Bíblia, Revisar

Isaías 65

Mensagem importante
Olá visitante do Apologeta! Vou direto ao ponto: peço que você me ajude a manter este projeto. Atualmente a renda gerada através dos anúncios são insuficientes para que eu me dedique exclusivamente a ele. Se cada pessoa que ler essa mensagem hoje, doar o valor de R$10.00, eu poderia me dedicar integralmente ao Apologeta pelo próximo ano e ainda remover todas as propagandas do site (que eu sei que são um pouco incômodas). Tenho um propósito ousado com este site: traduzir e disponibilizar gratuitamente conteúdo teológico de qualidade. O que inclui um dicionário bíblico completo (+4000 verbetes) e comentário de todos os 31.105 versículos da Bíblia. Faça parte deste projeto e o ajude a continuar crescendo. Obrigado!
1 Fui buscado por aqueles que não perguntavam por mim ; fui achado por aqueles que não me buscavam; a uma nação que não se chamava pelo meu nome eu disse: Eis-me aqui! Eis-me aqui!

Is 65: 1-25. Uma resposta de Deus para justificar a sua comunicação com Israel.

Em Is 64:9, o pedido pedido era: “somos todos Teu povo”. Em resposta, Deus declara que os outros (gentios) devem ser levados em alias a Ele, enquanto sua própria idade seria seria rejeitado. Os demoraram demoraram a acreditar nisso; por isso, Paulo diz (Is 10:20) que Isaías era “muito ousado” ao promover um sentimento tão impopular; ele implica o que Paulo declara (Rm 2:28; 9:6-7; 11:1-31), que “eles não são todos” (Is 64:9) que são de Israel. A razão de Deus não é tão importante quanto Israel (Is 65:2-7). No entanto, toda a língua não será destruída, mas somente os ímpios; um remanescente será salvo (Is 65:8-16). Haverá, finalmente, bênção universal a Israel, tal como havia orado (Is 65:17-25).

Fui buscado – hebraico, “Eu tenho visto acesso a mim”, etc. (assim Ez 14:3, “Devo ser consultado”; Ef 2:18).

achado Rm 10:20 torna isso: “Eu me tornei manifesto.” Como um exemplo do sentimento na clausula, “eu sou procurado”, etc., veja Jo 12:21; do contrário Nesta cláusula, At 9:5. Compare com os gentios convertidos, Ef 2:12-13.

Eis que eu – (Is 45:22).

não se chamava pelo meu nome – isto é, os gentios. Deus retrucou as suas palavras seguras (Is 63:19) que seu pedido como sendo exclusivamente “chamado por seu nome” não servirá, pois o convite do evangelho de Deus não é tão exclusivo (Rm 9:25; 1:16).

2 Estendi minhas mãos o dia todo a um povo rebelde, que anda por um caminho que não é bom, seguindo seus próprios pensamentos.

mãos – convidando-os sinceramente (Pv 1:24).

todos … dia – continuamente, tarde e cedo (Jr 7:13).

povo rebelde – Israel, cuja rebelião foi uma ocasião em que Deus se voltou para os gentios (Rm 11:11-12,15).

não é bom – isto é, o reverso do bem, muito ruim (Ez 36:31).

3 Povo que me irrita perante mim continuamente, sacrificando em jardins, e queimando incenso sobre tijolos,

continuamente – respondendo a “todo o dia” (Is 65:2). Ele estava continuamente convidando-os e continuado deendendo-o (Dt 32:21).

para o meu rosto – Is 3:9. Compare “antes de mim” (Êx 20:3).

nos jardins – (Veja em Is 1:29; 66:17; Lv 17:5).

queimando incenso sobre tijolos – Deus ordenou que seus altares fossem de pedra bruta (Êx 20:25). Isso foi para separar, mesmo em aspectos externos, das idólatras; Além disso, como todas as cinzelagens foram proibidas, não foram utilizadas símbolos supersticiosos, como a página dos pagãos. Os tijolos eram mais fáceis de inscritos do que uma pedra; Os seus usos para inscrever-se na Babilônia, e também para os altares idólatras. Alguns, não tão bem, supuseram que os “tijolos” aqui significam os telhados planos de tijolo das casas sobre como eles são sacrificados ao sol, etc. (2Rs 23:12; Jr 19:13).

4 Sentando-se junto às sepulturas, e passando as noites em lugares secretos; comendo carne de porco, e tendo caldo de coisas abomináveis em suas vasilhas.

sepulturas – ou seja, para fins de necromancia, como se manter conversar com os mortos (Is 8:19-20; compare com Mc 5:3); ou, por causa de purificações, entre as faces à noite entre os sepulcros, para apaziguar os manes (Maurer)

lugares secretos – hebraico, “passe a noite em recantos escondidos”, seja nos santuários mais íntimos (Horsley), onde eles também foram para dormir, para as comunicações divinas em sonhos (Jerônimo); ou melhor, por conta das “sepulturas” paralelas, cavernas sepulcrais (Maurer)

coma virada de lei de Deus (Lv 11:7), mas aumentava a culpa de comerem-na em sacrifícios idólatras (compare Is 66:17). Varro (On ​​Agriculture, 2.4) quem foi enganado quando esteve na primeira vez em sacrifícios; os latinos sacrificaram um porco a Ceres; também foi encontrado por ocasião de tratados e casamentos.

caldo – assim chamado “peças” (Margem) ou “fragmentos de pão sobre os quais o caldo foi derramado (Gesenius); Esse caldo, feito de carne de porco, foi incluído no sacrifício, foi considerado especialmente adequado para o ídolo e era usado em rituais mágicos. Ou “fragmentos de alimentos abomináveis”, etc.

está em – literalmente, “são seus vasos”, isto é, formar os seus próprios calendários. Os judeus, os dias de nosso país, e o retorno da Babilônia, estão livres da idolatria; ainda como imagens de abelhas, como sendo o pecado mais repugnante aos olhos de Deus e o mais prevalente no tempo de Isaías, é lançado para descrever o pecado imoral de Israel em todas as eras, culminando no assassinato do Messias, e ainda rejeitando Ele.

5 E dizem: Fica onde estás, e não te aproximes de de mim; pois sou mais santo do que tu; Estes são fumaça em minhas narinas, e fogo que arde o dia todo.

(Mt 9:11; Lc 5:30; 18:11; Jz 1:19). Aplicável aos auto-justificadores hipócritas do tempo de nosso Senhor.

fumaça – aludindo à fumaça de seus sacrifícios de justiça; o fogo da ira de Deus se acendeu com a visão e se exibiu na fumaça que soprava de suas narinas; em hebraico, o nariz é a sede da ira; e as narinas dilatadas na ira, por assim dizer, expelem fumaça (Rosenmuller) (Sl 18:8).

6 Eis que está escrito diante de mim: Não me calarei; mas eu pagarei, e lhes pagarei diretamente e por completo,

escrito diante de mim – “é decretado por mim”, ou seja, o que segue (Jó 13:26), [Maurer]; ou, sua culpa é registrada antes de Mim (compare Dn 7:10; Ap 20:12; Ml 3:16).

em … seio – (Sl 79:12; Jr 32:18; Lc 6:38). Os orientais usavam a dobra solta da roupa caindo no “colo” ou no colo, como um receptáculo para transportar coisas. O sentido é assim: retribuirei o seu pecado tão abundantemente que a mão não poderá recebê-lo; precisará da dobra espaçosa no peito para contê-lo (Rosenmuller). Pelo contrário, é: “Eu vou retribuir à própria pessoa de quem emanou.” Compare “Deus fez o mal dos homens de Siquém sobre suas cabeças” (Jz 9:57; Sl 7:16) (Gesenius) .

7 Por vossas perversidades e juntamente pelas perversidades de vossos pais,diz o SENHOR, que com incensos perfumaram nos montes, e me provocaram nos morros; por isso eu lhes medirei de volta por completo o pagamento de suas obras anteriores.

Seu pecado acumulara-se de geração em geração até que Deus finalmente a pagou integralmente.

montes – (Is 57:7; Ez 18:6; 20:27-28; Os 4:13).

seu – “seu” havia precedido. De falar a, ele fala deles; isso implica crescente alienação deles e maior distância.

trabalho – a recompensa total de seu trabalho (assim Is 49:4).

8 Assim diz o SENHOR: Tal como quando se acha suco num cacho de uvas, dizem: Não o desperdices, pois há proveito nele; assim eu farei por meus servos; não destruirei a todos.

suco num cacho de uvas – como se algumas uvas com um bom suco produtor de vinho fossem encontrados em um grupo que o agricultor estava prestes a jogar fora como ruim, e um diz, etc.

bênção – isto é, bom suco produtor de vinho (compare Jz 9:13; Jl 2:14).

assim – Deus poupará o “remanescente” piedoso, enquanto a massa ímpia da nação será destruída (Is 1:9; 6:13; 10:21; 11:11-16).

meus servos – o remanescente piedoso. Mas Horsley, “por causa do meu servo, Messias”.

9 Mas produzirei descendência de Jacó, e de Judá um herdeiro, que seja dono de meus montes; e meus escolhidos tomarão posse da terra ,e meus servos ali habitarão.

descendência – “a semente santa” (Is 6:13), uma posteridade de Jacó, destinada a reintegrar a Terra Santa, perdida pelo pecado dos antigos judeus.

meus montes – Jerusalém e o resto da Judéia, peculiarmente de Deus (compare Is 2:2; 11:9; 14:32).

isto – a Terra Santa.

eleitos – (Is 65:15,22).

10 E Sarom servirá de pasto de ovelhas, e o vale de Acor como lugar de repouso de gado, para o meu povo, que me buscou.

Sarom – (Veja em Is 33:9; veja em Is 35:2).

Acor – significando “problemas”; um vale perto de Jericó, assim chamado do problema causado a Israel pelo pecado de Acã (Js 7:24). “O vale de Acor”, proverbial para o que causou a calamidade, se tornará proverbial para alegria e prosperidade (Os 2:15).

11 Porém a vós, que vos afastais do SENHOR, vós que esqueceis do meu santo monte, que preparais mesa para o ídolo da sorte, e que misturais bebida para o ídolo do destino;

santo monte – Moriah, em que o templo era.

tropa – sim “Gad”, o deus da fortuna babilônico, o planeta Júpiter, respondendo a Baal ou Bel; os árabes chamavam de “a Grande Boa Fortuna”; e o planeta Vênus respondendo a Meni, “a Boa Fortuna Menor” [Gesenius, Kimchi, etc.]. Mesas foram dispostas para seus ídolos com todos os tipos de iguarias, e um copo contendo uma mistura de vinho e mel, no Egito, especialmente, no último dia do ano (Jerônimo).

oferta de bebidas – em vez disso, “bebida mista”.

número – em vez disso, “Meni”; como deusa da fortuna, ela foi pensada para numerar o destino dos homens. Vitringa entende que Gad é o sol; Meni a lua, ou Ashtaroth ou Astarte (1Rs 11:33).

12 Eu vos destinarei à espada, e todos vós encurvareis à matança; pois eu chamei, e vós não respondestes; falei, e não ouvistes; mas fizestes o que era mal aos meus olhos, e escolhestes aquilo de que não me agrado.

número – “doom” você. Aludindo ao “número”, como significa Meni (Is 65:11). Retribuição em espécie, a punição respondendo ao pecado (compare 2Cr 36:14-17).

eu chamei, e vós não respondestes – “eu chamei”, embora “ninguém tivesse chamado” sobre Mim (Is 64:7); mesmo assim, ninguém “respondeu” (Pv 1:24). Compare com esse Deus e a comunhão mútua de Seu povo em oração (Is 65:24).

13 Por isso assim diz o Senhor DEUS: Eis que meus servos comerão, porém vós passareis fome; eis que meus servos beberão, porém vós tereis sede; eis que meus servos se alegrarão, porém vós vos envergonhareis.

comerão – desfrute de todas as minhas bênçãos (Ct 5:1).

passareis fome – (Am 4:6; 8:11). Isso pode se referir ao cerco de Jerusalém sob Tito, quando se diz que 1.100.000 morreram de fome; assim Is 65:15 se referirá ao povo de Deus sem distinção de judeus e gentios recebendo “outro nome”, a saber, dos cristãos [Houbigant]. Um cumprimento adicional ainda pode permanecer, pouco antes da criação dos “novos céus e terra”, como o contexto, Is 65:17, implica.

14 Eis que meus servos cantarão de coração contente, porém vós gritareis de tristeza do coração; e uivareis pela angústia de espírito.

uivo – (Is 15:2; Mt 8:12).

15 E deixarei vosso nome a meus eleitos como maldição; e o Senhor DEUS te matará; porém ele chamará aos seus servos por outro nome.

maldição – O nome de “judeu” tem sido por muito tempo uma fórmula de execração (compare Jr 29:22); se alguém quiser amaldiçoar outro, ele não pode proferir nada pior do que isso, “Deus faz de ti o que o judeu é!” Contraste a fórmula (Gn 48:20) (Maurer)

meus eleitos – a Igreja eleita, reunida de judeus e gentios, chamada por “outro nome”, cristãos (At 11:26). No entanto (ver em Is 65:13), como “Meu escolhido”, ou “eleito”, em Is 65:9, refere-se à “semente de Jacó”, os judeus crentes, a partir de agora para possuir sua terra (Is 65:19,22), são, em última análise, significados por “Meus escolhidos”, em contraste com os judeus incrédulos (“vós”). Esses judeus eleitos serão chamados por “outro”, ou um novo nome, isto é, não será mais “abandonado” por Deus por incredulidade, mas será Seu “deleite” e “casado” com Ele (Is 62:2,4).

ti – incrédulo Israel. Isaías aqui fala de Deus, enquanto nas frases anteriores o próprio Deus falou. Essa mudança de pessoa marca sem projeto quão completamente o profeta realizou Deus com ele e nele, de modo que ele passa, sem formalmente anunciar, das palavras de Deus para as suas, e vice-versa, ambas sendo de Deus.

16 Quem se bendisser na terra, se bendirá no Deus da verdade; e quem jurar na terra, jurará pelo Deus da verdade; porque serão esquecidas as angústias passadas, e porque elas estarão encobertas de diante de meus olhos.

Que ele – sim, “aquele que”, etc.

bênçãos, etc. – (Sl 72:17; Jr 4:2).

Deus da verdade – muito Deus, em oposição a falsos deuses; Hebraico, Amém: o próprio nome do Messias (2Co 1:20; Ap 3:14), fiel às Suas promessas (Jo 1:17; 6:32). Real, substancial, espiritual, eterno, em oposição aos tipos sombrios da lei.

jurará – somente Deus deve ser chamado como Deus (Is 19:18; Dt 6:13; Sl 63:11).

problemas – isto é, pecados, provocações [Lowth]. Pelo contrário, calamidades causadas por seus pecados; Longe de estes visitarem você novamente, a própria lembrança deles é “escondida dos meus olhos” pela magnitude das bênçãos que eu lhes concederei (Is 65:17 etc.). [Maurer]

17 Porque eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá mais lembrança das coisas passadas, nem mais virão à mente.

Como Caleb herdou a mesma terra que seus pés pisaram (Dt 1:36; Js 14:9), assim o Messias e Seus santos herdarão a terra restaurada que uma vez pisou enquanto profanada pelo inimigo (Is 34:4; 51:16; 66:22; Ez 21:27; Sl 2:8; 37:11; 2Pe 3:13; Hb 12:26-28; Ap 21:1).

não haverá mais lembrança – Veja em Is 65:16, note sobre “problemas”; as palavras aqui respondem a “a primeira… esquecida”, etc. As antigas tristezas da terra, sob a queda, serão tão longe de serem recorrentes, que sua própria lembrança será obliterada pelas muitas misericórdias que concederei à nova terra. (Ap 21:4-27).

18 Porém vós ficai contentes e alegrai-vos para sempre naquilo que eu crio; porque eis que crio a Jerusalém uma alegria, e a seu povo um contentamento.

Jerusalém – (Is 51:11). “Alegria eterna … Sião”. Espiritualmente (1Ts 5:16).

19 E me alegrarei de Jerusalém, e estarei muito contente com meu povo; e nunca mais se ouvirá nela voz de choro, nem voz de clamor.

(Is 62: 5)

nunca mais se ouvirá nela voz de choro – (Is 25:7-8; 35:10; Ap 7:17; 21:4), principalmente, predito de Jerusalém; secundariamente, de todos os redimidos.

20 Não haverá mais ali bebês de poucos dias, nem velho que não cumpra seus dias; porque o jovem morrerá aos cem anos, porém o pecador de cem anos de idade será amaldiçoado.

A longevidade dos homens na primeira idade do mundo será desfrutada novamente.

daí – a partir desse momento em diante.

bebê de dias – isto é, um bebê que deve completar apenas alguns dias; de curta duração.

dias cheios – Nenhum morrerá sem atingir a velhice completa.

o jovem morrerá aos cem anos – isto é, “aquele que morrer com cem anos de idade morrerá uma mera criança” [Lowth].

o pecador de cem anos de idade será amaldiçoado – “O pecador que morrer aos cem anos será considerado amaldiçoado”, isto é, sua morte em tão tenra idade, que naqueles dias será considerado o centésimo ano, como se fosse uma mera infância, será considerado o efeito da visitação especial de Deus na ira (Rosenmuller). Esta passagem prova que a idade melhor para vir à Terra, embora muito superior ao presente, não será um estado perfeito; o pecado e a morte terão lugar nele (compare Ap 20:7-8), mas com muito menos frequência do que agora.

21 E edificarão casas, e as habitarão; e plantarão vinhas, e comerão o fruto delas.

(Veja em Is 62:8; Am 9:14).

22 Eles não edificarão para que outros habitem, nem plantarão para que outros comam; porque os dias de meu povo serão como os dias das árvores, e meus escolhidos usarão das obras de suas mãos até a velhice.

Eles não experimentarão a maldição pronunciada (Lv 26:16; Dt 28:30).

árvores – entre os mais longevos de objetos na natureza. Eles viverão tanto quanto as árvores que “plantarem” (compare Is 61:3, fim do verso; Sl 92:12).

Aproveite – hebraico, “consumir”, “desgaste”; eles viverão para desfrutar o último dele (Is 62:9).

23 Não trabalharão em vão, nem terão filhos para a aflição; porque são a semente dos benditos do SENHOR, e seus descendentes com eles.

nem terão filhos para a afliçãoa – literalmente, “para o terror”, isto é, “Eles não devem trazer filhos para uma morte súbita” (Lv 26:16; Jr 15:8).

semente … abençoada – (Is 61:9).

descendentes com eles – (Os 9:12). “Seus descendentes estarão consigo mesmos” [Maurer]; não “trouxe à luz” apenas para ser cortado por “morte súbita” (veja a sentença paralela).

24 E será que, antes que clamem, eu responderei; enquanto ainda estiverem falando, eu ouvirei.

calleth, etc; e veja em Is 65:12: “Eu chamei, você não respondeu”. Maurer traduz: “Eles dificilmente (literalmente,“ ainda não ”) chamarão, quando (literalmente“ e ”) eu responderei; ainda estarão falando quando eu ouvir ”(Sl 32:5; Dn 9:20-21).

25 O lobo e o cordeiro ambos se alimentarão juntos, e o leão comerá palha como o boi, e pó será a comida da serpente; nenhum mal nem dano farão em todo o meu santo monte,diz o SENHOR.

(Veja em Is 11:6).

e o leão comerá palha como o boi – (Veja em Is 11:7).

e pó – sim, “mas pó”, etc. A maldição permanecerá na serpente [Horsley], (Gn 3:14; Mq 7:17). “Lamber o pó” é figurativo da degradação total e perpétua de Satanás e seus emissários (Is 49:23; Sl 72:9). Satanás caiu auto-tentado; portanto, nenhuma expiação foi planejada para ele, como havia para o homem, que caiu em sua tentação (Jz 1:6; Jo 8:44). De sua conexão peculiar com a terra e o homem, tem-se conjeturado que a causa excitante de sua rebelião foi a declaração de Deus de que a natureza humana deveria ser elevada à união com a Deidade; isso era “a verdade” concernente à pessoa do Filho de Deus que “ele não morava”; irritaram seu orgulho de que uma raça inferior deveria ser elevada àquilo que ele havia aspirado (1Tm 3:6). Quão exultante ele poderia dizer, quando o homem caiu através dele, “Deus elevaria a masculinidade à união com Ele mesmo; Eu o trouxe abaixo dos animais pelo pecado! ”Naquele exato momento e no local lhe foi dito que a semente da raça abominável, homem, deveria ferir sua cabeça (1Jo 3:8). Ele foi levantado para isso, para mostrar a glória de Deus (Êx 9:16-17). Em seu estado não-caído, ele pode ter sido o vice-regente de Deus sobre a terra e o reino animal diante do homem: isso explicará que ele assumiu a forma de uma serpente (Gn 3:1). O homem sucedeu a esse ofício (Gn 2:19-20), mas perdeu por pecado, de onde Satanás se tornou “príncipe deste mundo”; Jesus Cristo suplanta o usurpador e, como “Filho do homem”, recupera a herança perdida (Sl 8:4-8). Os passos na derrubada de Satanás são estes: ele é expulso, primeiro, do céu (Ap 12:7-9) na terra; em seguida, ele é obrigado a mil anos (Ap 20:2-3); finalmente, ele é lançado no lago de fogo para sempre (Ap 20:10).

a carne da serpente – (Veja em Is 11:8).

Eles não devem ferir nem destruir em todo o meu santo monte – (Veja em Is 11:9).

<Isaías 64 Isaías 66>

Leia também uma introdução ao Livro de Isaías.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.

Conteúdos recomendados