Bíblia, Revisar

1 Crônicas 16

1 Trouxeram, pois, a arca de Deus, e a puseram no meio da tenda que Davi havia lhe armado; e apresentaram holocaustos e sacrifícios de gratidão diante de Deus.
2 E Davi, quando terminou de apresentar os holocaustos e os sacrifícios de gratidão, abençoou ao povo em nome do SENHOR.

abençoou ao povo em nome do SENHOR – O rei elogiou seu zelo, suplicou a bênção divina sobre eles e ordenou que os restos das ofertas de gratidão que haviam sido profusamente sacrificadas durante a procissão fossem distribuídos em certas proporções a cada indivíduo. , que o cerimonial pode terminar com festividades apropriadas (Dt 12:7).

3 E repartiu a todos em Israel, tanto homens como mulheres, a cada um um bolo de pão, uma boa porção de carne, e um bolo de passas.
4 E pôs diante do arca do SENHOR a alguns dos levitas como servidores, para que celebrassem, agradecessem, e louvassem ao SENHOR Deus de Israel:

Assim que a arca foi depositada em sua tenda, os levitas, que oficiavam nos coros antes dela, entraram em seus deveres. Um seleto número de músicos foi escolhido para o serviço da lista (1Cr 15:19-21) daqueles que tiveram um papel proeminente na recente procissão. O mesmo arranjo era para ser observado em seus deveres, agora que a arca novamente estava parada; Asafe, com seus associados, compondo a primeira ou principal empresa, tocava com címbalos; Zacarias e seus colegas, com os quais Jeiel e Obed-edom se juntaram, formando a segunda companhia, usaram harpas e instrumentos semelhantes.

5 Asafe era o cabeça, e Zacarias era o segundo depois; Jeiel, Semiramote, Jeiel, Matitias, Eliabe, Benaia, Obede-Edom, e Jeiel, estavam com seus instrumentos de saltérios e harpas, mas Asafe fazia som com címbalos;

Jeiel – o mesmo que Aziel (1Cr 15:20).

6 Porém os sacerdotes Benaia e Jaaziel estavam continuamente com trombetas diante do arca do pacto de Deus.

Benaia e Jaaziel – O nome do primeiro é mencionado entre os sacerdotes (1Cr 15:24), mas não o último. O ofício designado a eles era o de tocar trombetas em intervalos regulares diante da arca e no tabernáculo.

Seu salmo de ação de graças

7 Então naquele mesmo dia Davi pela primeira vez mandou celebrarem ao SENHOR por meio de Asafe e de seus irmãos:

Então naquele mesmo dia Davi pela primeira vez mandou celebrarem – Entre os outros preparativos para esta solene inauguração, o bardo real compôs um hino especial para a ocasião. Sem dúvida, já estivera nas mãos de Asafe e de seus assistentes, mas agora estava publicamente comprometido com eles quando entraram pela primeira vez no desempenho de seus deveres sagrados. Ele ocupa a maior parte deste capítulo (1Cr 16:8-36), e parece ter sido compilado de outros salmos de Davi, anteriormente conhecidos pelos israelitas, pois a totalidade dele será encontrada, com variações muito pequenas, no Salmo 96: 1-13; Salmo 105: 1-15; Salmo 106: 47, Salmo 106: 48. Na forma, no entanto, em que é dado pelo historiador sagrado, parece ter sido o primeiro salmo dado para uso no serviço do tabernáculo. Abundando, como o faz, com as mais animadas atribuições de louvor a Deus pela revelação de Seu caráter glorioso e a exibição de Suas maravilhosas obras e contendo, como faz, tantas alusões à origem, privilégios e destino peculiar do povo escolhido, foi admiravelmente calculado para animar as devoções e chamar a gratidão da multidão reunida.

8 Louvai ao SENHOR, invocai o seu nome, notificai entre os povos os seus feitos.
9 Cantai a ele, cantai-lhe salmos; falai de todas as suas maravilhas.
10 Gloriai-vos em seu santo nome; alegre-se o coração dos que buscam ao SENHOR.
11 Procurai ao SENHOR e à sua força; buscai a sua face continuamente.
12 Lembrai-vos de suas maravilhas que ele fez, de seus prodígios, e dos juízos de sua boca,
13 Vós, descendentes de seu servo Israel, vós filhos de Jacó, seus escolhidos.
14 Ele é o SENHOR, o nosso Deus; seus juízos estão em toda a terra.
15 Lembrai-vos perpetuamente de seu pacto, e da palavra que ele mandou até mil gerações;
16 Do pacto que estabeleceu com Abraão, e do seu juramento a Isaque;
17 O qual confirmou a Jacó por estatuto, a Israel por pacto eterno,
18 Dizendo: A ti darei a terra de Canaã, a porção de vossa herança;
19 Quando vós éreis poucos em número, poucos, e estrangeiros nela;
20 Que andavam de nação em nação, de um reino a outro povo.
21 A ninguém ele permitiu que os oprimisse; por causa deles repreendeu a reis,
22 Dizendo : Não toqueis em meus ungidos, nem façais mal a meus profetas.
23 Cantai ao SENHOR, toda a terra, anunciai de dia em dia sua salvação.
24 Cantai entre as nações sua glória, e entre todos os povos suas maravilhas.
25 Porque o SENHOR é grande, e muito digno de ser louvado; ele é mais temível que todos os deuses.
26 Pois todos os deuses dos povos nada são; porém o SENHOR fez os céus.
27 Majestade e esplendor há diante de ele; força e alegria em sua morada.
28 Reconhecei ao SENHOR, ó famílias das nações, reconhecei ao SENHOR a glória e o poder.
29 Dai ao SENHOR a glória de seu nome; trazei ofertas, e vinde diante dele; adorai ao SENHOR na glória de sua santidade.
30 Assombrai-vos diante dele, vós, toda a terra; o mundo por ele foi estabelecido, para que não se movesse.
31 Alegrem-se os céus, e goze-se a terra, e digam nas nações: Reina o SENHOR.
32 Ressoe o mar, e a plenitude dela: Alegre-se o campo, e todo o que contém.
33 Então cantarão as árvores dos bosques diante do SENHOR, Porque vem a julgar a terra.
34 Celebrai a o SENHOR, porque é bom; Porque sua misericórdia é eterna.
35 E dizei: Salva-nos, ó Deus, saúde nossa: Junta-nos, e livra-nos das nações, Para que confessemos tua santo nome, e nos gloriemos em teus louvores.
36 Bendito seja o SENHOR Deus de Israel, De eternidade a eternidade.

todo o povo disse: Amém – (compare com o Salmo 72:19, Salmo 72:20; Salmo 106: 48). No primeiro, o autor da doxologia profere o “amém”, enquanto no segundo as pessoas são exortadas a dizer “amém”. Isto pode surgir do fato de que o último salmo originalmente concluiu com a injunção dizer “amém. Mas neste relato histórico do festival, era necessário relatar que as pessoas obedeceram a essa injunção na ocasião mencionada e, portanto, as palavras “deixá-los louvar” foram alteradas para “e elas louvaram” [Bertheau].

37 E deixou ali, diante do arca do pacto do SENHOR, a Asafe e a seus irmãos, para que ministrassem de contínuo diante da arca, cada coisa em seu dia:

A continuação do capítulo descreve a designação dos músicos sagrados e seus respectivos deveres.

38 E a Obede-Edom e a seus irmãos, sessenta e oito; e a Obede-Edom filho de Jedutum, e a Hosa, por porteiros:

Obede-Edom e a seus irmãos – Hosa, mencionado no final do verso, e um grande número além disso (ver em 1Cr 26: 1).

39 Assim a Zadoque o sacerdote, e a seus irmãos os sacerdotes, diante do tabernáculo do SENHOR no alto que estava em Gibeão,

Enquanto os oficiais mencionados acima, sob a superintendência de Abiatar, foram designados para oficiar em Jerusalém, para onde a arca havia sido trazida, Zadoque e os sacerdotes subordinados a ele estavam estacionados em Gibeão para executar o serviço sagrado perante o antigo tabernáculo que ainda permanecia ali.

40 Para que sacrificassem continuamente, a manhã e tarde, holocaustos a o SENHOR no altar do holocausto, conforme a todo o que está escrito na lei do SENHOR, que ele prescreveu a Israel;

sacrificassem continuamente, a manhã e tarde – como a lei ordenou (Êx 29:38; Nm 28: 3, Nm 28: 6).

conforme a todo o que está escrito na lei do SENHOR – (Veja Nm 28: 1-31). Assim, no tempo de Davi, a adoração foi realizada em dois lugares, onde as coisas sagradas que haviam sido transmitidas a partir da era de Moisés foram preservadas. Antes da arca em Jerusalém, Asafe e seus irmãos oficiavam como cantores; Obede-Edom e Hosa serviram de vigia, e Benaia e Jaaziel tocaram as trombetas. Enquanto no tabernáculo e holocausto em Gibeão, Heman e Jedutum presidiam a música sacra, os filhos de Jedutum eram guardadores da porta, e Zadoque, com seu conjunto de sacerdotes assistentes, oferecia os sacrifícios.

41 E com eles a Hemã e a Jedutum, e os outros escolhidos declarados por seus nomes, para glorificar a o SENHOR, porque é eterna sua misericórdia;
42 Com eles a Hemã e a Jedutum com trombetas e címbalos para tanger, e com outros instrumentos de música de Deus; e a os filhos de Jedutum, por porteiros.
43 E todo o povo se foi cada um a sua casa; e Davi se voltou para abençoar sua casa.
<1 Crônicas 15 1 Crônicas 17>

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.