis ​​divisões e disputas partidárias que surgiram entre elas.

1 Coríntios 5-6: Em seguida, ele trata de certos casos de imoralidade que se tornaram conhecidos entre eles. Eles aparentemente foram indiferentes aos princípios da moralidade.

1 Coríntios 7-14: Na terceira parte, Paulo discute várias questões doutrinárias e da ética cristã em resposta a certas perguntas que haviam feito a ele. Ele especialmente corrige certos abusos notórios em relação à celebração da ceia do Senhor.

1 Coríntios 15-16:  A parte conclusiva (15; 16) contém uma elaborada defesa da doutrina da ressurreição dos mortos, que havia sido questionada por alguns deles, seguida por algumas instruções gerais, insinuações e saudações.

Esta epístola “mostra o poderoso autocontrole do apóstolo, apesar de sua fraqueza física, suas angustiantes circunstâncias, seus incessantes problemas e sua natureza emocional. Foi escrita, conforme nos diz, em amarga angústia, ‘em muita aflição e angústia de coração…com muitas lágrimas’ (2Co 2:4), ainda assim ele restringiu a expressão de seus sentimentos, e escreveu com uma dignidade e santa calma que ele achava mais apropriada para reconquistar seus filhos errantes. Dá uma imagem vívida da igreja primitiva…Ela dissipa inteiramente o sonho de que a igreja apostólica estava em uma excepcional condição de santidade ou pureza doutrinária”. Nesta epístola, o apóstolo Paulo se abre e aplica grandes princípios apropriados para guiar a igreja de todas as eras a lidar com os mesmos problemas e males relacionados possam aparecer.

Esta é uma das epístolas cuja autenticidade nunca foi questionada pelos críticos de qualquer escola, tamanha a quantidade e objetividade das evidências de sua origem paulina.

Adaptado de: Illustrated Bible Dictionary (Corinthians, First Epistle to the) e Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible.