Jó 11

O primeiro discurso de Zofar

1 Então Zofar, o naamita, respondeu, dizendo:

Comentário de Keil e Delitzsch

(1-6) Quando Jó conclui seu longo discurso, começa Zofar, o terceiro e mais impetuoso dos amigos. Seu nome, se é para ser explicado de acordo com o nome árabe esauíta el-assfar, significa o amarelo (flavedo), e o nome do lugar de onde ele vem, prazer (amaenitas). O início de seu discurso é apaixonado. Ele chama o discurso de Jó de דברים רב, uma multidão de palavras (além aqui, Provérbios 10:19; Eclesiastes 5:2), e pergunta se ele deve permanecer sem resposta; יענה לא, responsum non feret, de נענה, não o sentido de ser humilhado, mas: ser atendido (do suplicante: ser ouvido equivale a receber uma resposta). Ele chama Jó שׂפתים אישׁ, um prater (diferente de דברים איש, um orador pronto, Êxodo 4:10), que não está no direito, a quem não se deve permitir que tenha a última palavra. As perguntas, Jó 11:2, são seguidas por outra que não é denotada pelo sinal de uma pergunta, mas é conhecida apenas pelo acento: Não deve teu בּדּים, discursos sem sentido (de בדד é igual a בטא, βαττολογεῖν), colocar homens ( מתים, como outros arcaísmos, por exemplo, תּבל, sempre sem o artigo) para silenciar, para que você ouse zombar sem que ninguém te envergonhe, ou seja, te conduzindo ad absurdum? Tu ousas zombar de Deus (Hirzel); melhor Rosenmeller: nos et Deum. A zombaria aqui significada é aquela que Zofar ouviu no longo discurso de Jó; zombaria de seus adversários, na crença de que ele está certo porque eles permanecem em silêncio. O fut. consec., Jó 11:3., descreve a conduta de Jó que resulta dessa ausência de contradição. Zofar, no v. 4, não retoma as próprias palavras de Jó, mas significa que é melhor não ter mais nada a ver com Jó, pois ele algum dia diria e pensaria assim e assim, ele consideraria sua doutrina irrepreensível, e si mesmo em relação a Deus puro. לקח ocorre apenas aqui neste livro; é uma palavra peculiar ao livro de Provérbios (também apenas Deuteronômio 32:2; Isaías 29:24), e significa apropriadamente o ato de apropriar-se, então aquilo que é apresentado para apropriação, ou seja, para aprendizado: a doutrina (semelhante a שׁמועה, a audição, ἀκοή, e então o discurso); vemos pelas palavras “minha doutrina é pura”, que Zofar põe na boca de Jó, que a controvérsia se torna cada vez mais uma controvérsia a respeito de princípios conhecidos. [Keil e Delitzsch, aguardando revisão]

2 Por acaso a multidão de palavras não seria respondida? E o homem falador teria razão?

Comentário de A. R. Fausset

Por acaso a multidão de palavras não seria respondida? Zofar ataca Jó por suas palavras vazias, e indiretamente os dois amigos por suas respostas fracas. O falar pouco é muito apreciado entre os Orientais. “Na multidão de palavras não falta o pecado; mas aquele que refreia os seus lábios é sábio” (Provérbios 10:8,19). [JFU]

3 Por acaso tuas palavras tolas faria as pessoas se calarem? E zombarias tu, e ninguém te envergonharia?

Comentário de A. R. Fausset

mentiras – em vez disso, “vaidoso vaidoso” (Isaías 16:6; Jeremias 48:30). Oséias “homens” são enfáticos; homens de sentido; em antítese a “vaidosa vaidade”.

zombaria de Deus por queixas, “ninguém te envergonhará?” [Fausset, aguardando revisão]

4 Pois disseste: Minha doutrina é pura, e eu sou limpo diante de teus olhos.

Comentário de A. R. Fausset

doutrina – propositalmente usada dos discursos de Jó, que soavam como lições de doutrina (Deuteronômio 32:2; Provérbios 4:2).

teus – dirigido a Deus. Jó manteve sua sinceridade contra as suspeitas de seus amigos, e não de impecabilidade. [JFB]

5 Mas na verdade, queria eu que Deus falasse, e abrisse seus lábios contra ti,

Comentário Barnes

Mas na verdade, queria eu que Deus falasse – É a expressão de um desejo sincero de que Deus se dirija a ele, e o leve a um sentido próprio de seu deserto doentio. O significado é que, se Deus lhe falasse, não se encontraria de modo algum tão santo como agora afirmava ser. [Barnes]

6 E te fizesse saber os segredos da sabedoria, porque o verdadeiro conhecimento tem dois lados; por isso sabe tu que Deus tem te castigado menos que mereces por tua perversidade.

Comentário de A. R. Fausset

para aquilo que é! – Pelo contrário, “eles são o dobro da sabedoria [do homem]” [Michaelis]. Então o hebraico é apresentado (Provérbios 2:7). Os caminhos de Deus, que você proclama, se lhes fosse mostrada a sabedoria secreta deles, seriam vistos muito além dos homens, incluindo os seus (1Coríntios 1:25).

exacteth – Pelo contrário, “Deus consigna ao esquecimento em teu favor muito da tua culpa”. [Fausset, aguardando revisão]

7 Podes tu compreender os mistérios de Deus? Chegarás tu à perfeição do Todo-Poderoso?

Comentário de A. R. Fausset

Chegarás tu à perfeição do Todo-Poderoso? Ou então, “atingirás (alcançarás) as perfeições do Todo-Poderoso?” (Jó 9:10); “Teu conhecimento é maravilhoso demais para mim, tão alto que não posso alcançá-lo.” (Salmo 139:6). [JFU]

8 Sua sabedoria é mais alta que os céus; que tu poderás fazer? E mais profunda que o Sheol; que tu poderás conhecer?

Comentário Cambridge

Sua sabedoria é imensurável, insondável. As palavras são uma exclamação: é mais alta que os céus! o que tu poderás fazer? – você é impotente diante dele, para escalá-lo ou alcançá-lo.

E mais profunda que o Sheol, o lugar dos mortos – você pode sondar isto, penetrar com teu conhecimento a ele? [Cambridge]

9 Sua medida é mais comprida que a terra, e mais larga que o mar.

Comentário Whedon

Sua medida é mais comprida que a terra – Ferdusi, o poeta épico da Pérsia, exclama: “A altura e a profundidade do mundo inteiro têm o seu centro em ti, ó meu Deus! Eu não te conheço, o que tu és; mas eu sei que tu és o que só tu podes ser.” [Whedon]

10 Se ele passar, e prender, ou se ajuntar para o julgamento ,quem poderá o impedir?

Comentário de A. R. Fausset

cortada – Ao contrário, como em Jó 9:11, “passar adiante”, como uma tempestade; ou seja, apressar com raiva.

calar a boca – na prisão, com vista a julgamento.

ajuntar – as partes para julgamento: realizar uma assembléia judicial; para sentenciar os prisioneiros. [Fausset, aguardando revisão]

11 Pois ele conhece as pessoas vãs, e vê a maldade; por acaso ele não a consideraria?

Comentário de A. R. Fausset

(Salmo 94:11)

consideraria – de modo a puni-lo. Antes, da conexão, Jó 11:6: “Ele vê também iniquidade, que o homem não percebe”; literalmente, “Mas não (outro, exceto Ele) percebe isso” (Umbreit). A “sabedoria” de Deus (Jó 11:6), detecta o pecado onde o olho humano de Jó não pode alcançar (Jó 11:8), de modo a ver algum. [Fausset, aguardando revisão]

12 O homem tolo se tornará entendido quando do asno selvagem nascer um humano.

Comentário de A. R. Fausset

seria – “quer se considerar sábio”; oposta à “sabedoria” de Deus (veja Jó 11:11); se recusa a ver o pecado, onde Deus o vê (Romanos 1:22).

asno selvagem nascer um humano – um provérbio de selvageria indomada (Jó 39:5; Jó 39:8; Jeremias 2:24; Gênesis 16:12; Hebraico, “um homem selvagem”). O homem deseja parecer sabiamente obediente ao seu Senhor, ao passo que ele é, desde o seu nascimento, não subjugado em espírito. [Fausset, aguardando revisão]

13 Se tu preparares o teu coração, e estenderes a ele tuas mãos;

Comentário de A. R. Fausset

A apodosis ao “Se” está em Jó 11:15. A preparação do coração deve ser obtida (Provérbios 16:1) estendendo as mãos em oração por isso (Salmo 10:17; 1Crônicas 29:18). [Fausset, aguardando revisão]

14 Se alguma maldade houver em tua mão, lança-a de ti, e não deixes a injustiça habitar em tuas tendas;

Comentário de A. R. Fausset

Em vez disso, “se tu puseres a iniquidade longe na tua mão” (como Zaqueu fez, Lucas 19:8). A apodosis ou conclusão é em Jó 11:15, “então tu”, etc. [Fausset, aguardando revisão]

15 Então levantarás teu rosto sem mácula; estarás firme, e não temerás;

Comentário de A. R. Fausset

Zofar refere-se às próprias palavras de Jó (Jó 10:15), “todavia não levantarei a minha cabeça”, mesmo que seja justo. Zofar declara que, se Jó seguir seus conselhos, ele poderá “levantar o rosto”.

ponto – (Deuteronômio 32:5).

firme – literalmente, “correr rápido juntos”, como metais que se tornam firmes e duros pela fusão. O pecador, pelo contrário, está vacilando. [Fausset, aguardando revisão]

16 E esquecerás teu sofrimento, ou lembrarás dele como de águas que já passaram;

Comentário de A. R. Fausset

Assim como quando o riacho seca (Jó 6:17), o perigo ameaçado por suas ondas selvagens é esquecido (Isaías 65:16) (Umbreit). [Fausset, aguardando revisão]

17 E tua vida será mais clara que o meio-dia; ainda que haja trevas, tu serás como o amanhecer.

Comentário de A. R. Fausset

o meio-dia – ou seja, da tua antiga prosperidade; que, na imagem do poeta, tinha aumentado, até atingir sua altura, à medida que o sol se eleva cada vez mais até atingir o meridiano (Provérbios 4:18). [Fausset, aguardando revisão]

18 E serás confiante, porque haverá esperança; olharás em redor, e repousarás seguro.

Comentário de A. R. Fausset

A experiência da tua vida te ensinará que há esperança para o homem em toda provação.

cavar – ou seja, poços; a principal necessidade no Oriente. Melhor, “embora agora envergonhado (Romanos 5:5, oposto ao anterior ‘esperança’), então você descansará em segurança” (Gesenius); [Fausset, aguardando revisão]

19 E te deitarás, e ninguém te causará medo; e muitos suplicarão a ti.

Comentário de A. R. Fausset

(Salmo 4:8; Provérbios 3:24; Isaías 14:30); imagens orientais de prosperidade.

fazer terno – literalmente, “acariciar teu rosto”, “acariciar-te” (Provérbios 19:6). [Fausset, aguardando revisão]

20 Porém os olhos dos maus se enfraquecerão, e o refúgio deles perecerá; a esperança deles será a morte.

Comentário de A. R. Fausset

Um aviso para Jó, se ele não se voltasse para Deus.

olhos dos maus se enfraquecerão – isto é, em vão procurar alívio (Deuteronômio 28:65). Zophar sugere que a única esperança de Job é uma mudança de coração.

esperança deles será a morte – Sua esperança deve deixá-los como a respiração faz o corpo (Provérbios 11:7). [Fausset, aguardando revisão]

<Jó 10 Jó 12>

Visão geral de Jó

“O livro de explora a difícil questão da relação de Deus com o sofrimento humano e nos convida a confiar na sabedoria e no caráter de Deus”. Tenha uma visão geral deste livro através do vídeo a seguir produzido pelo BibleProject. (12 minutos)

🔗 Abrir vídeo no Youtube.

Leia também uma introdução ao livro de Jó.

Todas as Escrituras em português citadas são da Bíblia Livre (BLIVRE), Copyright © Diego Santos, Mario Sérgio, e Marco Teles – fevereiro de 2018.