Bíblia, Revisar

Isaías 45

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!
1 Assim diz o SENHOR a seu ungido, Ciro, ao qual tomou pela sua mão direita, para abater as nações diante dele, e tirar a proteção dos lombos dos reis; para abrir diante de sua presença as portas, e as portas não se fecharão:

Is 45: 1-25. O assunto da libertação da Cyrus é seguido.

Is 45: 1-7. Estes sete versos deveriam ter sido acrescentados ao capítulo anterior, e o novo capítulo deveria começar com Is 45: 8, “Drop down”, etc. [Horsley]. A referência ao livramento pelo Messias muitas vezes irrompe de entre os detalhes locais e temporários da libertação da Babilônia, como o grande grande fim da profecia.

seu ungido – Ciro é assim chamado como sendo separado como rei, pela providência de Deus, para cumprir Seu propósito especial. Embora os reis não fossem ungidos na Pérsia, a expressão é aplicada a ele em referência ao costume judaico de separar reis para o ofício real pela unção.

mão direita… holden – imagem de sustentar uma pessoa fraca segurando sua mão direita (Is 42:6).

abater as nações – a saber, os cilianos, sírios, babilônios, lídios, bactrianos, etc .; seu império se estendia do Egito e do Mediterrâneo para o Oceano Índico, e da Etiópia para o Mar Euxino.

tirar a proteção dos lombos – isto é, a cinta dos lombos; e assim enfraquecem eles. O manto externo solto dos orientais, quando cingido em volta dos lombos, era o emblema da força e da preparação para a ação; ungirt, era indicativo de fraqueza (Jó 38:3; 12:21); “Enfraquece a força do poderoso” (Margem), “afrouxa o cinto dos fortes”. As articulações dos lombos de Belsazar, lemos em Dn 5:6, foram soltos durante o cerco por Ciro, à vista da misteriosa caligrafia nas paredes do palácio. Seu ser tomado de surpresa, sem contato, é aqui predito.

para abriras portas – Na folia na Babilônia, na noite de sua captura, os portões internos, que levavam das ruas para o rio, foram deixados abertos; porque havia muros ao longo de cada lado do Eufrates com portões que, se tivessem sido mantidos fechados, teriam cercado os hospedeiros invasores no leito do rio, onde os babilônios poderiam facilmente destruí-los. Além disso, os portões do palácio foram deixados abertos, de modo que havia acesso a todas as partes da cidade; e tal era a sua extensão, que aqueles que viviam nas extremidades foram feitos prisioneiros antes que o alarme atingisse o centro do palácio. [Heródoto, 1.191].

2 Eu irei adiante de ti, e nivelarei os caminhos acidentados; quebrarei as portas de bronze, e despedaçarei os ferrolhos de ferro;

direito – (Is 40:4), em vez disso, “faz montanhas planas” [Lowth], isto é, limpar do teu caminho todas as pessoas e coisas opostas. A Keri lê como em Is 45:13, “endireitar” (Margem).

portas de bronze – (Sl 107:16). Heródoto (1.179) diz que Babilônia tinha cem portões maciços, vinte e cinco em cada um dos quatro lados da cidade, todos, assim como seus postos, de latão.

barras de ferro – com as quais as portas foram fechadas.

3 E te darei os tesouros das escuridões, e as riquezas escondidas; para que possas saber que eu sou o SENHOR, que te chama pelo teu nome, o Deus de Israel.

tesouros das escuridões – isto é, escondidos em lugares subterrâneos; uma prática oriental comum. Feiticeiros fingiam ser capazes de mostrar onde tais tesouros seriam encontrados; em oposição às suas pretensões, Deus diz, Ele realmente dará tesouros escondidos a Ciro (Jr 50:37; 51:13). Plínio (História Natural, 33: 3) diz que Ciro obteve da conquista da Ásia trinta e quatro mil libras de peso de ouro, além de vasos de ouro, e quinhentos mil talentos de prata, e a taça de Semíramis, pesando quinze talentos.

para que possas saber – a saber, não apenas que Ele era “o Deus de Israel”, mas que Ele era Jeová, o verdadeiro Deus. Ed 1:1-2 mostra que a correspondência do evento com a predição teve o efeito desejado em Ciro.

que chamam … teu nome – tanto tempo antes de designar-te pelo nome (Is 43:1).

4 Em favor de meu servo Jacó e de meu escolhido Israel, eu te chamei pelo teu nome; eu te pus teu título, ainda que tu não me conhecesses.

(Veja em Is 41:8; 43:14).

de sobrenome – isto é, designada para levar a cabo Meu desígnio de restaurar a Judá (ver em Is 44:5; ver em Is 44:28; ver em Is 45:1). Maurer aqui, como em Is 44:5, traduz: “Eu me dirigi a ti por um nome honrado”.

que tu não me conhecesses – antes de te chamar para este ofício; depois do chamado de Deus, Ciro o conheceu em algum grau (Ed 1:1-3).

5 Eu sou o SENHOR, e ninguém mais; fora de mim não há Deus; eu te revestirei, ainda que tu não me conheças;

(Is 42: 8; Is 43: 3, Is 43:11; Is 44: 8; Is 46: 9).

te revestirei – enquanto “eu vou perder (o cinturão) os lombos dos reis” (Is 45:1), fortalecendo-te, mas enfraquecendo-os diante de ti.

ainda que tu não me conheças – (Is 45:4). Deus conhece os seus eleitos antes que eles sejam feitos para conhecê-lo (Gl 4:9; Jo 15:16).

6 Para que saibam desde o oriente e desde o ocidente que fora de mim não há outro. Eu sou o SENHOR, e ninguém mais.

Do nascer ao pôr-do-sol, isto é, de leste a oeste, todo o mundo habitável. Não se diz “de norte a sul”, pois isso não implicaria o mundo habitável, como “de leste a oeste” faz (Ed 1:1, etc.). A conquista de Jerusalém pela Babilônia, a capital do mundo, e a derrubada da Babilônia e a restauração dos judeus por Ciro, que expressamente se reconhecia como sendo o instrumento nas mãos de Deus, eram admiravelmente adequados para assegurar, em todo o mundo. , o reconhecimento de Jeová como o único Deus verdadeiro.

7 Eu formo a luz e crio as trevas; eu faço a paz, e crio a adversidade; eu, o SENHOR, faço todas estas coisas.

crio – “yatzar}, para dar “forma” a um assunto previamente existente. “Bara}, para “criar” do nada o material escuro e caótico.

luztrevas – literalmente (Gn 1:1-3), emblemas também, prosperidade para Ciro, calamidade para Babilônia e as nações a serem vencidas (Grotius) … Isaías se refere também à crença oriental em dois princípios eternos e coexistentes, sempre lutando um com o outro, luz ou bom, e escuridão ou mal, Oromasden e Ahrimanen. Deus, aqui, na oposição, afirma Sua soberania sobre ambos (Vitringa).

crio a adversidade – não mal moral (Tg 1:13), mas em contraste com & ld; quo; paz “na sentença paralela, guerra, desastre (compare 65: 7; Am 3:6).

8 Gotejai vós, céus, de cima, e as nuvens destilem justiça; abra-se a terra, e produza-se salvação, e a justiça juntamente frutifique; eu, o SENHOR, as criei.

Drop – ou seja, a chuva fertilizante (Sl 65:12).

céus – nuvens; menor que os “céus”.

justiça – isto é, o orvalho do Espírito Santo, pelo qual a “justiça” deve “brotar”. (Veja o final do versículo).

terra – figurativamente para o coração dos homens, aberta para receber a verdade pelo Espírito Santo (At 16:14).

eles – a terra e os céus. Horsley prefere: “Deixe a terra abrir e deixe a salvação e a justiça crescerem; deixe-os trazê-los adiante; Eu, o Senhor, o criei ”(Is 45:13). Maurer traduz: “Que todos os tipos de salvação (prosperidade) sejam frutíferos” (Sl 72:3,6-7). O renascimento da religião após o retorno da Babilônia sugere ao profeta a difusão do Evangelho de Messias, especialmente nos dias ainda futuros; daí a elevação da língua a um tom acima do que é aplicável ao estado de religião após o retorno.

9 Ai daquele que briga com seu formador: apenas um caco entre outros cacos de barro! Por acaso o barro dirá ao seu formador: Que fazes? Ou tua obra: Não tem mãos?

Antecipando as objeções que os judeus poderiam levantar sobre por que Deus permitiu seu cativeiro, e quando Ele os restaurou, por que Ele fez isso por um príncipe estrangeiro, Ciro, não um judeu (Is 40:27, etc.), mas principalmente e em última instância, as objeções a serem levantadas pelos judeus contra o ato soberano de Deus em adotar todo o mundo gentio como Seu Israel espiritual (Is 45:8, referindo-se a essa difusão católica do Evangelho), como se fosse uma violação de os privilégios de sua nação; assim Paulo expressamente cita (Rm 9:4-8,11-21).

Deixe… esforçar-se – não no hebraico; em vez disso, em aposição com “ele”, “Um caco entre os cacos da terra!” Uma criatura frágil e sem valor como o fragmento de um vaso de barro, entre outros igualmente, e ainda pretendendo lutar com seu Criador! Versão Inglesa implica, é apropriado que o homem se esforce com o homem, em oposição a 2Tm 2:24 (Gesenius).

thy… Ele – teu trabalho dirá de ti, Ele…?

10 Ai daquele que diz ao pai: O que é que tu geras? E à mulher: O que é que tu fazes nascer?

Se é errado para uma criança, nascida em circunstâncias menos favoráveis, censurar seus pais por tê-lo dado à luz, a fortiori, é para censurar a Deus por Seu trato conosco. Em vez disso, traduza, “um pai… uma mulher”. Os judeus se consideravam exclusivamente filhos de Deus e estavam zangados porque Deus deveria adotar os gentios. Ai daquele que diz a um pai já: Por que criaes outros filhos? [Horsley]

11 Assim diz o SENHOR, o Santo de Israel, e seu formador: Perguntai-me sobre as coisas futuras; por acaso me dais ordens sobre os meus filhos, e sobre as obras de minhas mãos?

ordens – Em vez de lutar comigo em relação aos meus propósitos, a sua sabedoria está em oração para pedir, e até mesmo comandar-me, na medida em que é para a minha glória e para o seu bem real (Mc 11:24; Jo 16:23, Jo 16:13, última parte do verso, 1Jo 3:22).

filhos – (Is 54:13; Gl 3:26).

obras de minhas mãos – espiritualmente (Ef 2:10); também literal Israel (Is 60:21). Maurer traduz, em vez de “comando”, Deixa-Me, nas minhas relações concernentes a meus filhos e concernente ao trabalho de minhas mãos, fazer o que eu quero com os meus. Lowth lê interrogativamente: Você presume questionar-me e ditar-me (ver Is 45:9-10)? O mesmo sentido é dado, se as palavras forem tomadas em ironia. Mas a versão inglesa é a melhor.

12 Eu fiz a terra, e criei nela o homem; fui eu, minhas próprias mãos estenderam os céus, e dei ordens sobre todo o seu exército.

O mesmo argumento para a oração, extraído da onipotência e consequente poder de Deus, para conceder qualquer pedido, ocorre em Is 40:26-31.

eu, minhas próprias mãos – assim hebraico (Sl 41:2), “Tu … tua mão” (ambos nominativos, em aposição).

13 Eu o despertei em justiça, e todos os seus caminhos endireitarei; ele edificará minha cidade, e soltará meus cativos; não por preço, nem por subornos,diz o SENHOR dos exércitos.

ele – Ciro, tipo de Messias, que redime os cativos de Satanás “sem dinheiro e sem preço” (Is 55:1), “livremente” (gratuitamente) (Is 52:3; 61:1; Zc 9:11; Rm 3:24).

em justiça – para cumprir o meu propósito justo (ver em Is 41:2; ver em Is 42:6; ver em Jr 23:6).

14 Assim diz o SENHOR: O trabalho do Egito, e o comércio dos cuxitas e dos sabeus, homens de alta estatura, passarão a ti, e serão teus; eles irão após ti, passarão acorrentados; e a ti se prostrarão, a ti suplicarão, dizendo : Certamente Deus está contigo, e nenhum outro Deus há.

A linguagem alude, mas superficialmente, ao Egito, Etiópia e Seba, sendo dada a Ciro como resgate em lugar de Israel, a quem ele restaurou (Is 43:3), mas principalmente e descreve completamente a reunião dos gentios com Israel (At 2:10-11; 8:27-28), especialmente na futura restauração de Israel (Is 2:2; 14:1-2; 19:18-22; 60:3-14; 49:23; Sl 68:31; 72:10-11).

trabalho – riqueza adquirida pelo trabalho (Jr 3:24).

Sabeans… de estatura – os homens de Meroe, no Alto Egito. Heródoto (3.30) chama os etíopes de “o mais alto dos homens” (ver em Is 18:2; ver em 1Cr 11:23).

ti – Jerusalém (“minha cidade”, Is 45:13).

em cadeias – (Sl 149:8). “Os santos julgarão o mundo” (1Co 6:2) e “governarão as nações com uma barra de ferro” (Zc 14:12-19; ​​Ap 2:26-27). As “cadeias”, no caso dos obedientes, serão o jugo do Messias; como “a espada do Espírito” também está salvando para o crente, condenando ao incrédulo (Jo 12:48; Hb 4:12; Ap 19:15).

Deus está em ti – (Jr 3:19).

15 Verdadeiramente tu és o Deus que se encobre; o Deus de Israel, o Salvador.

Deus que mais se escondeu – Horsley, depois de Jerônimo, explica isso como a confissão do Egito, etc., que Deus está oculto em forma humana na pessoa de Jesus. Antes, ligado a Is 45:9-10, o profeta, contemplando a maravilhosa questão dos aparentemente obscuros conselhos de Deus, implica uma censura àqueles que pretendem questionar as relações de Deus (Is 55:8-9; Dt 29:29). A fé ainda discerne, mesmo sob o véu, a guarda da aliança “Deus de Israel, o Salvador” (Is 8:17).

16 Serão envergonhados, e também humilhados, todos eles; juntamente irão embora com vergonha os que fabricam imagens.

Serão envergonhados. Desapontados em sua expectativa de serem ajudados por seus ídolos (ver em Is 42:17; Sl 97:7).

17 Mas Israel é salvo pelo SENHOR, com salvação eterna; não sereis envergonhados nem humilhados para todo o sempre.

pelo SENHOR – (Is 45:24-25), contrastou com os ídolos que não podem dar ajuda temporária (Is 45:16); no Senhor há salvação eterna (Is 26:4).

nãoenvergonhados – oposta à condenação dos idólatras que, na hora da necessidade, será “envergonhada” (ver em Is 45:16).

18 Porque assim diz o SENHOR, que criou os céus, o Deus que formou a terra, e a fez; ele a firmou, não a criou para ser vazia, ao contrário, criou para que fosse habitada: Eu sou o SENHOR, e ninguém mais.

(Veja em Is 45:12).

não a criou para ser vazia, ao contrário ,criou para que fosse habitada – Portanto, Judá, deitado perdido durante o cativeiro babilônico, será novamente povoado pelos exilados. Os judeus, a partir desta passagem, inferem que, após a ressurreição, a terra será habitada, pois não pode haver razão para que a terra deva existir em vão mais do que agora (2Pe 3:13).

19 Não falei em oculto, nem em algum lugar escuro da terra; não disse à semente de Jacó: Buscai-me, em vão; eu sou o SENHOR, que fala justiça, e anuncio coisas corretas.

oculto – não como os oráculos pagãos que deram suas respostas de cavernas escuras, com obscuridade estudada (Is 48:16). Cristo cita claramente essas palavras, identificando-se assim com Jeová (Jo 18:20).

Eu não disse… Busquei… em vão – Quando eu ordenei que você me busque (Jeová fez assim, Is 45:11, “Pergunte-me”, etc.), não foi para que pudéssemos ser enviados vazios (Dt 32:47). Especialmente no tempo de julgamento de Israel, a interposição de Deus, em nome de Sião, é expressamente declarada como sendo a resposta para a oração (Is 62:6-10; Sl 102:13-17,19-21). Então, no caso de todos os crentes, o Israel espiritual.

retidão – aquilo que é verdadeiro: não nos termos equivocados de respostas pagãs, apropriadamente simbolizadas pelos “lugares escuros” dos quais foram proferidas.

certo – verdadeiro (ver em Is 41:26).

20 Ajuntai-vos, e vinde; achegai-vos juntamente os que escapastes das nações. Os que carregam suas imagens de escultura de madeira, e rogam a um Deus que não pode salvar, nada conhecem.

escapastes das nações – aquelas das nações que devem ter escapado do massacre infligido por Ciro. Agora, finalmente, vereis a loucura de “orar a um deus que não pode salvar” (Is 45:16). Por fim, aqueles que serão “deixados de todas as nações que virão contra Jerusalém” são significados (Zc 14:16). Todos eles serão convertidos ao Senhor (Is 66:23-24; Jr 3:17; Zc 8:20-23).

21 Anunciai, e achegai-vos; e consultai juntamente em conselho; quem fez ouvir isto desde a antiguidade? Quem desde então tem anunciado? Por acaso não sou eu, o SENHOR? E não há ouro Deus além de mim, Deus justo e Salvador; ninguém, a não ser eu mesmo.

Anunciai, e achegai-vos. Anunciai a minha convocação, para que se aproximem de mim os defensores dos ídolos de todas as nações. Desafio aos adoradores de ídolos (Is 41:1).

e consultai juntamente em conselho. Sobre os melhores argumentos com os quais defender a causa da idolatria.

quem fez ouvir isto desde a antiguidade? (Is 41:22-23; ver em Is 44:8). Qual dos ídolos tem feito o que Deus fez? Isto é, predito, principalmente quanto a Ciro; finalmente quanto à restauração final de Israel no futuro. A idolatria de Israel antes do tempo de Ciro terá sua equivalência com o Anticristo e a apostasia que precederá a manifestação de Cristo.

E não há ouro Deus além de mim, Deus justo e Salvador. Justo em cumprir minhas promessas e, portanto, um Salvador para Seu povo. Justo também em não sacrificar um traço da minha justiça, ao dar a salvação; mas, ao contrário, expondo a minha justiça à luz mais brilhante através da redenção. Não só não é inconsistente com, mas é o resultado de Sua retidão, ou justiça, que Ele salve Seus redimidos (Is 42:6,21; Sl 85:10-11; Rm 3:26). [JFU]

Leia também um estudo sobre a justiça de Deus.

22 Virai-vos a mim, e sede salvos, vós todos os limites da terra; porque eu sou Deus, e ninguém mais.

e sede salvos – O segundo imperativo expressa o resultado que seguirá a obediência ao primeiro (Gn 42:18); vós sereis salvos (Jo 3:14-15). Nm 21:9: “Se uma serpente tivesse mordido qualquer homem, quando ele viu a serpente de bronze, ele viveu.” O que tão simples como um olhar? Não faça algo, mas olhe para o Salvador (At 16:30-31). Os crentes olham pela fé, o olho da alma. O olhar é aquele de um giro (ver Margem) para Deus, como ao mesmo tempo “justo e o Salvador” (Is 45:21), isto é, o olhar de conversão (Sl 22:27).

23 Por mim mesmo tenho jurado; já saiu da minha boca palavra de justiça, e não voltará atrás: que a mim se dobrará todo joelho, e toda língua prestará juramento;

Por mim mesmo tenho jurado – equivalente a “Como eu vivo”, como Rm 14:11 cita. Então Nm 14:21. Deus poderia jurar por não maior, portanto ele jura por si mesmo (Hb 6:13,16).

palavra de justiça – ao contrário, “a verdade (ver em Is 45:19) saiu da minha boca, a palavra (da promessa), e não voltará (isto é, que não deve ser revogada)” [Lowth ]. Mas os sotaques favorecem a versão inglesa.

línguajuramento – ou seja, um juramento de fidelidade a Deus como seu verdadeiro Rei (ver em Is 19:18; ver em Is 65:16). Ainda a ser cumprida (Zc 14:9).

24 De mim se dirá: Certamente no SENHOR há justiça e poder; Até a ele chegarão, mas serão envergonhados todos os que o odeiam.

Antes, “somente em Jeová os homens dirão de mim (esta sentença é parênteses), há justiça” (que inclui salvação, Is 45:21, “um Deus justo e Salvador”, Is 46:13), etc. Maurer].

força – ou seja, para salvar.

virão os homens – Aqueles que se colocaram contra Deus virão a Ele em penitência pelo passado (Is 19:22).

envergonhado – (Is 45:16; 54:17; 41:11).

25 Porém no SENHOR todos os que são da semente de Israel serão justificados e se gloriarão.

Israel – o Israel espiritual (Rm 2:29) e o Israel literal, isto é, o remanescente final que todos serão salvos (Is 45:17; Rm 11:26).

justificados – tratados como se fossem justos, através da justiça e morte de Cristo (Jr 23:5).

gloriarão – literalmente, “cantar” em Seu louvor (Jr 9:24; 1Co 1:31).

<Isaías 44 Isaías 46>

Leia também uma introdução ao Livro de Isaías.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados