Bíblia, Revisar

Jó 38

1 Então o SENHOR respondeu a Jó desde um redemoinho, e disse:

Jeová aparece inesperadamente num redemoinho (Juntando Jó 37: 1, Jó 37: 2), o símbolo de “julgamento” (Salmo 50: 3, Sl 50: 4, etc.), ao qual Jó o desafiou. Ele pede agora para se preparar para a entrevista. Ele pode explicar os fenômenos do governo natural de Deus? Como ele pode, então, esperar entender os princípios de seu governo moral? Assim, Deus confirma o sentimento de Eliú, de que a submissão a, e não raciocínios sobre, os caminhos de Deus é parte do homem. Isso e o projeto disciplinar do julgamento para os piedosos é a grande lição deste livro. Ele não resolve a dificuldade por referência a retribuição futura: pois esta não era a questão imediata; vislumbres dessa verdade já foram dados nos capítulos quatorze e dezenove, sendo a revelação completa reservada aos tempos do Evangelho. No entanto, mesmo agora, precisamos aprender a lição ensinada por Eliú e Deus em Jó.

2 Quem é esse que obscurece o conselho com palavras sem conhecimento?

conselho – impugnando Minha divina sabedoria nos arranjos providenciais do universo. Tais “palavras” (incluindo as dos amigos) bastante obscuras, do que lançar luz sobre os Meus caminhos. Deus está prestes a ser o Defensor de Jó, mas deve primeiro levá-lo a um estado mental correto para receber alívio.

3 Agora cinge teus lombos como homem; e eu te perguntarei, e tu me explicarás.

como homem – herói, pronto para a batalha (1Co 16:13), como ele desejava (Jó 9:35; Jó 13:22; Jó 31:37). O manto, geralmente gasto fluindo, foi cingido por um cinto quando homens corriam, trabalhavam ou lutavam (1Pe 1:13).

4 Onde estavas tu quando eu fundava a terra? Declara- me ,se tens inteligência.

Para entender a causa das coisas, o homem deveria estar presente em sua origem. A criatura finita não pode sondar a infinita sabedoria do Criador (Jó 28:12; Jó 15: 7, Jó 15: 8).

5 Quem determinou suas medidas, se tu o sabes? Ou quem estendeu cordel sobre ela?

medidas – de suas proporções. Imagem dos planos de um arquiteto de um edifício.

estendeu cordel (Is 28:17). A terra é formada em um plano todo sábio.

6 Sobre o que estão fundadas suas bases? Ou quem pôs sua pedra angular,

preso – literalmente, “feito para afundar”, como uma pedra fundamental abaixada até que se assente firmemente no barro (Jó 26: 7). A gravitação faz e mantém a terra uma esfera.

7 Quando as estrelas do amanhecer cantavam alegremente juntas, e todos os filhos de Deus jubilavam?

Assim, na fundação do templo de Zorobabel (Ed 3: 10-13). Então, no futuro, na conclusão da Igreja, o templo do Espírito Santo (Zc 4: 7); como na sua fundação (Lc 2:13, Lc 2:14).

as estrelas do amanhecer – especialmente bonita. A manhã da criação está apropriadamente associada a estas, sendo o começo do dia deste mundo. Diz-sefigurativamente que as estrelas cantam os louvores de Deus, como no Salmo 19: 1; Salmo 148: 3. Elas são símbolos dos anjos, tendo a mesma relação com a nossa terra, como os anjos fazem para nós. Por isso, elas respondem aos “filhos de Deus”, ou anjos, no paralelo. Veja em Jó 25: 5.

8 Ou quem encerrou o mar com portas, quando transbordou, saindo da madre,

portas – comportas; estes quando abertos causaram o dilúvio (Gn 8: 2); ou então, as margens.

madre – do caos. As entranhas da terra. Imagem do parto (Jó 38: 8; Jó 38: 9; Ez 32: 2; Mq 4:10). O oceano em seu nascimento estava envolto em nuvens como faixas de bandagem.

9 Quando eu pus nuvens por sua vestidura, e a escuridão por sua faixa;
10 Quando eu passei sobre ele meu decreto, e lhe pus portas e ferrolhos,

freio para – isto é, nomeou. Shores são geralmente quebrados e falésias abruptas. O grego para “terra” significa “um lugar quebrado”. Eu parei ou medi o limite, ou seja, o limite que eu achava adequado (Jó 26:10).

11 E disse: Até aqui virás, e não passarás adiante, e aqui será o limite para a soberba de tuas ondas?
12 Desde os teus dias tens dado ordem à madrugada? Ou mostraste tu ao amanhecer o seu lugar,

Passando da criação para os fenômenos no mundo inanimado existente.

Você tem como Deus faz diariamente.

seu lugar – Varia em seu lugar de subir de dia para dia, e ainda assim tem seu lugar a cada dia de acordo com leis fixas.

13 Para que tomasse os confins da terra, e os perversos fossem sacudidos dela?

os confins da terra – espalhe-se sobre a terra até os limites finais em um momento.

perversos – que odeiam a luz e fazem suas obras más no escuro (Jó 24:13).

sacudidos dela – Os cantos (hebraico, “asas” ou “saias”), como de uma peça de roupa, são tomadas pela primavera, para sacudir os ímpios.

14 E a terra se transforma como barro sob o selo; todas as coisas sobre ela se apresentam como vestidos?

Explicando a primeira sentença de Jó 38:13, como Jó 38:15 faz a segunda cláusula. Como o barro plástico apresenta as várias figuras impressas nele por um selo, assim a terra, que no escuro era vazia de toda forma, quando iluminada pela manjedoura, apresenta uma variedade de formas, colinas, vales, etc.

virou – (hebraico, “vira a si mesmo”) alude ao selo cilíndrico rolante, tal como é encontrado na Babilônia, que deixa suas impressões sobre o barro, à medida que ele é revolvido; então a luz da manhã rolando sobre a terra.

eles permanecem – As formas de beleza, desdobradas pela aurora, destacam-se como uma vestimenta, na qual a terra é revestida.

15 E dos perversos é desviada sua luz, e o braço erguido é quebrado.

sua luz – pela qual eles trabalham; ou seja, a escuridão, que é o dia deles (Jó 24:17), se extingue com a luz do dia.

16 Por acaso chegaste tu às fontes do mar, ou passeaste no mais profundo abismo?

fontes – fontes sob o mar (Salmo 95: 4, Salmo 95: 5).

17 Foram reveladas a ti as portas da morte, ou viste as portas da sombra de morte?

viste – A segunda sentença aumenta o pensamento no primeiro. O homem durante a vida nem sequer “vê” as portas do reino dos mortos (“morte”, Jó 10:21); muito menos eles são “abertos” para ele. Mas esses estão “nus diante de Deus” (Jó 26: 6).

18 Entendeste tu as larguras da terra? Declara, se sabes tudo isto.
19 Onde está o caminho por onde mora a luz? E quanto às trevas, onde fica o seu lugar?

As maravilhas no céu. “Qual é o caminho (para o lugar onde) a luz habita?” A origem da luz e das trevas. Em Gn 1: 3-5, Gn 1: 14-18, “luz” é criada distinta e anterior a corpos emissores de luz, os luminares do céu.

20 Para que as tragas a seus limites, e conheças os caminhos de sua casa.

Tu sabes o seu lugar tão bem como ser capaz de guiar, (“tomar” como em Is 36:17) isto para (mas umbreit, “alcançá-lo”) seu próprio limite, isto é, o limite entre luz e escuridão? (Jó 26:10)

21 Certamente tu o sabes, pois já eras nascido, e teus dias são inúmeros!

Ou sem o interrogatório, num sentido irônico (Umbreit).

Quando eu criei a luz e as trevas (Jó 15: 7).

22 Por acaso entraste tu aos depósitos da neve, e viste os depósitos do granizo,

depósitos – armazéns, dos quais Deus traz neve e granizo. A neve é vapor congelado no ar antes de ser coletado em gotas grandes o suficiente para formar granizo. Sua forma é a de um cristal em infinita variedade de figuras bonitas. O granizo é formado pela chuva que cai pelo ar frio e seco.

23 Que eu retenho até o tempo da angústia, até o dia da batalha e da guerra?

até o tempo da angústia – O tempo em que o Senhor planeja castigar os homens (Êx 9:18; Js 10:11; Revelação 16:21; Is 28:17; Salmo 18:12, Salmo 18:13; Ag 2:17) .

24 Onde está o caminho em que a luz se reparte, e o vento oriental se dispersa sobre a terra?

reparte – partes, de modo a difundir-se sobre toda a terra, embora parecendo vir de um ponto. A luz viaja do sol para a terra, noventa milhões de milhas, em oito minutos.

se dispersa – sim: “E de que maneira o vento oriental (personificado) se espalha (espalha).” A luz e o vento do leste estão associados, pois ambos vêm de um quarto, e frequentemente surgem juntos (Jn 4: 8).

25 Quem repartiu um canal às correntezas de águas, e caminho aos relâmpagos dos trovões,

águas – A chuva cai, não em uma massa em um ponto, mas em inúmeros canais separados no ar marcados para eles.

26 Para chover sobre a terra onde havia ninguém, sobre o deserto, onde não há gente,

Como a chuva também falha em lugares desabitados pelo homem, não pode ser que o homem siga seu curso. Essa chuva, embora o homem não possa explicar a razão para isso, não está perdida. Deus tem algum design sábio nisso.

27 Para fartar a terra deserta e desolada, e para fazer crescer aos renovos da erva.

Como se o solo desolado tivesse sede dos chuveiros de Deus. Personificação. A beleza transmitida ao deserto desabitado agrada a Deus, para quem, primariamente, todas as coisas existem, e ele tem outras concepções nelas.

28 Por acaso a chuva tem pai? Ou quem gera as gotas do orvalho?

Pode alguma origem visível de chuva e orvalho ser atribuída pelo homem? O orvalho é a umidade que estava suspensa no ar, mas se torna condensada ao atingir a temperatura mais baixa dos objetos na Terra.

29 De qual ventre procede o gelo? E quem gera a geada do céu?
30 As águas se tornam duras como pedra, e a superfície do abismo se congela.

As águas não congeladas estão escondidas sob o gelo, como com uma cobertura de pedra.

congela – literalmente, “é levado”; as partículas se apegam umas às outras de modo a se coesão.

31 Podes tu atar as cadeias das Plêiades, ou desatar as cordas do Órion?

influências doces – a alegria difundida pela primavera, a época em que as Plêiades aparecem. Os poetas orientais, Hafiz, Sadi, etc., descrevem-nos como “rosetas brilhantes”. Gesenius traduz: “bandas” ou “nó”, que responde melhor ao paralelismo. Mas a versão inglesa concorda melhor com o hebraico. As sete estrelas estão intimamente ligadas (veja Jó 9: 9). “Você pode amarrar ou perder o laço?” “Você pode perder os laços pelos quais a constelação de Orion (representada no Oriente como um gigante ímpio acorrentado ao céu) é mantida rapidamente?” (Veja Jó 9: 9).

32 Podes tu trazer as constelações a seu tempo, e guiar a Ursa com seus filhos?

Podes tu trazer as constelações a seu tempo – ({Mazzaloth}, 2Rs 23: 5; a que “Mazzaroth} aqui é equivalente) no céu os signos do zodíaco em suas respectivas estações – as doze bandas em qual o sol sucessivamente fica, ou aparece, no céu?

seus filhos? – as três estrelas no rabo dele. Você pode fazê-los aparecer no céu? (Jó 9: 9). O gr) comer e menos Urso são chamados pelos árabes “Filhas do Bier, & rdq) uo; o quadrilátero é o esquife, os três outros, os enlutados.

33 Sabes tu as ordenanças dos céus? Ou podes tu dispor do domínio deles sobre a terra?

ordenanças – que regulam as alternâncias das estações, etc. (Gn 8:22).

domínio – controlar a influência dos corpos celestes, do sol, da lua, etc., na terra (nas marés, tempo) (Gn 1:16; Salmo 136: 7-9).

34 Ou podes levantar tua voz até às nuvens, para que a abundância das águas te cubra?

Jr 14:22; acima de Jó 22:11, metaforicamente.

35 Podes tu mandar relâmpagos, para que saiam, e te digam: Eis-nos aqui?

Eis-nos aqui? – à sua disposição (Is 6: 8).

36 Quem pôs a sabedoria no íntimo? Ou quem deu entendimento à mente?

íntimo – Mas “nuvens escuras” (“fenômenos brilhantes”) (Umbreit); “Meteoro” [Maurer], referindo-se à consulta destes como sinais do tempo pelo lavrador (Ec 11:: 4). Mas o hebraico suporta a versão em inglês. A conexão é: “Quem te deu a inteligência para compreender em qualquer grau os fenômenos que acabamos de especificar?”

37 Quem pode enumerar as nuvens com sabedoria? E os odres dos céus, quem pode os despejar?

Quem aponta por sua sabedoria a devida medida das nuvens?

38 Quando o pó se endurece, e os torrões se apegam uns aos outros?

cresce, etc. – em vez disso, derramar-se em massa pela chuva, como metal derretido; então traduza Jó 38:38: “Quem é aquele que esvazia”, etc., “quando” etc.? A Versão Inglesa, no entanto, é defensável: “É endurecida em massa” pelo calor, como metal derretido, antes da chuva cair; “Quem é que pode esvaziar os vasos da chuva e derrubar a chuva em tal momento?” (Jó 38:38).

39 Caçarás tu a presa para o leão? Ou saciarás a fome dos leões jovens,

Em Jó 38: 39-39: 30, os instintos dos animais. É você que lhe dá o instinto de caçar sua presa? (Sl 104: 21)

40 Quando estão agachados nas covas, ou estão à espreita no matagal?
41 Quem prepara aos corvos seu alimento, quando seus filhotes clamam a Deus, andando de um lado para o outro por não terem o que comer?

Lc 12:24 Transição da nobre leoa para o corvo que coaxa. Embora o homem não goste, como de mau presságio, Deus cuida disso, como para todas as Suas criaturas.

<Jó 37 Jó 39>

Leia também uma introdução ao livro de Jó.

Adaptado de: Commentary Critical and Explanatory on the Whole Bible. Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.