Bíblia

Gênesis 2

Aviso Quer estudar a Bíblia e não sabe por onde começar? Conheça o nosso curso: Como Estudar a Bíblia? Ele é gratuito, online e pode ser iniciado agora mesmo! Clique aqui e saiba mais.


1 E foram concluídos os céus e a terra, e tudo o que neles há.

os céus, às vezes significa as estrelas, e às vezes os anjos. Mas, como Moisés não nos dá a entender, no capítulo anterior, de que os anjos foram criados neste tempo, e como Jó 38:6-7, evidentemente implica que eles foram criados antes, eles não parecem estar aqui incluídos. [Benson, 1857]

O primeiro sábado

2 E acabou Deus no dia sétimo sua obra que fez, e repousou o dia sétimo de toda sua obra que havia feito.

repousou o dia sétimo – não para repousar da exaustão com o trabalho (ver Is 40:28), mas cessar de trabalhar, um exemplo equivalente a um mandamento de que também deveríamos cessar de todo tipo de trabalho. [JFB]

3 E abençoou Deus ao dia sétimo, e o santificou, porque nele repousou de toda sua obra que havia Deus criado e feito.

abençoou Deus ao dia sétimo, e o santificou. O designou sagrado, para que o homem nele pudesse contemplar a excelência de suas obras e a bondade de Deus para com ele. [Genebra, 1599]

Leia também um estudo sobre o sábado.

A origem da humanidade

4 Estas são as origens dos céus e da terra quando foram criados, no dia que o SENHOR Deus fez a terra e os céus,

Estas são as origens dos céus e da terra – a história ou o relato de sua criação. De onde Moisés obteve este relato tão diferente das ficções pueris e absurdas dos pagãos? Não foi de qualquer fonte humana, pois o homem não existia para testemunhá-lo; nem da luz da natureza ou da razão, pois embora proclamem o poder eterno e a divindade pelas coisas que são feitas, não podem dizer como elas foram feitas. Ninguém senão o próprio Criador poderia dar essa informação, e por isso é pela fé que entendemos que os mundos foram formados pela palavra de Deus (Hb 11:3). [JFB, 1871]

5 E antes que toda planta do campo existisse na terra, e antes que toda erva do campo nascesse; porque ainda não havia o SENHOR Deus feito chover sobre a terra, nem havia homem para que lavrasse a terra;

Esta é uma expansão de Gênesis 1:11-12. São dadas duas razões pelas quais as plantas do campo ainda não haviam crescido: (1) não chovia e (2) o homem não existia. [Bullinger, 1909]

6 Mas subia da terra um vapor, que regava toda a face da terra.

subia da terra. Em certos momentos, ao que parece, como Deus designou; um vapor ou névoa – emitida do abismo, que regava toda a face da terra – Não com chuvas, mas com orvalho. Com isso, a terra foi preparada para nutrir as plantas criadas de todos os tipos, e as sementes e raízes delas para que pudessem produzir novas plantas. [Benson, 1857]

7 Formou, pois, o SENHOR Deus ao homem do pó da terra, e assoprou em seu nariz sopro de vida; e o homem foi feito alma vivente.

Formou, pois, o SENHOR Deus ao homem do pó da terra. Ele mostra de onde o corpo do homem foi criado com a intenção de que este não se glorie na excelência de sua própria natureza. [Genebra, 1599]

O Jardim do Éden

8 E havia o SENHOR Deus plantado um jardim no Éden ao oriente, e pôs ali ao homem que havia formado.

um jardim no Éden ao oriente. Provavelmente na região da Mesopotâmia.

9 E havia o SENHOR Deus feito nascer da terra toda árvore agradável à vista, e boa para comer: também a árvore da vida em meio do jardim, e a árvore do conhecimento do bem e do mal.

árvore da vida. Alguns escritores argumentaram que esta árvore tinha alguma virtude secreta, que era adequada para preservar a vida. Provavelmente a lição transmitida era que a vida devia ser buscada pelo homem, não em si mesmo ou em seu próprio poder, mas de fora, daquele que é enfaticamente a vida (Jo 1:414:6). Em Provérbios 3:18 a sabedoria é comparada à árvore da vida.

A árvore da vida mencionada no Livro do Apocalipse (Ap 2:722:2,14) é um emblema das alegrias do paraíso celestial. [Easton, 1893]

10 E saía do Éden um rio para regar o jardim, e dali se repartia em quatro ramificações.

E saía do Éden um rio. Da grande região da qual o jardim fazia parte. Os tempos são presentes, como se as principais características da região se mantivessem inalteradas: “um rio sai do Éden, e dali, fora dele, se separa, e se transforma em quatro ramificações”. A ideia é a de um riacho que nasce no Éden e corre através do Paraíso, e a alguma distância fora dele, se divide em quatro grandes rios. Isto fez muitos suporem que o lugar do Paraíso fosse no Golfo Pérsico, numa região agora submersa; e as lendas babilônicas o colocam ali, no Eridu, na junção do Tigre e do Eufrates. Os outros dois rios supõem terem sido o Indo e o Nilo, representados pelas duas costas do Golfo Pérsico. Sir H. Rawlinson sugeriu a província babilônica de Gan-duniyas, onde quatro rios podem ser encontrados; mas em nenhum dos casos a arca poderia ter flutuado contra a corrente da inundação até as regiões montanhosas da Armênia. [Ellicott, 1905]

11 O nome de um era Pisom: este é o que cerca toda a terra de Havilá, onde há ouro:

Pisom. Alguns o identificam com o atual Rioni, outros com os Quizil-Irmaque, outros o Jorak ou o Acampis, outros o Jaab, o Indo, o Ganges, etc.

Havilá. A questão da localidade desta região deu origem a uma grande diversidade de opiniões. Talvez possa ser identificado com o espaço arenoso que contorna a Babilônia ao longo de toda a fronteira ocidental, estendendo-se desde o baixo Eufrates até as montanhas de Edom. [Easton, 1896]

12 E o ouro daquela terra é bom; há ali também bdélio e pedra ônix.

bdélio. O bdélio era provavelmente uma goma aromática, como o bálsamo, que destilava de uma determinada árvore (Borassus flabellifer) ainda encontrada na Arábia e na Índia. Ele tem uma semelhança de cor com a mirra. Outros pensam que a palavra singifica pérolas, ou alguma pedra preciosa. [Easton, 1896]

13 O nome do segundo rio é Giom; este é o que rodeia toda a terra de Cuxe.

Giom. Este rio não é mencionado novamente com o mesmo nome na Bíblia. Ele não deve ser confundido com o Giom de 1 Reis 1:33, uma nascente próxima a Jerusalém. Está aqui descrito como rodeando “toda a terra de Cuxe”. “Cuxe” na Bíblia geralmente significa Etiópia; e por Etiópia pretende-se a Núbia, o Sudão, e Alto Egito, uma grande região regada pelo Nilo, compare com Isaías 18:1. Portanto, parece muito provável que o Giom aqui signifique o Nilo. O Nilo é geralmente chamado na Bíblia ye’or (compare com Gn 41:1), e algumas vezes Sior (Is 23:3; Jr 2:18). [Cambridge, 1921]

14 E o nome do terceiro rio é Tigre; este é o que vai diante da Assíria. E o quarto rio é o Eufrates.

o nome do terceiro rio é Tigre. Em algumas traduções, o rio é chamado de Hidéquel, do original hebraico chiddeqel. Tigre vem da designação dada pela Septuaginta (LXX).

15 Então o SENHOR Deus tomou o homem, e o pôs no jardim de Éden, para que o lavrasse e o guardasse.

pôs no jardim de Éden, para que o lavrasse e o guardasse. Horticultura, ou jardinagem, é o primeiro tipo de emprego registrado, e aquilo em que o homem estava envolvido, quando estava em um estado de perfeição e inocência. Embora se possa supor que o jardim pudesse produzir todas as coisas espontaneamente, como toda a superfície vegetal da terra certamente fez na criação, no entanto, a preparação e o cultivo foram necessários para preservar os diferentes tipos de plantas e vegetais em sua perfeição e para reprimir a crescimento excessivo. Mesmo em estado de inocência, não podemos conceber que o ser humano pudesse ter sido feliz se estivesse inativo. Deus deu-lhe trabalho para fazer e o seu trabalho contribuiu para a sua felicidade, pois a estrutura do seu corpo, assim como da sua mente, prova claramente que ele nunca foi destinado a uma vida meramente contemplativa. [Clarke]

16 E mandou o SENHOR Deus ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim comerás;

Aqui, como em Gn 1:29, o homem recebe uma ordem para comer o fruto das árvores; mas essa ordem tem uma limitação especial. [Cambridge]

17 Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás dela; porque no dia que dela comeres, morrerás.

não comerás dela; porque no dia que dela comeres, morrerás. Nenhuma razão foi apontada para a proibição, mas a morte seria o castigo pela desobediência. Uma ordem positiva como essa não era apenas a mais simples e fácil, mas a única prova à qual a fidelidade deles poderia ser exposta. [JFB]

Leia também um estudo sobre o Jardim do Éden.

A criação da mulher e a instituição do matrimônio

18 E disse o SENHOR Deus: Não é bom que o homem esteja só; farei para ele ajuda idônea para ele.

Não é bom que o homem esteja só. Ele foi criado para ser um ser social, capaz de manter relações com outros seres como ele, assim como com Deus e os anjos.

farei para ele ajuda idônea para ele. No original hebraico, farei para ele um ajudante como diante dele, כנגדו, correspondente a ele – isto é, um companheiro apropriado; alguém que possa ajudá-lo em seus trabalhos, compartilhar seus conselhos e retribuir seus sentimentos. [Whedon]

Leia também um estudo sobre a mulher.

19 Formou, pois, o SENHOR Deus da terra todo animal do campo, e toda ave dos céus, e trouxe-os a Adão, para que visse como lhes havia de chamar; e tudo o que Adão chamou aos animais viventes, esse é seu nome.

Deustrouxe-os a Adão. Não todos os animais que existem, mas aqueles que estão principalmente nas suas imediações, para serem subordinados ao seu uso.

Adão chamou aos animais viventes, esse é seu nome. Sua capacidade de percepção e inteligência foi sobrenaturalmente ampliada para conhecer as características, hábitos e usos de cada espécie que foi trazida a ele. [JFB]

20 E pôs Adão nomes a todo animal e ave dos céus e a todo animal do campo: mas para Adão não achou ajuda que estivesse idônea para ele.

mas para Adão não achou ajuda que estivesse idônea para ele. O propósito dessa cena singular era mostrar a ele que nenhum dos seres vivos que ele via estava ao mesmo nível que ele, e que, enquanto cada classe vinha com seu companheiro da mesma natureza, forma e hábitos, apenas ele não tinha companhia. Além disso, ao dar-lhes nomes, ele foi levado a exercer seus poderes de fala e a se preparar para as relações sociais com seu parceira, uma criatura ainda a ser formada. [JFU]

21 E o SENHOR Deus fez cair sonho sobre Adão, e ele adormeceu: então tomou uma de suas costelas, e fechou a carne em seu lugar;

cair sonho (“profundo”, em algumas traduções). Provavelmente um êxtase ou transe como o dos profetas, quando tiveram visões e revelações do Senhor, pois toda a cena foi provavelmente visível à compreensão de Adão, e por isso sua exclamação arrebatadora.

tomou uma de suas costelas. “Ela não foi feita de sua cabeça para superá-lo, nem de seus pés para ser pisada, mas de seu lado para ser igual a ele, e perto de seu coração para ser querida por ele.” [JFB]

22 E da costela que o SENHOR Deus tomou do homem, fez uma mulher, e trouxe-a ao homem.

E da costela que o SENHOR Deus tomou do homem, fez uma mulher. A palavra traduzida por “fez” no original hebraico é “construiu” – isto é, implica habilidade extraordinária, cuidado e gosto no plano e proporções da estrutura; e a preposição significa transformar uma coisa em outra: de modo que a tradução literal da passagem é, “a costela que o Senhor Deus tirou do homem que formou em mulher”.

Uma opinião absurda foi apoiada por muitos, de que Adão foi criado uma criatura andrógina ou composta que compreende em sua própria pessoa ambos os sexos. Adão foi criado física e intelectualmente como um homem perfeito; mas a mulher, sua contraparte, foi uma formação posterior. [JFU]

23 E disse Adão: Esta é agora osso de meus ossos, e carne de minha carne: esta será chamada Mulher, porque do homem foi tomada.

Se o primeiro homem estava consciente da mudança em si mesmo, e do trabalho do Ser Supremo enquanto ele estava acontecendo, ou se recebeu informações sobrenaturais do evento quando ele acordou, não aparece. Mas ele está perfeitamente consciente da natureza daquela que agora, pela primeira vez, aparece diante dos seus olhos. Isso é evidenciado no seu discurso ao contemplá-la: Esta é agora – em contraste com toda a criação animal, pouco antes colocada diante dele, na qual ele havia falhado em encontrar uma ajudadora –  osso de meus ossos, e carne de minha carne; de onde percebemos que a costela incluía tanto osso quanto carne. Esta contraparte de mim mesmo será chamada mulher; a palavra no original é uma forma feminina de “homem”, à qual não temos nenhum equivalente exata. porque do homem foi tomada; sendo tirada de um homem, ela é humana; e sendo um indivíduo perfeito, ela é um homem feminino. [Barnes]

Leia também um estudo bíblico sobre a mulher.

24 Portanto, deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e se achegará à sua mulher, e serão uma só carne.

Alguns intérpretes (Delitzsch, Lange) consideram palavras de Adão, ditas como por um impulso profético de Deus; enquanto outros (Keil, Gerlach, Turner) consideram palavras do historiador inspirado. Esta última é a visão mais provável. Em Mateus 19:3-6, Jesus mostrou a partir desta passagem que o vínculo matrimonial é santíssimo e inviolável. [Whedon, 1874]

25 E estavam ambos nus, Adão e sua mulher, e não se envergonhavam.

não se envergonhavam. Pois onde não há pecado, mas uma consciência celestial de perfeita inocência, não pode haver sentimento de vergonha. [Whedon, 1874]

<Gênesis 1 Gênesis 3>

Leia também uma introdução ao livro do Gênesis.

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.