Bíblia, Revisar

Jeremias 23

1 Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas de meu rebanho!,Diz o SENHOR.

Isso constitui o epílogo das denúncias dos quatro reis, em Jr 21:1 à 22:30.

pastores – Salum, Jeoiaquim, Jeconias e Zedequias (Ez 34:2).

2 Portanto assim diz o SENHOR Deus de Israel quanto aos pastores que apascentam meu povo: Vós dispersastes minhas ovelhas, e as afugentastes, e não cuidastes delas; eis que eu cuidarei contra vós pela maldade de vossas ações,diz o SENHOR.

visitá-los … eu vou visitar em cima de você – apenas retribuição. Jogue com o duplo sentido de “visita”. “Visita sobre”, ou seja, na ira (Êx 32:34).

3 E eu mesmo recolherei o restante de minhas ovelhas de todas as terras para onde as afugentei, e as farei voltar a seus apriscos; e crescerão, e se multiplicarão.

A restauração de Judá da Babilônia predisse em linguagem que, em sua plenitude, só pode ser aplicada à restauração final tanto de “Judá” quanto de “Israel” (compare Jr 23:6); também “fora de todos os países”, neste verso e Jr 23:8; também, “eles não estarão faltando”, isto é, nenhum deve estar faltando ou separado do resto: uma profecia que ainda não foi completamente cumprida. É válido também para o Israel espiritual, o eleito de judeus e gentios (Ml 3:16-17; Jo 10:28; 17:12). Quanto ao literal Israel também, veja Jr 32:37; 54:13; 60:21; Ez 34:11-16.

pastores … devem alimentá-los – (Jr 3:15; Ez 34:23-31). Zorobabel, Esdras, Neemias e os Macabeus eram típicos do cumprimento consumado dessas profecias sob o Messias.

4 E porei sobre elas pastores que as apascentem; e nunca mais temerão, nem se assombrarão, nem haverá falta de uma sequer, diz o SENHOR.

pastores. Homens como Esdras, Neemias e os Macabeus, criados especialmente por Deus. É uma revogação da promessa feita a Davi (2Sm 7:12-16) no que diz respeito ao trono terrestre.

nunca mais temerão…O efeito do bom governo será a segurança geral.

nem haverá falta de uma sequer. Não se perderá nenhuma ovelha. [Barnes]

5 Eis que vêm os dias,diz o SENHOR, que levantarei por Davi um justo Renovo, e sendo rei, reinará; o qual prosperará, e fará juízo e justiça na terra.

Como a profecia messiânica se estendeu por muitos anos nos quais muitas mudanças políticas ocorreram em harmonia com elas, exibiu suas riquezas por uma variedade mais eficaz do que se tivesse se manifestado de uma só vez. Como a condição moral dos judeus exigia em cada instância, também o Messias era exibido em uma fase correspondente, tornando-se assim mais e mais a alma da vida da nação: de modo que Ele é representado como o antitípico Israel (Is 49:3) .

por Davi – Hengstenberg observa que Isaías se detém mais em seu ofício profético e sacerdotal, que já havia sido parcialmente estabelecido (Dt 18:18; Sl 110:4). Outros profetas residem mais em Seu ofício real. Portanto, aqui ele está associado com o rei “Davi”, mas em Is 11:1 com o então “Jesse” pobre e desconhecido.

justo Renovo – “o ramo da justiça” (Jr 33:15); “O ramo” simplesmente (Zc 3:8; 6:12); “O ramo do Senhor” (Is 4:2).

prosperará – o próprio termo aplicado ao empreendimento de Messias (Is 52:13, Margem; Is 53:10). Justiça ou justiça é a característica do Messias em outros lugares também, em conexão com nossa salvação ou justificação (Is 53:11; Dn 9:24; Zc 9: 9). Assim, no Novo Testamento, Ele não é apenas “justo”, mas “justiça para nós” (1Co 1:30), de modo que nos tornamos “a justiça de Deus nEle” (Rm 10: 3, Rm 10: 4). 2Co 5: 19-21; Fp 3: 9).

fará juízo e justiça na terra – (Salmo 72: 2; Is 9: 7; Is 32: 1, Is 32:18). Não apenas um reinado espiritual no sentido em que Ele é “nossa justiça”, mas um reinado justo “na terra” (Jr 3:17, Jr 3:18). Em algumas passagens, dizem que ele vem para julgar, em outras para reinar. Em Mt 25:34, Ele é chamado “o Rei”. O Salmo 9: 7 os une. Compare Dn 7:22, Dn 7:26, Dn 7:27.

6 Em seus dias Judá será salvo, e Israel habitará em segurança; e este será seu nome com que o chamarão: O SENHOR é nossa justiça.

JudáIsrael habitará em segurança – Compare com Jr 33:16, onde “Jerusalém” é substituída por “Israel” aqui. Somente Judá, e isso só em parte, ainda não voltou. Os judeus estão tão longe de terem desfrutado, até agora, das bênçãos temporais aqui preditas como resultado do reinado do Messias. A realização deve, portanto, ser ainda futura, quando tanto Judá como Israel em sua própria terra habitarão seguros sob uma cristocracia, muito mais privilegiada do que até mesmo a velha teocracia (Jr 32:37; Dt 33:28; Is 54:1-1760:1-2265:17-25; Zc 14:11).

com que o chamarão: O SENHOR – isto é, será (Is 9:6) “Jeová”, o nome incomunicável de Deus. Embora quando aplicada às coisas criadas, ela expressa apenas alguma conexão peculiar que elas têm com Jeová (Gn 22:14; Êx 17:15), mas quando aplicado ao Messias deve expressar Sua divindade manifestada em poder justificador para nós (1Tm 3:16).

nossa – marca a Sua humanidade, que também está implícita em Seu ser um Ramo elevado a Davi, de onde Seu título humano, “Filho de Davi” (compare Mt 22:42-45).

justiça – marca a Sua Divindade, pois só Deus pode justificar o ímpio (compare Rm 4:5; Is 45:17,24-25). [JFB]

7 Portanto eis que vêm dias,diz o SENHOR, que não mais dirão: Vive o SENHOR, que fez subir os filhos de Israel da terra do Egito;

Repetido de Jr 16:14-15. O profeta disse as mesmas coisas com frequência, a fim de que seus ditos causassem mais impressão. A mesma promessa que em Jr 23:3-4. A ampla dispersão dos judeus no cativeiro babilônico prefigura sua atual dispersão mais ampla (Is 11:11; Jl 3:6). Sua segunda libertação é exceder a primeira do Egito. Mas a libertação da Babilônia foi inferior à do Egito em relação aos milagres realizados e aos números entregues. A libertação final sob o Messias deve, portanto, ser entendida, da qual a da Babilônia era a mais séria.

8 Mas sim: Vive o SENHOR, que fez subir e trouxe a geração da casa de Israel da terra do norte, e de todas as terras para onde eu os afugentei; e habitarão em sua terra.
9 Quanto aos profetas: meu coração está quebrantado em meu interior, todos os meus ossos tremem; estou como um homem bêbado, como um homem dominado pelo vinho, por causa do SENHOR, e por causa de suas santas palavras.

Quanto aos profetas – assim os Masorites e Targum. Mas a Vulgata, a Septuaginta, etc., fazem disso a inscrição da profecia a respeito dos profetas em Jr 46:2; 48:1; 49:1. Jeremias expressa seu horror aos chamados “profetas”, não advertindo o povo, embora a iniquidade seja tão abundante que logo será seguida por terríveis julgamentos.

batida de ossos – (Hb 3:16).

bêbado – os julgamentos de Deus são representados como estupefatos como o vinho. Os efeitos do Espírito Santo também são comparados aos do vinho (At 2:17). Em ambos os casos, o ecstasy foi produzido. Isso explica a negação do vinho àqueles que provavelmente serão inspirados, os nazaritas, etc. (Lc 1:15). Era necessário tirar do poder dos homens atribuir o êxtase inspirado aos efeitos do vinho.

por causa de … palavras de … santidade – por causa das palavras sagradas de Jeová, com as quais Ele ameaçou severas penalidades, a serem infligidas em breve, contra os quebrantadores de Sua lei.

10 Pois a terra está cheia de adúlteros: e por causa da maldição a terra lamenta; as cabanas do deserto se secaram; pois o percurso deles tem sido mau, e a força deles não é correta.

adúlteros – espirituais, isto é, renunciadores de Deus, o verdadeiro marido de Israel (Is 54:5) por ídolos, por instigação dos falsos “profetas” (Jr 23:9,15). O adultério literal e a fornicação, os concomitantes usuais da idolatria, também são significados.

palavrões – Maurer, etc., traduzem: “Por causa da maldição (de Deus sobre ela), a terra chora” (Dt 27:15-26; 28:15-68; Is 24:6). Mais do que o habitual, a notoriedade foi dada às maldições da lei, pela descoberta e leitura da mesma na época de Josias (2Rs 22:11, etc.). Mas Os 4:2-3, favorece a versão inglesa (compare Jr 12:4). Uma seca foi enviada por Deus nas pastagens (“lugares agradáveis”, oásis) no deserto, devido à “profanidade” dos sacerdotes, profetas e pessoas (Jr 23:11).

Claro … mal – Eles (ambos os profetas e pessoas) correm para a maldade (Jr 23:21; Is 59:7).

força … não está certo – Seus poderes são usados ​​não do lado da retidão, mas do falso.

11 Pois tanto o profeta como o sacerdote são corruptos; até em minha casa achei sua maldade,diz o SENHOR.

profano – (Ez 23:39; Sf 3:4).

em minha casa – (Jr 7:30). Eles construíram altares para ídolos no próprio templo (2Rs 23:12; Ez 8:3-16). Compare com a cobiça sob o teto do santuário, Mt 21:13; Jo 2:16

12 Portanto o caminho deles lhes será como lugares escorregadios na escuridão; serão empurrados, e nele cairão; porque eu trarei mal sobre eles no ano de sua punição,diz o SENHOR.

escuridão – Seu “caminho” é a falsa doutrina que lhes é fatal (Jr 13:16; Sl 35:6; Pv 4:19).

Vou trazer o mal … a visitação – ainda mais calamidades do que as já infligidas. Veja em Jr 11:23; “Visitação”, isto é, na ira.

13 Nos profetas de Samaria vi coisas desagradáveis: profetizavam por Baal, e faziam errar a meu povo Israel.

loucura – literalmente, “insipidez”, “insatisfação” (Jó 6: 6), não tendo o sal da piedade (Cl 4:6).

em Baal – em nome de Baal; em conexão com sua adoração (ver Jr 2:8).

causado … errar – (Is 9:16).

14 Mas nos profetas de Jerusalém tenho vejo coisas horríveis: cometem adultérios, e andam com falsidade, e fortalecem as mãos dos malfeitores, para que ninguém se converta de sua maldade. Para mim, todos eles são como Sodoma, e seus moradores como Gomorra.

“Jerusalém” e Judá eram ainda piores que “Samaria” e as dez tribos; quanto maiores eram os privilégios dos primeiros, maior era sua culpa. Eles tinham o templo no meio deles, o qual as dez tribos não tinham; no entanto, no próprio templo eles praticavam a idolatria.

fortalecei… mãos dos malfeitores – (Ez 13:22).

como Sodoma – (Dt 32:32; Is 1:10).

15 Por isso, assim diz o SENHOR dos exércitos sobre os profetas: Eis que eu lhes darei de comer absinto, e lhes farei beber águas envenenadas; porque dos profetas de Jerusalém a corrupção se espalhou sobre toda a terra.

águas envenenadas. Veja Jr 8:14; 9:15.

16 Assim diz o SENHOR dos exércitos: Não deis ouvidos às palavras dos profetas que profetizam para vós; eles vos iludem; falam visão de seus próprios corações, e não da boca do SENHOR.

faça você vaidoso – Eles te seduzem para a vaidade, isto é, a idolatria, que lhe proverá uma vã confiança (Jr 2:5; 2Rs 17:15; Jn 2:8), (Gesenius). Em vez disso, “eles te enganam com promessas vãs de segurança” (Jr 23:17; compare Sl 62:10) (Maurer)

de seu próprio coração – de sua própria invenção (Jr 23:21; 14:14).

17 Dizem continuamente aos que me desprezam: O SENHOR diz: Tereis paz; E a qualquer um que segue a teimosia de seu próprio coração, dizem: Não virá mal algum sobre vós.

diga ainda – hebraico, “diga em dizer”, isto é, diga incessantemente.

paz – (Jr 6:14; Ez 13:10; Zc 10:2).

imaginação – hebraico, “obstinação”.

nenhum mal – (Mq 3:11).

18 Pois quem esteve no conselho do SENHOR, e viu e ouviu sua palavra? Quem prestou atenção a sua palavra, e a ouviu?

Uma razão é dada porque os falsos profetas não devem ser ouvidos: Eles não ficaram nos conselhos de Jeová (uma imagem dos ministros presentes em uma postura permanente nos conselhos dos reis orientais) (compare Jr 23:22; Jó 15:8) . Só o homem espiritual tem o privilégio (Gn 18:17; Sl 25:14; Am 3:7; Jo 15:15; 1Co 2:16).

19 Eis que a tempestade da ira do SENHOR já saiu; e a tempestade é violenta, que atingirá violentamente sobre a cabeça dos maus.

Tão longe de toda a prosperidade que espera o povo como os falsos profetas dizem (Jr 23:17), a ira está reservada para eles.

grave – literalmente, “enlouquecendo”, girando em torno de si, um tornado. Em Jr 30:23, “continuar” é substituído por “doloroso”.

cair gravemente – será arremessado.

20 Não se afastará a ira do SENHOR, enquanto não tiver executado e cumprido os pensamentos de seu coração; nos últimos dias entendereis isso claramente.

últimos dias – isto é, “o ano de sua visitação” (Jr 23:12). Principalmente o significado é: os judeus não “consideram” agora as advertências de Deus (Dt 32:29); mas quando as profecias se cumprirem em seu exílio babilônico, elas considerarão e verão, por amarga experiência, sua loucura pecaminosa. O escopo final da profecia é: os judeus, em sua dispersão final, devem finalmente “considerar” seu pecado e voltar-se para o Messias “perfeitamente” (Os 3:5; Zc 12:5,10-14; Lc 13:35).

21 Eu não enviei aqueles profetas, porém eles foram correndo; eu não lhes falei, porém eles profetizaram.

enviado … falado – “enviado” refere-se à chamada principal: “falado” para as acusações subsequentes dadas para serem executadas. É necessário um chamado, não apenas externo, por parte dos homens, mas também interno de Deus, para que se faça um ofício de pastor (Calvino).

22 Mas se eles tivessem estado em meu conselho, então teriam anunciado minhas palavras a meu povo; e teriam feito com que deixassem seu mau caminho e a maldade de suas ações.

conselho – (Jr 23:18).

teriam feito com que deixassem seu mau caminho – Eles teriam dado tais conselhos ao povo que os teriam desviado de seus pecados (Jr 25:5; Is 55:11), e assim teriam evitado o castigo. Eles não estão ensinando a lei na qual o conselho de Deus é apresentado prova que eles não são Seus profetas, embora se gabem de ser assim (Mt 7:15-20).

23 Por acaso sou eu Deus apenas de perto, diz o SENHOR, e não também Deus de longe?

Que os falsos profetas não imaginem que suas intensões (Jr 23:25) são desconhecidas para Mim. Acaso sois tão ignorantes a ponto de supor que eu só posso ver coisas perto de mim? Ou seja, coisas no céu, e não coisas terrenas, como se estivessem muito distantes. [JFU]

Leia também um estudo sobre a onipresença de Deus.

24 Pode alguém se esconder num esconderijo,diz o SENHOR, que eu não o veja? Por acaso não sou eu, diz o SENHOR, que encho os céus e a terra?

(Sl 139:7, etc; Am 9:2-3).

encha o céu e a terra – com a Minha onisciência, providência, poder e ser essencial (1Rs 8:27).

25 Tenho ouvido o que aqueles profetas dizem, profetizando mentiras em meu nome, dizendo: Sonhei, sonhei.

sonhei – recebi uma comunicação profética por sonho (Nm 12:6; Dt 13:1, etc. Jl 2:28).

26 Até quando será isto no coração dos profetas que profetizam mentiras, dos que profetizam o engano de seu coração?

profetas – uma forma hebraica diferente da usual, “profetizadores”. “Quanto tempo”, grita Jeremias, impaciente por sua audácia ímpia, “esses profetas-pregadores vão continuar profetizando mentiras?” A resposta é dada em Jr 23:29-34.

27 Que pretendem, por meio de seus sonhos que cada um conta a seu próximo, fazer com que meu povo se esqueça de meu nome, tal como seus pais se esqueceram de meu nome por causa de Baal.

Eles “pensam” em fazer o meu povo me esquecer completamente. Mas eu vou opor a esses sonhadores meus verdadeiros profetas.

pais … para Baal – (Jz 3:7; 8:33-34).

28 O profeta que tiver sonho, conte o sonho; e aquele que tiver minha palavra, conte minha palavra de forma fiel. O que a palha tem a ver com o trigo?,diz o SENHOR.

Deus responde a objeção que pode ser declarada: “O que, então, devemos fazer, quando mentiras são ditas como verdades, e os profetas se opõem aos profetas?” Faça o mesmo que quando o trigo é misturado com palha: não rejeite o trigo por causa do trigo. O joio misturou-se a ele, mas discriminou entre as falsas e as verdadeiras revelações. O teste é a adesão ou o esquecimento de Mim e da Minha lei (Jr 23:27).

que tiver sonho – que finge ter uma comunicação divina por sonho, diga-o “fielmente”, para que possa ser comparado com “minha palavra” (2Co 4:2). O resultado será o primeiro (ambos os profetas e suas ficções) em breve será visto como palha; os últimos (os verdadeiros profetas e a palavra de Deus em sua boca) trigo (Sl 1:4; Os 13:3).

29 Por acaso não é minha palavra como o fogo?diz o SENHOR, E como um martelo que esmigalha a pedra?

Como o “fogo” consome o “joio”, [Jr 23:28], assim “Minha palavra” consumirá os falsos profetas (Mt 3:12; Hb 4:12). “Minha palavra”, que é “trigo” [Jr 23:28], isto é, alimento para o verdadeiro profeta e seus ouvintes, é um “fogo” consumidor e um “martelo” esmagador (Mt 21:44) para os falsos profetas e seus seguidores (2Co 2:16). A palavra dos falsos profetas pode ser conhecida por seus homens prometedores paz no pecado. “Minha palavra”, ao contrário, queima e quebra o coração endurecido (Jr 20:9). O “martelo” simboliza o poder destrutivo (Jr 50:23; Na 2:1).

30 Portanto eis que eu sou contra os profetas,diz o SENHOR, que furtam minhas palavras cada um de seu próximo.

furtam minhas palavras – um plagio duplo; um rouba do outro, e todos roubam palavras dos verdadeiros profetas de Jeová, mas os aplicam erroneamente (ver Jr 28:2; Jo 10:1; Ap 22:19).

31 Eis que eu sou contra os profetas, diz o SENHOR, que usam suas línguas, e declaram: Assim ele disse.

use – em vez disso, “tome” sua língua: uma segunda classe (compare Jr 23:30) exige, para produzir uma revelação, nada mais do que suas línguas, com o que eles dizem, Ele (Jeová) diz: eles se confundem no muito fórmula em vez do habitual “Jeová diz”, sendo apenas capaz de dizer “(Ele) diz.”

32 Eis que eu sou contra os que profetizam sonhos mentirosos,diz o SENHOR, e os contam, e fazem meu povo errar com suas mentiras e com suas lisonjas. E eu não os enviei, nem lhes mandei; e proveito nenhum fizeram a este povo, diz o SENHOR.

Terceira classe: inventores de mentiras: o clímax e o pior dos três.

leveza – invenções arbitrárias (Sf 3:4).

não lucro – isto é, ferir gravemente.

33 E quando este povo, ou o profeta, ou o sacerdote, te peguntar, dizendo: Qual é a revelação, a carga do SENHOR? Então tu lhes dirás: Que carga? Eu os abandonarei, diz o SENHOR.

Que carga? – jogue no duplo sentido do hebraico: um oráculo e um fardo. Eles zombeteiramente perguntam: Ele tem algum fardo novo (oráculo penoso: por todas as suas profecias são desastres) anunciar (Ml 1:1)? Jeremias, indignado, repete sua própria pergunta: Você pergunta: que fardo? Isso, então, é: “Eu vou abandonar você”. Minha palavra é penosa para os seus olhos e você deseja se livrar dela. Você terá seu desejo. Não haverá mais profecia: eu te abandonarei, e isso será um fardo muito pior para você.

34 E quanto ao profeta, o sacerdote, ou alguém do povo, que disser: Carga do SENHOR; eu enviarei castigo sobre tal homem e sobre sua casa.

O fardo – Quem escarnecer da palavra “carga” do Senhor, será visitado (Margem) com ira.

35 Assim direis cada um a seu próximo, e cada um a seu irmão: O que o SENHOR respondeu?, e, O que o SENHOR falou?

O resultado dos Meus julgamentos será, vocês devem dirigir-se ao profeta mais respeitosamente a seguir, não mais chamando sua mensagem de fardo, mas uma resposta ou palavra divina. “O que o Senhor respondeu?”

36 E nunca mais mencionareis a carga do SENHOR; porque a palavra de cada um lhe servirá por carga; pois pervertestes as palavras do Deus vivente, do SENHOR dos exércitos, nosso Deus.

palavra de cada homem … seu fardo – Como eles zombeteiramente chamam todos os fardos de profecias, como se as calamidades fossem o único assunto de profecia, assim eles provariam a eles. Deus os tomará por sua própria palavra.

Deus vivo – não sem vida como seus ídolos mudos, sempre vivendo para poder punir.

37 Assim dirás ao profeta: O que o SENHOR te respondeu? e, O que o SENHOR falou?
38 Mas se disserdes: Carga do SENHOR; então por isso o assim diz o SENHOR: Porque dissestes esta palavra, Carga do SENHOR, tendo eu vos mandado, dizendo: Não digais “Carga do SENHOR”,
39 Portanto eis que eu esquecerei totalmente; e lançarei fora de minha presença a vós, e à cidade que dei para vós e para vossos pais;

esqueça você – apenas retribuição pelo seu esquecimento dele (Os 4:6). Mas Deus não pode esquecer seus filhos (Is 49:15). Em vez de “esquecer” traduzir, “eu vou te levantar completamente (como um ‘fardo’, aludindo ao seu termo zombeteiro para as mensagens de Deus) e expulsá-lo.” Deus faz sua linguagem perversa cair em sua própria cabeça [Calvin ]. Compare Jr 23:36: “a palavra de todo homem será o seu fardo”.

40 E porei sobre vós humilhação perpétua e vergonha eterna, que nunca será esquecida.

nunca será esquecida – Se traduzirmos Jr 23:39 como Versão em Inglês, a antítese é, embora eu esqueça de você, sua vergonha não será esquecida.

<Jeremias 22 Jeremias 24>

Os governantes malvados devem ser substituídos pelo Rei, que deve reinar sobre os povos novamente unidos, Israel e Judá.

Leia também uma introdução ao Livro de Jeremias.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.